Velhas Oportunidades

Passos Coelho prometeu reformular o programa Novas Oportunidades, o tal que só servia para certificar a ignorância e que era desenvolvido de forma escandalosa. O PSD nunca reconheceu qualquer mérito a este programa de formação e valorização dos portugueses incluindo muitos desempregados. Percebe-se agora porquê e adivinha-se o sentido da tal reformulação. A formação deve ser prestada pelas empresas e não pelo Estado. Desenterra-se assim o velho método que fez furor no tempo de Cavaco primeiro-ministro, e que em matéria de desperdício de fundos foi o maior escândalo a que assistimos nas últimas décadas.
O programa de formação que o Governo anunciou esta semana terá a duração de seis meses. Será que é tempo suficiente para os formandos receberem uma certificação válida, ao contrário do que sucedia com as Novas Oportunidades, cuja certificação não servia para nada?
Se a opção do Governo é financiar a criação de emprego, está no seu direito, mas não venham com a conversa da formação dada pelas empresas. Há um limite para os atestados de ignorância que nos passam.

9 thoughts on “Velhas Oportunidades”

  1. Gostava que estes senhores me esclarecessem como é que empresas moribundas têm capacidade para dar formação?!…

    Mais, para que serve uma formação de 6 meses???

    Estamos mais uma vez perante uma assistência financeiras às empresas.

    O SER HUMANO TÊM DE VOLTAR À CENTRALIDADE DO DISCURSO. NÃO HÁ RECUPERAÇÃO POSSÍVEL DE OUTRA FORMA.

  2. ESTÁ-SE MESMO A VER QUAL É O OBJECTIVO: TRANSFERIR DINHEIRO, SEM QUALQUER CONTROLO, PARA AS EMPRESAS DOS AMIGOS. QUANTO À FORMAÇÃO! MAS QUAL FORMAÇÃO? O QUE OS DESEMPREGADOS VÃO FAZER PARA ESSAS EMPRESAS É T R A B A L H A R. MAS TRABALHAR A CUSTO ZERO PARA AS EMPRESAS, VISTO QUE SERÁ O ESTADO A PAGAR-LHES O SUBSÍDIO. E AO FIM DOS 6 MESES? É FÁCIL: OLHO DA RUA, NOVAMENTE PARA O DESEMPREGO.

  3. AH! ESQUECIA-ME DE DIZER. ISTO NÃO É NOVO. JÁ NA DÉCADA DE 80 EU TRABALHAVA NUMA EMPRESA QUE ADMITIA EMPREGADOS “PARA FORMAÇÃO” E QUE IAM PARA LÁ PARA EXECUTAR SERVIÇOS MENORES. NO FINAL DO MÊS A EMPRESA AINDA GANHAVA DINHEIRO, POIS O QUE O ESTADO LHE PAGAVA ERA INFERIOR AO QUE ELES PAGAVAM AO “FORMANDO”. É ÓBVIO QUE TUDO ISTO ACONTECEU NO APOGEU DO CAVAQUISMO.

  4. Isto para além da redução da taxa social única, que o próprio governador do Banco de Portugal já reconheceu que é medida de resultados duvidosos na economia (foi simpático: os casos em que esta medida foi aplicada tiveram resultados perto do nulo, mas muito fortes na descapitalizaçãp da Segurança Social).

    Com esse abaixamento da TSU, não se poderia, pelo menos, obrigar as empresas a investir na formação, em vez de arrecadarem mais um subsídio que não servirá para nada?

    Até quando é que esta gentalha que nos governa julga que a vaca vai dar leite?

    (a propos, não sei se também vos está a acontecer, mas de repente vejo-me rodeada de gente que diz, a quem quiser ouvir, que está a comprar montes de serviços sem factura. Acho que o nosso ministro da Economia vai ter uma desagradável surpresa com a queda de receita do IVA)

  5. ..pois quem tenha hoje menos de 30 anos tem muita dificuldade em saber …ou tem de ser muito empenhado a escavacar um certo tipo de passado (embora recente digamos)…foi o passado dos magníficos dez anos (85/95) de governo cavaquista – sim as “acções deste cavaco vêm de longe recentes mesmo…só as do bpn – mas dizia que só esses (convenhamos não é pouco) se podem admirar que após o fim das novas oportunidades surgiriam as velhas oportunidades… um dia – tal como na madeira do amigo joão – chegaremos ao destino dos bi €€€ €€€ €€€,€€€ europeus do desgoverno cavacal… e o pai…daquele que foi o maior roubo na história económico financeira pós 25 de abril…foi/é o ângelo…sim esse mesmo…esse tipo comandou do alto da sua “ilustre” bazófia toda a quadrilha…foi um assalto sem sofisticações inúteis …praticado mesmo a pontapé e directo à boca dos cofres do estado…aos bolsos do povo com as duas mãos…em todos estes anos nunca vi nem um só nuzinho mesmo que fosse dos chamados meios merdiáticos…com ou sem referência (a mim tanto me dava)… fazer uma reles e pobre investigação sobre esse colossal peculato praticado à escala nacional e montado pela mais requintada e experiente quadrilha a actuar no país…zero …as vozes dos donos brilham de apagões e portanto a malta nova…pouco ou nada sabe…talvez daqui a uns anos numa bela tese académica escavaque a coisa … quem sabe…

  6. nem com formação financiada se consegue atingir níveis satisfatórios de sucesso nas empresas: a questão reside, ainda, precisamente numa cultura empresarial desformada. esta solução terá resultados semelhantes à obrigatoriedade de certificar condutores de empilhadores nas empresas: a ideia é boa e útil e dá boas estatísticas em termos de formação e também de redução da sinistralidade. mas é fictícia. :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.