Perguntas simples

Quanta e quão fria racionalidade é necessário ter para conseguir explorar politicamente mortos, feridos e bens perdidos tragicamente – num dos mais sofisticados exercícios de manipulação emocional e afectiva que alguma vez vimos um Presidente da República a fazer?

13 comentários a “Perguntas simples”

  1. Morais Blanco ex assessor de Cavaco Silva, deixou bem claro numa entrevista ao
    semanário do militante nº1 que, o prof Marcelo é um político muito racional e frio
    logo, pelo excesso de exposição é legítimo pensar que estamos perante um qual-
    quer “show-off” que, roça o populismo mais rasca até pelo olhar para a câmara!!!

  2. ou por outro lado quanta irracionalidade e falta de calma é preciso ter para achar que o governo não fez nada de mal antes durante e depois dos enormes incêndios ou que a culpa de terem dito ao marcelo o que iam fazer é dele?

  3. A resposta obtém-se examinando a longa e exemplar carreira de comentador televisivo da personagem em questão. E, cautela, que a procissão ainda vai no adro.

  4. Em tempos (salvo erro foi em “A Queda de Berlim-1945” de Antony Beevor, mas não tenho a certeza) li uma curiosa descrição, feita pelos soviéticos, dos partizans comunistas alemães que os apoiavam no caminho para Berlim. Era qualquer coisa como “os camaradas alemães são demasiado honestos. Se for necessário assaltam um comboio, mas antes passam pela bilheteira para comprar o bilhete”.
    Com Marcelo passa-se algo de semelhante: Marcelo é capaz de mostrar as suas emoções, os seus sentimentos e afetos, mas primeiro calcula com rigor e minúcia os ganhos e perdas políticos, próprios e alheios.

  5. A geringonça foi posta em a nu, estavam a preparar-se para assobiar para o lado.
    Talvez a maior catástrofe natural, nacional, e que se não houver medidas, pode repetir-se, e queriam passar ao lado como se fosse mais uma partida de futebol.
    Desgraçados!

  6. Grande presidente da República. Dá voz a quem se não fosse ele, era varrido pra debaixo do tapete à primeira oportunidade.
    Pensam que os eleitores votam como vocês, com a pala do cartão partidário a cegá-los?
    Atirem-se ao homem atirem-se, vão ver no que dá.

  7. “As Bombinhas da Catrina” soltou a língua para a verdade ao chamar aos recentes fogos “talvez a maior catástrofe natural, nacional…” e depois contradiz-se ao exigir medidas para que não se repitam essas catástrofes. Ora as catástrofes naturais são causas de força maior que ninguém pode impedir mas tão só minorar.
    Pois estamos quase quase perante uma nova catástrofe natural: a natureza de Marcelo.

  8. Querem uma catástrofe nacional muito maior que a dos incêndios, e que aumenta a todas as horas?
    -Os mortos e feridos em acidentes de trânsito,este ano já ultrapassam os 500 mortos!
    E de quem é a culpa ? E o que diz Marcelo? E o que diz o Governo?
    Paleios de jornalistas destituídos não chegam aos Céus ! Enterremos os mortos e cuidemos dos vivos,quem vive de dichotes que os mastigue e engula.
    ,

  9. Resposta simples:

    Marcelo Sousa é igual ao aborígene do Poço de Boliqueime, só que na vertente culta, inteligente e pragmática sem o rancor montanheiro que tolhia o seu antecessor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *