15 thoughts on “JUNHO”

  1. Eu também gostava de gostar.
    Mas, com todo o respeito pessoal pela autora, não sou sensível a emoções estéticas artificiais.
    O único elemento real, no universo do poema, aproveitou-o a ironia de mark: os fogos de verão.
    Do resto, nada existe, o que é uma pena.

  2. O senhor Anonymous leu o poema de pernas para o ar. Por não ser sensível a emoções estéticas reais, confundiu “fogueiras de Junho aos 3 santos populares”, com fogos de Verão!
    Também gostei muito. Mais parabéns!

  3. musa
    eu não confundi nada: nem comentei as fogueiras da tradição antiga; referi apenas a ironia de mark, certeiríssima, com os fogos de verão.
    É a única coisa real. O resto é idealizado. Já não existe em lado nenhum. É como falar de zagais e lobos maus. Hoje os bichos são criados a ração.

  4. Quer dizer: já não há lebres (ou são criadas a ração?), portanto, já não abre o tempo da caça. Também não há ceifeiras, nem ceifas, nem trigo (como é que se fará o pão?). Não há bilhas com água para matar a sede (talvez nem haja água nas bilhas). Não há restolho e já não há cigarras…Senhor Anonymous, venha até ao Alentejo, ou é esquimó e vive no Pólo Norte? Com pessoas destas nem apetece fazer comentários, mas, enfim…

  5. mas não vá só ao Alentejo – que me desculpe a Musa. Vá ao Minho, à Beira Litoral, ao Ribatejo. Dê uma voltinha pelo País rural e real. Depois faça os seus “tão bem informados” comentários.
    Os zagais é que passaram a feitores. Agora que os
    lobos maus não existem! Não lê os jornais nem vê televisão? É um em cada canto…

  6. Brigada do reumático: naturalmente foram favas secas. Só podia. Vê lá se te engásgas! É mesmo dar pérolas a porcos… despeitados vá-se lá saber porquê…

  7. adoro favas, quanto a carne de porco não como. e o modernismo é movimento que já tem barbas. a soledade continua bucólica e muito, muito chata (parece-me que rimei, mas foi sem querer)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.