O estudo que falta

A Protecção Civil veio alertar, entre outros, para o risco do choque de aves com aeronaves no aeroporto do Montijo. O fenómeno, conhecido como Bird Strike (expressão com potencial para se tornar muito famosa entre nós), é relativamente frequente e embora as principais vítimas sejam quase sempre as aves, por vezes obriga a aterragens de emergência ou atrasos nos voos, incidentes que não passam despercebidos, o que me leva a pensar que a coisa pode ter consequências ainda por estudar. É um facto que o fenómeno pode acontecer, e acontece, seja lá qual for a localização do aeroporto, mas também é um facto a abundância de aves nas imediações do novo aeroporto no Montijo.

Ora, se juntarmos a estes factos um outro, o modo de actuação dos partidos de direita nos últimos anos, o qual consiste em cavalgar “casos” que independentemente da importância, e com a ajuda inestimável de jornalistas e comentadores espalhados por toda a comunicação social, se transformam em verdadeiros dramas nacionais (lembro o que aconteceu com as famosíssimas golas antifumo distribuídas pela Protecção Civil em que só faltou o Governo ser acusado de ter condenado à morte as pessoas que as receberam), fico com uma dúvida:

Quantos incidentes com aves, ainda que sem grande importância, serão necessários para que a Direita e a comunicação social acusem o Governo de total irresponsabilidade por ter optado pelo Montijo pondo assim em risco a segurança de todos os utilizadores do novo aeroporto? Aceitam-se apostas!

5 thoughts on “O estudo que falta”

  1. O aeroporto de Faro está localizado em plena Ria Formosa, cheia de aves marinhas. Em quarenta anos de funcionamento nunca nenhum avião “engoliu” uma só ave ! Regularmente, as autoridades encarregadas da segurança aérea, detonam os canhões para afugentar as aves. Outras vezes, recorrem a aves de rapina. Estes sistemas estão em uso em todos os aeroportos seja qual for a latitude. Parece-me que só em Portugal, país cheio de “experts” em todas as matérias, é que desconhecem estes métodos!
    O que me leva a crer que o que é preciso é meter medo à malta…

  2. Posso estar enganado mas , tirando a ponte Vasco da Gama, desde 1974 não conseguimos fazer uma obra grande ( o Alqueva não conta, já vinha de trás e no entretanto foi a forrobodó que se viu, porra!) ?
    Nem o prédio Coutinho somos capazes de deitar abaixo….
    Vá lá , talvez os autoestradas…

  3. Direita & Esquerda, a mesma luta na ignorância e irresponsabilidade geral.
    Uma página em tempos no Sol, sobre o assunto creio que o da Ota Airport.
    Havia então um membro do CN do PSD, antigo oficial da Marinha (carimbado de cacilheiro), já falecido, chamado pela/o jornalista a expressar a ‘alternativa’
    por parte da oposição laranja.
    «O governo é que tem de informar sobre uma alternativa…»
    Um espanto, de um grande partido da oposição.
    Por vezes, até inventam um governo sombra, ou a forma de reverter António Costa exepto a da decisão Montijo que justifica como acordo de Mr Passos.
    Batatas para esta ‘cultura’ político-partidária.

  4. A TSF passa múltiplas vezes um gingle onde onde um gajo, que nem sei quem é, fala de um ganso estúpido que entrou num reator e fez que um avião tivesse de “arriar” no Hudson. Falta saber se isso levou a encerrar o aeroporto de Nova Iorque. Os pássaros não são estúpidos, nem muito nem pouco! Estúpidos são os tipos que dizem estas coisas e os que as propagam. Não há aeroportos imunes às aves! Logo deviam fechar todos os aeroportos!!!!

  5. O estudo que falta ? Creio que não falta um estudo sério que, foi muito criticado
    por alguns piquenos “políticos” e, considerado como obra faraónica o qual já po-
    deria estar operacional, chegou a ser proposto no primeiro Governo de Sócrates!
    Mas, as trapalhadas e a vontade de vender tudo o que de rentável havia no país
    nos tempos “negros” da troika, conduziu-nos para o Montijo com todos os incon-
    venientes que já existiam quando a decisão foi tomada … por gente de vistas cur-
    tas e visão deficiente!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.