12 thoughts on “BLOCO# 14”

  1. António Vitorino, o alegado nº 3476 na hierarquia da Al-Qaeda, falou na televisão

    António Vitorino no «Notas soltas» na RTP1 com Judite de Sousa – 10/7/2006.

    Vitorino: Eu acho que se progrediu em dois aspectos muito importantes. O primeiro é a legislação sobre os registos dos dados de comunicações telefónicas e de internet – emails. Houve uma resolução europeia que foi adoptada e que vai agora ser aplicada com os Estados Unidos.

    Judite: Estamos todos muito mais vigiados e menos livres, não é?

    Vitorino: Se nós não fizermos nada de mal, a nossa liberdade não é verdadeiramente atacada. (…) Hoje o sistema de recrutamento de terroristas é feito sobretudo através da internet. O sistema de doutrinação, de radicalização das minorias violentas das comunidades islâmicas é feito através da internet. (…) A questão do controlo dessas comunicações é fundamental para poder fazer o tracejamento, seguir a pista das redes que operam.

    Sabendo-se que os atentados de 7 de Julho em Londres se trataram de um «inside job», levado a cabo pelos serviços secretos britânicos, com o objectivo de instaurar um estado policial no Reino Unido, a questão que se deve colocar é: como foi recrutado Vitorino para a [verdadeira] Al-Qaeda? Com a promessa de 70 virgens no paraíso ou com uma avença depositada num qualquer paraíso [fiscal]?

    Vídeo (3:41m)
    ..

  2. O defeito do boneco é o sono tranquilo de nivelar tudo por baixo. Pela bestialidade, a barbárie, e o despudor dum poderio que se imagina impune. Pela inteligência das bombas inteligentes com mil quilos de explosivo. Quando afinal só a graça dos deuses é que é a mesma.

  3. Sofocleto,

    E aqui segue um extracto de artigo interessante do “Notícias da Amadora” sobre os Bilderbergers que reforça a tua entrada e projecta a unha do dedo médio da política destes meninos ao serviço da Nova Ordem Mundial, da qual o controlo da Internet sob todos os pretextos é vitalíssimo. E o sucialismo está enterrado nesta lama até ao pelvis. É quase impossível ver-se-lhe a cabeça da pixota engelhada. Só a a alguns, porque parte deles já se viram livres dos prepúcios há muitos anos.

    “Na delegação portuguesa de 2004, além do sempre presente Francisco Pinto Balsemão, participou também pela segunda vez numa conferência de Bilderberg António Vitorino. A sua estreia ocorreu em 1996, em Toronto, no Canadá, quando era vice-primeiro-ministro e ministro da Defesa do Governo de António Guterres. Na altura, também o acompanhou a jornalista Margarida Marante.
    Depois da saída de António Vitorino do governo, em 1997, ocupou nos dois anos seguintes o lugar de presidente da Portugal Telecom Internacional e o de presidente da assembleia geral do Banco Santander Portugal. Cargos que deixou para ser empossado como comissário europeu, na Comissão presidida por Romano Prodi. Na reunião de 2004, Vitorino era comissário responsável pela Justiça e Assuntos Internos em fim de mandato e o seu nome era avançado como candidato possível à presidência da Comissão europeia e à eleição de 2006 para a Presidência da República portuguesa”.

    TT

  4. Sofocleto:

    Parece-me possível discordar com o registo das comunicações por email e por telefone. O que me parece demagógico é esperar que os Serviços Secretos não vigiem a internet. Porque isto do uso do anonimato na internet tem de facto um preço que pode ser bastante caro.

    E é bom lembrar que o que se pretende registrar é quem escreve email para quem e quando, nada mais. No caso das comunicações telefónicas em Portugal este tipo de informação já é guardada pela PT e pode se requisitada judicialmente. É claro que às vezes os “envelopes número 9” levam mais informação do que o juiz pediu e depois que se lixa é o jornalista do 24 Horas que desmascarou a patranha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.