Código do Trabalho: votar contra ou não negar a tantos uma voz

Neste momento há mais de um milhão de desempregados à procura de uma coisa que se chama “emprego”. Depois, há outro número monstruoso de pessoas que, sem liberdade, sem poder, “tem” essa coisa que se chama “emprego”. Isso: “emprego” ou “trabalho”, palavras que na nossa cultura laboral têm, por pouco tempo, um significante.
Estamos a percorrer um caminho, que não se reduz ao Código de Trabalho, mas ao diploma que permitiu mais uma renovação por 180 dias dos contratos a termo ou à diminuição do prazo do subsídio de desemprego, com uma marca ideológica clara.
Um dos resultados deste pacote calculado pela direita é a corrida aos baixos salários, prontamente oferecidos por patrões que poderiam oferecer mais, mas que sabem que uma indignidade será “aceite”, por exemplo porque o prazo do subsídio de desemprego do futuro trabalhador está a terminar.
O CT “cumpre o memorando”, dizem, donde a “disciplina de voto”.
O CT não aproveita garantias do memorando e vai – para não variar – para além do memorando, não no sentido de proteger a parte mais fraca no contrato de trabalho, mas para ajudar a fragilizar ainda mais a parte mais frágil.
Disciplina de voto?
A ver se eu percebo: amanhã o Governo faz uma proposta de lei sobre um ponto do memorando a qual tem 2 preceitos que concretizam o memorando e 100 que inovam no caminho do liberalismo histérico em que a direita anda animada. Estou sujeita a disciplina de voto? É matéria de “compromisso eleitoral do PS”?
Felizmente, independentemente do sentido de voto, vários Deputados concordaram com esta interpretação.
Mas a questão mais importante é outra: os tais milhões, desempregados e precários, não têm muita coisa.
Convinha não negar-lhes uma voz.

28 thoughts on “Código do Trabalho: votar contra ou não negar a tantos uma voz”

  1. agora aprovam as leis e depois são chamados a formar governo de salvação nacional para as fazer cumprir com o mínimo de ondas, é a derradeira hipótese do seguro alguma vez ser ministro de uma merda qualquer.

  2. Obrigado por me representar enquanto cidadão que votou no Partido Socialista nesta votação. E acredito fielmente que não serei o único a partilhar deste sentimento de gratidão. Muito Obrigado

  3. Pergunta ao Sócrates como é que deves votar. Afinal foi ele que assinou o memorando. Forçado a isso pela Direita, Pcp e Bloco, é verdade, mas sempre foi ele que assinou. Bem tería ele feito se se demitisse depois do discurso da tomada de posse de Cavaco! Hoje a história sería outra! Assim temos que esperar que seja o povo, a bem ou a mal, a fazer a mudança ansiada e lograda por este desgoverno. Não pensem é que alguém vai chamar-vos de volta e receber-vos em ombros, desenganem-se. Miguel Relvas é um monstro (no sentido pejorativo), mas entre ele e,por ex.,José Lello..venha o diabo e escolha! E agora um conselho, Isabel Moreira: façam uma catarse colectiva, vejam o que Sócrates fez de bem e fez de mal e..deixem o Partido Socialista seguir o seu caminho. Como Socialista que sou digo-te: o Ps é do Povo, é dos militantes. Não é de seitas, nem de gangsters, isso é com a direta!

  4. A sério, há por aí algum Partido Socialista a seguir o seu caminho? Se há, não se nota. Só oiço o silêncio e vejo os abraços com a direita caluniadora. Aos poucos vão-se transformando eles mesmos em autores dos insultos. Desenganem-se que os 1.500.000 votos não foram de seitas, nem de gangsters, foram do povo para José Sócrates e para o PS de que era líder. Desenganem-se que eu, crónico eleitor socialista (e povo, também sou povo), vote neste PS. Admiro a sua atitude ,Isabel Moreira. Já não é a primeira vez que este PS dá cobertura a politicas muito para além do que foi assinado pelo anterior governo. Por exemplo ,absteve-se com uma original violência no OE que cortava em 4 meses de ordenado que não estavam previstos no memorando. Calou-se quando do “buraco colossal” que se provou inexistente. Etc, etc.

  5. Escrevi um comentário longo, mas como deu erro, perdi-o e já não sou capaz de reproduzi-lo agora.
    Resumia-se mais ou menos a um agradecimento à Isabel Moreira por me representar na AR. Eu, militante do PS, vejo na Isabel Moreira a personificação dos melhores de entre nós, socialistas.
    O comentário original estava mais completo, era emotivo e escrito “ao sabor do teclado”. Agora já não sou capaz.
    De qualquer forma, vejo que segue o ensinamento do seu Pai, escrito por ele no prefácio de um livro de Ciência Política por onde estudei: “olhar para cima e em frente”.
    A Sra. Deputada dignifica o PS e a sua História.
    Muito obrigado por me representar plenamente na AR.

  6. Caro Eduardo, compreendo o que v. diz, mas o “calou-se” não esta certo. Então e a “abstenção violenta”, não conta ?

    Boas

  7. Deve haver raciocínios que me transcendem: mas o PS está ainda, ou já, a governar??! Lá por ter assinado o Memorando, tem forçosamente de APROVAR a governação de quem tem IDEIAS OPOSTAS sobre o modo de governar este País? Isto ultrapassa-me, de facto, e está ao nível das dúvidas dos meus ex-Alunos do 2º Ciclo do Básico, lamento ter de o salientar desta forma crua.

    Não, claro que o PS NÃO TEM DE APROVAR AS PROPOSTAS DO GOVERNO SÓ PORQUE SE CONFORMAM COM O MEMORANDO. O que o PS não poderia era propor medidas QUE NÃO SE CONFORMASSEM com o Memorando, o que para quem entenda um pouco de Lógica é muitíssimo diferente! O Memorando NÃO É NENHUM PROGRAMA DE GOVERNO! Se acaso o fosse, ENTÃO NEM TERIA SIDO NECESSÁRIO HAVER ELEIÇÕES e o Governo de Sócrates, já que a Oposição de Direita assinou o Memmorando, PODERIA TER CONTINUADO EM FUNÇÕES! Ou ter-se feito uma Coligação governamental COM TODOS OS PARTIDOS QUE SUBSCREVERAM O ACORDO! Mas não foi isso que aconteceu: houve Eleições, lembram-se? E o PS PERDEU-AS, NÃO É RESPONSÁVEL PELO QUE O NOVO GOVERNO ESTÁ A QUERER FAZER AO PAÍS!!!

    O PS deve, sim, propor medidas ALTERNATIVAS às do Governo, REJEITANDO ESTAS, que se conformem com o Memorando e que, acima de tudo, MOSTREM AO POVO COMO SERIA UM GOVERNO PS a governar sob a vigilância da “Troika”, ou então como poderá ser um novo Governo integrado com o PS – e em coligação ou sózinho -, sob a vigilância do “Troika” ou sem ela!!!!!!

    Será que já ninguém no PS sabe pensar e falar com clareza? Força, Isabel Moreira, Jorge Lacão, Francisco Assis e outros! Em nome de todos esses milhões que não se revêem no (des)governo atual e de TODOS OS MILHÕES QUE AINDA NÃO PODEM VOTAR, não baixem os braço! Não nos deixem a lutar sózinhos, com os nossos métodos populares, “Seguramente” menos subtis e bem-comportados do que os dos representantes da nossa VONTADE!!!!

  8. Deve haver raciocínios que me transcendem: mas o PS está ainda, ou já, a governar??! Lá por ter assinado o Memorando, tem forçosamente de APROVAR a governação de quem tem IDEIAS OPOSTAS sobre o modo de governar este País? Isto ultrapassa-me, de facto, e está ao nível das dúvidas dos meus ex-Alunos do 2º Ciclo do Básico, lamento ter de o salientar desta forma crua.

    Não, claro que O PS NÃO TEM DE APROVAR AS PROPOSTAS DO GOVERNO SÓ PORQUE SE CONFORMAM COM O MEMORANDO!

    O que o PS não poderia era propor medidas QUE NÃO SE CONFORMASSEM com o Memorando que assinou, o que, para quem entenda só um pouquinho de Lógica, é muitíssimo diferente!

    O Memorando NÃO É NENHUM PROGRAMA DE GOVERNO! Se acaso o fosse, ENTÃO NEM TERIA SIDO NECESSÁRIO HAVER ELEIÇÕES e o Governo de Sócrates, já que a Oposição de Direita também o assinou, PODERIA TER CONTINUADO EM FUNÇÕES! Ou ter-se feito uma Coligação governamental COM TODOS OS PARTIDOS QUE SUBSCREVERAM O ACORDO!

    Mas não foi isso que aconteceu: houve Eleições, lembram-se? E o PS PERDEU-AS, as suas propostas não vingaram e, como tal, NÃO É RESPONSÁVEL PELO QUE O NOVO GOVERNO ESTÁ A QUERER FAZER AO PAÍS!!!

    O PS deve, sim, propor medidas ALTERNATIVAS às do Governo, REJEITANDO ESTAS, medidas próprias, que se conformem com o Memorando e que, acima de tudo, MOSTREM AO POVO COMO SERIA UM GOVERNO PS, esteja ele a governar sob a vigilância da “Troika”, ou então como poderá vir a ser um novo Governo integrado pelo PS – e em coligação, ou sózinho -, sob a vigilância duma qualquer “Troika” ou sem ela!!!!!!

    Será que já ninguém no PS sabe pensar e falar PARA FORA com clareza? Força, Isabel Moreira, Jorge Lacão, Francisco Assis e tantos outros! Em nome de todos esses milhões que não se revêem no (des)governo atual e, sobretudo, EM NOME DE TODOS OS MILHÕES DE PORTUGUESES QUE AINDA NÃO PODEM VOTAR, como os nossos Filhos ou Netos, não baixem os vossos braços! Não nos deixem a lutar sózinhos, com os nossos métodos populares, “Seguramente” menos subtis e menos bem-comportados do que os dos legítimos representantes da nossa VONTADE!!!!

  9. ó pazinhos, dediquem-se à análise das alterações e forma jurídica de as combater a favor do empregado, o que não é dificil quando estão em causa contratos de trabalho a termo certo, ok? Qual é o termo? Tem razão de ser no caso concreto? Deve manter-se? A entidade patronal continua com necessidade do concurso do marujo? E a convolação nada diz? E as empresas, têm condições de pagar, porque ele é só direitos, pás, e os empregados não são tão santos quanto isso. E salários em atraso, medidas para os combater? Fogo, estão a discutir os bastidores do pensamento dos javardos que governam em vez de atalharem a solução. Distraiam-se, distraiam-se, que ultimamente não há bons programas de televisão, é só vampiros, sangue fresco, prisões ao vivo, investigações CSI e as trampas de hollywood, para não falar das trampas portuguesas que estrelam cada marmanjo e marmanja!

  10. Parabéns! Não porque concorde (o que é irrelevante no caso), mas porque a acção corresponde ao verbo, o que vai sendo um feito rarefeito.

  11. A vida é mesmo estranha, sou obrigado a constatar que uma deputada independente defende melhor os valores socialistas que os próprios socialistas!…

    Saúdo a coragem de não se ter sujeitado ao seguidismo ou defendido com uma “declaração de voto” para se “abster violentamente”!

    Obrigado!

  12. Pois, mas não há resposta, apenas crítica, solução jurídica a plasmar em lei, isso é que tarda. Deixem-se de tretas. Tudo da mesma laia procurando protagonismo.

  13. Isabel, mais uma vez graças a si sinto que o meu voto no PS não foi inútil. A questão que se coloca neste caso merecia ser bem pensada e debatida e basicamente é: até que ponto se justifica “colaborar com o inimigo” para evitar um mal maior? Até onde se pode/deve ir? Qual é o limite a partir do qual se perde a identidade e a dignidade? Para mim, que sou socialista de coração e não de papel passado, o Código Laboral é de tal modo revoltante que não pode ter o aval de quem se considere socialista. Ou se é ou não se é, há limites e este é claramente um deles.

  14. Isabel Moreira

    faça-nos um grande favor. Inscreva-se no PS e candidate-se a lider. É de gente com a sua integridade que o País precisa.

    Obrigado por me representar. Votei no PS e tenho muita honra em ter contribuído para a sua eleição.

  15. O PS tem que passar por uma cisão, doa a quem doer, para se separarem as águas e ver quantos seguros sobram…porque assim não vamos lá.

  16. António José Seguro foi o melhor que podia acontecer ao PS e está a fazer uma oposição de se lhe tirar o chapéu. Ele está a fazer o que o Psd e os restantes não fizeram em relação ao anterior governo: uma Oposição Construtiva e não Botabaixista. É um PS assim que vocês querem ?! Destrutivo e botabaixista?! Acham que é isso que leva um país para a frente ?! Quereis fazer aquilo que criticastes às oposições de então ?! Não me acredito!
    Saibamos dar tempo ao tempo, a História irá dar razão a José Sócrates em muitas coisas (já está a dar!). Mas faço uma ressalva: a História irá dar razão a Sócrates mas não a vós nem àqueles que querem minar a liderança de António José Seguro. Aprender a esperar é uma virtude.
    Apoiem António José Seguro pois o poder irá cair-lhe nas mãos, mais depressa do que se julga.

  17. prepúcio,

    calculo que tehas demorado uma beca a conceber a piada. Mas repara, os palhaços foram ao circo do governo e estão por lá a gozar e a fazer macacadas nunca antes imaginadas.

    Os malabaristas somos nós, fazemos milagres para sobreviver à palhaçada que tomou conta de TUDO.

    Depois há os infra-palhaços como tu, que acham que assim é que é bom.

    (PS: o alegre não é urso, só às vezes, geralmente é camarada, companheiro, amigo, palhaço…lá está)

  18. posso estar enganada, mas diria, baladupovo, que se a História der razão a Sócrates (“já está a dar”) não pode dar a Seguro. Seguro é o anti-Sócrates do PS,é o politicozinho que faz com que o PS não se distinga de nenhuma outra trampa política que por aí grassa. Seguro não tem voz, não tem tomates, não tem alma. Seguro não convence. Seguro – um homem que a História reconhecerá??? Por causa de quê?

  19. tás enganada, demorou uma bjeka, lambreta size. desenvolve lá o do infra q’eu amando-te um tijolo de esquerda.

  20. é edie..como é que sabes que o Seguro não tem tomates ?! jÁ os apalpaste?! AHA AHA AHA AHAH!!!!!!…..piadas à parte, deixa.me dizer-te que concordo com o comentador baladupovo. Totalmente de acordo com o que escreveu.

  21. vês como é lindo? pedrada ou tijolo, o que importa é partir…e até estás a ajudar, como qualquer gajo de jeito, à homenagem às gajas…e o Val, eu sei, está todo babado, como eu e outros, por ter uma gaja como a isabel aqui residente. vê à tua volta e compara.
    Tenho pena de não poder desinbulber mais, mas tenho de apanhar a boleia para o braço de prata…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.