Pacheco Pereira a caminho de Damasco

Paulo Pedroso elogiou o Pacheco por causa do texto Impedir abusos, defender direitos, liberdades e garantias é connosco e não com Sócrates, onde, para além da referência ao processo Casa Pia, encontrou uma denúncia dos abusos do Ministério Público sobre Sócrates e demais arguidos na “Operação Marquês”. Abusos que está em condições de compreender por experiência própria. Pedroso viu a sua carreira política, altamente promissora, ficar destruída precisamente por ter sido vítima de uma Justiça onde se praticam recorrentes, sistemáticas e capitosas injustiças.

Ora, o texto do Pacheco nasceu da intervenção de João Nabais no Expresso da Meia Noite no passado dia 17. Esse episódio de indignação foi uma pedrada no charco no marasmo e atrofio cívico dos espectadores que ainda não perderam o respeito por si próprios. Porque Nabais estava rodeado de 5 jornalistas, uma delas armada em advogada para o deboche ser maior, que, por actos e omissões (sim, Nicolau, esta é para ti apesar do tudo que não és), estavam a validar o comportamento criminoso do Ministério Público nas investigações acerca da suspeitada corrupção de Sócrates. E Nabais disse-lhes na cara que a sua cumplicidade com o escândalo em que o processo se transformou desde o seu primeiro momento público (e poderíamos inclusive situar o escândalo muito antes) só se explicava pela obsessão com Sócrates. Uma desvairada obsessão que permite a jornalistas da suposta “imprensa de referência” usarem a sua carteira profissional para mostrarem que sabem mais sobre um dado processo judicial do que os próprios arguidos e sua defesa. Uma obsessão feita de ódio, mas também de sectarismo e dependências várias a vários poderes fácticos, que se celebra a si própria num frenesim de ilegalidades inerentes a um linchamento em curso.

Este diálogo, ao minuto 33, sintetiza a “operação Sócrates” que parte da “imprensa” está a fazer:

Inês Serra Lopes - O importante é que exista uma acusação!

João Nabais - Mas porque é que tem que haver uma acusação?... Pode haver um despacho de arquivamento.

A promiscuidade criminosa do Ministério Público com os órgãos de comunicação social que exploram uma efectiva suspensão do Estado de direito para concretizarem agendas políticas e/ou comerciais tem esta superior finalidade estratégica: levar à aceitação social de uma eventual acusação insuficiente em matéria probatória e, acto contínuo, levar a uma eventual condenação por provas indirectas e clamor público. Perante a evidência, poder político, instituições públicas e sociedade civil têm apoiado com passividades e silêncios cumulativos o auto-de-fé. Porquê? Porque, e por razões fáceis de encontrar, até o PS obtém benefícios neste julgamento e tortura na praça pública que se faz a Sócrates por um colectivo cobarde. Estamos a viver uma inaudita experiência catártica onde os reais ou imaginados crimes de Sócrates deixam de requerer provas porque estão a ser cinzelados como mitos fundadores da nova História. Ele tem de ser sacrificado no altar da nossa submissão aos poderes que não controlamos, sequer sabemos onde habitam, mas que nos entram em casa e na mirrada defesa da liberdade. Reina a anomia na Grei por causa da paixão política por um homem.

O texto do Pacheco é ridículo, patético e mentiroso. Mais um assim, o enésimo, que vende por bom dinheiro. 90% do que escreve não passa da cassete “ele é culpado dos piores crimes, como eu sempre disse”, fazendo coro com os esgotos a céu aberto que fedem na cidade. Pacheco é um fulano que está na política há 40 ou 50 anos, que foi parte integrante e activa do cavaquismo nos seus vários ciclos, e que nunca encontrou mentiras e anomalias suspeitas no pessoal a quem se abraçou e com quem se cruzou. Foi preciso aparecer Sócrates para finalmente se confrontar com a corrupção e males congéneres. O Pacheco, portanto, é um palhaço que ganha a vida no circo que é a indústria da calúnia. Todavia, até este palhaço, mesmo que irónica e involuntariamente, consegue contribuir para a iluminação do que está em causa:

Sócrates hoje está sozinho no seu labirinto. A direita que o louvou como o “social-democrata” do PS, como aquele que tinha “roubado” o programa ao PSD, que andou ali a fazer-lhe a corte nos interesses e na política, agora, certamente por complexo de culpa, vai lá apedrejá-lo como se nada tivesse que ver com o homem. Mais, em vários momentos cruciais, protegeu-o de acusações muito semelhantes àquelas de que hoje lhe faz o Ministério Público.

A tese é a de que Passos e Relvas foram cúmplices de Sócrates quando o sabiam culpado de ilegalidades. Uma tese literalmente maravilhosa, que se explicita a si própria quanto à sua origem mental sem carência de mais palavras. O que realmente importa na citação está nesta oração: “protegeu-o de acusações muito semelhantes àquelas de que hoje lhe faz o Ministério Público.“. Do que fala é do “Face Oculta” e da operação que levou a que se espiasse ilegalmente um primeiro-ministro com vista a abrir um processo judicial contra ele em cima das eleições de 2009. Pois bem, quando o Pacheco repete estas bojardas a troco de dinheiro, e como estrela da política-espectáculo no suposto “jornalismo de referência”, a sua mensagem consiste efectivamente nos seguintes elementos:

– Que Pinto Monteiro e Noronha do Nascimento são ainda mais culpados do que Passos e Relvas, pois sabiam tanto ou mais do que eles e tinham a acrescida responsabilidade de agir no cumprimento do seu dever. Com isto, o Pacheco contribui intencionalmente para espalhar no espaço público uma suspeita conspiracionista cuja lógica é a de levar ao sentimento de que as instituições da República e o Estado de direito ruíram pelo poder diabólico – portanto, inexplicável e indomável – de uma coligação de agentes, uns nomeados e outros apenas subentendidos.

– Que nada se tem de concretizar para atacar Sócrates e terceiros com quem se alucinem ligações de parceria, basta apenas lançar suspeições sem fundamento. O Pacheco repete que tomou conhecimento dos registos da espionagem feita a Sócrates, que eles são “terríveis” e que há muita gente a mentir, mas nunca se foi oferecer ao Ministério Público para os ajudar a apanhar essa malandragem nem sequer permite que se saiba do que está a falar. É pura canalhice.

– Que o “Face Oculta” não tinha matéria que legitimasse a intervenção da Justiça mas chegava para judicializar a política na forma de mais comissões de inquérito e, com sorte, levando a que o Ministério Público abrisse uma investigação, de modo a que então se fizesse a exploração político-mediática e devassa da privacidade que tem sido feita na “Operação Marquês”. O Pacheco parece não ter qualquer consciência de que o combate político a Sócrates pela direita não foi feito no páreo de modelos de sociedade e desenvolvimento económico mas, logo desde 2004 com o Freeport e os boatos de ser homossexual, exclusivamente recorrendo a assassinatos de carácter – os quais tiveram sempre a participação de agentes da Justiça e/ou da comunicação social.

De repente, aparentemente, em Março de 2017, oito anos depois do que andou a fazer e com quem o andou a fazer, o Pacheco começa a dar-se conta de que, talvez, quer-se dizer, vai na volta, isto que se passa com Sócrates no tandem Justiça-indústria da calúnia é capaz, se calhar, talvez, vai na volta, de ser mesmo, ai jasus, uma perseguição política. Talvez.

Já que é notório o teu desequilíbrio em cima do cavalo, Pacheco, só posso desejar que te aleijes na queda.

.

87 thoughts on “Pacheco Pereira a caminho de Damasco”

  1. Nuno Nabais é o irmão, Valupi.
    O sôtor chama-se João.

    [Não precisas de.]

    Frequentas a Fábrica de Braço de Prata, é?
    Ou passas os tempos livres na FLUL?
    Chavalo, um ex-aluno, …?

  2. Muito bem, agora em baixo (é dos nervos, entendo-te).

    Nuno Nabais – Mas porque é que tem que haver uma acusação?… Pode haver um despacho de arquivamento.

  3. Canta, canta que isto está bonito p’ró José Sócrates.

    _____

    Eu ainda ontem vi o grunho do Hugo Soares, do PSD, a fazer um figurão perante o Armando Vara a debitar umas tangas sobre a CGD e sobre os desgraçados do MP que tanto preocupam hoje as traquinices do Miguel Romão, e até deu pena. Deixo-te um extracto do Expresso online, chega.

    {…]

    Hugo Soares, deputado do PSD, insistiu no tema e perguntou a Vara se tinha falado com o antigo primeiro-ministro sobre o banco público enquanto lá trabalhou.

    “Não me lembro de ter falado com o engenheiro Sócrates sobre a CGD, por muito estranho que pareça. Se tivesse falado lembrar-me-ia”, disse o antigo administrador do banco estatal.

    Hugo Soares enfatizou: “Não falou ou não se lembra”, com Vara a insistir que não se lembra.

    “Não se lembra, mas não nega que tenha falado”, anotou o deputado social-democrata.

    Hugo Soares continuou a insistir, questionando: “Lembra-se que há uma dezena de anos almoçou com o Dr. Campos e Cunha no CCB, mas não se lembra de ter falado sobre a CGD com o engenheiro Sócrates. Ninguém acredita que o senhor não se lembra se falou com o engenheiro Sócrates sobre a CGD”.

  4. Oh, Vogal,

    Então não achas normal recordares melhor o que falaste com quem viste duas ou tres vezes na vida do que aquilo que falaste com quem conversas quase todos os dias ?

    Se não achas normal, és ainda mais idiota que o Hugo Soares.

  5. Revisor do pardieiro. Quem podesse, gostaría. Candidatar-me-ei?
    Revisor do pardieiro : que lindo é o português. Com duas palavras enche un mundo, como se galego fosse.

    Revisor, leva-me a infância quando eu dava o revisor o bilhete no autocarro para que ele , o senhor revisor, comprovasse a validade. Hoje no galego está quase perdida a palavra, que tristura.

  6. Alves, vá toma lá a reportagem da RTP 3 que é para não seres parvo (pensa que é possível que os desgraçados do MP se tenham fartado de rir por causa das escutas malditas e encolhido os ombros… e que deve vir aí mais trabalho, é do caraças mas acontece).

    Nota, importante. Chamo a atenção para a gaffe sobre o nome do engenheiro Santos Silva, porra! perdão que afinal é o José Sócrates. Até dá pena, divirtam-se!

    ______

    PSD quer que Ministério Público analise declarações de Vara na comissão à CGD

    23 Mar, 2017, 09:29 | Política

    Aqui, ao vivo e a cores: https://www.rtp.pt/noticias/politica/psd-quer-que-ministerio-publico-analise-declaracoes-de-vara-na-comissao-a-cgd_v990684

    [Até deu pena, já disse isto?]

  7. Adenda: chamo ainda a atenção para o esgar de dor estampado no rosto do João Galamba no final,, que não tinha observado, enquanto coça o cocuruto num sinal de eventual uma qualquer aflição.
    Como quem diz:

    – Foda-se, este gajo, com quem eu me meti!!

  8. ” Já que é notório o teu desequilíbrio em cima do cavalo, Pacheco, só posso desejar que te aleijes na queda.”

    Eu não desejaria ao inimigo o que lhe pode acontecer com o desfecho final do inquérito, o que a verificar-se e tudo indica que sim, é caminho para longa comatose.

    As “tiradas” do aludido Expresso, são as que teem alimentado os defensores populistas de Sócrates, justamente com a intervenção da mediocia jornalistica. Tudo isso tem ajudado Sócrates na praça pública, e ele sabe bem que sim. Ele usa o “veneno jornalístico” a seu favor; porém, esse apoio que acaba por lhe chegar do “povo” não o ajudará em julgamento. Na verdade, só conseguiu extremar posições, designadamente a do MP, que tudo fará para o acusar devidamente.

    Daí que o advogado João Nabais, não tenha mostrado paciência alguma para participar como advogado no diálogo que então se gerava, limitando-se a condenar a morosidade e o peso ou significado das medidas de coação aplicadas no âmbito do processo. Assim acontece porque há muitos aspetos a discutir no caso, que no momento processual que este atravessa, se cingem a aspetos adjetivos, porém, muito importantes, sobretudo em processo penal – onde se detém, se prende e se condena.
    Não há que concluír que o mesmo advogado “provou” o “ódio” do MP a Sócrates. O que ele diz é que atenta a lei de processo penal, e designadamente os prazos legais de inquérito, bem como os princípios que norteiam aquele processo, não se pode condescender com o prolongamento da investigação. Ora há mais um despacho a estender mas sem definir termo da investigação. É isso que é intolerável e não pode admitir-se. Por isso, toda a cacetada ao DCIAP é merecida nesta altura. Que se acuse, então, com base no que há e que se promovam termos ainda que através de apensos. É basicamente o que ele disse ou tentou transmitir. Nesse aspeto, ele pode até estar certo, mas a prática processual pode ser perigosa, até para o arguido, conduzir ao que aconteceu a Vale e Azevedo, sucessivamente arguido, que chegou a ser solto e preso no minuto seguinte.
    Acresce que o mesmo advogado demonstrou desconhecer o processo, daí que muito se tenha admirado que a Sicaleira da jornalista ao lado, se tenha remetido a termos do processo. E isso condenou e muito bem, transmitindo a TRAMPA que a mediocia portuguesa pratica em Portugal, bem ilustrada pelo micael do expresso…
    Portanto, esse é o enquadramento em que deve ser entendida a intervenção daquele advogado.

  9. Não foi a Inês Serra Lopes que arranjou um sósia do Carlos Cruz no Laranjeiro, que acabou por ridicularizar a defesa do pai no processo Casa Pia?

    O PPereira pode odiar a torto e a direito porque sabe que não tem contraditório em lado nenhum. O Coelho é um bronco e anda na Quadratura a sacar o dele, o Costa entronizou a ” visão pachequiana” no Congresso.
    Fica no entanto patente a baixa índole. E não por causa de Sócrates, o homem fala demais quando não deve , seja sobre Zeca Afonso ou qualquer personagem de quem tenha um “segredo” esparso ou informação fragmentada fazendo depois juízos de muito mau gosto. Um senhorito, no meu intimo acho mesmo que é um canalha.

  10. Manolo Heredia
    23 DE MARÇO DE 2017 ÀS 17:54
    Que levais no regaço, senhora?
    São indícios, senhor! e, abrindo o regaço mostrou”

    Indícios de muito, e muito dinheiro para….chupialista…com as condicionantes financeiras que ele alega ter tido…ok?? Pois…
    Para além da vergonha em deixar figurar o seu nome numa loja muito cara (e gay também) numa altura de muita crise em Portugal…ok? Pois…a propósito de ” bem comum” e de deixar os portugueses mais pobres…

  11. Alves Reis
    23 DE MARÇO DE 2017 ÀS 17:29
    Oh, Vogal,

    Então não achas normal recordares melhor o que falaste com quem viste duas ou tres vezes na vida do que aquilo que falaste com quem conversas quase todos os dias ?

    Se não achas normal, és ainda mais idiota que o Hugo Soares.”

    Porque para falar da CGD era preciso um requerimento… e eles só falavam de banalidades…

  12. Posso dizer mais uma coisa jeitosa, Valupi?
    Repara que, até agora, só que o éstrampa comentou verdadeiramente o teu post.
    Depois venham com queixinhas e outras mariquices sobre a necessidade de cartas de alforria, o tanas.

    Mesmo eu não o fiz, porque te li mais uma vez na diagonal.

    ______

    «Não tenho a certeza se a troupe do Aspirina B percebeu alguma coisa, mas azarinho ou azarucho», como diria o outro de ontem e também o sôtor Araújo quando a principio era o verbo.

  13. PP a c. de Damasco.
    Há muito tempo que o autor nos devia este texto magnífico que atesta a perseguição e ódio a José Sócrates por parte da direita com origem na admiração/paixão dum carismático e inteligente político que lhes escapou.
    Já não era sem tempo.
    O Dr. João Nabais de forma simples profissional e competente veio enfiar no lixo as teses propaladas por toda a mírdia de serviço ao m.p.
    Tudo o que se disser a partir de agora sobre o caso terá o filtro rigoroso do Dr. João Nabais.
    p.p. é sem dúvida um canalha que sabe bem o efeito da sua canalhice.
    Um dia escreverá um livro a contradizer-se.
    Será um best seller
    A quadratura é um imenso fastio de cumplicidades remuneradas.

  14. Por falar na quadratura, mas também em quadrúpedes e quadrados e noutras formas geométricas e para acabar o dia, olá primaveraverão.

    «A quadratura é um imenso fastio de cumplicidades remuneradas», pode ser mas esta foi à borla ou quase porque custam 1 euro e 49 os cinco litros.

    [Fui.]

  15. Exactissimamente.
    Pacheco foi do pior que houve no cavaquismo e é hoje em dia do piorio intelectual que há no Portugal de agora. Esta nulidade política (ver o descabelado apoio a durão na guerra do Iraque) que mercadejou sempre com cavaco e durão lugares de cadeirão dourado no cavaquistão, no fundo, não passa de alguém que passa a vida a enganar-se ou a, literariamente, andar a falar dos indefinidos conteúdos que há nas bolas de sabão. E o que é espantoso é que alguns portugueses inteligentes (sê-lo-âo mesmo?) dão-lhe tal valor à prosa que nem reparam na nulidade dos conteúdos.
    O pacheco, tal como cavaco, passos e especialmente portas são uns autoconvencidos que passam a vida a gozar connosco por meio de palavreado de trocadilhos baratos que mais não são que baba ranhosa com que se fazem passar por espertos. O problema é que não são espertos mas sim corruptos que, enquanto nos vendem palavras, slogans e medos, tratam de arranjinhos para gozo da sua vidinha futura.
    E o pacheco é dos piores porque é o que, não arriscando meter a mão directamente no pote também se lambusa nele ao mesmo tempo que vende uma imagem de virgem impoluta no qual o povo, impensadamente, acredita e por isso o pacheco é do mais perigoso que há para os portugueses porque é também o que melhor engana os portugueses.
    O caso “Sócrates” tornou-se uma paranóia colectiva de Portugal. A maioria das elites que enformam os poderes de Estado, política, jurídica, legislativa e a reboque o poder da liberdade de imprensa, estão enterrados até ao pescoço em processos trafulhas de grandes e pequenas corrupções. Esta elites corruptas vivem em pânico de serem apanhadas e que os reais factos vejam um dia a luz na imprensa perante a estupefacção do povo enganado e exaltado contra tamanho jogo de enganos.
    Só um exemplo deste jogo de enganos; nesse “Expresso da Meia Noite” com o João Nabais estava, nem mais nem menos, que uma dita jornalista ou lá que raio de coisa é essa putéfia de merda gorducha, que já foi condenada por, precisamente, ter inventado mentiras no jornal que dirigia para favorecer o pai, na altura, advogado do Carlos Cruz no caso de pedofilia.
    Que raio de credibilidade tem tal pessoa para continuar a botar opinião num caso, como dizem, de “extrema complexidade”? Claro, era e são as opiniões convenientes para o jogo de enganos das elites corruptas.
    E, claro, a paranóia de transferência forçada de culpa dos até aqui ocultados grandes e verdadeiros corruptos, (ver casos de portas, durão, duate lima, relvas, dias loureiro, todo o avantajado e elevado staff do “alto cavaquistão” e agora o descarado núncio), econtrou em “Sócrates” o caso ideal para fazer a catarse nacional. E porquê Socrates? Precisamente porque Sócrates não se encaixa no politicamento correcto dominante e por conseguinte ainda menos no jogo de enganos que encobrem a grande corrupção das elites. O carácter visionário de Sócrates de querer tansformar Portugal de lés-a-lés sem ir ao beija mão dos DDT ou sequer alinhar ou jogar com meios corruptos para actuar por métodos corruptos fez do homem o bode expiatório ideal. A diferença de carácter e comportamentos sem pedir favores às elites corruptas e fora da vulgaridade do homem comum foi o móbil ideal para a bandidagem corrupta o apontar ao pagode e o transformar em blasfemo do deus instituido, a corrupção.
    Feito esse trabalho sujo de o transformar, junto da opinião pública, de culpado de todos os males da Nação ou de diabo do mal . Que é, precisamente, condená-lo seja de que modo for. Condenado no tribunal da opinião de tasca e pequenos corruptos vendidos já está.
    Falta a fase final que é a imolação, simbólicamente, claro, porque a pompa da encenação do castigo divino dos autos-de-fé no altar da pátria já não enganam ninguém.
    Mas o obscurantismo é o mesmo.

  16. O Dr. João Nabais de forma simples profissional e competente veio enfiar no lixo as teses propaladas por toda a mírdia de serviço ao m.p.”

    É..È, também te enfiava a ti no lixo se te conhecesse…

    que gente esta!!!

  17. oclocracia oclocracia oclocracia oclocracia…..que palavra tão interessante : qualquer semelhança com a realidade não é coincidência :( :(

  18. Não te deixes enganar, Valupi.

    Nem o José Neves anda a enfrascar canecas de chá para combater os sintomas da doença de Alzheimer, nem escreveu este comentário agorinha em tempo real e ainda está quentinho e estaladiço.

    Ou seja, especulo que isto deverá fazer parte do naperon que ele anda a bordejar longamente e que lhe preenchem as noites de insónia (tal como viemos a descobrir que sucede com o Joaquim Ca-Burro, pois o tipo sofre do mesmo mal). O que também tem a sua graça, ou bastante.

    Nota. O José Pacheco Pereira deve divertir-se à grande contigo e com o senhor, eu divertia-me e dava um olá ou um olé.

    ______

    Vi ali o Pacheco Pereira, o Cavaco Silva e o Carlos Cruz e, claro, o José Sócrates de génese filosófica. Ora, tanta fruta é demais e nada bate certo.

    Quais são os sintomas?
    Nas fases iniciais, os sintomas da Doença de Alzheimer podem ser muito subtis. Todavia, começam frequentemente por lapsos de memória e dificuldade em encontrar as palavras certas para objetos do quotidiano. Estes sintomas agravam-se à medida que as células cerebrais vão morrendo e a comunicação entre estas fica alterada.

    Outros sintomas característicos:

    – Dificuldades de memória persistentes e frequentes, especialmente de acontecimentos recentes;
    – Apresentar um discurso vago durante as conversações;
    – Perder entusiasmo na realização de atividades, anteriormente apreciadas;
    – Demorar mais tempo na realização de atividades de rotina;
    – Esquecer-se de pessoas ou lugares conhecidos;
    – Incapacidade para compreender questões e instruções;
    – Deterioração de competências sociais;
    – Imprevisibilidade emocional.

  19. este parágrafo é lindo e muito ilustrativo :

    “Es común que dicha situación pueda estar promovida por la influencia de intereses. Ilustres pensadores como Aristóteles, Pericles, Giovanni Sartori, Juvenal, Shakespeare, Lope de Vega, Ortega y Gasset o Tocqueville han advertido de un permanente peligro para la democracia popular: el interés de los oclócratas que ejercen el poder para hacerla degenerar en oclocracia con el objetivo de mantener dicho poder de forma corrupta, buscando una ilusoria legitimidad en el sector más ignorante de la sociedad, hacia el cual vuelcan todos sus esfuerzos propagandísticos y manipuladores. ”

    como eles adoram as vacas sagradas república e democracia representativa a.k.a. corruptiva. e como odeiam a Justiça quando se tenta fazer qualquer coisa contra os oclócratas .

  20. Pois, Pacheco Pereira pode ir a caminho de Damasco, mas não vai pela estrada. Vai de helicóptero que é mais cool.

  21. José Neves, dá-lhe nas ervas mas não abuses (e não ligues às cenas do aeiou nem do Sóbebo Anis, uns engraçadistas).

  22. primaveraverão
    23 DE MARÇO DE 2017 ÀS 20:49
    Jose Neves :
    – Exactissimamente. Soberbo.

    primaveraverão, larga as pedras e não chames mais por mim que eu não te atendo.

  23. Não vai haver analgésicos para estas pessoas, nem máscaras que lhes esconda a careta. Meus caros, a porrada do MP vai ser forte, ai se vai, ai se vai…

    E Angola, de repente, deixou de ser o paraíso dos diamantes, era só negócios por lá…e aviões e avionetas, aquilo era muito luxo, muito luxo, mas era mesmo muito luxo. Ah…aposto que também havia limusines, e que Monsieur Sócrates comeu uma daqueles gourmet dishes com ouro…muito fino, uma délicatesse vraiment chique, alors…yawn…

  24. O perito dos cagalhões bem que podia esclarecer como é que será um cagalhão de um tipo que come um prato temperado com ouro…Ó fonseca já pensaste numa étar com os cócós de Sócrates, Duarte Lima, Zeinal Bava.etc..

    Não incluo o Perna porque não tem cara de expelir Ouro, mas atenção aos badalhocos que aqui assinam presença, podem explorar um novo nicho de mercado…o ouro entra e sai não? Hum?

  25. Também há um grupo de calculistas e oportunistas como os do eixo-do-mal e outros académicos tipo mexia, adão qualquer coisa e outros que, tendo os tempos de desgraça para o povo começado a serem rentáveis para eles comentadores de cu permanentemente assente nos cadeirões bem pagos das TVs, se hipotecaram ao rentismo de opinadores pau para toda a obra e rapidamente se tranformaram em os grandes xoninhas empatas.
    São estes os que querendo servir dois amos ao mesmo tempo para não perder migalha de euro dos donos de momento já preparam, calculisticamente, o seu servilismo perante os donos de futuro, e assim usam argumentos de mestres pensadores altamente intelectuais e de enormidades lógicas racionais que até Aristóteles cora de vergonha ao constatar não ter descoberto coisa tão evidente, como: “o pôs-se a jeito” ou “aquela estranha relação com o amigo” ou “aquela estranha relação com o dinheiro” e outras grandes estranhadelas que tais pimpões alvitram como se o facto de achar estranho algo configure um crime e não o ser diferente da vulgaridade que eles são.
    E há os engraçadistas, sim. Também estes fazem os mesmos raciocínios de putas finas que vivem de fazer “montagem” video com os políticos, vivendo à sua custa, e depois culpam a política de todos os males do país para agradar aos seus broncos ouvintes e admiradores mesmo quando universitários. Alguns até fazem de bobos palhaços de empresas privadas e se vão tornando, politicamente, inversamente proporcionais aos chorudos contratos que os donos lhes pagam. O pacheco já fez a defesa do jornalismo de esgoto “cm” porque este também lhe paga através da “sábado”, provavelmente iremos ver muito engraçadista fazer o mesmo perante o mesmo engodo que depois escondem sob a capa do profissionalismo.
    Aliás, pacheco, olhando bem o seu passado não deixa de ser um grande engraçadista que veio da esquerda(m-l) para bater com o focinho na trampa ideológica(c-s), cacaco silva.
    Querem maior engraçadismo político que esta pureza teórica de pacheco!

  26. Manos, vocês não batem mesmo bem da tola. Entretêm-se com detalhes, é o que é. Com detalhes e a malhar no ex-articulista do saudoso Povo Livre dos idos dos consulados cavaquistas como se não houvesse amanhã, como se este semi-intelectual, semi-arrependido, fosse ainda o mesmo manipulador nato da imprensa do final do século passado, a mando do seu títere de serviço à época (chiu, é segredo). Ao menos, valha-nos isso, agora o gajo anda redimir-se, o gajo agora até que disse alguma coisa de jeito, porra!

  27. V. não consegue distinguir que Pacheco não muda nada no tocante a S.
    Pacheco não defende S, apenas ataca o MP .
    Está na moda . E quando os temas candidatos a artigos já estão muito batidos, há que variar.
    Tretas .
    Não pode acontecer com nenhum de nós pela simples razão de que nada fizemos para que aconteça .
    S. , pelo contrário, politicamente deu cabo de um País, e só por isso, merecia ser exemplarmente punido . Nunca o será, infelizmente .
    A mim, ficou-me cara, a governação socialista negra . Desde o pagamento, por forma indirecta, de estádios de futebol, até à mitigação das poupanças de muitos anos . Eram coisas de ricos, os certificados de aforro, no dizer do imbecil ministro das centenas de S.
    Daí, da drástica redução da remuneração atribuída, até à extinção pura e simples de sucessivas séries, foi um paso de pardal . Era uma cilada . Na realidade, destinava-se a escorraçar os aforradores, para os braços dos bancos, os quais, já na altura, ou estavam já altamente descapitalizados, ou já estavam mesmo falidos . E agora vêm-nos dizer que nada sabiam …
    Quem sabia também, e muito, eram os serviços secretos . Que podem ser uma fonte de fugas de informação. E eu recordo-me de ver, pelo menos uma foto, em que S. é apanhado por um fotografo a sair de um restaurante, dos da moda, claro, acompanhado de um tal B., titular de um desses serviços. Foi, certamente por puro acaso, que muitos dos serviços de intelligence, passaram a depender na altura, da tutela, do PM …
    Não, não se prende em Portugal, para investigar . Prende-se, para continuar a investigar .
    E por mim, acho que S., está preso nas malhas que teceu …

  28. oooh pimpampunhet,

    o socrates eleito PM em 2005 é o responsável pelos estádios de futebol do euro 2004?
    vai má loja!

  29. “gajo que”….. da wiki , sobre zézito :

    “Foi secretário-geral do Partido Socialista, de setembro de 2004 a julho de 2011 e primeiro-ministro de Portugal de 12 de março de 2005 a 21 de junho de 2011. Além desses postos, José Sócrates foi secretário de estado-adjunto do Ministério do Ambiente e Ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território no governo de António Guterres, e um dos organizadores do campeonato de futebol UEFA Euro 2004 em Portugal.

    portanto , é coresponsável , é , é. e de tudo o mais que o Pimpampum elenca.

  30. O Pimpampunhetas tem toda a razao, o que nao faltou foram manifestacoes contra do euro e todos os partidos no parlamento a votar contra os estadios e a pedir a sua demolicao, excepto os socialistas do Socrates.

  31. Pois pois “és merda”:
    “Na verdade, só conseguiu extremar posições, designadamente a do MP, que tudo fará para o acusar devidamente.”
    E a gente não sabe disso? Então o episódio da pulseira electrónica que ele recusou ?
    Temos uma justiça de MERDA este é o termo.
    Quem deve dar o exemplo de serenidade não o dá e mostra-se VINGATIVO para com os cidadãos não é digno de fazer coisa nenhuma.
    Deus nos livre desta gente, estamos pior que no tempo da inquisição.
    JUSTIÇA é o que se pretende não VINGANÇA.

  32. Iganzats, foste à molly outra vez, hum? Foste? hematomas na mão é? E a bolha no mindinho confundiu-te, hum? Ressaca é do pior…

  33. és tão fraquinho pá, pelo teor da tua escrita se vê o teu nível, foste abusado em pequenino? só pode.

  34. Antitrampas e afins
    24 DE MARÇO DE 2017 ÀS 11:47
    és tão fraquinho pá, pelo teor da tua escrita se vê o teu nível, foste abusado em pequenino? só pode.”

    eheheheheh.Cala-te, estás bêbada…não projetes, não projetes…
    Quando estiveres sóbria, mostra-me um “discurso” teu….

  35. Ò és merda que fazes tú na vida??? estás sempre aqui a mandar bitaites a toda a hora!!! quem te anda a pagar ? vives do rendimento minimo? NÃO TRABALHAS????
    ABORTOOOOO

  36. Antitrampas e afins
    24 DE MARÇO DE 2017 ÀS 12:08
    Ò és merda que fazes tú na vida??? estás sempre aqui a mandar bitaites a toda a hora!!! quem te anda a pagar ? vives do rendimento minimo? NÃO TRABALHAS????
    ABORTOOOOO”

    eheheheheh.

    Comatose alcoólica, hum? Zurrapa, foi? Hum? Jasminite, lava a cabeça e a cabaça…há mofo nas duas…

  37. Eheh No Euro2004 o Marcellinho até “mandou” enfeitar as casas com bandeirinhas, assim como a casa da Mariquinhas que era muito prendada.

  38. Valupi-Valupi, abriste mais uma vez aquilo que é o verdadeiro esgoto a céu aberto da blogosfera portuguesa. Não há encenações que te valham, está visto.

    Chame-se o Valupi, pois, a segurança (e eventualmente os senhores da Judite ou os desgraçados do MP, como se vai dizendo sensatamente por aqui) e accione-se uma brigada da Protecção Civil ligando para o sôtor Fernando Medina e dirijam-se todos à recepção que as ordinarices, burrices e outras cenas terminadas em ices como sejam as mariquices, senhores que fazem panelas, gatunices e as cobardices voltaram sob os nomes de “Antitrampas e afins” a.k.a. Ignatz a.k.a. “gajo que” a.k.a. Ignatz a.k.a. “Gajas & Copos” a.k.a. Ignatz.

    Tragam uma sucessora da “Viúva-Alegre” cujo nome é bem apropriado para a troupe dos fieis defuntos que passa o dia no Aspirina B porque agora a ramona tem de ser espaçosa e a carroça do lixo municipal não está mais disponível porque, entretanto, se mecanizou e o António Costa a seu tempo as incluiu na reforma administrativa.

    _____

    Como dizia ontem o Joe Strummer, tão distraído que anda com essas cenas duras do Youtube que até dá sinais de precoce envelhecimento, o “rato” é apropriadamente o Ignatz cognome que lhe que assenta como uma luva desde que tenham as vossas mãozinhas potegidas.

    Trata-se de um larápio, um pobre pilha-galinhas, um mendicante, um deserdado pelo destino, que é useiro e vezeiro em praticar gatunices e tornar em vítimas os mais incautos e que, à noitinha, estica os costados numa enxerga piolhosa existente no xelindró, diria que da esquadra do Governo Civil ou da cadeia do Aljube porque o tipo segue as pisadas da espécie, e que agora anda fugido cobardemente aos bófias depois de o “corajoso” e grandiloquente Valupi se assustar com o Observador.

    Concluindo, trata-se literalmente de um rato e isto confirma que habita os esgotos desta linda cidade.

  39. Pacheco Pereira a caminho de Damasco
    23 MARÇO 2017 ÀS 16:43 POR VALUPI 53 COMENTÁRIOS

    vs.

    jose neves
    23 DE MARÇO DE 2017 ÀS 19:12

    e

    jose neves
    23 DE MARÇO DE 2017 ÀS 23:06

    _______

    Assim está exemplificado, Valupi. O primeiro era uma parte do naperon que o José Neves anda a bordejar durante as noites de insónia. O segundo, mais breve e que só toca ao de leve no nome do José Pacheco Pereira, foi alinhavado ontem e demorou 6 ou 7 horas a cerzir. As vantagens obtidas pela gerações mais novas com o Gervário, José Neves!

    Campanha “Separar é fácil” – Chimpanzé Gervásio – YouTube
    https://www.youtube.com/watch?v=r5aQRizhUbk

  40. … para as exemplificacoes do artolas das vogais. O que é que o cona queria dizer? Alguém percebeu a sofisticacao da subtileza apaneleirada, temperada a nonsense e a despropósito? Se fosses arrotar essas bufas espirituosas para o blogue da Olindeza, talvez a gaja te enrabasse de grelo. Aqui enches as caixas com nhanha das pívias que bates tipo virgem ofendida com a caralhistica que provocas. Agora chama me Ignatzio e convoca os teus nicks todos para assinarem uma peticao a correr comigo e todos os outros que nao alinham com as transcricoes de pasquinada e teorias da defesa dos incompetentes do ministerio publico que aqui vazas as toneladas todos os dias.

  41. Caixa fecha agências
    que funcionavam em casa
    de Armando Vara

    Está em marcha o plano de corte de
    agências da Caixa Geral de Depósitos. Paulo
    Macedo, logo a inaugurar as hostilidades,
    mandou fechar a agência que funcionava na
    marquise da casa de Armando Vara. Ainda
    hoje, serão fechadas as agências na sala
    de jantar de Armando Vara, na despensa de
    Armando Vara, no poliban de Armando Vara
    e debaixo da cama de Armando Vara. O mais
    tardar para a semana, fecha a Caixa que
    Armando Vara tem esquecida num bolso das
    calças. MB

    Inimigo Público, 24.3.2017, p. 3

  42. O ppp (pobre pacheco pereira) já não vai nem a damasco, nem a mais lado nenhum em Portugal, e já não sentirá mais dor de espécie nenhuma, porque já se aleijou de vez e irrevogavelmente, quando deixou de ser um Intelectual respeitável, algures aí pelos alvores do século vinte e um. Que pena.

    O ppp VAI APENAS PARA O CARALHO e, com ele, toda a escória da trampa que é a atual “direita” brutoguesa, perdidos que foram o poder político, a arrogância e a superioridade moral, a eficácia da propaganda da aldrabice, a cumplicidade eurocrática e, sobretudo, A PACIÊNCIA DOS PORTUGUESES HONESTOS E DECENTES, que agora levarão décadas a recuperar, pelo menos para os níveis históricos do ano da desgraça de 2 011.

    PUTA QUE OS PARIU A TODOS, CAMBADA DE CHULOS PANÇUDOS!

  43. Toma lá, Valupi.
    Se o julgamento da Operação Marquês será o reality choque da próxima estação, como vês os desgraçados do MP e os bandidos do Tribunal da Relação de Lisboa ainda conseguem ser mais céleres do que estes bacanos. Liga aí para os sôtores Delille e Araújo e se calhar interrompe-os, porque eles devem estar a bulir em mais uma meia-dúzia de “recursos” em nome do ex-PM prosseguindo a estratégia delineada mas errática, e diz-lhes que afinal não se queixem.

    INTERNACIONAL

    Ficaram um ano isolados na Escócia e ninguém lhes disse que o reality show fora cancelado
    http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-03-24-Ficaram-um-ano-isolados-na-Escocia-e-ninguem-lhes-disse-que-o-reality-show-fora-cancelado

    10h12 ALEXANDRE COSTA

    […]
    Treze dos participantes terão entretanto desistido, mas os restantes 10 terão permanecido na propriedade isolada com cerca de 242 hectares sem fazer a mínima ideia de que o programa já não estava a ser transmitido.

    Os habitantes da região também não ficaram nada agradados com o programa, tendo testemunhado a alguns dos participantes a romperem as regras levando “junk food” e álcool para a propriedade, enquanto outros foram vistos a receberem assistência num dentista local após terem comido grão de ração para galinhas.

    ____

    Lindo!!

  44. Não sou exactamente um puritano do vocabulário oral (ou escrito), mas acho que este blogue teria a lucrar com um apelo a um pouco mais de contenção no emprego da vulgaridade, às tantas má-criação, senão mesmo ordinarice, por parte dos escrevinhadores de comentários mais aziados, e até (ocasionalmente) dos blogotenentes nos seus dias mais nublados.

    Não vem a propósito desta entrada. É só um desabafo depois de ler várias. A mim, se não há exactamente martelada acidental num dedo, só me dá para desabafar assim.

  45. Súmula do que se passa com a Operação Marquês, li agora o comentário do pimpampum.

    […]

    Não, não se prende em Portugal, para investigar . Prende-se, para continuar a investigar .
    E por mim, acho que S., está preso nas malhas que teceu …

  46. O BADIGNAFALATZNESS continua ativo na frustração de não ter nem uma nem um….yawn.

    BADALHATZ, olha para ti….este é imune ao sonazol

    .I.

  47. Antitrampas e afins
    24 DE MARÇO DE 2017 ÀS 15:43
    Virgem Santissima, nem mais, mas que vão mesmo PRÁ GRANDE PUTA QUE OS PARIU, RESSABIADOS.

    Tu já lá estás, com a devida companhia e no devido lugar…

  48. um exemplo do discurso de esquerda…um pequeno exemplo do discurso de esquerda com o “assim seja jasmínico”

    “O ppp (pobre pacheco pereira) já não vai nem a damasco, nem a mais lado nenhum em Portugal, e já não sentirá mais dor de espécie nenhuma, porque já se aleijou de vez e irrevogavelmente, quando deixou de ser um Intelectual respeitável, algures aí pelos alvores do século vinte e um. Que pena.

    O ppp VAI APENAS PARA O CARALHO e, com ele, toda a escória da trampa que é a atual “direita” brutoguesa, perdidos que foram o poder político, a arrogância e a superioridade moral, a eficácia da propaganda da aldrabice, a cumplicidade eurocrática e, sobretudo, A PACIÊNCIA DOS PORTUGUESES HONESTOS E DECENTES, que agora levarão décadas a recuperar, pelo menos para os níveis históricos do ano da desgraça de 2 011.

    PUTA QUE OS PARIU A TODOS, CAMBADA DE CHULOS PANÇUDOS!”

    Ah! Como são expressivos e representam bem a classe trabalhadora…e melhor exercem o seu direito à liberdade…

  49. O analfabruto que se escondeu sob a fachada de ” o gajo que ” vem dizer que S. nada tem a ver com o Euro 2004 e com o esbulho de dinheiro público que o mesmo implicou .
    O ignoramus, um brutóide com alto grau de analfabetismo, não sabe que S. foi ministro dos dois Governos chefiado por António Guterres, XIII e XIV .

    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/XIII_Governo_Constitucional_de_Portugal

    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/XIV_Governo_Constitucional_de_Portugal

    E para quem não confia na wikipedia, este site é mesmo oficial

    http://www.portugal.gov.pt/pt/o-governo/arquivo-historico/governos-constitucionais/gc14/composicao.aspx

    E quanto ao papel do mesmo na burrada do Euro, basta procurar, há documentação abundante na Internet, inclusivé, esta entrevista ao Jornal Record,

    16.10.1999
    JOSÉ SÓCRATES: «SABIA HÁ DOIS MESES QUE O EURO ERA NOSSO»
    MINISTRO NA HORA DE FAZER O BALANÇO DA LEGISLATURA

    Link :
    http://www.record.pt/internacional/competicoes-de-clubes/detalhe/jose-socrates-sabia-ha-dois-meses-que-o-euro-era-nosso.html

    e este, só para destacar duas .

    11.10.1999
    JOSÉ SÓCRATES: «NOSSO ”DOSSIER” APRESENTA AS MELHORES CONDIÇÕES»
    CONFIANÇA NOS RESULTADOS DA PROMOÇÃO PORTUGUESA

    http://www.record.pt/futebol/detalhe/jose-socrates-nosso-dossier-apresenta-as-melhores-condicoes.html

    Agora vai-te lavar, e depois, estuda, porco esquerdista !

  50. Senhor(a) aeiou, se não percebeu, eu explico melhor, acordei com santa paciência, por agora, depois, não sei .
    Não se prende para investigar . Prende-se para ( poder ) continuar a investigar .
    Perigo de destruição de provas . E mais : perigo de perturbação da investigação, ( para além da destruição de provas, por intimidação, perseguição, ameaça, concertação de posições, etc. ) .

  51. Senhor(a) aeiou, hoje acordei com santa paciência, por hora, depois não sei, eu explico .

    Não se prende para investigar . Prende-se para ( poder ) continuar a investigar .
    Perigo de destruição de prova, conhece ?
    Para além disso, perigo de perturbação da investigação ( seja por concertação de posição com outros, seja por intimidação, perseguição ou ameaça, etc. ) já nem refiro uso e abuso da posição para manipulação, ( isso pode ser feito, mesmo estando preso preventivamente ) .
    Manipulação, entenda, de mídia e outros actores da cena política e dos cidadãos em geral ) .

  52. Gajas & Copos vomitou o seguinte :

    ” Gajas & Copos…
    24 DE MARÇO DE 2017 ÀS 11:18
    O Pimpampunhetas tem toda a razao, o que nao faltou foram manifestacoes contra do euro e todos os partidos no parlamento a votar contra os estadios e a pedir a sua demolicao, excepto os socialistas do Socrates. ”

    Claro !
    Do mesmo modo que, por exemplo, se o pródigo governante, tivesse atribuído a cada português, uma viatura, e uma vivenda com piscina, também ninguém protestaria !

    Mas você não tem a noção de ridiculo, nem um módico de decência, caramba ?

    Você sabe o que é governar ?

    Cá para mim, penso que V. acha que o dinheiro nasce nas árvores – dos pomares dos outros, claro, é só ir lá e roubar – e que as dívidas, são para ir pagando. Pagando, mas do seguinte modo, congela-se a dívida, põe -se ao Sol, e deixa-se derreter …

  53. pimpampum: percebe-se que te deitas tarde, ou que acordas cedo. Em todo o caso, estejas muito entornado ou meio-ensonado deixa-me dizer-te que, ao citar-te, estava a elogiar a tua capacidade de síntese (compêndio, epítome, resumo, sinopse, sumário, súmula, dizem os entendidos). É isso mesmo que eu penso, e por aqui o tenho dito doutras maneiras mais longas mas, eventualmente, tão ou mais jeitosas do que a tua. Mais, e em homenagem aos pastorinhos ou contra os segredos de Fátima: faço-o porque não pressinto que possa acontecer um milagre a José Sócrates no julgamento da Operação Marquês mas contando sempre, como se vê, com a protecção divina e com a luz que me guia da Santa Paciência.

    Pimpampum
    25 DE MARÇO DE 2017 ÀS 6:39
    Senhor(a) aeiou, se não percebeu, eu explico melhor, acordei com santa paciência, por agora, depois, não sei .
    Não se prende para investigar . Prende-se para ( poder ) continuar a investigar .
    Perigo de destruição de provas . E mais : perigo de perturbação da investigação, ( para além da destruição de provas, por intimidação, perseguição, ameaça, concertação de posições, etc. ) .

    Pimpampum
    25 DE MARÇO DE 2017 ÀS 6:52
    Senhor(a) aeiou, hoje acordei com santa paciência, por hora, depois não sei, eu explico .

    Não se prende para investigar . Prende-se para ( poder ) continuar a investigar .
    Perigo de destruição de prova, conhece ?
    Para além disso, perigo de perturbação da investigação ( seja por concertação de posição com outros, seja por intimidação, perseguição ou ameaça, etc. ) já nem refiro uso e abuso da posição para manipulação, ( isso pode ser feito, mesmo estando preso preventivamente ) .
    Manipulação, entenda, de mídia e outros actores da cena política e dos cidadãos em geral ) .

  54. Ah, eu estou e tu se quiseres estarás a ver que isto não é de andar meio-ensonado nem da ressaca mas da miopia. «Senhor(a) aeiou, hoje acordei com santa paciência, por hora, depois não sei, eu explico», olha lá isso que por ora escreve-se sem h.

    [Não precisas de, e da Santa-Santa já se sabe.]

  55. ESTRANHO, MAS ESTRANHO MUITO, QUE NÃO SE REPRODUZA AQUI O MUI FALADO INTERROGATÓRIO FEITO A SÓCRATES.

    Pois, a queda vai ser de vários…
    Caramba! Ninguém diz ao homem para se calar????

  56. O ora com h aconteceu porque o site não mostrou logo a mensagem que eu tinha escrito . Tive que repetir à pressa, e sem curar de reler ( o dispositivo tem um dicionário que por vezes altera aquilo que – correctamente – se teclou, o que dá nestas situações caricatas e desagradáveis ) .
    Depois, como constato agora, acabou por mostrar visíveis as duas mensagens, que basicamente têm o mesmo sentido .

  57. Ele já disse…yawn. Em portugal, o dciap pesca de arrastão…com vontade de extinguir algumas espécies: corruptores, corrompidos e advogados, ou pô-los com trela…É o dciap atual com os faróis pouco brilhantes da PJ…yawn.

  58. Ó Trampas

    Se o querias calado não tivesses mexido com ele, não o tivesses mandado prender, tivesses deixado o homem sossegado a fazer o doutoramento na Sorbonne e a comentar na RTP.
    Achas que ele fala demais nos interrogatórios ?
    Olha, se calhar é por isso que demora tanto a sair uma acusação. Têm muito medo do que ele possa falar num tribunal, ou seja, ao vivo e a cores para todo o Portugal ver e ouvir, e com pouca possibilidade de censura.

    Ai que se insistem na merda da PT têm de meter dentro os amigos, a têm têm, e não é só a Passarada, … acho que se vão por aí até o Cavacoiso vai ter de sentar o cú pelo menos no banco das testemunhas … porque se os amigos o quiserem poupar não adianta … a defesa pode chamar-lo e ele tem de ir … a menos que alegue estar demente, o que até nem será má estratégia porque até pode dar-se o caso de ser um bocadinho verdade …

  59. Merdilim

    você simplesmente não sabe o que diz. Você é um BURACO,como diz a fernanda câncio a socrates…quando ele discordou quanto a uma nova casa…de três milhões em Lisbonne…

    Ah! Aquela diferença entre poder, dever e gentileza e chão claro e escuro à Paris…Oiça…diga-lhe para se calar….é que a “coisa” vai apertar…e vai ser pior, pois ele já disse o que o MP queria ouvir. No final, ele vai “bufar” e o cheiro vai ser mau, muito mau…se a pena for pouca, ele aguenta,continua a clamar inocência e tal, mas pagam-lhe para isso….Ele tem todo o interesse em ser acusado já e julgado….antes dos outros…
    It´s all bussiness…

  60. Vai “apertar” vai, oiça o que aqui lhe digo, a “coisa” vai chegar aos procuradores, aos juízes, e aí é que nós vamos ver quem é que aguenta o quê.
    A República dos Juízes tem “un petit problème”, começou a morrer no dia em que deu um passo maior que a perna. Fez-se com o diabo (a indústria da calúnia) e resolveu atirar um Sócrates para o caldeirão, para satisfazer a populaça. O circo vai sair-lhes caro.
    O homem é grande e a coragem deles é pequena. Nenhum deles se imagina no lugar para onde o mandou. Levá-lo a tribunal ? Esqueça.

  61. Eheheheheeh. No seu caso, penso que nem conseguirá mexer o pescoço, tal vai ser a queda.

    Quanto ao demais, penso que deverá ler “eu e os políticos” onde a “grandeza” do “homem” é descrita sim…mas como alguém nada brilhante, histérico, intriguista e mentiroso…
    Mas sim…ele iniciou um novo socialismo…o de ser um homem de poucas posses, com bom gosto, com amigos de posses, ehehehehehui, aquele interrogatório…ai aquele interrogatório, olhe diga-lhe para se calar…até faz pena, tá a ver, é que faz muita pena, muita mesmo…
    Sim é um circo…um grande circo com muitos palhaços à volta a bater-lhe palmas, apesar de a verdade estar à mostra. É uma questão de tempo…

  62. Ó és merda, essa duma questão de tempo já fede a ratos.
    O Grande José Sócrates chega para todos vós, não vos tem medo nenhum.
    Só suponhetamos não chega sequer para acusar quanto mais condenar.
    Espera sentado pela acusação para não te cansares, TANSO

  63. Ignarerdajasminica, depila a cabeça e pensarás melhor…e verás que concordas com Fernanda Câncio quando esta diz a Sócrates: Buraco? Tu é que és um buraco….

    yawn.

  64. Na minha revista de imprensa, e que partilho filantrópico com vosotros à borla, lindo menino!, apanhei este artigo de opinião e concordo com quase tudo. É sinal de que muitas das coisas inteligentes que se foram lendo por aqui no Aspirina B, fizeram e farão o seu caminho. Sai um EXACTISSIMAMENTE alternativo (e este é completamente à borla, repito!), como diz o outro.

    Nota, importante. Alguém deveria copiar este belíssimo artigo para um local mais visível, talvez ele entrasse de uma vez nas caixas neuronais mais empedernidas da troupe do Aspirina B.

    ______

    Sócrates no seu labirinto…

    Formou-se a convicção, com forte colaboração mediática, de que ao soar do gong do prazo fixado pela procuradora geral da República o Ministério Público teria concluída a acusação contra José Sócrates e os outros arguidos da chamada Operação Marquês.

    Nesse entendimento pareciam alinhar os próprios advogados da defesa, ao insistirem na tese antiga de que estaria fora de prazo.

    Note-se que, já em Outubro de 2015, os mesmos advogados acusavam o Ministério Público de ter esgotado os prazos do inquérito, «sem acusação e sem arquivamento».

    Quase um ano e meio depois, a litania não é diferente. E há muito que se tornou claro que, para a defesa – como para o próprio Sócrates –, o desfecho ideal deveria ser o arquivamento do processo. E toda a pressão que exercem vai nesse sentido.

    O que é estranho. Um ex-primeiro-ministro sobre quem recaem suspeitas tão graves – facto inédito em Portugal –, deveria estar empenhado, como ponto de honra, em comparecer diante do tribunal e ser julgado, para protestar a sua alegada inocência e sair de alma lavada.

    Para quem se proclama injustiçado não se vislumbra outro comportamento. Mas não. Ao contrário, o que se tem visto é um desusado empenho em ‘ganhar na secretaria’ sem ir à sala de audiências, denegrindo a investigação e os magistrados do Ministério Público.

    Para um lunático ou alguém desprevenido, a novela poderia assemelhar-se a um esquisito arrufo por causa de prazos enão a um rol de crimes sofisticados, envolvendo corrupção, fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais, além de outros que foram imputados mais recentemente e que não são meigos. Um labirinto complexo.

    Os advogados fazem o que podem e, às vezes, sem as melhores maneiras. Neste caso, não lhes tem faltado trabalho. Segundo o comunicado da Procuradoria, até finais do ano passado já tinham sido apreciados, no âmbito do inquérito,
    «cerca de 350
    requerimentos apresentados
    por arguidos e, no Tribunal
    da Relação de Lisboa, tinham
    dado entrada mais de 50 peças processuais
    relativas a recursos e outros incidentes suscitados pelas defesas».

    É obra.

    Contas feitas pelo jornal Público às custas judiciais dos recursos que deram entrada na Relação,
    juntamente com multas, o ‘investimento’ já soma uns milhares de euros. Coisa que não parece incomodar o principal arguido, a par dos honorários dos advogados, cujo afã não deve ser pro bono…

    A manobra é aparentemente simples: enquanto sobrecarregam o andamento do processo com recursos, requerimentos e suscitam incidentes processuais, as defesas queixam-se de «ilegalidades» do MP e da demora numa decisão.

    Quando a nota – invulgarmente extensa e minuciosa – da PGR esclarece que
    «não foram abandonadas as imputações iniciais,
    que já se encontram suficientemente trabalhadas
    e desenvolvidas»,
    e que o Ministério Público
    «já analisou suficientemente muita da prova recolhida,
    podendo efetuar um juízo sobre a mesma,
    uma vez que se encontra solidificada»,
    estamos perante duas evidências cristalinas: a primeira, é que continuam válidas as suspeitas iniciais, que levaram à detenção de Sócrates, deitando por terra o argumentário da defesa. A segunda, é que o ex-primeiro-ministro e demais arguidos dificilmente escapam à acusação.

    […]

    Dinis de Abreu
    (o sewnhor foi um grandes directores do DN, que sucedeu ao Mário Mesquita e antecedeu o Mário Bettencourt Resendes acho, antes da chegada dos aprendizes de legionários João Marcelino, André Macedo, Paulo Baldaia e seus derivados).

    Sol, 25.3.2017, p. 43

  65. Deve V. Ex.ª. acrescentar que, acusação haverá sempre, porquanto os arguidos, no caso sua evidência José Sócrates,já foi presenteado, pelo menos duas vezes, com o que se chama “apresentação do Ministério Público” onde se articulam todos os indícios à data recolhidos…
    Por isso, JS já sabe do que vai ser acusado…devia ter-se calado, sobretudo com o segundo interrogatório do MP….não será dificil a redação da acusação…
    O MP simplesmente aguarda rogatórias e consolidação dos indicíos….

    Yawn…Yawn…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.