4 thoughts on “Exactissimamente”

  1. o discurso do André Ventura é apenas o discurso de um verdadeiro representante do povo. mas lá pelos párocos e frades da política e merdia na generalidade terem um discurso xpto pateticamente correcto , acham mesmo que a gente vos segue ? se nem os padres de antigamente conseguiam que a malta deixasse de pecar e tinha a ameaça do Inferno à mão , imagine-se estes palerminhas. vamos continuar a seguir os pré conceitos dos nossos antepassados , que que hão-de fazer ? multar prender pidar ? fascistas.

  2. Valupi, pressão alta porque não penses que escreves (só?) para tontinhos.

    No post do Paulo Pedroso sobre o recurso à PGR , no caso em que se menciona o que se passou com a rábula da Caixa Geral de Depósitos na comissão parlamentar, foram enviadas as “conclusões” porque era uma forma (e a única?) de, institucional e politicamente, um deputado individualmente considerado ou o seu partido actuar. No caso, o BE e mesmo de memória tenho a certeza de que não é inédito… E sem ressentimento até porque os deputados estiveram literalmente a trabalhar para o boneco, já agora.

    _________

    Nota, eis uma frase que espoletou a saída dos senhores do CDS no dia seguinte e que, só por isso, mereceria bastante ser relembrada porque caracteriza na perfeição a personna político-mediática e a cabeça do menino André Ventura. Não há aqui elaborados focus group e isto sucedeu antes de tudo, como se percebe. «Não há praticamente nada que André Ventura diga que eu não considere profundamente errado, ligeiro, fruto da ignorância e de um populismo que tanto pode ser gratuito, telegénico ou eleitoralista.» – Francisco Mendes da Silva, na hora.

  3. Tudo cada vez mais claro.
    Ver a gravação da quadratura da elipse elucida sobre o país a que estamos acorrentados.
    Depois da discursata do pp sobre a derrocada da mírdia : me too, me too, segundo a segundo palavra a palavra a palavra de se insurgir perante um trabalho de propaganda óbvia é de gargalhada a sua prestação em defesa da coligação psd/cds para o ilustre candidato a Loures.
    Qual conversa de futebol qual carapuça, o homem fez até agora carreira no mânhas com suas maravilhosas e bem orquestradas justificação para o bem famoso e sempre presente caso marquês das cartas rogatórias em slow-motion, da banca rota, da pt desgraçada pelo esse marquês de todas as culpas.
    Loures é prémio pelo serviço prestado à causa.
    Claro que tinha que ser local de apetitoso manjar para as eloquentes teorias de taxistas.
    Bom proveito para Loures, bom proveito para o xavier.
    Bom proveito para o pacheco e sua causa principal á flor duma propaganda nunca disfarçada.
    Bom proveito para quem não tem “unhas” para fazer a diferença na triste elipse.
    FTH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *