Malhas que a Impresa tece

Após a entrevista a João Araújo, a SIC Notícias colocou no ar Ricardo Costa e José Gomes Ferreira para a comentarem sob a batuta da Clara de Sousa. O mano Costa é o director-geral de informação do grupo Impresa, cargo que acumula com a autoconvicção de ser o cromo com mais neurónios em toda a comunicação social portuguesa e arredores. José Gomes Ferreira é um dos mais notáveis profissionais da calúnia actualmente em actividade. Clara de Sousa é Clara de Sousa, provavelmente uma vítima.

O Zé aproveitou a ocasião para declarar, sem qualquer contraditório, o seguinte:

– As notícias que referem alegados indícios de corrupção efectuada por Ricardo Salgado e Sócrates criaram na sociedade uma divisão (leia-se: duas metades) entre aqueles que acham que se está a perseguir Sócrates por razões políticas e os outros que não dão importância especial ao caso. Pergunta: há mais alguém a alucinar desta maneira no Hemisfério Norte ou estamos perante um caso isolado e, portanto, não significativo?

– Os indícios de foro judicial podem ser verdadeiros ou falsos, fortes ou fracos. No caso de os indícios serem verdadeiros e fortes, então passam automaticamente ao estatuto de provas e devem gerar as reacções condenatórias adequadas por parte da população e quem a representa mediaticamente. Pergunta: o Zé é mesmo o que aparenta ser ou há um Zé secreto que anda a escrever uma biografia onde explica que tudo isto se deve a um trauma de infância por causa de um brinquedo roubado e ao infortúnio de não ter nascido rico?

– A partir dos indícios relativos à suposta corrupção que gerou o suposto envio de 17 milhões de euros de uma pessoa para outra passando por uma terceira, é obrigatório concluir que há um período onde essa tenha sido a prática generalizada. Exemplos desse despautério que chegaram ao conhecimento do Zé: “o interromper de uma OPA que tinha sido feita a partir do Norte, de uma família de empresários que estavam fora desta maneira de fazer negócios“; “depois uma venda de uma Vivo“; “depois uma compra de uma Oi“; “um primeiro-ministro que lançou o maior número de contratos do Estado, com tantos milhares de milhões de euros de valor, em rodovias, em saúde, em escolas, por aí fora, se não houve honorabilidade neste caso o que será dos outros“; “só me lembro de coisas como a aprovação dos RERT“; “lembro-me de coisas como a atribuição de concessões de barragens aos grandes operadores“. Pergunta: as centenas, se não forem milhares, de indivíduos envolvidos num qualquer grau de responsabilidade e conhecimento interno nesses casos aludidos pelo Zé, entre membros do Governo, funcionários do Estado, equipas dos privados, mais advogados e escritórios de advogados, também sacaram a sua parte na roubalheira ou Sócrates e Salgado trataram do assunto a mielas e por telepatia, não demorando muito até que esses dois génios do crime bazem do país para irem gozar as centenas de milhões (cálculo rasteiro) que estão à sua espera ninguém sabe onde apesar de a bófia já ter vasculhado tudo e mais alguma coisa nas suas contas, computadores, telemóveis e papelada e ainda nas contas, computadores, telemóveis e papelada de amigos e familiares?

– Não há interesse no Parlamento pela criação legal da delação premiada (que o Zé quer que se passe a chamar “colaboração premiada”, et pour cause + c’est tout un programme), porque isso iria permitir descobrir mais crimes e mais criminosos do tal período em que a corrupção apareceu em Portugal pela primeira e última vez. Pergunta: o Zé não seria capaz de nos informar com mais detalhe acerca daqueles que no PSD, CDS, BE e PCP querem proteger os ladrões do PS?

Este vendaval de insinuações, difamações e retintas calúnias em modo sonso e aldrabão, sensacionalista e hipócrita, cínico e manipulador, teve da parte do mano Costa o mais eloquente apoio através do silêncio. Só que apoiar o Zé era curto para esta vedeta da “imprensa de referência”, pelo que fez questão de nos dizer outras duas coisitas: (i) que não tinha medo de Carlos Alexandre e de Rosário Teixeira como tantos outros (mas quem?), tinha era “respeito” (o tipo de respeito, ficamos a imaginar, que um bacano de prancha de surf debaixo do braço igualmente sente ao contemplar as ondas da Nazaré durante uns minutos antes de voltar para o carro sem sequer ter molhado os pezinhos), e que (ii) era desta que Sócrates ia ser apanhado, pois graças ao último depoimento do Bataglia já dava para entalar o cabrão. Ou seja, o mano Costa falou como se tivesse tido acesso às declarações prestadas às autoridades e à restante documentação coligida, acrescentado-lhe uma avaliação de perito em direito penal. Percebe-se o entusiasmo, pois no Expresso e na SIC há uma campanha em curso para reclamar os louros da captura da besta via “Panama Papers”, no que rivalizam com o esgoto a céu aberto para o título de órgão oficial da judicialização da política portuguesa.

Em relação ao sórdido espectáculo, tenho só uma curiosidade: haverá alguém a estudar academicamente esta época da comunicação social e o regime de poderes fácticos que defende e promove?

26 comentários a “Malhas que a Impresa tece”

  1. o zé quer felação premiada para ser pago directamente pelo ministério público dos broches que faz ao parolo de mação e ao róró.

  2. O que a canalha não suporta é a coragem! O que a canalha não pode ver é a quem os tem no sítio! O que a canalha não tolera é quem não fuja com o barulho que faz! Quem a canalha teme é quem avança para ela sem se agachar com os tiros de pólvora seca!
    Aconteça o que acontecer, já se viu quem,em campo aberto, comparece,responde e cita. Que a besta mostre nobreza igual, se acaso a tem.

  3. Valupi come cagalhão todos os dias , mas em certos dias Valupi queixa-se que o cagalhão não lhe sabe bem, que o cagalhão está diferente, que o cagalhão não tem a consistência de outros cagalhões bem melhores e que devora com gosto. Quando o grupo Impresa e a SIC, através do mano Costa e do Zé servem cagalhão anti-trump, Valerico rejubila e acha que são jornalistas de referência do Estado de Direito Democrático. Já se o assunto é política interna, então trata-se de “notáveis profissionais da calúnia… aldrabão, sensacionalista e hipócrita, cínico e manipulador … rivalizam com o esgoto a céu aberto” .

    Valerico, quer alguém a estudar academicamente esta época da comunicação social e o regime de poderes fácticos que defende e promove. Não Valupi, de estudiosos e intelectuais derrotados do cagalhão, temos já que sobre, começando por ti. Do que necessitamos efetivamente é de quem tenha a lucidez e a coragem para mandar implodir esses esgotos a céu aberto e todas as ratazanas que, como tu, dele se servem para, por exemplo, ter sobre o que escrever neste blog do cagalhão.

    Não só o CM, como também e sem exluír, a SIC, a Cofina, a CNN, a BBC, a MSNBC e toda a demais fake news e dishonest media a soldo da escumalhada endividada financeiramente ao islamismo global.

    NUK’EM ALL!

  4. aeiou
    6 DE FEVEREIRO DE 2017 ÀS 15:27
    O seu comentário aguarda moderação.

    http://malharbem.com.br/wp-content/uploads/2014/06/13.jpg

    Fui, eram 15h27 e lá vão quatro horas (aproxima-se o relambório do José Neves, para além das bastante poucas coisas divertidas anteriores).

    _____

    Entretanto, e como o mundo não pára, sai desse buraco onde te meteram ou onde te meteste, Valupi, e diverte-te um bocado. E intelectualiza homem, que isto vale a pena.

    https://www.youtube.com/watch?v=60eJsI8Tv1Y

    e

    https://www.publico.pt/2017/02/06/politica/noticia/jose-manuel-coelho-pede-asilo-politico-ao-principado-da-pontinha-na-madeira-1761044

    Nota. Para além de ser apenas hilariante, há um fundo de verdade naquilo que ele diz e muito de verdade sobre aquilo de que se queixa.

  5. não , ninguém quer estudar isso porque é a imprensa democrática , a melhor do mundo , não tem censura e essas coisas tão feias das imprensas das ditaduras e do trump e da marine e do putin.

  6. Pois é, Valupi !
    E a isto Sócrates responde, mais uma vez, NÃO TENHO MEDO DE VÓS !
    E se o Estado (ou seja, vocês, seus cagões) não acusa, ACUSO EU !

    PS: posso estar muito enganada mas esta treta do Bataglia não passa, de uma mera encenação, de mais tiros de pólvora seca. Nem o Batalgia era burro para entalar o Salgado. Mais depressa o Salgado o entalava a ele. Aliás, o Salgado se quiser, encana-os a todos, desconfio que até encana o procurador e o juiz, se quiser ! Nunca se esqueçam disso !
    Esta encenação serve para mais uma vez justificar outra prorrogação do prazo do inquérito. Mas veremos.

    PS2: lembram-se de Vale de Lobo ? também esfregaram as mãos ao meter o Armando Vara e a CGD ao barulho … UAU, tinham apanhado o homem, lembram-se ? …
    A questão da OPA da PT é só mais um delírio esquizóide do Rosarinho. Não passa disso. E agora parece ser mesmo beco sem saída.

  7. Sem o caso Sócrates, ainda estariamos a pensar que Ricardo Costa, José Gomes Ferreira e Clara de Sousa seriam pessoas decentes. José Sócrates revelou a sociedade portuguesa como ela é.

  8. “José Sócrates revelou a sociedade portuguesa como ela é.” E parece que se revelou a ele…e ao Salgado…

    E a outros…
    Vamos dar um nome ao polvo, mas sem o termo “operação”…

  9. Jasmim opinou :

    ” Aliás, o Salgado se quiser, encana-os a todos, desconfio que até encana o procurador e o juiz, se quiser ! ”

    Essa afirmação contém em sí mesma toda a podridão, seja a do regime vigente, seja a do autor da frase, que representa certo tipo de portugueses .

  10. Muito boa a programação recente da SIC, sobre os últimos desenvolvimentos .
    Curioso circuito de dinheiro . E, pelos vistos, está no processo . Afinal, parece que há fumo e fogo . E tem pernas para andar . José Gomes Ferreira, um dos jornalistas que mais aprecio na TV .

  11. realmente estou farta de tanta especulação maliciosa. descubram mas é se a besta é criminosa ou não. se sim, castiguem-na; se não sejam, pois claro, castigados.

  12. “Muito boa a programação recente da SIC, sobre os últimos desenvolvimentos .
    Curioso circuito de dinheiro . E, pelos vistos, está no processo . Afinal, parece que há fumo e fogo . E tem pernas para andar . José Gomes Ferreira, um dos jornalistas que mais aprecio na TV .”

  13. Lucas Galuxo dix.
    Sem Trump também não saberíamos sobre a fake mírdia amaricana nem sobre o modus operandi do congresso dos marretas vitalícios.
    A Era das desmontagens chegou.

  14. O Jasmim é o PROTÓTIPO do demo/libtard americano.
    Como é que o Salgado encana(ria) quem quer que seja? Então, há ou não há pressão feita pelos democratas (portugueses) sobre a justiça? Que afirmação é essa?! O que é isso?!

  15. Pelo contrário, Jasmim, considero que Bataglia disse ao procurador o que ele queria ouvir. As contrapartidas? Não sei. Mas Bataglia não é limpinho, não.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *