Sim, Costa imita Sócrates

O PS não irá perder um só voto por causa do SMS de Costa a João Vieira Pereira. Por exemplo, não irá perder o meu, que já está perdido faz tempo. Iremos todos esquecer o disparate dentro de pouco tempo. Mas o que aconteceu não foi um episódio irrelevante. Trata-se da exibição de uma insensatez burlesca face ao que estava em causa no texto supostamente visado (caso seja só isso) e, em especial, ao que está em causa nas consequências morais daquele acto. É que o grau de escrutínio de um candidato a primeiro-ministro, para mais a poucos meses das eleições, é máximo e implacável.

Que pretendia Costa com aquilo? Esta é a pergunta a fazer. Que raio de resposta pretendia obter de forma a que considerasse ter sido reposta a justiça? Estaria à espera de um pedido de desculpas? Ficaria satisfeito com o absoluto silêncio por parte do destinatário? Contava receber um convite para almoçarem juntos e fazerem as pazes com uma bacalhauzada? A situação é demasiado estúpida, e, nesse sentido, alarmante.

Questão diferente é a de saber se tal reacção configura algum tipo de pressão ilegítima sobre o visado. E aí estamos no campo da simplicidade: só pulhas dirão que sim. É o próprio exagero da atitude de Costa, numa matéria estritamente de opinião e não de informação, a colocá-lo numa fragilidade que pode ser explorada de várias formas. A sua indignação saiu-lhe impetuosa, e por isso ingénua e mesmo galharda. João Vieira Pereira optou por atacar, expondo e explorando num registo de vitimização a oportunidade. Também não haverá por aí nada de ilegítimo, apenas de moral. É moralmente desagradável, para um certo tipo de público, estar a ver bater em fracos. E Costa é o fraco desta história.

Isto lembra outro episódio famoso e análogo, da responsabilidade de Henrique Monteiro, quando este foi para a Comissão Parlamentar de Ética, em 2010, fazer queixinhas de Sócrates. E contou com os detalhes que lhe apeteceu contar o que se tinha passado: Sócrates, na noite de 29 para 30 de Março de 2007, ligou-lhe para tentar convencê-lo a não publicar uma notícia sobre a sua licenciatura na Universidade Independente. Nesse telefonema, Sócrates emitiu “berros exaltados”. Quanto tempo demorou o telefonema? “Horas”, revelou Monteiro aos deputados. E como é que os dois se tratavam à época? Por tu. E qual foi o desfecho desse telefonema? O Expresso publicou a notícia. Quer-se dizer: dois tipos que se conhecem há vários anos, que privaram em variadas ocasiões, falaram um com o outro sobre um assunto do interesse de ambos e nessa conversa deram vazão, ou um deles deu, a estados emocionais mais intensos. No final, aquele que tentou convencer o outro saiu derrotado.

Monteiro afiançou na altura que as horas nocturnas de cavaqueira configuravam um caso de pressão ilegítima. Daí para cá, sempre que fala no assunto, só lhe falta chorar ao recordar o atroz sofrimento desse ordálio. Para mim, contudo, o que vejo de grave, gravíssimo, na ocorrência é a constatação de que Sócrates, então primeiro-ministro, dispunha de horas para estar ao telefone com o Monteiro e acreditava que essa auto-humilhação pudesse chegar para que o Expresso não alimentasse uma difamação ou calúnia. Tal parece-me veramente extraordinário e merecedor do mais visceral repúdio. Que desilusão, Sócrates…

40 thoughts on “Sim, Costa imita Sócrates”

  1. António Costa que, como Sócrates é filho de boa gente, usando a liberdade de expressão (não são só os jornalistas que têm direito a ela), respondeu, e bem, ao artigo mal intencionado de João Vieira Pereita. Ó Valupi, o que é que lhe aconteceu?

  2. É verdade que Sócrates sempre reagiu aos ataques mal intencionados dos jornalistas. É assim tão errado que António Costa ou qualquer outro legitimamente o imite nesse aspectro? O que é que lhe aconteceu, Valupi?

  3. Se me permite, Valupi, o seu voto, que diz não ir para o PS, vai para onde? É que o seu voto, como todos os demais, é importante. Para o País, naturalmente.

  4. Manojas, o que é que me aconteceu? Aconteceu-me pensar. Quanto ao meu voto, ainda não sei para onde irá porque desconheço, neste momento, quais serão os partidos concorrentes e quais as suas propostas.

  5. Todo o jornal tem a sua Manuela Moura Guedes. Triste é ver as escolhas políticas da nação serem afectadas por esses cinismos.

  6. o Costa gosta de usar o pacote das sms gratuitas, está visto. o Costa gosta de se humilhar gratuitamente. o resultado é que não houve bacalhau – só a espinha.:-)

  7. passei cá por engano e vejo que continuas o mesmo.

    de vez enquanto abre a janela para entrar ar.

    e sim, bebi um “mata-bicho” logo de manhã, não se conheces, aquele bagaço do Minho…

  8. Na coligação não acredito, no PS já disse que não, e os outros não querem governar, e mesmo que quizessem… Enfim, um trilema. A solução é repensar tudo de novo.

  9. o que faz confusão é o costa não saber que vai ter não só o irrelevante jvpereira contra ele mas toda a impresa, toda a cofina e todos os jornais dos angolanos. é isso com que tem de contar e é contra esses que também tem de se bater (além do ppd/cds, do cavaco e dos esquerdalhos aliados desta direita). é muito? é! mas aí é que se vai ver se tem tomates ou se é só o socras que os tem.

  10. “Manojas, o que é que me aconteceu? Aconteceu-me pensar. Quanto ao meu voto, ainda não sei para onde irá porque desconheço, neste momento, quais serão os partidos concorrentes e quais as suas propostas.”

    eheheh… ganda dúvida metódica, não vão os direitolos concorrer com um pugrama mais social que o dos socialistas, como fizeram nas eleições anteriores.

  11. Como estamos na República dos ditos populares, os eleitores
    entenderão que António Costa só quiz mostrar ao cronista a
    sua atenção pelas insinuações que este usou na sua urdidura!
    Eles continuam a querer fazer política atacando o carácter dos
    adversários é nisto que está o “rendilhado” do tal profissional
    da comunicação social!
    Se for adoptado o dito usado pelo Mourinho que deixou os in-
    glêses à beira de um ataque de nervos para o entender, fica-se
    sujeito a cair no outro “quem cala consente”, toca a picar !!!

  12. Hum, ó IGNORANTEZES, ide, ide! Ide, também, vós, na esteira do chefe do dispensário. Pensai. Pelo menos tentai pensar. Notem que se vos decidirdes por pensar, podereis enfrentar a dura prova da dor de cabeça, pelas conclusões duras a que chegareis. Concluireis que fostes básicos, ceguetas, carneiros, robotizados, enfim, tudo isso que chamais aos que ironizam convosco através de nicknames adotados para o efeito.

    Calma, isso, não quer dizer que alguns artistas da direita, também eles políticos carreiristas, não devam ser objeto de ponderação, mas ó pessoal, nem Nossa Senhora gosta de esquerda, p.e comunistas ou seus derivados, como os Xuxas.

  13. J. Madeira, puro genio, ja pensou mandar o CV para a SIC para se apresentar como comentador politico? Nao ha la muitos com tao bom rasgo, que consigam opinar sem ler o artigo de opiniao em referencia e berlaitar que “os eleitores entenderão que António Costa só quiz mostrar ao cronista a sua atenção pelas insinuações que este usou na sua urdidura”.

    A PIDE tambem fazia dessas, sempre atenta, pronta a puxar as orelhas aos portugueses menos conformes com o pensamento vencedor da altura. Quando eles reincidiam, ate os mandavam para colonias de ferias, onde practicavam de forma intensiva meditacao correctiva.

    Isto nao haja duvida que a esquerda tem outro estatuto e uma clara superioridade moral.

    Deixem-me louvar tamanha demonstracao de democracia e pedagogia do Camarada Chamucas. Antes de escrever um artigo de opiniao, ou meter um processo em tribunal, sai um SMS privado a lembrar o dever de respeitinho ao partido do Punho Erguido.

    Ele, o Chamucas, so queria desta forma reiterar o irrevogavel direito de opiniao, sublinhar a importancia da inalienavel liberdade de expressao junto do subdirector do Expresso.

    De facto, o Camarada Chamucas parece decalcado do Camarada 44, esse que ja havia aprendido muito com as melhores practicas na gestao da imprensa que se promovem na Coreia do Norte e da Russia de Estaline.

    Avante

  14. continuo sem ver a relevância do sms e perceber qual o problema do costa responder à letra a um imbecil queixinhas que debitou opiniães toscas sobre matérias que não entende corno. quando muito pecou por excesso, deveria ter encomendado o trabalho à senhora da limpeza do palácio foz que teria respondido eficazmente com uma esfregona no trombil do provocador merdoso. já agora era melhor que um jornalista escrevesse a merda que lhe apetece e que os visados ficassem em silêncio, conceito de liberdade via única que a direita pratica. quem anda à chuva molha-se, este levou nos cornos e não gostou, vá fazer queixa à vidaleira, peça uma audiência ao bolicoise ou apresente reclamação no tedh.

  15. liberdade era quando o relvas telefonava a uma jornalista e a ameaçava revelar com quem é que ela dormia se escrevesse coisas que não lhe agradassem.

  16. E tao giro ver a flexibilidade com que a esquerda lida com direitos constitucionais.

    “já agora era melhor que um jornalista escrevesse a merda que lhe apetece e que os visados ficassem em silêncio”

    ” quem anda à chuva molha-se, este levou nos cornos e não gostou, ”

    Quem se mete com o PS, leva.

    Banco de comunas ressabiados , so nao votam no PCP porque o PCP nao garante tachos e nao esta dominado por esquemas massivos de corrupcao como o PS que permitem o enriquecimento rapido do pessoal do CARTAO.

  17. Ó FERRAcolho, tu lá sabes, papagueias mas em tom de cravo ( pensas tu, pá, que adulteraste a beleza do cravo….), o que te mandam papaguear. Então, também contribuíste para o combustível da avioneta, hum?
    Wow, aquilo deve ter sido um orgasmo…um preso político, um herói. Fogo, ainda há-de ser presidente de qualquer coisa. pá.

  18. ♪♪ papagaio loiro de bico dourado ♪♪
    ♪♪ nao olhes agora, o JPFerra esta de quatro a ser entalado ♪♪

  19. FERRAcollho, dobra a língua quando tentares reproduzires aquilo em que não acreditas ó HEREGE. Deves gostar muito do quentinho, hum, para já, sabemos que gostas de vermelho…e se calhar de cornichos na forehead.

  20. Valupi cada vez mais enverga sem pudor as máscaras da desfaçatez sem vergonha; imbricado na procura de uma ética de valores absolutos e dada a impossibilidade de os visionar quanto mais os alcançar perdeu o rumo da realidade e parece um rei Édipo perdido de razão, enlouquecido, sem saber o que lhe acontece e porquê.
    Quer imitar os pré-socráticos e Platão na procura da “essência das coisas”, “do valor em si dos conceitos”, na senda dos valores absolutos da ética e da moral os quais quer ver aplicados aos valores mundanos da sociedade política.
    Ainda há pouco tempo colocava em dúvida, e bem, a justiça aplicada pelos nossos juízes que são, como se sabe e está instituido, os guardas que ninguém guarda, os que prendem e ninguém pode prender, os que condenam e ninguém pode condenar, os que têm a última palavra; agora salta em defesa de jornalistas e jornalismo que, tal como os magistrados, se autorgam os únicos com direito a liberdade de expressão.
    E como o valupi só atende a valores absolutos e definitivos logo adianta que responder a ataques de jornalistas é irremediavelmente caso perdido e eu pergunto, i) se se não deve responder nunca a uma opinião pulha de um jornalista dá-se de antemão que o jornalista tem razão sempre em tudo, ii) e deste modo, aceitando de antemão e sempre a razão do jornalista, este tem em sua mão um poder de opinião absoluto que sendo inatacável tenderá a tornar-se a verdade absoluta dando ao jornalista e jornalismo o poder absoluto de fazer e moldar opinião, iii) por meio de que astrologia sabe valupi que ripostar da mesma forma que o atirador é sempre uma causa perdida? E se, de um momento para o outro, todos políticos sérios honestos, como A. Costa e Sócrates e outros que ainda há, respondessem à letra aos jornalistas trafulhas e vendidos cuja “liberdade de expressão” vendeu ou vende a quem dá mais (e é pelo alto valor desta eventual venda que jornalistas querem à viva força ser os monopolistas dessa tal liberdade.
    Valupi, entrega o voto a quem quiseres mas, por favor, deixa de fazer chantagem com o teu voto, para mais que é um voto apenas e os milhões de portugueses que não se perdem em masturbações anti-Costa e anti-Sócrates ou com efabulações de princípios e ideias absolutas, saberão onde votar conscientemente segundo os padrões da pragmática política e situação social existente.

  21. Isto da crise e uma tragedia, as pessoas ja nao tem dinheiro para os comprimidos e depois da nisto:

    “E se, de um momento para o outro, todos políticos sérios honestos, como A. Costa e Sócrates”

    AHAHAHAH

  22. Nos idos tempos da PIDE, do serviço militar obrigatório, um básico era
    um mancebo incorporado no Exército que não sabia ler, quanto mais
    escrever, não passava a pronto mas, era mobilizado para as colónias com
    a referida designação de básico! Era pau para toda a obra, desde ajudar
    na cozinha, limpar as botas dos oficiais, etc., no Batalhão a que pertenci
    os milicianos eram convocados a dar as aulas regimentais onde alguns
    desses básicos aprenderam a conhecer as letras e os números … o que,
    lhes foi muito útil para a sua vida cívil!
    Voltei a encontrar um basico que, escreve umas larachas mas, não tem
    um mínimo de originalidade, aqui neste “Blog” aberto às mais diversas
    correntes de opinião mas, o basico a todos “cumprimenta” porque será?
    Será uma missão de serviço, como arrastadeira do gabinete do relvas e,
    assim ganha a sua vida ???

  23. quais princípios e ideias absolutas?! o Val pôs a sua pesporrência ao relento pra ver donde sopra o vento e depois diz que se pôs a pensar.
    e desculpa lá, trazer à colação o Sócrates é coisa de putas ranhosas. larga o binho, pá!

  24. ignatzia, não resisto a recomendar-te com urgência que voltes para a primária. A iliteracia tem cura, não te esqueças disto e procura ajuda.

  25. o tempo é o que de mais precioso podemos dar a alguém, Ignatzia. que o mereça.
    se chegares a alguma conclusão, deixa-me saber. :-)

  26. Regressei com muito gosto à primária e voltei a ler o teu texto com mais atenção, tendo chegado à conclusão que a tua pesporrência é legítima, porém, moralmente “desagradável”. Eu também não gosto de ver alguém bater em “fracos”.
    Deves saber que imitar é sempre kitsch e não me parece que o Costa dê o flanco para essas bandas. Já o mesmo não posso dizer de ti e do Monteiro que, juntos, fazem um belo par de jarras.

  27. FERRAcolho, de tão herege que és nem te apercebes do conteúdo que escreves, não obstante reconheceres que nada tens a dizer. Como te encostas muito aos sites, procura bem aqueles que possam te auxiliar na matéria com que te divertes. Se procurares bem e bem te empenhares na leitura, verás que a tua cor política não é apreciada por aqueles que dos céus podem «bombardear» os visados. E se LERES bem verás, também, que são as alminhas como tu que são as visadas. Na verdade, a teimosia de coisas como tu, leva-as a encontrar-se num sítio muito quentinho, com cornichos à mistura para marrarem uns com os outros e quedarem-se pelo reino das trevas – o teu. E, já agora, quando algo vem de cima, crê que nunca erra o alvo – vai direitinho à alminha tresmalhada que vai desta para pior. Não há probabilidades – é que os de cima não se entretêm com eletrónicas que podem avariar no caminho…

  28. Valupi é homem do absoluto. Faz falta mas deve ler-se com filtro.
    É que no mundo real só há o relativo, o contingente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.