27 thoughts on “Dixit”

  1. Gosto de ler os textos de Confúcio Costa. Umas vezes dá-me para rir, outras, para meditar. No que toca à de hoje dá-me para pensar e sofrer. Se Confúcio estivesse no estado em que me encontro, não vinha com estas conversas a lembrar coisas irrealizáveis para mim neste momento. Só notamos a falta que nos faz nos momentos em que não o podemos usar (falo). Desde seis do corrente mês e após uma intervenção cirúrgica que ele para mim não representa nada e quanto menos pensar menos sobro. Na posição de adormecido ainda suporto a dor proveniente da argália se pensar numa boa garina, nas suas pernas, mamas, etc., etc., a coisa complica-se mais. Por isso enquanto poderem usem-no bem. Eu espero em breve voltar aos meus tempos

  2. Não sei, Sinhã, como sabes que o CC usa bem o falo. Mas sei que algo de bom já fez o CC neste mundo. Arranjou uma parceira para o falo: a fala.

  3. Apesar de quase meu conterrâneo, aqui no Minho, gostar do CC, assim, como tu gostas, é a tua fala. Que gosto, mesmo, da minha fala.

  4. Ò Pacheco, não te vaz abaixo, pá. Arranja maneira de sublimar a coisa. Não te cales. Há uns tempos atrás, um senhor aqui da minha aldeia contava-me que fez uma operação à prostata e ficou mudo. Ele disse capado. E brincava com o assunto. Eu estava pasmado. «Deixa lá, Mário, como eu tenho a minha mulher entrevada na cama, isto já não me fazia pouca falta. Já me via à rasca para bater uma punheta».. E concluiu: «pronto, agora acabou de vez a comichão!»
    Quanto a ti, se ainda tens vontade de «coçar», vê se encontras outras formas. Mas não te vaz abaixo. Segundo o CC, há outras formas de falar.

  5. O trocadilho com a palavra falo é uma coisa tão básica que até para criancinhas da primária é uma piada parva.
    Queres trocadilhos, fá-los!!

  6. Correcção:

    O trocadilho com a palavra falo é uma coisa tão primária que até para criancinhas da escola básica é uma piada parva.

  7. não existem piadas parvas, amsc. existem, isso sim, pessoas parvas. :-)

    (e olha que eu não sou parva. e o CC também não. não concordas?)

  8. Ex.ma Sr.ª D. Sinhã [peço perdão por não referir, devido à minha ignorância, o(s) grau(s) académico(s)], pode dizer-me em que lvro de leis é que isso está escrito? Que parlamento aprovou tal decreto? Que Chefe de Estado o promulgou?
    E mesmo que tal esteja devidamente consagrado em deliberação dogmática que seja, o que impede este humilde comentador de erguer a sua voz e insurgir-se contra o que considera uma barbaridade?

  9. :-D (eu dou mais importância às couves (tronchuda e galega) do que aos graus académicos). :-D

    está na constituiçãosinhã, não sabes? :-) e barbaridade é eu não ter uma vaca – não é o falo do CC

    (que é uma riquezinha).:-D

  10. Sinhã, não me digas o que sabes, que não quero ficar tolo. Para sustos, já chega os que me pregaram quando os padres me disseram que a masturbação levava à loucura. Eles lá sabiam do que falavam. Aparece cada padre mais tolo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.