Contributos para a biografia de um homem invulgar

Passos Coelho, em Março de 2011,  expressando “grande preocupação” com a situação social, e ameaçando chumbar o PEC4 caso o governo não recuasse nos cortes sobre os pensionistas “em vez de cortar no estado”, uma posição “firme e irredutível” do PSD.

8 thoughts on “Contributos para a biografia de um homem invulgar”

  1. tinha ido a belém assinar o contrato de moscambilha com o bolicoiso para a maior burla eleitoral da democracia portuguesa.

  2. De “empurrado” segundo as narrativas, passou a sentir-se
    ungido para destruir o País, é responsável pelo pior governo
    desde o princípio da República!
    Sobre o personagem o melhor que se pode dizer será ;
    NO COMMENTS ! Desapareça rápido das nossas vidas e, de
    caminho leve com ele o moço de fretes, o vice portas …o tretas!!!

  3. Tanta pulhice só mesmo de uma coisa destituida do mínimo sentimento de moral e ética política,o que de resto foi desde logo evidenciado na abjecta campanha eleitoral na qual e na falta de argumentação política alinhou no assassínio da carácter de Socrates,aliás em conivência com uma data de jornaleiros pagos à linha,de magistrados e polícias.Ao que assistiu impávido o alegado garante da democracia sediado em Belém e que até hoje suporta o mais inominável desgoverno da históris da democracia.Um desgoverno que não passa de um quase cadáver e de um presidente que é para todos os efeitos um cadáver.Putrefacto,digo eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.