«Eu tenho um sósia…»

3523-o-225879.jpg

Gerrit Komrij, poeta holandês
residente em Portugal

DIAFANIA

Eu tenho um sósia que me põe maluco
Querendo ser em tudo a mim igual.
Possui o mesmo sósia, e então apanha
Com um grande susto ao ver-me, e mais ao tal.

Assim me assusto eu ao ver-nos ambos.
Ele nada me oferece. É um ladrão.
Não pára de sugar ecos em mim
E nada meu sobra em tal multidão.

De início, havia ainda um certo laço.
Vivíamos em paz, aos dois, aos quatro.
Agora, aonde eu olhe, vejo o meu vulto
E a quantos fantasmas já dou resguardo.

Quando eu morrer, um ser desfigurado
Há-de achar-se estendido no caixão.
E o corpo transparente abrigará
Não um cadáver, mas coisa de um milhão.

GERRIT KOMRIJ
Contrabando
Assírio & Alvim, 2005
Trad. fv

6 thoughts on “«Eu tenho um sósia…»”

  1. Isto está a ficar cada vez mais comercial. Dantes eras o o JM Silva, agora temos este. Congratulations Assirios e Babilónios! Vendam bem!

  2. Bookmark,

    Você vê um poema transcrito aqui, e conclui que estamos em deriva comercial. Há aí um certo afunilamento de espírito, quer-me parecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.