«Todos nascemos benfiquistas, mas depois alguns crescem»

JoelNeto.jpg

O aparente absurdo do título do livro de Joel Neto (Editora A Esfera dos Livros) é mesmo aparente. Nascemos no país do delírio das «papoilas saltitantes» que envolve quase tudo e paralisa quase todos. Fundado em 1908, o Sport Lisboa e Benfica festejou o «centenário» em 2004 e quase toda a gente se calou…

Joel Neto pega no assunto pelo lado da ironia: «Era muito mais bonita a vida se todos pudéssemos viver juntos esse permanente sonho de crianças. Vamos vender o Simão por 20 milhões! Vamos ter 300 mil sócios! O Rui Costa ainda só tem 25 anos! Vamos fazer um dream team Os textos deste livro oscilam entre a memória e a crítica: «Quando hoje folheio velhos álbuns de fotografias e vejo as centenas de automóveis que nos anos 80 estacionavam na cabeceira do Municipal de Angra do Heroísmo para apitarem os golos de um Lusitânia-Angrense, não posso deixar de lamentar que essa emblemática instituição da minha cidade tenha desaparecido. O derby. Entretanto vieram os construtores civis e os empreiteiros – e nós acendemos o televisor. A seguir vieram os empresários das águas e dos pneus – e nós instalámos a televisão por cabo. Agora estão aí os investidores e os líderes dos fundos de investimento – e nós já comprámos descodificadores para os canais de acesso condicionado.» A paixão tem como alicerce os relatos: «A bola ainda mal passara o meio-campo e já o relator se punha aos gritos. Ninguém o levava a sério. O relato era diferente do jogo.»

Para o autor gostar de futebol é um contexto – uma história de vida: «abro o almanaque do centenário do Sporting e aquilo quase parece a minha biografia, contada domingo a domingo.» O futebol confunde-se com a vida: «recuperamos a infância. Uma vez por semana. É isto o futebol. Para mim. Às vezes dizem que o futebol é uma metáfora da vida. Metáfora é a pomba branca – futebol é vida.» Mas também a morte está na crónica sobre Fernando Valadão, o dirigente que levava os miúdos da Terra Chã num Volkswagen pão-de-forma encarnado, ilha fora, à chuva e ao vento: «morreu com leptospirose, doença propagada através da urina dos ratos (…) E sei que o Valentim Loureiro e o Pinto da Costa e o João Bartolomeu jamais morreriam de uma doença propagada por ratos. Eles sãos os ratos.»

José do Carmo Francisco

11 thoughts on “«Todos nascemos benfiquistas, mas depois alguns crescem»”

  1. «Todos nascemos benfiquistas, mas depois alguns crescem»
    Pena que o autor da frase ainda não tenha crescido o suficiente.
    Incrível o ódio que algumas pessoas têm ao glorioso, é só uma prova da grandeza do clube.

  2. Alguns já nascem crescidos — não desperdiçam tempo a brincar aos futebóis, ou às casinhas, ou aos benficas e portos e sportings e alienações afins. E menos ainda a falar de livros imbecis, com títulos idiotas de autores que um dia vão crescer e ser avós, como esse Neto.

    Vá de metro Satanás!

  3. Quando o meu filho nasceu e meteram-se comigo com as “clubites”, respondi-lhes algo parecido: quando o vi pela primeira vez era benfiquista. Mas no dia seguinte já era do Sporting…abriu os olhos!

    Não antevejo grande sucesso de vendas. Desde logo, o autor despreza 6 supostos milhões. Mas, pelo menos, deve ser libertador.

    Renato C.:
    É tão triste nunca termos sido pequeninos…

  4. Oh Joel, não fujas com o livro debaixo do braço que vais ver o que te acontece. Nem sabes onde te há-des esconder.

    São mais do que muitos!

  5. É exactamente isso ! ALGUNS …. Prova provada que a maioria é benfiquista, e só ALGUNS sobram para dividir pelo resto dos clubes. A maior parte deles clubes de bairro!

  6. o titulo exprime simplesmente o que é ser do benfica hoje em dia… sonha-se acordado de uma tal grandeza que só quem é benfiquista consegue ver… tal qual uma criança nos seus exercicios diários de imaginação a que se vulgarmente se chama.. brincar

  7. Tanto anti-semita num país de “semitas”.
    Tantos milhões (6) para um país de centavos e tostões.
    O pior ” é que os outos é que ganham – apresentam resultados -, lá fora e não cá “dentro”
    E lá fora não percebem …
    Já agora: e os “sportinguistas” que não reconhecem naquele leão o “Leão de Judah”
    Coitados…

  8. O autor do blogue é crente.
    Ainda bem.
    Também eu o sou – nas cores – do azul do Céu, mesmo com todos aqueles gazes espalhados pelo éter…
    Todavia, Joel Neto sofre de uma catarse como se fosse uma impotência: não tem passado – aquele passado dos resultados finais em que não existem os comentários ao desenrolar dos jogos.
    Quanto aos ratos tem 99,90 % dos genes dos Homens e todos rastejam…

  9. Aqueles que falam mal do benfica sao aqueles que tem inveja, porque o clube deles nao e tao conhecido mundialmente, porque nao tem tantos titulos como o benfica tem…
    Contra os sportinguistas nao tenho nada, mas nao gosto nada dos portistas tem a mania que sao os melhores so porque ganharam o campeonato umas vezs seguidas, mas com o Pinto da Costa a presidente qualquer equipa o fazia…

    Depois a alguns que dizem que o dinheiro nao tras felicidade, mas parece que ao Porto tras mas este ano vai ser diferente…

    TEMOS PENA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.