Das duas, uma

Passos Coelho sucedeu a Sócrates no Governo. Sócrates viu toda a sua vida profissional e pessoal ser esmiuçada ao mais ínfimo pormenor. A devassa, as insinuações e as suspeitas estenderam-se inclusive a amigos e familiares. Como é que, depois disto, alguém assume o cargo de primeiro-ministro e não tem sempre à mão todos os documentos relativos ao passado profissional,  preferindo, em vez disso, alegar esquecimento?

Ou é muito estúpido, ou está mesmo convencido de que essas coisas só acontecem a alguém que não seja do seu partido.

7 thoughts on “Das duas, uma”

  1. “Ou é muito estúpido, ou está mesmo convencido de que essas coisas só acontecem a alguém que não seja do seu partido.”
    As duas, claro.

  2. O facto é que com Sócrates valeram-se de cartas minuciosamente montadas com calúnias , de autores já conhecidos e sem terem uma ponta de verdade !!!Quiseram, deliberadamente , assassinar politica e pessoalmente o 1º. ministro em funções !!! No caso presente de Passos, há documentos que podem provar, ou não , a sua culpa !!! E se escavarem talvez tenham surpresas !!! Mas vão amolecendo o assunto, para que esqueçam, sem se encarniçarem, sem exigir explicações. Ainda por cima vão argumentando que já prescreveu !!! Num caso basearam-se em mentiras e calúnias e foi o que se viu. No caso Passos há outro comportamento, mais permissivo, mais complacente para ver se passa por entre os pingos da chuva !!! Aqui tem que haver vergonha e exigência em saber a verdade nua e crua !!!

  3. Encostemo-nos às provas… gozemos a soberba aragem que vem do largo… escutemos o murmúrio da passarada… sem pressa, preparemos o que falta à lide!

  4. É o tipo de coisas que só acontecem às pessoas do Partido Socialista. Pena também ter-se esquecido de ter acusado Sócrates de crime, por coisas que não estavam provadas nem nunca foram provadas. Bem prega frei Tomás, faz o que ele diz, não faças como ele faz.

  5. a grande diferença entre as denúncias anónimas do sócras e do pedrocas é que uma foi assinada pelo zeferino boal e a outra pelo próprio passos coelho. não se trata das 2-1, mas sim das 3-3, foi financiamento partidário, ninguém paga 5 k/mês a 1 estúpido, e o estúpido está convencido que só acontece aos outros e que o partido o protege, daí os pedidos de socorro e atestados de honra à teia partidária infiltrada no estado. vai ser interessante ver como se vão livrar deste pêssego e quantos arrastará consigo. mais um problema para a magistratura de influência do cavaco resolver.

  6. Em cheio na mouche, passe o pleonasmo estrangeirado. Duro, conciso e verdadeiro. Não sou PS ou sequer socialista, mas a violência da assimetria é, apesar de tudo, palpável. E o Ignatz tb faz o pleno.

  7. Onde está a procuradoria sindicalista — esse famoso kleenex da política que até os cartões de crédito vigia a fim de denunciar os jantares no Gambrinus ao povo sedento de justiça — quando mais se precisa dela?! Back into the woodwork? E entrementes, no famoso orgão de comunicação Correio da Manha, em vez da habitual cacha alta dedicada à família Pinto de Sousa, cessa tudo o que a musa antiga canta, que um pinto mais alto se alevanta: «FPF limpa cadastro a Pinto da Costa. Leia as escutas da fruta que ficaram sem castigo»…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.