Lições a colher, memória a cultivar

Até à escolha da equipa de Seguro, até se revelar quem serão os seus generais e lugar-tenentes, ainda estaremos no ínterim processual da mudança de oposição. Tempo para balanços, pois. E tempo para constatarmos que a eventual vitória do PS em Junho, continuando sem maioria absoluta, levaria o País para uma situação completamente imprevisível. Não por culpa do PS, que é o principal partido do regime democrático, mas por culpa do Cavaquismo e da cegueira sectária da extrema-esquerda.

Colhe reconhecer que é por uma lógica cristalina que se explicam as disfunções da direita e da esquerda. À direita existe uma cultura de usufruto do poder que vem do berço, nuns casos, e da mais completa ausência de escrúpulos, noutros. À esquerda existe uma cultura de contra-poder que vem da instrução, nuns casos, e da mais pueril ignorância, noutros.

Assim, este novo ciclo era inevitável para se evitar uma situação onde os boicotes ao Governo, e as chantagens sobre o PS, iriam continuar e crescer. Pura e simplesmente, não seria possível vencer. Mesmo o eleitorado socialista mais fiel não conseguiria resistir à permanente campanha de ódio que Belém, oposição e comunicação social promoviam com febril obscenidade.

Todavia, para alguns de nós, humildes mas garbosos cidadãos, há lições a colher e uma memória a cultivar. Quem sabe para onde quer ir nunca se perde.

32 thoughts on “Lições a colher, memória a cultivar”

  1. Com tantos boys, com tantos casos de policias de muitos dos boys do PS (Pedro Soares, família Penedos, Varia, entre outros), com tantos casos que o Sócrates estava envolvido (e outros que o envolviam), com tantas propaganda que o estado fazia ao serviço do governo, trapalhadas e mais trapalhadas (a melhor de todas foi o deputado Rodrigues ter roubado 2 gravadores em pleno parlamento e nada acontece, e até mais, ter o apoio do PS), com o descalabro das contas públicas (o défice foi aumento por opção politica…. diziam … mas que não se conseguiu reduzir nos 2 anos seguintes).
    A opção por projectos megalómanos para o qual não tínhamos dinheiro (como o dinheiro estava assegurado tinha se de fazer…. mesmo a divida publica tivesse onde está). As promessas que sucessivamente não eram cumpridas (as que mais cansaram as pessoas foi a austeridade nos últimos anos, mas ela começou logo em 2005). O aumento astronómico do desemprego ( como o Sócrates disse ao Santana um dia – mais de 7% de desemprego era o reflexo da sua governação fracassada – o que diremos agora de mais de 12% de desemprego). E não esquecer a forma como ele tratava os adversários, nomeadamente no Parlamento, onde na maioria das vezes tinha duas respostas a culpa é dos outros ou simplesmente não respondia ao que lhe respondia (mas isso é ser bom politico… virar sempre a questão ao contrário e nunca responder à pergunta).
    Quando falam do usufruto da direita não se lembram do que fez a esquerda quando estava no poder?? Então o dr. Sampaio empossou um governo e passado 3 meses manda-o embora (decerto que não haveria mais casos com o Santana do que houve com o Sócrates neste tempo e decerto que não viveríamos pior naquela altura que agora) e sim nessa altura houve muita cálculo politico, esperaram que o Sócrates chegasse para convocar eleições. Por outro lado será que o Cavaco é pior para o PS do que o Soares foi para o Cavaco e nessa altura tínhamos crescimento económico e como o 1º ministro gostava de dizer éramos olhados como o bom aluno da Europa.
    Há um historial de alguns anos de democracia e o que o PS fez não foi diferente do PSD e sobretudo neste 6 anos usou e abusou do poder que tinha para si e para os seus.

  2. Não há nada de “disfuncional” na esquerda e na direita, tudo corre e sempre corrreu de acordo com agendas bem calculadas. Lavar roupa, dar tiros para o ar, fazer barulho e colocar o PS no altar dos mártires e perseguidos é usar munição velha, mas nunca “lógica cristalina”. Até neste blogue já se notou quanto os ricos ficaram mais ricos ao longo de anos de governos PS – os tais desgraçados incompreendidos pelo povo e atacados pela direita e esquerda em jornais e supermercados, como diz ou pensa o Val de viños.

    No fundo e em suma, como já vem acontecendo de segundas a sextas há largos anos, estalido muito fraquito de foguete que talvez valha uns euritos por cada linha a quem as encomendou.

  3. MFIGAS, bem visto. Outra forma de ver, perfeitamente legítima, é a do marxismo: movimento dialéctico da História.
    __

    OSvaldo, em que é que o episódio dos gravadores envolve a responsabilidade do Governo ou do PS?
    __

    V. KALIMATANOS, não te gabo a sorte.

  4. Por outro lado, “If you don’t know where you’re going, any road will take you there, como diz o Lewis Carroll na Alice.

  5. os generais e os lugar-tenentes do seguro são os que votaram passos coelho nas últimas eleições ou o voto não fosse secreto.

  6. Reconhecer reconheço, mas olha que nesta altura não sei se preferia a “situação imprevisível” à previsibilidade miserável do que nos espera.

  7. bem, realmente cá estou, entre aloés e berimbaus. Ainda assim não garanto que não me perca. Gosto muito da palavra interim, há que tempos não lembrava, thank you pá. O resto é redutor, a esquerda também tem apetites, oh se tem, e quem nacionalizou o BPN foi o PS com maioria absoluta, e não me apetece discorrer globalmente sobre o tema, bem aberto como intróito, outra coisa não seria de esperar…

    Portanto não esqueçam o caralho do lítio, campeões da Europa do metal mais precioso da contempora
    neidade, e ainda do ouro de Cerveira, fosga-se fartei-me de farejar por aí ao fora. Eu vou fazendo umas mudas enquanto escrevo algo, meu Deus o que andas para aí a preparar-me que o pinto anda tão não digo?

  8. o liberalismo do passos e o marxismo afinal têm mais em comum do que parece à primeira vista… a ver vamos se não serão antes vários passos atrás.

  9. א,

    Não sei em que canto do planeta te enfiaste, mas olha que por cá, enquanto não nos curam a depressão com o lítio (puro sadismo), ainda vamos tendo um resto de
    bons ares.

  10. edie, isso é no país das maravilhas.
    __

    Vega9000, mas o que nos espera será sempre algo mais do que a previsibilidade miserável. O mundo é grande e a realidade misteriosa.
    __

    א, queres dizer que tu, calhado ser o primeiro-ministro de Portugal em 2008, não terias nacionalizado o BPN?

  11. Val, right.
    Apeteceu-me viajar para esses lados, “onde o mundo é grande e a realidade misteriosa”. Cá deste lado da toca, não está com esse ar, mas isto sou eu.

    “It was much pleasanter at home, when one wasn’t always growing larger and smaller, and being ordered about by mice and rabbits.”

  12. Hoje, por enquanto, temos pedologia para remediar um povo infantil que acredita em tudo o que lhe põem no prato, incluindo esta coisa chamada post, amanhã ainda não se sabe, mas tudo pode acontecer quando verificamos que o Luís dos pecados inadmissíveis por serem tão feios está armado com todas as respostas para estender esta conversa das maravilhas.

    What is this thing between my legs, Miss? That, my darling, is your organ for reproduction and sometimes your political party when you do not have a proper one to move left and right, up and down with.

  13. Já se chegou a conclusão que estes senhores ainda nao fizeram nada do que prometeramMais conversa para que? Qualquer dia quem manda aqui e Angola. Mas já lá vai o tempo em que se dizia Angola e nossa! Angola e nossa! Isso já foi!

  14. Já todos chegaram a coclusao que estes Senhores nao cumpriram nada do que prometeram.qualquer dia quem manda aqui e Angola. Mas Angola já nao e nossa há muito tempo……isso era noutro tempo que se dizia Angola e nossa! Angola e nossa! Nao , nao e , tenham vergonha e deixem os portugueses seguir o caminho……………

  15. olá Edie, gostei dessa do não vai a bem, tufa! Eu estou tropical beija-flor, fico contente com esse Kyoto.

    Não sei Valupi, possivelmente não e teria levado um tiro, é assim? É possível, ainda se está por saber quem eram os grandes lá para além dos falados do psd. E do ps?

    Tanto quanto nos foi dado ver a nacionalização do BPN para evitar o risco de contágio sistémico que seria não-sei-quanto, levou o contágio sistémico para dentro do coração do sistema, 5000 milhões de acordo com notícias de outros tempos, ressarcidos agora em 500 se tanto e portanto mais de 4500 de buraco. Bah. O ps na oposição é de esquerda e no governo é do sistema, e não podia deixar de ser assim, né?

  16. Bom, eu não sei se viram mesmo agora na porqueira do Crespo, mas perante a constatação do representante do PC ( o puto, agora não me lembra o nome) de que o Governo vai vender 20% da participação pública da altissimamentete lucrativa EDP a uma empresa alemã que tem 20% – exactamente- de capital público, e isso não faz sentido, responde o Guilherme Silva, psd, que isso é um mal imposto pela troika.Como se os respectivos partidos não tivessem pedido a intervenção da troika, ao chumbar o PEC, como se não tivessem assinado o acordo. Agora parece que não têm nada a ver com o assunto…São problemas do governo anterior.Esta gentalha não terá ao menos um pinguinho de vergonha na cara?

    א
    deves estar bem…que bom! (provocação: essse contentamento do Kyoto foi resultado da obra dos maus do PS :)

    http://www.youtube.com/watch?v=o7vpartSlfs

  17. eu sou mais esse aqui,ou melhor está ele a cantar isso e eu chego por detrás e dou-lhe uma dentada na orelha que ficamos logo na quinta da Vóvó Donalda à espera de uma tarte.

    Amanhã tenho uma reunião com a prefeitura de cá por causa disso, sequestro de carbono e suster erosão das encostas com bioengenharia,

    e agora desligar neurónio, só um, só esse :)

  18. A conclusão a tirar é que estes senhores conseguiram abocanhar todo o poder: PR, Governo; Tribunais, Imprensa e até conseguiram que fosse eleito, para lider da oposição, um dos seus.
    Mama mia, em quem acreditar? A partir de agora vou engrossar a abstenção. Vão-se fuder todos!

  19. Oh! OSvaldo! És ceguinho? Se és eu embora me estejam a roubar 50% do 13º. mês e me tenham subido os transportes em 30% e os medicamentos e as despesas de saúde e… e… e… ainda sou capaz de dar o meu contributo para te abrirem os olhos. Isso foi de nascença ou apanhas-te esse mal com o crescimento? É que não acertas uma pá! Porra! É demais! Para ti não houve uma crise mundial, o petróleo não chegou a 140 dólares o barril,os juros dos especuladores não aumentaram. Tudo isto foi só o Sócrates. A crise nos EUA, na Grécia, na Irlanda, na Itália, na Bélgica, na Dinamarca(vê lá até na Dinamarca), no Japão, numa palavra, em todo o mundo foi culpa desse malandro do Sócrates. O desemprego de 4 0u 5% do que estava foi culpa do Sócrates. Os 20% de desemprego na Espanha também foi culpa dele. És um grande cromo e com gente como tu até dá gosto discutir estes assuntos.

  20. Onde se diz: O desemprego de 4 0u 5% do que estava, queria dizer-se 4 ou 5% a mais do que estava.
    Já agora faz as contas bem feitas pois parece que o governo em que o desemprego mais subiu em percentagem foi no tempo do Durão Barroso. Quem diria oh OSvaldo! E olha que o Sócrates esteve 6 anos e o Barroso nem uma legislatura completou pois fugiu do país. Com esta gentinha ao teu lado deves ir longe.

  21. tu tens mesmo piada, x. então estás do outro lado da bola e continuas com o fuso do nosso rectângulo – isso, sim, é nacionalismo. :-) (olá) :-)

  22. Caro Portuga,

    Desde logo vai chamar cromo a quem conheça, a mim não me conhece de lado nenhum. Eu falei de factos para dizer que aquilo que acusam agora o novo governo aconteceu em medida bem superior (na minha opinião opinião) no governo anterior e vocês não ficaram indignados e que se o governo anterior fosse do PSD e o presidente o Jorge Sampaio o governo do Sócrates já tinha ido de vela à muito tempo.

    Por outro lado acho muito bem que fique indignado por lhe roubarem o 13º mês e por aumentarem o preço dos transportes. Contudo, acho muito estranho não ter ficado indignado quando fecharam escolas e as crianças têm de fazer mais de uma hora de transporte diariamente, acho estranho terem fechado urgência e não ter ficado indignado, terem aumentado o preço dos medicamentos e terem deixado de comparticipar outros e não ter ficado indignado, terem aumentado as taxas moderadoras e não ter ficado indignado, terem aumentado o IRS e não ter ficado indignado, terem aumentado todos o impostos e não ter ficado indignado, terem aumentado a função pública em 2009 para ganharem as eleições e no ano seguinte cortarem esses salários num valor bem superior e não ter ficado indignado. Fico muitíssimo admirado por terem escondido o défice de 2009 para ganharem as eleições (mas o de 2005 a meio do ano já sabiam que no final ia ser 6.83%) e não ter ficado admirado. Fico admirado por terem proposto um PEC onde cortava fortemente nas deduções fiscais (que em muitos casos vale muito mais que metade do 13 mês) e não ter vindo para rua. Terem aumentado a divida publica em 50% e e isso não merecer indignação? Terem aumentado os abonos e passado um ano cortarem o abono a muitos portugueses e congelaram as pensões de miséria e isso não merece indignação? Há muita indignação para exprimir.

    Crise mundial??? Mas o nosso ex 1º ministro disse que íamos aguentar melhor a crise que os outros, que estávamos a crescer, mais ainda, éramos os recordista do crescimento por esta Europa. O Manuel Pinho até disse em 2008 que a crise já tinha passado. Até mais a crise começou em 2008 e em 2009 o governo aumentou a função pública porque segundo ele aumentavam o défice porque queriam (para ajudar a superar a crise), e o que pressupõe que quando quisessem o défice voltava para os 3%, certo é que fizeram trinta por uma linha e não baixa.

    Meu caro Portuga, há crise mundial que nos afecta imensa e como sempre, afecta mais os mais vulneráveis, os que estão menos preparados, se tivéssemos uma economia mais forte e se não tivéssemos uma divida tão grande não éramos tão afectamos. Sobre o desemprego é verdade que ele aumentou tanto em percentagem no tempo do PSD como do PS, mas enquanto que no tempo do primeiro o numero de pessoas que ficaram quem emprego foram pouco mais de metade do que no tempo do Eng Sócrates (o tal que ia criar 150mil empregos). Já agora sobre Espanha eles têm esta taxa de desemprego há n tempo, aumentou mais agora, mas é elevada há muito anos.

    Eu reconheço as trapalhadas deste (bairrão, CGD, Nobre…) como de outros governos, mas o que eu acho piada é idolatrarem (como fazem neste blog) um primeiro ministro que deixou o país no estado que está, que andou a prometer mundo e fundos e quando deixa o governo estamos numa grave crise económica e social que só tende a pior. E vocês que andaram durante anos a defender o Sócrates e os seus casos mal explicados querem agora que num mês e por obras mágicas (sem dinheiro) se resolva aquilo que os outros não fizeram (e pioraram) em 3 anos.

  23. pois é Sinhã, tem aqui um paradoxo: imagina que eu tinha um terrível amor por Portugal que me deu cabo da vida, literalmente, e depois dei comigo confundido entre se chamar Portugal é Estado, estado do Estado, Estado do estado, estado, país ou nação, e então larguei, e agora o meu amor é pelo povo português, esse creio que não há nada a fazer, é uma coisa no espaço-tempo que mete então antes de bazar quis deixar aí um lembrete de presente enterrado e de vez em quando venho cá buzinar. Ainda assim não consigo acompanhar a produtividade primária líquida do Aspirina que é mediterrânico, eu estou em aclimatação tropical com as raízes meio no ar a sambar…

    Mas tenho que escrever uma porra! Da paisagem como objeto semiótico, cá não tem c, será que a Susana ainda anda aí? Tenho que ver se não me esqueço do título deste post, mais ou menos.

  24. :-) já está quase tudo imaginado, x. e em jeito de semióptica, da qual a linguística é apenas uma parte, faltará o quase – que será o tudo sem imaginação que só assim poderá ser colhido e posteriormente cultivado e lembrado. gostei disso das raízes a sambar. :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.