Jaime Nogueira Pinto, esta é a tua grande oportunidade

Jaime, os taralhoucos que te ofereceram a magnífica oportunidade de fazeres cabeçalhos e dares entrevistas, para mais gerando um consenso unânime a teu favor e contra as alimárias sectárias, ficarão para sempre no teu coração, sabemos. Mas venho pedir-te para que não desperdices a belíssima oportunidade de dares uma lição de liberalismo ao País (que bem precisa, como tão bem sabes). Para tal, basta que agradeças aos partidos, universidades e quem mais ofereceu instalações e lhes digas que já escolheste: irás dizer o que não disseste na Nova dentro da Associação 25 de Abril. E aproveitarás para acrescentar uns rasgados e sentidos elogios ao que os portugueses alcançaram, em festa, no 25 de Abril de 1974. Porque esse dia está na nossa História, talvez, como o dia em que o espírito liberal mais se fez corpo e alma de Portugal.

.

13 thoughts on “Jaime Nogueira Pinto, esta é a tua grande oportunidade”

  1. Jaime Nogueira Pinto, que não conheço e em relação ao qual estou politicamente nos antípodas, merece-me o respeito que é devido a uma espécie rara: a direita das ideias, a direita intelectual, a direita que pensa com a cabeça e o coração e não com a carteira e o umbigo. O Jaime Nogueira Pinto de hoje é igual ao Jaime Nogueira Pinto de há 40 e tal anos e, agora como então, defende ideias e não interesses, ainda que as primeiras possam, objectivamente, servir os segundos. De Jaime Nogueira Pinto divirjo, repito, mas por ele tenho o respeito que merece quem conversa e discute com argumentos, que é o que ele iria certamente fazer na conferência a que uma direcção de universidade cobarde, acagaçada por um bando de idiotas em bicos dos pés, o impediu de comparecer.

    Pelos idiotas autoproclamados de esquerda mas com o coração do lado direito responsáveis pela proeza não sinto senão o desprezo que merecem os macacos de imitação cretino-americanóides excitados com o recente e mui “democrático” exemplo de Berkeley, que burgessamente tentam clonar à moda da Curraleira.

    À Associação 25 de Abril, o meu aplauso, por ter imediatamente entendido o que verdadeiramente os idiotas puseram em causa, que são os valores com que eles, idiotas, atroam certamente os ares a toda a hora, papagaios empalhados sem a mínima ideia do que significa o que lhes sai da boca para fora. É um consolo verificar que na A25A os valores de Abril estão bem enraizados e simultaneamente à flor da pele, resultando na magnífica e honrosa reacção com que agora nos presentearam.

  2. Já agora, perdoem-me os ilustres comensais desta modesta tasca o desabafo, aproveito a generosidade dos anfitriões para deixar aqui registado um veemente protesto: eu, Joaquim Camacho, pertenço à injustamente ostracizada metade do país que (ainda) não foi constituída arguida no Processo Marquês, o que configura uma inadmissível e antidemocrática discriminação e um atentado contra os direitos humanos.

    Mais informo que desta minha indignação formalizei denúncia escrita, tendo dela enviado cópias à Amnistia Internacional, Human Rights Watch, Comissão das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Comissão das Nações Unidas para as Alterações Climáticas e o Aquecimento Global, União Zoófila, Confraria do Vinho do Porto, Associação de Inquilinos Lisbonenses, Associação Portuguesa de Proprietários, Associação Portuguesa de Ténis de Mesa, Associação Protectora dos Animais, Associação de Defesa do Património de Mértola, Associação de Ciclismo do Minho, Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia, Associação de Moradores das Lameiras, Associação de Nadadores Salvadores de Coruche e, last but not least, Associação de Criadores do Porco Bísaro.

  3. Alarme! Alarme!
    Um fascista foi impedido de falar numa universidade! Caso nacional. O MP fará uma investigação por atentado à ordem social vigente.

    A universidade é o ponto de confluência de inúmeros conflitos, geracionais, ideológicos, sociais etc…casos destes ha milhares por esse mundo fora , sempre assim foi e será. A desproporcionalidade e dramatismo deste só se justifica pelo valor simbólico e cultural não da liberdade de expressão mas de um arcaísmo, o respeitinho, que é muito bonito.

    Por mim a única alternativa, a real, é reservar-lhe já um gig no Campo Piqueno.

    Uma boa questão era saber porque é que os cursos de economia/business da Nova são escolas do neoliberalismo que eliminam outras alternativas do pensamento Economico. O Estado financia a formatação de cérebros que depois aparecem nas tv’s a mexer os braços muito depressa a dizer que temos que pagar os bancos, a crise e tudo o mais. Com a pluralidade de conteúdos no ensino é que o estado se devia preocupar não com a sensibilidade fina de um fascista.

  4. … «eu, Joaquim Camacho, pertenço à injustamente ostracizada metade do país que (ainda) não foi constituída arguida no Processo Marquês, o que configura uma inadmissível e antidemocrática discriminação e um atentado contra os direitos humanos.», de que te queixas tu ó Camacho a ver se eu te percebo?

  5. Valupi, apesar de hoje ser o Dia da Mulher não quero que fiques triste.

    «É estratégico, sabe-se que os seus legionários vão fazendo o trabalho de sapa em nome de um valor facilmente infiltrável e politicamente correcto que se chama “cidadania” (muitas vezes os blogues monárquicos e os neo-nazis propositadamente se confundem sob o manto de nacionalistas, na verdade). Há ainda uma fauna diversa de saudosistas (os abrunhos do CDS de que fala o DN vêm neste pacote), e que se mantêm activos mesmo no Aspirina B. Dou-te 5 minutos, vais ver.»

    Aqui, 1, 2, 3 e 4/4 comentários à borla: http://aspirinab.com/penelope/apoiemos-os-grandes-sonhos/#comment-736526

  6. Fascismo NUNCA MAIS, nem com as desculpas de que estando em democracia, temos de ouvir fascistas a falar!!!
    Boa Penélope e Valupi. Eu, pertencendo às FA e tendo feito parte do MFA, mesmo que apenas em 1975, quando regressado de Angola para onde fui mobilizado em 1973, não compreendo, nem nunca compreenderei, que agora, só porque estamos em democracia, os fascistas salazaristas, discursem em instituições públicas democráticas, quando o seu patrono assassinou e torturou até à morte milhares e milhares de nossos concidadãos, só porque eram anti-fascistas!!! Vergonha das vergonhas! Fascismo, nunca mais!!!
    Vejam: https://ionline.sapo.pt/552441 ; http://www.sabado.pt/portugal/politica/detalhe/o-dia-em-que-jaime-nogueira-pinto-defendeu-salazar-na-televisao e etc.

  7. E enquanto a miudagem de todas as camadas etárias brinca às escondidas, o mundo continua a crescer:
    http://www.veteranstoday.com/2017/03/08/bezos-denial/

    Como diz um sábio comentário, numa discussão que decorre algures numa galáxia longínqua, mas cada vez mais próxima:

    “This shows desparation on the part of Yad Vashem. The holocaust industry has hundreds of millions of dollars for promoting their version of history. Countless hollywood movies and TV series have spread their version of the events. The holocaust industry is helped by all the school books in the western world that promote their version of history. Yet, Yad Vashem fears the books that cast doubt on their version of the events. These books are written by few people who are ostracized and imprisoned for their publications. Their books are not promoted by any media campaign and their authors can hardly make a living by publishing them. Yet, Yad Vashem’s fear of these books is so strong that they urge amazon to stop selling them. Yad Vashem’s reaction shows that these books are more powerful than their multimillion dollar budget. Therefore, the books need to be banned. What have they got to fear? What is more powerfull than all the government and mainstream media, the multimillion dollar budget and mainstream school education, the holocaust denial laws and on and on and on…. What can possibly be so powerful to pose a threat to all of that? I think we all know the answer. Things are going to get a lot worse until they get better. The holocaust censorship campaign is now in top gear. The last bastion of hope is America, where freedom of speech is protected like in no other country in the world. Since “they” cannot get the american government to outlaw the other side of the debate, they are now pressuring google and amazon to do the censorship for them. I am curious whether this will work. But, I have little hope. So far noone has stood up against these attacks on our freedoms.”

    E anda a miudagem muito preocupada com o presidente Trump…

  8. Putos patetas da UNL, Valupis castigadores dos malvados censurados, e paladinos das «boas censuras» de modo geral, aprendam aqui como se faz:
    https://www.google.com/

    Façam uma pesquisa depressinha, enquanto o Google está a funcionar, por «yad vashem amazon bezos ban holocaust denial books cemetery» para verem a campanha de intimidação que decorreu no mês passado, muitas vezes através de artigos que personalizavam o ataque sobre o Jeff Bezos da Amazon e se faziam acompanhar de fotos do mesmo. Como seria de esperar, a rendição em campo aberto do desgraçado Bezos, que até recentemente tinha resistido às solicitações não-nominais, foi rápida. Vamos lá ver agora até que ponto será bem sucedida a supressão da notícia deste brilhante sucesso, subtraindo-o ao radar dos raros media anti-censórios que poderiam incorrer em suspeitas de «anti-semitismo»…

  9. Germar Rudolph dixit: «George Orwell’s Animal Farm has not yet been deleted, which is a good thing, because it contains a line we will be needing to learn. “Four legs good, two legs bad.” Repeat this many times every hour. We will be needing such thinking more and more as we venture forth into this new world, in which our books, and soon enough our thoughts themselves, will be censored and cleansed to the total satisfaction of our masters. Holocaust good, revisionism bad. Holocaust good …»

  10. MCtorres

    Uma tristeza dar as então colónias a tipos que conseguem ser mais ditadores que outros….Porém, dar o que não custa a ganhar é uma qualidade dos esquerdalhas..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *