Foda-se, ó pá

É a doer, tem de ser a doer, morreram 64, ardidos, queimados, a fugir, sufocados em chaminés, encarcerados em carros sobre um talude onde até as jantes de liga leve derreteram (mas a quantas centenas de graus derrete a liga leve?), 64 até agora e provavelmente serão mais, há feridos graves e ainda andam a bater às portas a perguntar se falta alguém, 64 mortos têm de fazer isto andar, tem de ser a doer, não precisamos de chorar mas precisamos do choque, não foi só a mãe natureza que foi filha da mãe natureza com tufões de fogo e trovoadas secas e raios que houve e depois não houve e afinal houve, foi tudo isso mas não foi só isso, isso que o país tem pressa demais para saber e o Estado tem vagar demais para não saber...


Pedro Santos Guerreiro

__

Temo pelo que pudesse ler mais neste texto se estivesse publicado na íntegra sem custo, agradecendo ao autor por só disponibilizar um parágrafo à borla. Mas será que este gajo não tem a mínima consciência do gongorismo maníaco da sua escrita, o qual passa como um ruído de fundo folclórico no panorama do jornalismo de opinião mas que configura uma indecência estética quando usa os 64 mortos como carne para o seu canhão narcísico?

Ó pá. Foda-se.

11 thoughts on “Foda-se, ó pá”

  1. No tempo da censura era assim :
    Noticia de um suicídio : ” substituir homem atira-se abaixo da ponte, por homem caiu da ponte ” .
    Noticia de abuso sexual ” substituir avô violou neta, por desconhecido violou criança ” .

    Noticia no tempo do paladino e defensor zelota ( Valupi ) do regime regime lodoso vigente :

    ” Não fazer alusão a mortes. Se tal não for possível, substituir por número indeterminado de vitimas . Sobretudo, não mencionar,
    – todos os idiotas que no âmbito da sua incompetência, decretaram o fim da agricultura e promoveram o abandono da terra,
    – estabeleceram que os guarda florestais eram um anacronismo do passado e como tal, decretaram a sua extinção.
    – cogitaram que “o eugcalipto ega o petgólio vegde”,
    – entenderam que a solução para as necessidades do país, passava, no âmbito do chamado “empreendorismo inovador” e das ” novas soluções”, por cedências e concessões escandalosas a negócios privados,
    – que desse modo tendo agido, confundiram interesse público com o interesse de alguns,
    – e assim fazendo, supriram todos eles a sua incomesuravel incompetência, podendo agora desresponsabilizarem-se colectivamente, porque todos eles erraram .
    – sobretudo, e em especial, não referir se governantes ditos socialistas, têm também eles, responsabilidades no desacerto.

  2. O estilo do verdadeiro vampiro: mesmo com os corpos queimados e em cinzas o cheiro do sangue não lhes larga as ventas.
    Não tendo à mão o espectáculo de sangue a correr dos corpos mortos no alcatrão ou dos rostos dos que sobreviveram então, o verme que se alimenta de sangue alheio, tenta elevar à potência máxima a dramatização do “ambiente” da morte para daí retirar as suas conclusões que logo se dão a entender desde a primeira à última palavra do extenso parágrafo inicial da opinião do opinoso vampiresco.
    Actualmente na sic agora é assim; se os balsemão pai & filho dizem mata os lacaios dizem esfola. Aquilo, face aos números e mapas dos relatórios de contas internos, deve andar a viver já em águas a ferver e a grande solução, como sempre, é conseguir um governo psd o mais rápido possível para acordarem o tratamento e mezinha adequada.
    Os grandes executores e homens de mão para executar o plano de solução são o psg no expresso e o mano costa na sic como é notório diariamente.

  3. Ver isto

    http://sombra-verde.blogspot.pt/2006/08/petrleo-verde-afinal-tambm-arde.html

    Por onde andam eles ?
    Alvaro Barreto, Miga Amagal, Rui Carp e todos os outros, andam a tratar das suas vidinhas, que isso de ter passado pela política, gerou bons frutos para os beneficiários . Agricultura política, olaré !
    Barreto talvez possa ser visto a jogar golf, na Sic Gente .
    Ou no campo de golf do Melancia, considerado por um juíz, – e não obstante localizado no Alentejo, região carenciada de água e ameaçada pela desertificação, – como integrante de um “espaço verde”.

    Aqui :
    http://apodrecetuga.blogspot.pt/2013/02/empresa-de-pais-do-amaral-compra-campo.html#.WVBm-LHOWhA

  4. Clicado “publicar comentário” logo surgiu o Simeone com mais um dos seus politicosos comentários .
    E mais uma vez o comentário, que quer fazer-se passar por jocoso e é apenas pàfioso, maltrata a boa ética e retrata invertida a realidade. Desse modo retrata o “homem que se atira abaixo da ponte”, certamente, em oposição jocosa surrealista ao homem que se atira da ponte abaixo.

  5. Se decidiste dar cacetadas em todos aqueles que “usam os 64 mortos como carne para o seu canhão narcísico”, vais andar ocupado full-time durante varios meses no minimo…

    Boas

  6. o estado é o culpado de tanta carne, e jantes de liga leves, assada; a protecção civil é uma merda; os bombeiros são uns azeiteiros. que gente complexada.

  7. Ó Valupi, não no estilo literário mas na efervescência intelectual hoje o PSG aproxima-se bastante do teu amigo Pedro Marques Lopes.

  8. O engraxador-mor Neves veio logo .
    A vaselina brilha !
    Quase de certeza que é mais um dos que fugiu ao destino que lhe estava traçado, e acabou eleito regedor disto ou daquilo, numa das listas do PS .
    Volte para a enxada e cumpra a sua missão!

  9. Simeone, pela última vez te digo que seria de boa ética para seres sério e honesto que apenas deverias comentar acerca dos temas postados e respectivas opiniões-comentários aqui expressos.
    D’outro modo arriscas falar do que não sabes nada, absolutamente nada pelo que só podes lançar ao ar boatos, adivinhações, disparates, absurdidaes, falsidades, invenções e imaginações de cartumante estúpido.
    Também podes continuar e até apurar esse teu gosto pelo jocoso mordás mas, dado o pouco jeito e fracos conhecimentos histórico-filosóficos, nunca irás além do porco, acintoso e provocatório.
    Embora frente a um computador, mexer-se e pensar não é, de modo algum, a mesma coisa.

  10. Eheheh …
    ” Cartumante “, eu ?
    Explica aí ó Neves .
    O que será um ” cartumante ” ( sic ) ?
    Dica : talvez um habitante de Cartum ? Não?
    Outra dica : hehhee, um tipo que se atira da ponte acima ?

  11. só agora percebi que o homem não estava a ser irónico. tive de ler aquilo umas 3 vezes , não percebia onde queria chegar , estava naquela que era ironia ( as jantes e o esturricado e o resto ) , mas afinal não é. pues que le den por el culo , que merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.