Juntar o útil ao agradável

O PS, no seu programa eleitoral, propôs a dinamização da agricultura urbana utilizando as coberturas dos edifícios para a produção de produtos hortícolas. A ideia é tornar as cidades mais sustentáveis e reduzir a nossa pegada ecológica, o que segundo alguns estudos é uma ideia muito acertada.

Ora, tendo em conta a actual situação de recolhimento que está a levar muitos ao desespero, e que as varandas e terraços são os únicos sítios ao ar livre que não nos estão vedados, melhor altura para implementar esta proposta eleitoral, enchendo estes espaços de vida, não há. Para além de todas as vantagens ecológicas, é uma excelente forma de passar o tempo. E se juntarmos às hortícolas algumas plantas ornamentais também tornamos a vista uns dos outros, e a dos turistas quando regressarem, muito mais agradável. Nada contra a bandeira nacional, mas em vermelho e verde a ondular ao vento nas varandas prefiro de longe plantas floridas.

8 thoughts on “Juntar o útil ao agradável”

  1. esta paragem vau ser é a prova dos nove para a teoria do aquecimento global antropogênico. logo se verá quantos graus o planeta vai arrefecer…ou se a Natureza que apetece aquecer ainda mais um bocadinho.

  2. Não querendo de todo em todo desvirtuar a natureza de mais um post mas só ontem morreram mais 600 italianos e 300 espanhóis! Como todos sabemos os primeiros países atingidos na UE com expressão. Se bem que a primeira infecção detectada na UE,se não me falha a memória, até foi em França. Quando é que nós, na UE, começámos a ficar assim tão insensíveis à vida humana que eu não me dei conta? E, eu, nunca me considerei verdadeiramente um modelo de sensibilidade. Mas tem que haver limites para tudo!

    Como é que é possível uma UE, onde ainda há dias todos os países expressavam comoções nacionais com o desperdício de uma vida humana num qualquer ataque terrorista, não expressar hoje praticamente qualquer sentimento de solidariedade quando são ceifadas por dia centenas de vidas humanas, como a nossa, em países irmãos? Quanto mais actos de solidariedade concretos…

    Já alguém viu manchetes nacionais ou internacionais a dizer que somos todos italianos ou espanhóis, como já deveríamos ter sido todos chineses? Não! Já alguém ouviu os diferentes governos da UE a expressarem diariamente preocupações públicas e a enviarem as devidas condolências aos dois países mais afectados pela pandemia hoje na UE? Não! Ao que assistimos diariamente é a cada nação fechada sobre os seus próprios casos. Por mais insignificantes nalguns casos por ora. E o seu próprio governo? Não! Em Portugal, por exemplo, ao que assistimos mais é à conversa da treta sobre as máscaras. Que diga-se em abono da verdade a DGS, mesmo que involuntariamente, deixou que voltassem à agenda pública. Talvez o seu 1º grande lapso. Pelo menos que eu me tenha dado conta da parte de quem tem feito tanto mas tanto mesmo por Portugal.

    Da mesma forma que a pandemia tem sido combatida e muito bem por patamares, conforme os maiores especialistas, dentro de cada nação, ao nível da UE há muito tempo que o maior foco devia ter sido direccionado para quem atravessa a maior crise. Da mesma forma que na última Grande Guerra nunca deviam ter ficado à espera da sua própria invasão. E tinha sido tão fácil travar Hitler logo no início, como todos sabemos hoje. Uma crise que hoje também se paga com centenas de vidas diariamente! E daqui a justificação para nunca terem chegado ajudas concretas, como mais médicos, mais testes e mais ventiladores, a Itália. Só para citar três exemplos que já podiam ter poupado muitas vidas humanas. Sobretudo porque a opinião pública também não o exige! Mas a UE foi formada para passarmos a atravessar as crises em conjunto. Independentemente da sua natureza!

  3. Quanto à proposta da Guida, o meu gosto em Lisboa inclina-se mais para as sardinheiras. E dão muito pouco trabalho depois da pandemia.

  4. F Soares, os supermercados vendem terra e outros materiais de jardinagem, inclusive plantas e sementes. E os mais exigentes podem comprar online. Por estes dias, há até viveiros a fazer entregas gratuitas ao domicílio. Não há desculpa :)

  5. Claro, mas se pedirem agora pela internet, com os atrasos nas entregas já terá passado a época das culturas. Vá lá, se arranjarem alfaces podem plantar em vasos.. Ou mesmo um feijoeiro e também tomate cereja. Podem ainda cultivar as aromáticas São de fato pequenas coisas que se podem fazer , entre outras ,com limitação. Tudo depende do espaço e do tamanho do vaso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.