O Mundo começa nas Escadinhas do Duque

16662606_TdMoXN6c_Lisboa_Esc_Dq1525209.jpg

No já distante ano de 2004, mais precisamente no dia 9 de Outubro, o poeta brasileiro Alexei Bueno andou por aqui e escreveu um poema com o título de «Lisboa». Trata-se de um soneto que termina com estes versos:

Poço dos Negros, Praça da Figueira
Escadinhas do Duque. Com os amigos
Mortos, vivos, é andar a noite inteira

No sonho, em meio aos planos e perigos
Ou será já verdade, ou bebedeira
Tal dor dos dias límpidos e antigos?

O curioso de tudo isto é que o seu livro A árvore seca vai ser publicado em Portugal dentro de pouco tempo pela Editora Bonecos Rebeldes que (por notável coincidência) fica situada nas Escadinhas do Duque, no número 19-A. No mesmo lugar onde se estão a publicar, a um ritmo paulatino e decidido, todas as aventuras do Príncipe Valente. Pela primeira vez em Portugal e com tradução directa do original, sem traduções transversais do francês ou do castelhano.

Mas esta de um poeta brasileiro ter ficado encantado em 2004 com um designação toponímica invulgar, escrever um poema no qual regista esse encanto e esse poema ser editado em 2007 por uma jovem editora situada nesse lugar, é obra!

José do Carmo Francisco

5 thoughts on “O Mundo começa nas Escadinhas do Duque”

  1. Foi onde nasci,e orgulhoso que mais uma obra de valor ponha em relevo un dos sitios mais bonitos da minha QUERIDA lISBOA

  2. Essa da publicação das aventuras do Príncipe Valente só popde ser equiparada em acontecimento editorial ao lançamento aqui há anos da sopa de abcedários multicolores?

    Tens com cada uma, Zé!
    Estavas a portar-te tão bem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.