Re-Intermitência

 

 

 

“Agora que te conheço tão bem, vejo-me forçado a admitir que tens toda a razão quando dizes que soubeste como envelhecer”, confesso, entre um beijo quente e outro, a M. “Mas, na realidade, prefiro aquelas que souberam como não envelhecer”, acrescento. E, delicadamente, retiro a minha língua de dentro da boca dela.

14 thoughts on “Re-Intermitência”

  1. :-D mas quê, as línguas também murcham? ou também pode saber a polidente.:-)

    (parece-me que pode ser bem interessante uma língua mole e a saber a denticos de plástico lavadinhos.):-D

  2. Olha o CC…

    :D

    Pensava que tinha sido escrutinado num qualquer boletim de voto por estrear!

    Gostei especialDente do “delicadamente”, apesar de achar que deveria ter dito: delicadaDente…

    enfim, conjeDentaduras de quem desDente o que Dente!

    (peço desculpa pelos erros, mas não cosnigo fazer melhor que isto: está a nascer-me o dedo do siso na ponta dos dentes)

  3. “vejo-me forçado”

    Este post foi publicado na manhã do mesmo dia em que, à noite, o PR usou essa mesma expressão cerca de 18 vezes numa comunicação ao país. Coincidência?
    Será Confúcio Costa um alter-ego de Aníbal Silva?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.