Que mal fizeram os lisboetas a Seguro?

Esta não é a primeira vez que António Costa se chega à frente para disputar a liderança do partido. A primeira foi há pouco mais de um ano e culminou no chamado “Documento de Coimbra”, que, de certa forma, selou o acordo a que Costa e Seguro chegaram.

Ora, por que razão Seguro, ou algum dos seus apoiantes, não disse nessa altura o que pensava da atitude de Costa? Afinal, Costa não tinha ainda o argumento dos maus resultados eleitorais obtidos pelo PS, apenas discordava da forma como Seguro conduzia a oposição ao Governo. Por que razão Seguro não denunciou logo ali a natureza de Costa e por que motivo não se ouviu falar de “ambição pessoal”, de “interesses obscuros” e do “regresso ao detestável passado socrático”?

Pelo contrário,  Seguro mandou a ética e a sua nova maneira de fazer política às urtigas, trancou-se muito bem trancado na sua gaiola e apoiou a candidatura de Costa à Câmara de Lisboa. É caso para dizer que para Seguro o que é bom para Lisboa não serve para o País. E mais, pelo que se tem ouvido, a actual direcção socialista só se lembra do maléfico passado socrático, mas Costa é um político no activo. Sendo assim, por que carga de água Seguro e os seus apoiantes não fundamentam as suas acusações com exemplos do presente? Porque não reconhecem que erraram ao dar-lhe apoio nas autárquicas e denunciam o péssimo trabalho de Costa à frente da maior Câmara do País? Mistério.

One thought on “Que mal fizeram os lisboetas a Seguro?”

  1. 0 que costa fez agora não foi surpresa.já tinha havido um sonoro aviso.algo tem que mudar nos partidos democraticos.o ultimo exp.vem do grupo dos 4 liderado pelo “fcp”.henrique neto.não é possivel a manutençao como militante de um homem com o carater deste empresario.quem milita não pode comportar-se desta forma.um militante não deve meter a cabeça na areia,mas para a critica há locais proprios para o fazer.é para poder criticar que não sou filiado em nenhum partido.entrei num em 77 e sai passados dois anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.