Perguntas simples

Paulo Azevedo ainda não teve tempo para se recordar se realmente tentou ficar feito com o Estado para conseguir fazer um negócio? É que já passaram 48 horas.

8 comentários a “Perguntas simples”

  1. O Azevedo veio trazer à vista de todos a sua deformação sobre o que são
    negócios, não gostou da neutralidade do Estado perdeu a venda da VIVO
    por tuta e meia, não foi directo insinuou … recebeu a devida resposta!!!

  2. Valupi, larga o vinho e deixa-te de fazer figuras infantis como o jpferra ou de papagaio sobre as pouco masculinas “maldosas insinuações” que tanto perturbaram o ex-PM.

  3. ECONOMIA

    Sonae criou 6,2 empregos por dia

    17h00 MARGARIDA CARDOSO

    O maior empregador privado português criou 2265 postos de trabalho em 2016 para responder à dinâmica de crescimento

    _______

    Deixa-me cá pensar, respondo ou não aos senhores José e Valupi e ao senhor Valupi e ao José das maldades como é que estas cenas se fazem sem uma Opazinha? Ou não, se calhar, porque ainda me encho de caridade e acabo por oferecer-lhes um emprego sazonal durante as férias grandes num qualquer armazém não vá aparecer nas caixas do Continente uns quilómetros de “amigos” com Via Verde e a minha querida Sonae passe a dar prejuízo.

    http://images-cdn.impresa.pt/expresso/2017-03-16-Paulo-Azevedo/original/mw-860

  4. O DN e a defesa do ex-PM

    Um antigo jornalista do SOL fez-
    -nos chegar uma curiosa constatação. Diz ele: «E ao terceiro dia,
    o DN nada tem na 1.ª página
    sobre a Operação Marquês. E
    só é possível encontrar um texto do diretor a criticar a acusação». O nosso amigo vai mais
    longe: «Uma pesquisa no site
    deixa concluir que bastante
    mais de metade dos artigos publicados nos últimos dias têm
    como lead críticas, acusações
    e reações de Sócrates e dos
    seus advogados aos desenvolvimentos do processo». Assim
    vai o jornalismo.

    Sol, 18.3.2017, p. 25

  5. Ainda não Valupi ele, certamente, vai deixar para os servos avençados do ‘público’ a resposta em forma disfarçada de “investigação” ou “grande reportagem” assim ao jeito de uns organigramas com miríades de ligações emaranhadas de tudo com todos e todos com tudo à la mode do manholas.
    Os belmiro são anjinhos de origem pois logo depois do golp’opista na casa Magalhães o papá foi logo pagar a bula e confessar-se para ganhar asas e desde então passou a voar entre o céu e a Holanda onde tem a sucursal celestial.

  6. Pois … pois …
    O snr. eng.º proferiu um ataque de tipo domingueiro ( um domingueiro não é forçosamente um diplomado de dia santo, é, para o caso, um indivíduo que geralmente conduz ao domingo a uma velocidade considerada lenta pelos outros condutores ) . É também sinonimo de um ataque alegre, festivo .
    Ora, cadê a prova ?
    Não defende o gerente deste sítio, que num estado de direito, o ónus da prova, impende sobre quem faz uma acusação ?
    Ah, está bem, já sei que isso se aplica preferencialmente a ” vitimas socialistas ” .
    Mais, se é verdade, porque não referiu o ora acusador isso em illo tempore ? Cá está um exemplo de uma acusação domingueira .
    E o sr. Paulo da Choné não tem o direito a remeter-se ao silêncio ?
    É só o sr. engenheiro Santos Generoso e Filantropo da Silva que tem direito a remeter-se ao silêncio ?
    E no caso do Paulo, o silêncio ” fala ” e é significativo, e no caso do eng.° Santos Benfeitor, não é ?
    Eu diria que no caso do Santos, o silêncio é de ouro, isto é, $$$$$$$$ .
    Hehehe …

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *