Diz ela

Tenho uma forte convicção que, se Sócrates governasse com esta mentalidade e esta força (e como já li e concordo: com pele de sapo e vida de gato) no tempo em que tínhamos como Primeiro-Ministro Cavaco Silva, Portugal poderia estar hoje muito, muito bem posicionado a vários níveis. Tanto dinheiro dado na altura de bandeja pela CE para tantos empresários amiguinhos poderem comprar Mercedes, BMW, mansões e casas de férias e terem hoje as empresas obsoletas e fechadas na falência… Ou alguns até estarem a ser investigados pelo Ministério Público com notória falta de destaque pela comunicação social para seleccionados casos. Estranho… Ou talvez não!

Isto é que é triste. É ver esta gente que tanto afundou o país ainda chegar a altos cargos, a pensar em recandidaturas… Fora toda a sua “actividade” recente como referi no post acima…

Estou desejosa de sair deste país e encontrar verdadeiras oportunidades e com todo o orgulho poder contribuir com o meu trabalho, impostos, dedicação e profissionalismo para um país que me respeite como cidadã já que no meu não é isso que encontro.

__

Oferta da nossa amiga Daniela

35 thoughts on “Diz ela”

  1. Só posso dizer que concordo com Daniela, embora possua motivos ligeiramente diferentes.

    Há uma questão que não é displicente. Cavaco foi colocado estrategicamente no governo de Portugal por ser o governante incompetente que possibilitou a existência do BCP, do BPN, do BPP entre outros de menor relevância. E estes casos são incomensuravelmente mais graves do que os Mercedes e as segundas habitações à beira mar plantando. Estes casos frutificaram com base em crime e corrupção ao mais alto nível, com consentimento da UE e beneplácito do FMI. Por tudo isto, Miguel Cadilhe, ministro das finanças de C. Silva, chamou-lhe “o pai do monstro”.

    Todavia, fugir não resolve coisa nenhuma.

  2. ja tinha lido este comentario e fiquei impressionado seu texto
    Abraço Daniela
    Espero coisas retornem normalidade institucional e de responsabilidades
    e não tenha que sair do país
    que essa sangria
    ja a tivemos no tempo do outro cavacu, digo salazar
    e pagámos caro isso
    abraço

  3. Eu reafirmo que este texto serve que nem uma luva a muitos dos políticos que nos (des)governaram ao longo de todos estes anos.
    Se Cavaco foi o “pai do monstro”, que medidas tomaram António Guterres ou José Sócrates para decapitar esse mostrengo?
    Passados todos estes anos do pós cavaquismo, ainda culpam o homem por tudo o que fez de mal? Fez sim e muito! Mas volto a pedir que apliquem o mesmo critério a outros governantes que se seguiram e apresentem os resultados.
    Será pedir muito que haja mais objectividade na análise dos factos? Sim, porque nos referimos a factos devidamente comprovados e não a meras efabulações “freeporticas” ou de “faces ocultas”.
    Bolas, que nem a lixívia branqueia tanto!
    …e nem o facto de hoje ser o Dia Internacional da Mulher justifica tudo.

    Preâmbulo de uma história triste:
    Já estou a ver Daniela, de trouxa ao ombro a atravessar a fronteira, de lágrimas nos olhos e já com saudades da terra que a viu nascer e que nunca a recompensou por tudo aquilo que lhe deu…

  4. Aos críticos de Cavaco que usam o costumeiro argumento de que desperdiçou os fundos europeus, pergunto: a torneira dos fundos fechou-se quando Cavaco deixou de ser PM, ou seja de há quinze anos para cá? Obrigado.

  5. Eu não fujo do País, mas compreendo que a Daniela, se é jovem, o faça, porque a situação chegou aos extremos da ditadura pidesca, acolitada por uma corja de bufos, pagos à tarefa. Temos um presidente da república mais conivente que abúlico, a permitir a subversão do Estado de Direito por um nutrido lote de magistrados e investigadores, alavancados numa comunicação social refem de meia duzia de empresários. O jornalismo caiu de quatro diante dos patrões e as oposições ajoelharam-se ao seu lado, encorajando-o a aguentar a valente e inevitável enrabadela. O pior é que muitos parecem gostar da coisa.
    Se a Daniela não fugir corre o sério risco de ter o telefone sob escuta e lá há-de chegar o dia em dê uma escorregadela qualquer que permita iniciar mais uma operação «face oculta». Só resta mesmo fugir e quem puder faça-o. Se ao PM, que dizem ter poder, acontece ser arrastado na lama por uma qualquer moura guedes, graças a quem lhe coloca abundantemente nas mãos o poder de o fazer, e fazê-lo com toda a impunidade, que acontecerá a uma pobre Daniela? Vejam esta paródia: no crime histórico do BPN há um arguido, UM! E descansadinho em casa porque tem dodoi. O sucateiro Godinho, por ter comprado um ferro-velho -diz-se- com descontos especiais, um dia destes morre na prisão, porque é homem doente mas não foi governante do ex.PM Cavaco. E no caso BPN os magistrados e investigadores que têm o processo na mão são perfeitamente capazes de preservar o segredo de justiça. E ainda querem esses senhores que nõs acreditemos que não têm uma agenda politica…Quem puder fuja do País, que estamos entregues a uma magistratura corrupta. Miguel Sousa Tavares só vê uma solução para esta pouca vergonha, que é acabar com a autonomia do MP. Realmente eles estão a demonstrar todos os dias que não merecem que a democracia lhes confie tal estatuto. Se os governantes abusarem, nós podemos correr com eles nas proximas eleições ou até em lutas de rua. Mas contra a corrupção da Magistratura nada podemos, porque são sempre juizes em causa própria e intocáveis. Um simples juiz de comarca, mais dois ou tres procuradores, podem destruir uma pessoa ou um governante, arrastando processos durante cinco ou dez anos. O caso do Freeport é exemplar. Só acaba quando aqueles dois senhores magistrados quiserem. Haverá sempre mais um papel anonimo que faça voltar tudo ao principio, enquanto for da conveniencia da agenda politica.
    Fujam!!!

  6. Estou pronto a jauda-la, Danielle. Precisa-se duas empregadas de copa no meu restaurante, La Pompadour du Couscous. Seis euritos a hora, comdireito a desconto em todas as refeicoes onde nao entre lombo, fillet, ou refeicoes com peixe grosso ribeirinho. Pas de chaumage ici, ma cherie.

    Com o tempo, pode ser que consiga chegar a socrataire du patron, Monsieur Bastard..

  7. O relativismo é um autêntico coveiro das ideias e também dos conceitos. Senão vejamos:
    “O menino A fez isto mas isso não interessa porque o menino B fez aquilo e ninguém o repreendeu”.
    A conversa acaba porque andaríamos sempre à volta desta muito conveniente “diálise” e ambos os meninos são desculpados porque ninguém se sente com moral para colocar o problema no seu devido lugar.
    Depois dos meninos A e B vêm os meninos C e D e a história repete-se. Os problemas agudizam-se, não há responsáveis de coisa alguma e nós, o Povo que sustenta a Porca de Bordalo Pinheiro, ouvimos as vozes de todos os meninos que passaram pelo Poder dizer que:
    – A culpa é só tua!
    – Nada disso, a culpa é toda tua.
    – Mas tu estiveste lá mais tempo que eu.
    – Estive sim, mas tu não fizeste reformas estruturais.
    – Fiz algumas, mas tu desfizeste tudo o que tinha feito.
    – Mas tu não fizeste nada.
    – Fiz sim.
    – A culpa é só tua!
    – Nada disso. A culpa é toda tua.

    Depois cai o pano mas a tragédia continua, com os meninos a manterem o diálogo de acusação mútua, enquanto o Povo se mantém na sala, à espera de um 2º acto que tenha um final feliz, felicidade essa que todos os meninos lhe prometeram, mas em vão.

  8. Bem… Que isto já deu muitos comentários… Obrigada Valupi pelo destaque.

    Sr. Mário Pinto… Mais uma vez… Não me faço de coitadinha, sabe? Estou é farta e cansada das injustiças e das hipocrisias, cada vez mais à descarada, de quem não demonstra ter um pingo de vergonha na cara. Esta oposição então… Degradante…

    E como ainda sou nova, como pretendo ter crianças, não me vejo a criá-las cá…
    Não fico com lágrima no olho de deixar Portugal e toda a podridão que vejo. Provavelmente, ficarei por ver a minha família ficar cá. E tanta boa gente que ainda há por esse Portugal fora. Porque quem realmente se lixa neste estado de coisas é quem é moralmente correcto, quem é cumpridor. Muitos dos meus amigos, e eles sim adoram Portugal, foram trabalhar para fora do país. E como eles, muitos, muitos outros. É pena que estejam a sair, sem dúvida. Mas nem todos somos como Sócrates, com a sua pele robusta. A minha é delicada e está já a ficar danificada…

    E em relação a crimes económicos e de corrupção são um grande cancro nesta sociedade. E é obviamente transversal a todos os partidos. O que me parece é que não se dá, por razões que desconheço, o mesmo destaque a todos os casos.

    Lembro-me de ver há uns tempos uma notícia sobre o caso dos CTT, em que foram formalmente acusadas (não sei se já sentenciadas) pessoas directamente ligadas ao PSD, pelo que li noutras fontes. Sabe em quantas notícias foi referida essa ligação ao PSD? Não vi nenhuma… Mas se encontrar, agradeço que me forneça o link para eu me retratar de imediato. Sabe como anunciaram o suposto envolvimento de Armando Vara no caso Face Oculta? Como “ex-ministro do PS”. Esta dualidade nos tratamentos das notícias e dos suspeitos parece-me muito tendenciosa. E ao vejo já está para lá da dúvida: é nítido! Tão nítido para mim e para muitos outros que as sondagens dão ao PS um número de votos próximo da maioria…

  9. E obrigada, Le Chef, mas a cozinha não é o meu forte. Não ia sentir-me bem ao aceitar uma proposta tão generosa sem ter as competências necessárias para a desempenhar.

    Agradeço mas fico-me pela minha área. Em caso de necessidade, não hesitarei em contactá-lo para saber se a proposta ainda está de pé, fazendo obviamente antes uma formação que me permita obter essas mesmas competências em falta.

  10. qual é a sua area daniela?
    historia não é certamente porque senão sabia que o cavaco ja saiu faz 15 ou 16 anos e depois dela com a excepção de 2 anos foi sempre a mesma gente a usurpar dos milhões que continuaram a vir da ue

  11. Daniela, há aqui uma coisa que não estou a perceber muito bem. O facto de a comunicação social alegadamente tratar de forma diferenciada os casos que envolvem personalidades ligadas ao PS e ao PSD torna uns mais “culpados” que os outros? Ou seja, preocupa-se mais com a forma como certo caso é noticiado do que com o caso em si… Posso assim concluir que quanto mais o media “cascam” em Sócrates mais sério ele lhe parece. É um ponto de vista curioso, de facto. Já pensou que não será pelo facto de o PM poder estar envolvido em determinado caso que ele logo merecerá outro destaque – pela importância do cargo que ocupa – que não mereceu, por exemplo, esse dos CTT que envolvia figuras ligadas ao PSD?
    E não quero estragar as suas ilusões, mas lá fora nem tudo são rosas. A vida por cá não é fácil e tem os seus obstáculos, mas prefiro pensar que posso dar aqui o meu contribuot, mesmo que pequeno, para que o país vá melhorando.

  12. Não me parece nem mais nem menos culpado. É uma questão de igualdade de critérios na divulgação da notícia. Eu não julgo ninguém. Quem tem de decidir quem é culpado ou inocente é a justiça, não eu, nem você nem a comunicação social. Aliás, o dever da comunicação social deveria ser o de informar. Mas informar a sério.

    Vocês referem-se a mim como se eu fosse grande defensora do PS e acreditem que me dá vontade de rir. Ihih…

    Sei bem que Cavaco Silva já saiu do poder há algum tempo e veja só que nunca chegamos a recuperar desse tempo e dessas escolhas…

    A minha área não é história mas há outros que fazem o trabalho por mim: “Nos últimos 30 anos, a despesa pública aumentou de 29% para 45% do PIB. Um aumento do peso do Estado na economia de 16,3 pontos percentuais, dos quais 12,1 p.p. (75%) aconteceram em governos liderados pelo PSD e apenas 4,2 em governos PS.” Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS_OPINION&id=386210

    Se esta informação, estes dados objectivos chegassem realmente a toda a gente através da comunicação social, através dos jornais e televisões como notícia de reflexão sobre dados e não fantasias, se não chegasse apenas através de um artigo de opinião num jornal e difusão do mesmo pela net, talvez mais pessoas pudessem estar mais informadas sobre o que este governo fez em comparação com anteriores. Foram várias as medidas que, por eu considerar adequadas e justas e para bem do país, me fizeram votar no PS nas últimas eleições.

    E realmente, nisto dou razão a Mário Pinto, para quem não queria entrar em discussão política parece mesmo que me estou a alongar…

    Lá fora, nem tudo são rosas nem eu tenho ilusões que seja, pode descansar Hugo… Mas conheço muitas pessoas que estão fora e, mesmo não sendo um mar de rosas, garantem a pés juntos que nem pensam em voltar… Os filhos, sabe? Queremos sempre o melhor para eles…

  13. Daniela

    Você pode pensar o que quiser e fazer o que lhe dá na gana porque vivemos num país livre que até lhe permite procurar a felicidade em qualquer outro lugar. Mas já agora espere mais um pouco, para ir de TGV. Sempre sairá de cá mais depressa…
    Você consegue atribuir todos os males de que Portugal padece a uma só pessoa – que é Cavaco Silva – que já saiu do governo há um ror de anos e esquece todos os outros primeiros-ministros, os do PS incluídos. Acha que esta é uma posição séria?
    Francamente.
    E dá-me exemplos de notícias que serão tendenciosas, como se a comunicação social fosse dominada pelo PSD e o PS fosse um grupo de meninos de coro.
    Era só o que faltava.
    O PS e o PSD estão bem um para o outro e podiam muito bem fundir-se, já que as diferenças entre eles são quase nulas.
    A prova é que José Sócrates foi do PSD antes de ser do PS e não consta que tenha estranhado a mudança. Nem ele nem o PS.

  14. Que faço como bem entender, já eu sei, Mário Pinto. Quando falei da minha intenção, não coloquei à consideração dos comentadores do Aspirina (que muito prezo, não me interpretem mal) a respectiva autorização.

    Qual o meio de transporte a usar, ainda está por decidir. Mas o TGV pode realmente ser uma opção, obrigada pela dica.

    Não sei onde viu que atribuo a Cavaco todos os males do país. Fez com certeza muito mal a este país, como o próprio Mário mais acima concluiu, mas claro que está longe de ser o único culpado. Essa posição foi o Mário que a induziu porque eu não a tomei. Fiz uma comparação daquela que me parece a capacidade governativa de Sócrates e a de Cavaco Silva. Sócrates com mais recursos teria feito um melhor trabalho, Cavaco com piores recursos do que os que teve na altura em que foi Primeiro-Ministro teria sido, (a meu ver, note-se!), um (muito) péssimo Primeiro-Ministro.

    A minha opinião vale o que vale… Assim como a sua. Assim como a de qualquer um…

  15. “A prova é que José Sócrates foi do PSD antes de ser do PS” .

    Antes que arrefeca, vamos ja promover isto a italico na montra do costume para discussao e eventual arquivo. Porra, ja que nunca houve coragem para se discutir se o verdadeiro nome do chefe do governo e Mussolini ou Messalina, pelo menos facam-nos o favor de nos divertirem com essa historica viragem de casaca.

  16. Muita parra mas pouca uva, meu caro.
    Desminta-me, se for capaz.
    E nem veja isso como um mal. Se gosta do PS actual, a ele o deve e só lhe resta agradecer o facto de ter mudado.

  17. Porra, porra digo eu Mr. Le Chef! Está preocupado com o verdadeiro nome do “chefe do governo”? Se Mussolini se Messalina? Que puta de ironia bem ao nível do que para aqui tem vomitado. Coisa imprópria! Principalmente para quem adopta um pseudónimo tão próximo da boa cozinha. A tal histórica “viragem de casaca” com que deseja nos divertamos, não passa afinal de mais um sinal de inteligência. Ou não será inteligente aquele que, a tempo, se apercebe do tipo de gente que o rodeia? Portanto, meu caro Le Chef, divirta-se e ironize com os seus que está em excelente companhia!

  18. Cara Daniela,
    leve a sua malinha de cartão prada e a sua ignorância de sócretina e ‘bonne chance’!. Dá-me vontade de rir o desespero desta maltinha por perceberem que o crepúculo do tacho tá a chegar. Agora até lhes deu em desespero de negação – porque seguiram e incensaram e defenderam um porco – para tentar emporcalhar o Cavaco. Triste e alegre espectáculo!

  19. MARIO PINTO,

    Nao se emaranhe no seu proprio verbo. E quase sempre causa maior de se perder o fio a meada. O repto, pois era disso que simplesmente se tratava, nao foi dirigido a si mas ao Valupi ou, por concessao democratica da minha parte, ao Ze da Usina de Poemas e Companhia, com acesso a caixa forte do blogue. Pode acreditar entao, senhor amante secreto, platonico, sem compromisso, ou o que quizer, do PSD, que este seu admirador com serias reservas seria o ultimo dos mortais residentes da Grande Lisboa a duvidar dessa transferencia de vassalagem. Aceite um abraco, mas desta vez nao o confunda com uma camisa de forcas.

    ANIPER,

    “Ou não será inteligente aquele que, a tempo, se apercebe do tipo de gente que o rodeia? Portanto, meu caro Le Chef, divirta-se e ironize com os seus que está em excelente companhia!”.

    Durante as primeiras linhas do seu revoltado e demolidor comentario, confesso que fiquei sem falta de ar com o esforco que fiz. Mas recuperei, e prossegui, e ja tinha uma resposta preparada, e ja gargalhava antevendo a revulsao dos seus sucos gastricos contra a ironia barata e desinteligente . A trampa e que quando cheguei a esse fim, fiquei repentinamente, completamente e incuravelmente abananado com o misterio.

    Troque-me, por favor, esse remate. Guarde a nota e deixe aqui miudos compreensiveis porque o mal que me aflige nao consiste apenas de ironias vomitadas. Anda por ai tanta doenca.

  20. Velyn

    Yeah, right… Só faltava mesmo a converseta do costume… Ai, os tachos. Mas que aflição, agora que estão a acabar…

    E Cavaco Silva não precisa de ninguém para se emporcalhar. Ele fá-lo sozinho… Basta ouvir de novo ou reler o discurso por ele proferido na altura do “caso das escutas” no verão.

  21. Le Chef

    Se começa um comentário a citar uma frase minha, como quer que adivinhe que não se dirige a mim? Bruxo não sou, por enquanto…
    Com que então sou um “(…)amante secreto, platonico, sem compromisso, ou o que quizer, do PSD (…)”? E pode dizer-me como chegou a tão brilhante conclusão?
    Olhe que não! Olhe que não!
    Repare que eu apenas contesto a divisão entre os bons (PS) e os maus (PSD e restantes partidos), ainda que seja o PSD o partido mais visado, neste momento. Mas aproveito para lhe dizer que prática política do PSD é muito mais coerente do que a do PS.
    Eu, enquanto trabalhador que sou, lamento que tenha sido o PS – partido dito de Esquerda – a tomar medidas gravosas para os trabalhadores, que nem o PSD se atreveu a pôr em prática quando era governo.

    Dispenso o abraço mas aceito o seu respeito.

  22. Não se rale com os Velyns, Daniela. Quando não dão p’ra mais, ficam-se pelo que podem.

    De resto, isto não é uma questão de evangelização. Os Marios Pintos e quejandos deste mundo não vão mudar de ideias. Estão no seu direito de formar as suas opiniões e de “ler” a história e os factos da forma (enviesada que seja) que mais lhe aprouver. Contra isso, batatas. Eu, por achar o Socrates um bom Primeiro-Ministro, parto do princípio que todos que o contestam são os toscos, ressabiados, atávicos, reaças, meninos-que-perderam a mama, tipos-que-queriam-era-ser-eles-a-chafurdar-na-mangedoura. No entanto, compreendo que estes, achem que eu, por gostar do homenzinho, sou um degenerado, de más famílias, xuxa, guloso, mentiroso, susceptível à propaganda, paneleiro (coitado do Diogo Infante), vendilhão de laptops para miudos e amigo de pedófilos.

    Compreenda que estamos a falar de gente que goza com o magalhães, que acha que isto estava tudo ok até vir esse marmanjo, que acha que o xuxa Sampaio correu com o generoso Santana Lopes, que acha a Maria Cavaco Silva uma “grande senhora”, que acha que o Soares é o pulha que deu cabo disto tudo, que se compraz a dizer mal das Novas Oportunidades sem saber ao certo de que se trata, que foi para a rua quando os quiseram por a ser avaliados, que se riu a bom rir quando fechou a Qimonda, que tresleu o BPN, que continua a achar que o Sócrates é o grande chupista do BPP, que via o Jornal de Sexta, que acha que o Mario Crespo é um jornalista de excelência, que toma a crise mundial por um abalozinho, que acha que é a poupar e a amealhar que se gere uma empresa e que, por fim, acha que é possível por isto a andar sem pisar calos. Que acha que pode haver sol na eira e chuva no nabal. Que pensa que se pode reduzir os gastos do Estado sem prejudicar a FP ou os serviços a que temos direito. Que se congratula com a ideia de que o Estado não tem de prover uma vida decente para quem não pode, não tem e não consegue dar parte do seu ordenado para um PPR todos os meses, mas que, no fundo, deve ser cigano porque esses é que mamam o dinheiro todo. Que pensa, olhe, que pensa “que se foda” porque o sistema capitalista tem é de cair às mãos das vanguardas populares, mesmo que nunca suado um pingo de suor em toda a vida e não percebe que o que nos move é a perspectiva de ter uma merdinha melhor, mais bonita e reluzente que os outros.

    Portanto, contra isto, o que é que se vai fazer?

    Isto é que é giro e isto é que é democracia. Uma pessoa de menos bom tom (eu) podia enojar-se e ganhar ainda mais alento à medida que vê a nojeira que estes sebosos criaram para derrubar o Governo, observando com júbilo a forma como um pobre-diabo qualquer (aqui como o nosso anfitrião) consegue, mesmo assim, irritar estas hordas de gentinha, que, por motivos que me ultrapassam, vem para aqui tentar pregar aos peixes. Pessoas melhores, espero que como a Daniela, manter-se-ão neste país para equilibrar a média. Ao sair, deixam-nos afogados nesta mediocridade dos que votam Cavaco (que acham que BI é Bilhete de Identdade e que se calhar mamaram uns cursos co-financiados ou umas aplicações a 140%) e que odeiam o Zézito.

    O que vale, Daniela, é que, no meio disto tudo, o sacana so Socrates lá lhes papou duas eleições. E – porque não – ainda lhes saca a terceira. E aí, ui, engolem o sapo com tomates e tudo.

  23. Daniela, que de nada sabe nem sobre nada se pronuncia
    Daniela, que não gosta de discussões políticas
    Daniela, que não tem simpatias por partido algum
    Daniela, que diz que todos os políticos são iguais, embora uns sejam mais iguais que outros
    Daniela, que vive amargurada num país que não lhe reconhece o valor e que a obriga a emigrar
    Daniela, que quanto mais escreve mais revela as suas incoerências (?)
    Daniela, que escreve, escreve, escreve, escreve, escreve, escreve…
    Daniela, simplesmente Daniela…

  24. Ó Gonçalo

    Você precisava mesmo de, para fazer o comentário, contar a história da sua vida?
    É que se não é disso que se trata, confesso que não entendi onde quer chegar, mas aceito que você esteja tão bem que não lhe apeteça ir para lado algum, ao contrário de Daniela.
    Você diz mal de tanta gente que, se não se põe a pau, ainda acabará a dizer mal de si próprio.
    Mas ainda assim gostei da tentativa. Continue…

  25. Mário Pinto, o senhor assim gasta-me o nome… Se desvaloriza tanto a minha opinião, o meu comentário ou quiçá a minha pessoa, porque insiste em continuar a responder?…

    Esqueça. Passe a um post interessante e deixe este e a minha pessoa que nenhum interesse tem com todas as suas incoerências.

    Gonçalo, nem mais! Mas não consigo ficar indiferente a estas coisas, a estas pessoas, a estas mentalidades e actuações. E fico cansada de me chatear com isto. Gostava realmente de viver a minha vida num país decente. Onde não tivesse quase dia sim, dia sim de assistir a espectáculos degradantes de pessoas que, pela posição que ocupam e exposição que têm, já deviam ter juízo…

  26. Daniela

    Sabia, por acaso, que escrever cansa e chateia?
    Então, não diz que está cansada de se chatear?
    Olhe que é feio prestar falsas declarações…(rss)

    …e não veja o meu texto como uma resposta.
    Leia-o como um poema, escrito a uma desconhecida que parece só estar bem onde não está e a querer o que não pode ter, como alguém escreveu.
    Se me permite, deixo-lhe aqui uma sugestão, grátis. Compre uma redoma e isole-se do mundo. Dizem que resulta.

  27. Ó Gonçalo, que bem que me soube a sua certeira traulitada em toda esta gentalha, que no fundo no fundo mais não é que directa herdeira do “botinhas” de Santa Comba, que ah! esse sim, deixou as economiazinhas em ordeme os cofres cheios de ouro mas, desgraçadamente, a cabeça dos portugueses cheia de merda. Alguns dos comentários que por aqui vão saltando são disso a prova mas do que evidente! Volte mais vezes, ó Gonçalo!

  28. A nossa sorte, ou será azar?, é que ANIPER não é português senão também teria a cabeça cheia daquela coisa que cheira mal mas que muitos insistem em ter na boca, também…

  29. Meu caro Mário Pinto, não vejo razão para se sentir ofendido, nem sei porque se coibe perante o termo que usei e que hoje entrou no léxico corrente. Mas enfim, pruridos à parte, e por aquilo que de si tenho lido, não acredito que recuse a ideia de que, os tais 50 anos a que o 25 de Abril pôs termo, são ainda, apesar do tempo que já decorreu desde aquela data, os principais responsáveis por muitos dos males que ainda nos aflijem. Como não gosto de ferir susceptibilidades procurarei ser mais suave no que aqui escrever, correndo embora o risco de ser mais prolixo.

  30. ANIPER

    Você poderia vir a ter toda a razão do Mundo se o seu comentário não viesse agregado ao de Gonçalo.
    Porque das duas uma: Ou você considera que Gonçalo também tem a cabeça com aquela coisa mal cheirosa ou então esse defeito só acontece aos outros, àqueles que Gonçalo vitupera.
    Salvo melhor opinião, estes comentários têm uma sequência e não devemos analisá-los de forma separada.
    No restante estou de acordo consigo e creia que não fiquei nada melindrado.
    Posso não parecer, mas sou um homem deste tempo…

  31. MÁRIO PINTO,

    Esqueçamos a metáfora que usei e com a qual vejo não simpatizar. No entanto e a propósito, sempre lhe direi não ter dúvidas em reconheçer que estou a ser cada vez mais excessivo nas minhas simpatias e antipatias (e julgo que isto responde à sua “dúvida” quanto que posso pensar do Gonçalo) o que, de alguma forma, vai ao arrepio do que seria natural. De facto, costuma pensar-se que, com a idade, tendemos a ficar mais compreensivos e condescendentes. Devo reconhecer que comigo isso não está a acontecer o que não deixa de me preocupar. Mas tento encontrar uma explicação para o facto e não é que dou comigo a pensar que os tempos que vamos vivendo são de facto de arrazar os nervos do mais santo? Os campos estão a extremar-se de uma maneira insidiosa e lamentável. Reconheço-o. Mas será que poderemos dizer, com honestidade intelectual, que a culpa está dos dois lados?!

  32. “Eu, por achar o Socrates um bom Primeiro-Ministro, parto do princípio que todos que o contestam são os toscos, ressabiados, atávicos, reaças, meninos-que-perderam a mama, tipos-que-queriam-era-ser-eles-a-chafurdar-na-mangedoura. No entanto, compreendo que estes, achem que eu, por gostar do homenzinho, sou um degenerado, de más famílias, xuxa, guloso, mentiroso, susceptível à propaganda, paneleiro (coitado do Diogo Infante), vendilhão de laptops para miudos e amigo de pedófilos.”

    Caro Gonçalo, eu acho que você, se não tem tacho, não é nada do supramencionado. Você é, simplesmente, burro.

  33. ANIPER

    Nunca disse que os “bons” estão de um lado e os “maus” do outro. Nem tudo é branco ou preto. Há também o cinzento.
    Se reparar, eu costumo insurgir-me mais quando aqui se maltrata alguém apenas porque é de outra cor política, não esquecendo nunca que na Terra não há santos, não sei se me entende.
    Ou seja, criticar aos outros aquilo que aplaudimos nos nossos não é um bom sintoma de convivência democrática.
    Por isso eu direi que a culpa é repartida, sim.
    Quanto aos tempos que correm, às suas simpatias e à sua condescendência para com os outros, acredite que o compreendo muito bem. Eu não penso de forma muito diferente, também nesses aspectos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.