7 comentários a “Exactissimamente”

  1. entendo, e gosto, o que escreveu a Fernanda. no entanto, faz parte da maturidade entender também que num país com mais de 80% de gente católica tudo se oriente pela intolerância ao que fugirá aos princípios da religião. pedir ao papa que participe na discussão da eutanásia seria interessante mas parece-me mais adequado pedir ao parlamento que faça um mini-break enquanto o papa está cá – chama-se tolerância de gente inteligente perante o óbvio. já se sabe que o mundo continua a girar e que as almas em sofrimento continuam a querer morrer mas Portugal é um país católico. e tal é um facto, é discutível se será um defeito e pouco interessa querer reverter isso por uma questão de feitio. tenho quase a certeza de que Marcelo está a ser a voz do povo quer se goste ou não.

    a propósito da disciplina de religião e moral, que é optativa, nada tenho a dizer – a não ser acrescentar que a nuance católica pertence ao leque de escolhas onde entram também, e conforme pode ser analisado na direcção-geral da educação, o ensino religioso segundo os ensinamentos Bahá’ís, a educação moral e religiosa evangélica e o ensino do Budismo.

  2. A BESTA está contente, encontrou na Câncio uma aliada, uma ignorante, uma pateta…

    Recuso-me a ler até ao fim, porque estou perante uma perita em vómitos verbais.
    Já agora: viva DEUS, viva JESUS, viva a VIRGEM MARIA. E viva a IGREJA CATÓLICA – que é a igreja Universal….

    Por isso, lá vem mais uma por quem temos de rezar. Será que alguém entendeu Mel Gibson? As “Câncios” não…mas até são capazes de botar faladura na matéria…

  3. Exactíssimamente isto:
    Vitor Cunha Atheists by default. My faith in a godless world (happy with certainty of the unknown) is offended by your faith driven by metaphysical reasoning (happy with plausible explanation for known existence of unknowns).

    Ou, em português corrente: “mete burka nisso”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *