Partido Nacional Renovador — Um exemplo para todos nós

O PNR comemorou o 10 de Junho com a melhor manifestação política de que tenho memória. Não sei o que foi dito pelos oradores, apenas tomei conhecimento das mensagens exibidas em cartazes; no que é uma redução ao essencial desse evento, devia ir sem explicação. Apesar da simpatia que frases como Viemos todos a pé! Não há €uros para combustível, Querem mais jovens na política? Não nos prendam!, O Multiculturalismo destrói a identidade nacional, Mais desemprego? Porreiro pá!, Bobos e lacaios de Bruxelas?, ASAE encerra o Parlamento e Nós não invadimos esquadras imediatamente despertam, foram as peças onomásticas a conquistar o meu coração. Ver apoiantes de um partido político, seja ele qual for, a erguerem cartazes com os nomes Viriato, D. Afonso Henriques, Camões, Eça de Queiroz e Fernando Pessoa é lindo. É lindo porque a associação política a Viriato pressupõe vastos conhecimentos de etnologia celta e das historiografias romana e grega, por exemplo, já para não falar na faraónica engenharia de teses arqueológicas para ligar a Lusitânia a Portugal. É belo ver a assunção pública da figura de Camões, por implicar apaixonada estima pela sua lírica, quiçá por todo o classicismo, seguramente por algum neoplatonismo. Encanta saber do transporte do nome Eça de Queiroz desde o Largo Camões até aos Restauradores, constituindo-se como tour de force daquilo que será o queirosiano e chiadístico realismo da ficção; onde se começa por cumprimentar Carlos da Maia e se acaba abraçado à Luísa ou à Juliana, é escolher. E temos todos, todos sem excepção — portanto, mesmo todos — de nos render ao iluminado dirigente, ou brilhante militante, que se lembrou de ir buscar o Fernando Pessoa ao baú das psicoses ainda não diagnosticadas, visto ter conseguido introduzir no seio de incautos pró-nazis uma criatura que se alimentou da mais densa mística judaica. Agora — e à medida que o opus pessoano for descoberto, estudado e digerido pelos quadros e apoiantes do partido, como será de esperar que aconteça na sequência do apoio público — poderemos assistir a radicais alterações estratégicas no PNR, e até a fenómenos de histerismo colectivo junto de elementos com mais dificuldade para gerir a mudança.

Por todas estas razões, acrescidas do facto indesmentível de nunca nenhum outro partido, em 34 anos de democracia, ter feito um mísero cartaz que fosse para promover estas figuras da nossa história e cultura, vejo no PNR um exemplo a seguir. A política pede este cabedal científico, académico, intelectual e artístico que os manifestantes manifestaram possuir. Esta gente que ergue acima da sua cabeça cartazes onde se inscreve um nome como Eça de Queiroz, numa postura a um tempo popular e fidalga, desafiando a ubíqua apatia do restante eleitorado, poderá em breve sair à rua com faixas onde se tenham impresso os nomes Jorge de Sena, António Botto, Maria Teresa Horta e Wenceslau de Moraes. Não? Sim, é apenas uma questão de tempo. As sementes já foram lançadas.

__

Nota: também vi um cartaz com a imagem de uma caravela e outro com a de um lobo-ibérico, os quais não me atrevo a comentar, aceitando resignado não ser capaz de entender todos os núcleos ideológicos do PNR.

18 comentários a “Partido Nacional Renovador — Um exemplo para todos nós”

  1. Alguém me explica qual é o interesse de andar a perder tempo com os parvalhões dos Nacionalistas?
    1º -> Os ‘descendentes de Obikwelus’ (e afins) estão com uma evolução demográfica imparável…
    2º -> Os casos do Kosovo, da Quinta da Fonte 2008, etc são exemplares: ao perderem o controlo demográfico da situação… os nacionalistas irão ficar completamente à mercê dos ‘descendentes de Obikwelus’ (e afins)…
    3º -> Quando dominarem demograficamente a situação… acontecerá um Novo Tratado de Tordesilhas [7 de Junho de 1494]: os ‘descendentes de Obikwelus’ [Africanos, Árabes,etc.] irão efectuar, entre si, a divisão/partilha da Europa!
    4º -> É óbvio que as nações europeias já têm encontro marcado com o caixote do lixo da História.

    Nota: O desmoronamento da base sociológica que esteve na sua origem… irá inevitavelmente provocar [só os otários é que não vêem isto] o desmoronamento das nações europeias.

  2. Olá, por meio desta, viemos convidá-lo para uma parceria, nosso site fornece gratuitamente a todos os visitantes topedos sms
    gratis para seguinte operadoras Tim, Vivo, Oi, Claro e Brasil Telecom… Ilimitado…
    Acesse nosso site coloca nosso banner ou form de envio na sua pagina, e colocaremos seu banner na primeira paginas de nosso site.

    http://www.torpedosonline.com/

    T

  3. Valupi,

    Não há nada como a sauna de derisão nos teus balneários turcos, nada de sabões nem shampoos, com o termómetro a rondar os queimosos 80 graus. Só não aprecia estes calores quem nunca experimentou. Os poros alargam-se da cabeça aos pés e deixam sair todas as toxinas do porco e ameijoa que se devora e dos discursos políticos que se lêem. Esta coisa de não termos guelras como os peixes.

    Desta vez, vítimas das tuas coloridas dentadas de moderação só foram os desgraçados peões do Renovador. Quem são estes gajos, não me perguntes, porque não leio as imprensas merdocas, não só desta mas de todas as terras de viriatos, nem sequer durante as feiras e mercados eleitorais.

    Os dísticos, pois serão como dizes, mostram que os rapazes andam descontentes, como aliás anda a maioria – se alguém quizer perder tempo a perguntar entre os mercados e campos de futebol. Só não sei é se alguns deles não andarão a ser pagos pelos que depois os atacam. É sempre bom ter uns inimigos extremistas de reserva. Pelos cartazes, anda ali trabalho esconso de gráfica clandestina ligado a quadrilha especializada em furto de museu de literatura; e pelas carecas, colocadas em bom plano e à mão de semear dos fotógrafos, para não termos dúvida (uma boa fotografia vale dez páginas de texto) são “pro-nazis”, de acordo com o esteriotipo engarrafado da esquerda democrática: diz-me com que nacionalistas andas, dir-te-ei se a tua avó andava a dormir com o Hitler.

    Opus pessoana, opus judiana e maçonana e do templo do grande oriente das castanhas piladas. Vale a pena lamentar que não tivesse aparecido entre os manifestantes um gajo com um retrato do fundador da Tabaqueira para lembrar a tua espada de sarcasmo que certos nacionalistas sabem que há muita vitamina B 3 no cigarro e quase nada na Tabacaria e que certos avisos de que o “tabaco mata” não passam de conversa fiada para nos encherem de alzheimers até à próximas eleições.

    Como o mal não é de agora, de não estranhar, por isso, que o fictício Carlos da Maia tenha largado o Chiado e ido para Paris, para se ver livre da merdita e entrar na merda a valer. Pelo menos lá havia boulevards com fartura e montes de americanos.

  4. Comendador, os sinais acumulam-se a favor da tese que defende seres tu o tal “leitor fiel” do Aspirina. Se for o caso, bem-hajas. Se não for, também.
    __

    pvnam, larga o vinho.
    __

    Joilson, olá o caralho.
    __

    adelaide, ’tá.
    __

    SUBSTANTIA, tens aí vários bons momentos, mas vou eleger o da “vitamina B3” como o melhor. O da “merda a valer” é um forte concorrente, mas perde por não ter tanta frescura. E o “não sei é se alguns deles não andarão a ser pagos pelos que depois os atacam”, sendo um clássico, não pode sequer concorrer. E prontos, é óbvio que a ti ninguém, nunca!, irá apanhar descalço.
    __

    Animal, concordo. E também foi muito foleiro terem esquecido a Amália. Mas eu acho que este PNR só quer é promover escritores. Enfim, são um bando de intelectualóides.

  5. Valupi,

    Aposto que estás no gozo com essa do prémio que ofereceste à B3. OK, chama-lhe outra coisa, ácido nicotínico, por exemplo. Não é por isso que nos vamos zangar.Lembra-te é do perigo que corres por teres privado os pulmões desse delicoso e afrodisíaco nectar.

  6. Ana, eu faço outra pergunta: acabarão a pensar?
    __

    SUBSTANTIA, o ser afrodisíaco é nuvem de fumo, não acredites, e até pelo contrário. A melancia, às talhadas obscenas, isso é que é afrodisíaco.

  7. Fico tocado e sempre enlevado com a ternura que subjaz à Ideologia deste simpático e cândido Partido.

    E muito obrigado ao Valupi por nos relembrar tão bem o óbvio e, mais ainda, por nos alargar os horizontes das referências culturais com nomes que não repitam (se bem que em nada desmereçam como Grandes Portugueses!) as “banalidades” habituais de Aristides de Sousa Mendes, Duo Ouro Negro, Ricardo Chibanga (sim, Tourada é Coltura, na sua vertente popular-rural), Eusébio, Agostinho Neto (Poeta que nasceu português, não o olvideis nunca!…), Deco, Abel Xavier, Oceano, Pepe, ou mesmo Naide Gomes e Obikwelu (sim, que o Desporto de Alta Competição também é Coltura!), Sara Tavares, D. Ximenes Belo…

    Quando, mas quando compreenderá enfim o inculto Povo Português esta missão de sacrifício da nobre e sã mocidade do carinhoso Partido Nacional Renovador em prol da nossa Coltura, desde os primórdios arcaicos até à mais sublime universalidade pós-modernaça?

    Gostei do “poste”, prontos.

  8. O lobo-ibérico terá direito ao imprescindível BI, sem o qual não pode circular em Portugal. As outras raças de lobo terão que se dirigir para outras florestas, países, comer outros capuchinhos vermelhos.

  9. upi,
    eu não tenho nada a ver com isso (d.r.), mas um gajo que come bolachas de água e sal enquanto lê Aspirina merece ser entalado por um lobo ibérico, no mínimo, isto para evitar fantasias com caravelas…

  10. Primo, sempre a considerar-te.
    __

    Marco Alberto Alves, muito obrigado pelo Chibanga, que me traz memórias lá de tão longe.
    __

    sininho, está explicado, então.
    __

    Rui, afinal, sempre pareces ter algo a ver com isso, ou com aquilo.
    __

    Pinto, tens aí uma tese engraçada, embora de inglória defesa.

  11. Só com o PNR nos pode salvar desta miséria estesestrangeiros dão cabo do meu pais que os meus avos lutaram para o fazer tenho orgulho em ser portugues mas com estes imigrantes de merda o pais não avança FORÇA PNR!!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *