5 comentários a “Graffiti imaginário (escrito nas paredes do metro)”

  1. Subscrevo essa cena, caramba. O «és linda, és linda, é verdade» provoca-me arrepios na espinha. Oxalá o gajo se tenha afogado naquelas águas geladas do videoclip.

    (O mais trágico é que a minha mãe já me disse que achava a música winda. A genética é uma grande tanga é o que é.)

  2. Será difícil: depois de sobreviver ao urânio empobrecido do Kosovo e às chatices dos tipos do UÇK (sim, ele era mesmo soldado destacado para aquela zona), o tipo deve estar bem protegido atrás de toda a platina e dos prémios que ganhou com os seus insuportáveis “you´re beautiful”.

  3. Eu iria para uma solução um pouco mais radical – retirar, eliminar, arrancar, desfazer todos os écrans. Devolverem-nos o sossego da espera, o olharmos (ou não) uns para os outros, fazermos o sudoku, as palavras cruzadas, os tpc’s. Ou nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *