4 thoughts on “Mais uma festa para a malta do Acidental

  1. Como foi possível que um ideal de emancipação, de fraternidade universal, se transformasse, logo após Outubro de 1917, em doutrina de um Estado todo-poderoso, praticando a discriminação sistemática de grupos sociais ou nacionais inteiros, recorrendo a deportações em massa e, com demasiada frequência, a massacres gigantescos?

    Hoje, a rejeição do comunismo pela maioria dos povos envolvidos, a abertura de numerosos arquivos ainda ontem secretos, a multiplicação dos testemunhos revelam o que amanhã será uma evidência: os países comunistas foram mais bem sucedidos a fazer crescer os arquipélagos concentracionários do que o trigo, a produzir cadáveres do que bens de consumo.

    Uma equipa de historiadores e de universitários empreendeu a tarefa de estabelecer um balanço tão completo quanto possível dos crimes cometidos sob a égide do comunismo, continente a continente, país a país: os lugares, as datas, os factos, os carrascos e as vítimas, que se contam por dezenas de milhões na URSS e na China, por milhões em pequenos países como o Camboja e a Coreia do Norte.

    In o LIVRO NEGRO DO COMUNISMO de Stephane Courtois – Nicolas Werth – Jean Louis Panné – Andrzej Paczkowski – Karel Bartosek e Jean Louis Margolin.

  2. José Tim,
    Aparece lá a declamar essa passagem, a malta agradece. Até porque parece que o Batatoom está indisponível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.