Façam-lhe um desenho

Louçã já não estará no Parlamento para a discussão e votação do Orçamento. E se Seguro, que foi tão rápido a pôr-se em bicos de pés para substituir Sócrates, não fosse tão lento a perceber que a sua permanência à frente do maior partido da oposição agrava ainda mais o descalabro em que o País se encontra, passaria a bola a outro e também já não participaria nessas sessões parlamentares. Em praticamente ano e meio, não teve uma ideia digna desse nome, e as que teve foram para esquecer, são muito mais os que o criticam do que os que o elogiam (na verdade, não são nenhuns), só viu o PS subir nas sondagens por demérito (isto sou eu a ser simpática) da concorrência, para não falar das sondagens que indicam que a maioria preferia ver outro no seu lugar, o que lhe falta para perceber que também ele está ali a mais?

17 thoughts on “Façam-lhe um desenho”

  1. o louceiro reformou-se e dá lugar ao seguinte, o que significa que temos mais um do bloco para alimentar com o dinheiro dos nossos impostos. ò pensavam que estes gajos andam a dormir.

  2. Muito bem, Guida. Não há eleições e não se corre com esta corja, porque com o Seguro o PS não garante uma maioria. Parece-me evidente, como a ti.

  3. Tábem tiras o Seguro e metes lá quem?
    O do clio? O das rotundas?
    O demérito tanto é do exterior como do interior, neste momento não tens ninguém com capacidade de liderança e carisma para pores à frente do PS.

  4. Guida,sou um insuspeito adepto de socrates.julgo que ninguem questiona, se disser que ele pos a fasquia muita alta nas hostes socialistas, em termos de liderança .O pior que podia acontecer ao Ps,era socrates ter sido substituido,pelo” seu inimigo do peito”. Calma! pois a alternativa vai aparecer.

  5. carlos sousa,voçê é até pode ser um” bom socialista”,mas o seu comentario é tão depreciativo,sobre dois possiveis candidatos à liderança do ps,que me leva a ter seria duvidas da sua regeneração.Diga-me, há no parlamento melhor orador do que assis? falta-lhe agressividade em debates (um contra um),mas é um tipo culto,corajoso(veja-se o caso de felgueiras) e inteligente. Antonio Costa,tem provas dadas.Foi ministro,é um bom presidente de camara e no unico palco que tem para falar (quadratura do circulo) com inteligencia deixa para os “proximos” as criticas mais contudentes ao governo.As criticas vindas de fora pesam,mas as que partem de dentro são muito mais demolidoras.

  6. Carlos Sousa
    Convêm não exagerar quanto à falta de alternativas de liderança no PS..

    Elas existem em quantidade e qualidade e referirei apenas o nome de Carlos César, agora mais à vontade para outros voos…mas hà mais gente, fique descansado…

    Demora a assunçao de uma oposição à liderança a Seguro ?
    De acordo.
    Lamentávelmente.
    Mas a verdade é que há uma legislatura (de uma coligação com maioria absoluta graças ao Xico do bloco e o Girónimo do pc) da qual faltam ainda cumprir cerca de tres anos.
    Por isso, (por calculismo, poderá dizer-se..) ninguém se assumiu ainda, mas já esteve mais longe, penso eu.

  7. O problema é que o Sócrates era um líder a sério, e quem vier a seguir vai ter de “suar as estopinhas”.
    E o problema do Seguro qual é? É por ser um xóninhas? Até ver parece ser um homem sério, há que apoiá-lo, os que estão a gravitar à sua volta não têm coragem de se “chegar à frente”, e aquilo que escondem está demasiado à vista.

  8. ignatz, mas defendes o quê, que Louçã se mantenha eternamente no cargo para não termos de lhe pagar a reforma?
    ___

    Penélope, pois, parece que é evidente para muita gente, o próprio é que está com alguma dificuldade em ver o óbvio. O que também não admira, diga-se.

    ___

    Carlos Sousa, eu não meto lá ninguém, não sou militante do PS. Mas a probabilidade de hipoteticamente poder vir a votar em qualquer desses dois em eleições legislativas é muito superior à de poder votar em Seguro, até porque neste caso a probabilidade é nula. Zero. E se não vês no PS ninguém com mais capacidade para liderar o partido do que o Seguro, não sei o que te diga.
    ___

    nuno CM, talvez Sócrates tenha colocado a fasquia muito alta, mas isso não é desculpa para que Seguro a tenha colocado tão baixa.

  9. “mas defendes o quê, que Louçã se mantenha eternamente no cargo para não termos de lhe pagar a reforma?”

    que acabem com a mama das reformas dos deputados, regime geral de pensões para todos, mas ouvi o gajo à pouco dizer que saía sem reforma.

  10. Há várias alternativas no PS, ao contrário do que acontece no PSD. A questão é: COMO É QUE SE CORRE COM O SEGURO ?
    É mais difícil do que vermo-nos livres do Passos e equipa, que esses têm os dias (meses) contados, implosão à vista.
    Mas repito: como? alguém no grupo paralamentar tem alguma ideia? É que combater Passos com Passos, perdão, Seguros, dá nul.
    Não espero nada deste governo, a não ser o desatre, mas gostaria de poder esperar alguma coisa do Partido Socialista, o último pau a que nos podemos agarrar. Agarrem-nos, façam qualquer coisa, um movimento para depor o líder, não sou militante, não sei como se faz.Mas sei que não é assim que vamos lá. Infelizmente, o PS confirma todos os dias, por inacção,que não tem alternativas, quando as tem. Imperdoável.

  11. louça,fugiu antes do orçamento,por que era extremamente penoso ver uma especie de “memorando alargado”, elaborado pela direita com responsabilidades do Be, pois foram eles e o pcp que la os puseram.Quanto ao seu discurso da saida ,o populismo andou à solta.Sai sem nada,porque socrates acabou com as subvençoes.Estou errado? julgo que não.Professor nunca deixou de ser.

  12. ignatz, lá estás tu a ir buscar assuntos não fracturantes: quanto a isso de acabar com os privilégios e as reformas “especiais”dos deputados, é das poucas coisas em que se põem todos de acordo, da esquerda à direita. Não mexas nisso, deixa-os lá estar a brincar com o computador durante o horáro de trabalho, que mal não há-de vir ao mundo. Vê lá os contributos preciosos que a deputada do aspirina aqui larga no horário de expediente…

    P.S. Tive o cuidado de fazer este último comentário fora de post da deputada, a ver se não é cortado.

    (não foi cortado , mas levei com a notificação automática de que estou a comentar com muita aceleração e “slow down”. Prontos, fico quietinha, ao ritmo local…estou mesmo com as maozinhas debaixo do rabo, esperando pacientemente….esperar…esperar…desesperar)

  13. guida, isso acontece a quem tem falta de jeito,e de respeito pelo partido que o elegeu,pois caso contrario, assumia com combatividade o passado recente, do qual muitos de nos não se envergonha! pelo contrario.

  14. Ao “rato animado” que comentou: pensas que estás a falar de um Almeida Santos, Mário Soares ou Manuel Alegre, tudo gente com reformada “assembleicamente” e carregados de falsa ética republicada? Deixo aqui um excerto do discurso de despedida de Francisco Louçã destinada a gente como tu: “Mas também vos digo, para que não me perguntem nunca mais nestes tempos cinzentos, que saio exactamente como entrei, com a minha profissão, sem qualquer subsídio e sem qualquer reforma” (podes ver o resto, é muito esclarecedor)

    Mais informo que este homem esteve 13 anos como deputado nacional e continuava a dar aulas e a investigar gratuitamente. Ele dizia que a sua ética republicana o impedia de receber duplamente, e continuava o seu trabalho académico por amor à ciência e ao que fazia.

    @Nuno, o melhor tribuno do parlamento sai ontem. Assis tem as suas qualidade, sem dúvida. Mas não era o melhor, com certeza. Outra coisa, muda a cassete. Estes comentadores já cansam. Sócrates demitiu-se , houve eleições e o POVO escolheu esta corja que governa. O Memorando é de quem o assinou, adotou e defende. O BE defende o rompimento com esta política destruitiva. Aconselho-lhe a ler as seis propostas alternativas que o BE apresentou para este Orçamento de Estado (ler aqui). Já agora o que é que o PS defende como alternativa a este Orçamento?

  15. oh zé! isso foi o que o gajo disse e que referi acima, outra coisa são as nuances da realidade de frei louçã & seita. a mãe do moço tamém trabalhava sem ordenado, mas tinha direito aos extras.

    vê lá se assim não fica mais parecido com os factos:

    “sócrates foi forçado a demitir-se, houve cambalacho eleitoral e a santa aliança
    (pcp+be+ppd+cds) escolheu esta corja que governa. o memorando é de quem o mandou vir e dos que pensaram que iam aumentar o número de deputados à custa disso.”

  16. “sócrates foi forçado a demitir-se”

    Não é nada parecido com os factos. José Sócrates apresentou o seu quarto PEC (mais uma rectificação), que fora apresentado em Bruxelas sem o aval dos partidos amigos nem a votação da Assembleia da República. Ninguém o quis, e cada força política apresentou a sua versão do PEC. Sócrates, já com a palavra dada em Bruxelas, entendeu dimitir-se (não há nada que o obrigasse a isso nos termos das leis que regem o processo parlamentar) porque reparou que não conseguiria a maioria parlamentar para aprovar o seu quarto PEC em pouco mais de um ano (engraçado como um projecto anual foi submetido quatro vezes). Porque é que o José Sócrates não fez o que tinha feito anteriormente com os outros PEC? Negociar, em vez de se demitir? Parem de atirar areia e de “bater no ceguinho”: Sócrates demitiu-se, houve eleições, e os eleitores escolheram este criminoso governo. Simples e claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.