das homenagens a Mandela “a partir de”

a luta armada de Mandela foi absolutamente legítima. tenho por intolerável falar de Mandela “a partir da sua libertação”, momento em que iniciou uma obra de conciliação que todos tinham por impossível. não há dúvidas de que este gigante político e humano (com uma capacidade interior de perdão que não tem paralelo) deve ser recordado por isso. mas omitir o momento da sua vida que teve de ser o da luta armada contra um dos mais horrorosos regimes do seculo XX é omitir uma parte da homenagem. essa luta foi legítima e corajosa e o “fundamento” da sua prisão por 27 anos (a pena era perpétua). Mandela pegou nas armas em tempo de pegar nas armas e dialogou em tempos dessa possibilidade. que a si se deve.

 

6 thoughts on “das homenagens a Mandela “a partir de””

  1. Nunca os “brancos” teceram tantos louvores a um Africano, como acontece com Mandela.

    Parece que com Gandi, indiano, teria acontecido a mesma coisa, principalmente os ingleses.

    As televisões não mostram muitas personalidades negras a tecer louvores a Mandela.

    Talvez essas personalidades africanas que não se vêm muito expansivas em louvores a Mandela, se estejam Robert Mugabe.a guardar para o óbito do ancião vizinho de Mandela,

  2. Não posso estar mais de acordo com a certeiras e oportunas palavras da Isabel Moreira. De facto, parece que o discurso universal sobre a morte do grande MANDELA parece apostado em que não se saiba que também ele compreedeu ter a sua luta chegado a um ponto em que se impunha o recurso à violênia armada.

    Teve a coragem de assumir isso sabendo que arriscava a própria vida! Isso em nada o deminui como se pretende fazer crer, quando se tenta esconder debaixo do tapete esse momento crucial da sua luta, até porque foi capaz de ver com toda a clarividência quando chegou o momento em que as armas estariam a mais.

  3. joao .estou espantado ao ve-lo criticar o pcp,pelo seu não voto de pesar na morte de václav havel.comuna nada? bloco? só enquanto estiver em coma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.