O sentido de responsabilidade de Portas vem tarde e a más horas

Foram tantos os elogios que Portas foi ouvindo nos últimos anos que deve ter-se convencido de que era um infalível mestre da política. Enganaram-no bem, em vez de lhe criticarem o populismo barato, elogiavam-lhe a inteligência e a experiência política. E Portas, pelos vistos, não percebeu que na maioria das vezes elogiá-lo era só uma forma de os comentadores de direita criticarem os líderes do PSD. Estava tão seguro da sua superioridade neste Governo que subestimou a capacidade da dupla Passos/Relvas para o tramar e pensou que seria possível ter tudo controlado mesmo estando fora do País a maior parte do tempo. Para agravar ainda mais a coisa, e porque não quis convidar alguém que lhe pudesse fazer sombra dentro do CDS, escolheu dois patetas para o acompanharem no Governo. Agora deve andar às voltas a tentar perceber como é que de repente lhe caiu tudo em cima, incluindo o seu próprio partido.

Mas não abandona o populismo, até porque não sabe ser outra coisa, e tenta justificar o injustificável com o seu suposto sentido de responsabilidade, sem o qual Portugal mergulharia no caos grego. Vem tarde. Teve oportunidade de mostrar o tal sentido de responsabilidade aquando da votação do PEC4, mas nessa altura estava demasiado ocupado a garantir a boleia que o levaria ao pote.

7 thoughts on “O sentido de responsabilidade de Portas vem tarde e a más horas”

  1. mais fácil seria CDS com PS (o pior é que o Portas aposta sempre no cavalo errado, e ainda dizem que é um génio político): ver alinhanço-estampanço com o Santana e agora com o Passos – admito que ambos mais paspalhos que o Portas, mas se ele se submete a estes paspalhos só para poder figurar na fotografia, a fingir que amuou com as opções, sai pior na dita fotografia do que os “patrões”: Porque é isso que acaba por ser – empregado do Passos/Gaspar, e sem saída. Génio político my ass.
    E agora vai uma da minha última paixão.
    http://www.youtube.com/watch?v=IlcMRq3gb1s

  2. depois de ter incentivado por varias vezes sócrates a dimitir-se,pouco espaço tinha para rejeitar a ida ao pote para o manter no poder.Em campanha numa certa altura,portas em funçao das sondagens (taco a taco) jogou nos dois tabuleiros.o debate entre passos coelhoVs socrates,em que passos “arrasou” o seu adversario, portas retomou as criticas a jose socrates. a partir desse dia, o povo decidiu-se pela “estabilidade”

  3. pois, isto de jogar nos dois tabuleiros é um engonhanço mortífero. Mais vale o confronto directo, sem manipulações básicas para estúpidos. Frente a frente. Pronto, agora peço desculpa antecipadamente porque opto por mostrar este tipo de violência – não aconselhável aos ouvidos e almas mais sensíveis.(mas como o aspirina não é um blogue de músicas, pode ser que passe sem ninguém ouvir; a mim dá-me gozo na mesma :))
    http://www.youtube.com/watch?v=M7QSkI6My1g

  4. esta receita de democratas com provas dadas,com democratas! de” porta aberta” só às segundas, quartas e domingos,mais antidemocratas com quase cem anos de idade,que só se aguentam nas “canetas” graças ao “viagra” que os adversarios lhes oferecem, só pode vir de um extraterreste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.