No lugar da parede está agora uma luz

Passos, cumprindo a tradição do dia de Reis, e lembrando que temos de acarinhar as nossas tradições (tirando talvez aquelas que se comemoram num dia feriado), lá teve de vir desejar um bom ano a todos os portugueses. E fez questão de frisar que os votos se estendiam a todos, mesmo àqueles que gostam pouco do Governo. Pudera, se assim não fosse, não tinha praticamente ninguém a quem dirigir a mensagem. Mas não há solidão que o impeça de ter esperança num futuro risonho. De ver a luz ao fundo no túnel e a saída do período difícil que atravessamos. Nem a solidão nem o que diz um mar de gente incluindo alguns membros do Governo. Como, por exemplo, o que veio dizer o Secretário de Estado do Orçamento a propósito do eventual chumbo das normas enviadas para o TC, alertando para a possibilidade da troika ‘fechar a torneira’. Noutros tempos, esta possibilidade, ou seja, Portugal não ter como se financiar, chamava-se bancarrota e o que se vislumbrava, não sei se com ou sem túnel, era uma parede onde o País iria embater com toda a certeza. Mas isso eram tempos sombrios, em que os governantes eram uns cinzentões que não tinham ideias nem qualquer solução para resolver os problemas do País. Felizmente, tudo isso acabou. Agora, é uma alegria, só se vêem luzes e espirais.

2 thoughts on “No lugar da parede está agora uma luz”

  1. “no lugar da parede está agora uma luz”… e um tribunal constitucional a fazer de interruptor avariado do cavaco e do seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.