Cavaco, um criado ao serviço do Governo

Aquando do diploma da convergência das pensões, Cavaco sabia das suas inconstitucionalidades. Em vez de vetar o diploma juridicamente enviando-o para o TC, vetou-o politicamente com fundamento na violação da CRP.

Por quê?

Porque sendo formalmente um veto político (uma “devolução”, como agora se diz) a maioria arruma o assuto com uma votação de maioria simples. Já perante uma pronúncia do TC,  azar, só uma maioria de 2/3,  jamais utilizada na nossa história.

Agora, Cavaco, o criado, volta a violar a CRP no sentido que a mesma dá ao veto. O PR vê problemas de constitucionalidade no diploma dos suplementos e “devolve” porque gosta de “cooperar”.

Já nós  …  gostamos de pessoas normais.

12 thoughts on “Cavaco, um criado ao serviço do Governo”

  1. Um criado do governo? Oh Isabel! Cavaco foi sempre o dono deste governo. Foi ele que o criou. O Passos é um inimputável político. Um criançola irresponsável a quem Cavaco entregou o governo da republicazinha lusa (porque a isto fomos reduzidos). O que ainda deprime mais é a certeza de que Cavaco agiu assim por rancor, mesquinhez e vingança. Quando hoje ouvi que o Costa foi ao beija-mão institucional a S. Bento, senti vergonha, imensa vergonha, pelo politicamente correcto. Costa, agindo deste modo, não vai a lado nenhum, mesmo que chegue a PM. Os tempos são de coragem e não de “hollandices”. Não existe meio termo quando estamos dentro de uma “economia que mata” (Papa dixit); quando estamos dentro de uma democracia em que meia dúzia de magistrados muito bem alavancados sequestraram a justiça do país e absolvem ou prendem quem muito bem lhes apetece. Ou a Isabel pensa que “não é bem assim”? Pense bem. O seu camarada Sócrates está a enfrentar o Freeport II, mas agora apodrecendo na prisão. E os patifes que criaram e alimentaram o Freeport I sabem perfeitamente que os camaradas da vítima vão portar-se, face ao Freeport II, como sempre: politicamente correctos. Sócrates “já era”; amanhã será um outro qualquer de vocês.

  2. Se há problemas de constitucionalidade, não pode
    a oposição suscitar esses problemas no TC ?
    Assim, acabariam a chico-espertices à montanheiro
    como é apanágio daquele que, para serem mais ho-
    nestos do que ele têm que nascer duas vezes!!!

  3. O meu, insignificante mas sentido, aplauso para o comentário da Maria Abril. Todo o texto é uma pedrada no charco, mas em particular evidencio “Os tempos são de coragem e não de “hollandices”, e “Sócrates “já era”; amanhã será um outro qualquer de vocês” É isso mesmo.

  4. O PS assiste impávido enquanto a sua maior figura a seguir a Soares é tratada como um prisioneiro político. O Carlos Alexandre só não prende o Soares porque este já é demasiado velho, a lei não permite

  5. “prisioneiro político”???????
    Meu caro AA, ou é novito e nada leu sobre isso ou, então, apeteceu-lhe brincar.
    Que eu conheça, não houve qualquer julgamento sumário, como noutros tempos.
    Está em prisão preventiva, como muitos outros. Justa ou injustamente a seu tempo saberemos.
    bac

  6. “prisioneiro político”???????

    exactamente, privado da liberdade por discordar do governo.

    “Que eu conheça, não houve qualquer julgamento sumário, como noutros tempos.”

    poizé, sabes pouco e ignoras muito, os julgamentos sumários eram uma fantochada para justificar a prisão, neste caso não houve julgamento, ficaram pela fantochada para justificar a prisão.

    “Está em prisão preventiva, como muitos outros. Justa ou injustamente a seu tempo saberemos.”

    não justa ou injusta, é injustificada, o que torna o acto ilegal. percebes tanto disso

  7. Meu caro,
    Por aqui faz-se muito tarde e é hora de dormir.
    Sem qualquer rancor a ninguém, é a percepção que temos.
    Abraços, outra vez.
    bac

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.