Cavaco, a quanto obrigas: então andaste a ler o artigo 201º da Constituição a ver se te safavas?

É claro a este ponto que Cavaco, o homem que jurou defender a Constituição, não ouve ninguém. Está numa deriva qual balão flutuando para terras de ninguém e, por isso mesmo, insisto, não ouve, não pode ouvir ninguém. Conheço pelo menos uma das peças fortes que o aconselha, é público que o faz, chama-se Professor Blanco de Morais, e apesar de politicamente sermos água e vinho, fui sua assistente de direito constitucional e de direito internacional durante 11 anos. Isso: 11 anos.
Com ele ou sob a sua égide, durante 11 anos, dei aulas sobre a lei fundamental, sobre o funcionamento do sistema político, sobre os poderes de cada órgão de soberania, e por aí fora. Sei, sei de 11 anos a trabalhar com Blanco de Morais, que este nunca aconselharia Cavaco, após verificada a asneira do campeão da delealdade (e PR em funções) com a popularidade no lixo chamar (por escrito) desleal a Sócrates aquando do momento da negociação do PECIV, a agarrar-se à literalidade de um preceito que qualquer jurista sabe que enterra Cavaco e não Sócrates.
Mas Cavaco já devia estar na caminha, cheio de frio, dos nervos e da gripe, que o ar anda seco, a ver televisão, a ver pessoas a dizerem mal dele, por acaso menos do que deviam, mas ele ali a bater o dente e vai e dá-lhe uma de ler a Constituição como quem lê a bula de um medicamento.
Vai ao índice, claro, não ia ler tudo até ao 201º, calma, e quando lá chega lê: “compete ao PM informar o PR acerca dos assuntos respeitantes à condução da política interna e externa do país” (201/1/c). Ficou maluco. Cá estava a doutrina – notem, doutrina – para espetar na cara dos jornalistas, não precisava de mais nada, nem lhe ocorreu, tenho a certeza, pedir um conselho, uma palavrita, vá, a um constitucionalista de serviço, ao Progessor Blanco de Morais, por exemplo.
O patético presidente não sabe que se qualquer pessoa pudesse ler a Constituição e retirar de uma leitura imediata tudo o que entendese, mais valia extinguir gente da minha espécie, e por isso o homem espalhou-se ao comprido.
O mentiroso do regime, que já tinha falado deste assunto aquando do PEC IV, ao contrário do que agora vem dizer, não sabe, porque não perguntou, que a condução da política externa (e interna) é da exclusivíssima competência do Governo. Sim, este vai informando o PR quanto à “condução da política externa”, mas quem define como informar, o modo de fazer chegar essa informação ao PR, o tempo certo para informar Belém, etc, é quem detém a competência quanto à matéria: o Governo. E só podia ser assim. É o Governo que tem o domínio total da política em causa, logo é o mesmo que sabe avaliar da pertinência do modo de execução do dever de informação em causa.
Cavaco: e que tal ler o artigo 131º, preceito que dá ao PR outa faculdade?
Chama-se renunciar ao mandato.

20 thoughts on “Cavaco, a quanto obrigas: então andaste a ler o artigo 201º da Constituição a ver se te safavas?”

  1. “O patético presidente não sabe que se qualquer pessoa pudesse ler a Constituição e retirar de uma leitura imediata tudo o que entendese, mais valia extinguir gente da minha espécie, e por isso o homem espalhou-se ao comprido”

    Isto é particularmente infeliz. Mais ainda vindo de quem se proclama constitucionalista.

    A constituição não foi propriamente feita para justificar a existência de professores de direito constitucional…

    Penso que foi escrito sem pensar, portanto OK.

    No entanto, eis um dos principais problemas em Portugal : o saber não é de todos. Pertence a uma casta. E o direito também.

    Assim não vamos la, a Isabel que me desculpe.

    Alias, assim, nem precisamos do Cavaco para nos afogarmos no lamaçal.

    Boas apesar de tudo

  2. Muito bem. E agora já BASTA!

    Vamos todos, misericordiosamente, ajudar este espantalho a NÃO ACABAR o seu mandato com um mínimo de dignidade.

    Antes que seja atirado borda fora sem qualquer respeito nem ponta de piedade, que no fundo todos sabemos que ELE NÃO MERECE.

  3. argumentar com o artº. 201 da constituição ou com a pág. 201 da lista telefónica nacional é a mesma merda, só que evocar a constituição dá um ar mais legal ao foragido, do bpn e d’arroio.

  4. oh viegas! sem padres como é que querias que interpretassem o testamento? se calhar metias um processo de habilitação de herdeiros e acabavam todos no adro da igreja a atirar bíblias aos cornos uns dos outros.
    tamém acho que a estrela reflete mais du* cóque brilha, mas isso são outros 500 e não é exclusivo, ciúmes teus.

    * o uso do artigo partitivo dar ar gourmet à coisa

  5. Gajo que fala ou entende vacas……..
    O homem bem tenta a fuga prá frente, o problema é que a canalhada instalada em s.bento ainda é pior que ele.
    Enquanto passa o tempo, os “amigos ” lá se irão safar…..?
    Do que o citroen se safou quando o despachou.

  6. Chiça!, que o homem acionou todas as trombetas, “há quem diga pôr a carne toda no assador”, para ENTAIPAR aquela, do vencimento, pensão + pensão, não lhe dar para as despesas e a fuga da Antóno Arroio. Claro que pensão + pensão + ordenado de presidente, era outra coisa, mas apareceu um estupor que lhe ratou a acumulação, prontos. E vá lá, vá lá, ele não denunciar quem foi estupor!

  7. Renúncia ao mandato??? Isso era esperar muito… Nenhum cigano por mais hábil transforma uma mula algarvia numa égua da Golegã.

  8. “Sim, este vai informando o PR quanto à “condução da política externa”, mas quem define como informar, o modo de fazer chegar essa informação ao PR, o tempo certo para informar Belém, etc, é quem detém a competência quanto à matéria: o Governo.”

    ou seja: bastava deixar um post-it na porta do frigorifico.

    p.s. pobres alunos

  9. oh helder! não sejas burro, o governo governa, o presidente preside e é informado às 5ªs depois da coisa ter sido estudada e apalpada, oh pensas que cada vez que um ministro tem uma ideia telefona ao cavaco a ver se a pode pôr em prática. era bonito o governo pendurado no semáforo de belém, para dar a volta ao marquês levava uma semana, caso o cavacóide estivesse d’acordo. tu nem com uma porta de frigorífico na testa lá vais.

  10. Oh Helder és parvo ou fazes-te?
    Andas aqui para quê? PARA CHATEAR OU QUERES QUE PARTAM A BILHA?
    Desembucha e não te armes em burro, cabresto ou parvo.

  11. Muito bem,Isabel,curto,conciso e objectivo,como era de esperar.Só queria acrescentar que o quase nada que resta da credibilidade presidencial está agora nas mãos de Sócrates que a protege com o seu silêncio e o seu sentido de Estado,pelo menos até ver.Pouco inteligente como é e de cabeça perdida, Cavaco deu ao “inimigo”a “chave da porta de traição”,o poder de ser misericordioso.O que arrepia a direita,com razão.

  12. ok, Isabel, eu não sou jurista, mas sei ler a Lei Fundamental. Também sei que o PEC IV foi feito em cima do joelho porque as contas nacionais e a cobrança de juros internacional começaram a queimar, havendo cheiro a derrapagem para além dos pirineus. vai daí o primeiro ministro, entalado, começa a ver a vida andar pra trás e espeta mais um pec no Parlamento. foi chato o PR tomar conhecimento da coisa ao mesmo tempo que nós e aí o Sócrates pôs-se a jeito, tendo levado, na altura, um NÃO do Parlamento,depois uma derrota eleitoral e, agora, a vingança comezinha do PR ao abrigo da alínea c) do ponto 1 do artigo 201º da Constituição.
    É caso pra dizer: toma Sócrates que é para aprenderes a usar o telefone em tempo útil. por alguma razão voltaste à escola. tolo!

  13. É pá, tenham dó!… atão não se vê que o homem não anda bem?!!! Pois se ele até já tem medo duns miudos numa escola! Será que no palácio não existem médicos?

  14. ó anónima o PAC IV, foi feito tanto em cima dos joelhos que meia Europa criticou os partidos da oposição de o chumbarem…

    Olha ficamos todos contentes por saberes ler.

  15. É mas é caso para dizer: «- Toma [e embrulha] anonima[,] que é para aprenderes a não votares nesta quadrilha de gatunos! Por alguma razão voltaste a ver a vidinha a andar para trás (mesmo que julgues que é o inverso). Estúpida!

  16. olha…olha… as minhas primas da feira do relógio vieram pr’àqui vender cuecas la coste de caparique. noutros tempos tinhamos a gnr e o nunes da asae, agora devem ser adaptações impostas pela troika.

  17. jpferra, essa coisa da “PAC IV” é mais para a “cricas” e os subsídios que faltam pra fazer chover no laranjal. Ora lê novamente o que escreveste.
    …e tu, primita, pareces bem fodida. pena é que o teu galã só goste de andar pra trás.

  18. Trás, frente e lado, é o que se quiser. E o que tu tens não é grave, priminha-irmã, apenas a vulgar e célebre patologia do cotovelo, mas sabes que tens de carregar essa cruz toda a tua vida…

  19. ó primita, com essa tua generosidade deves ter uma cloaca maior que o buraco do BPN. atenta nos rapazes que fazem fila pra uma comissão de inquérito ao coiso, lá pros lados de S.Bento. tudo bons rapazes, acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.