Além da Serenella Andrade, o que há de estranho na extracção da lotaria?

Resposta: a patusca invenção das “dezenas de milhar”, apensa a uma das redomas do sorteio. Apesar de a ninguém lembrar dizer “dúzias de ovo” ou “centenas de ano”, a coisa anda por todo o lado: em acórdãos de tribunais, documentos de universidades, discursos presidenciais, entradas da Wikipedia, etc. E neste “etc.” até cabem blogues por norma bem-falantes. Ele há epidemias bem esquisitas.

3 thoughts on “Além da Serenella Andrade, o que há de estranho na extracção da lotaria?”

  1. Mas a língua é mesmo isto, Luís. Um organismo vivo em constante mutação. A maioria das regras gramaticais que temos hoje em dia (sobretudo as morfológicas) resultam de «erros» dos falantes no passado que,com o tempo, passaram para a norma.

  2. Bem, esta inovação ainda tem muito caminho pela frente: as ocorrências detectadas pelo Google ainda andam pelos 10% da “versão” correcta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.