Delenda Cavaco

Cheira a Collor de Melo em Belém. A notícia dos emails no Público não permite qualquer fuga, Cavaco tem de falar. E para dizer o quê? A sequência dos acontecimentos, transparente das intenções dos mandantes da conspiração, aponta numa única direcção: a sua demissão. Não sendo isso, pode também dizer que as escutas existem, e que ele tem provas. Ou que existem, e ele não tem provas. Nestes dois cenários, claro, a sua demissão continuaria a ser o desfecho mais lógico.

42 thoughts on “Delenda Cavaco”

  1. Afinal as conspirações existem. Agora vejamos, segundo a regra do que permite o “mais” permite o “menos”, e sendo o “mais”, este assustador (quanto ridículo) gesto do sr. PR, então, já se começa a entender certas campanhas movidas lá para os lados dum certo “Público”. Penso que começamos a estar conversados, o que não deixa de ser grave para Portugal. Foram longe demais.

  2. Bom post, Val
    Quanto à demissão de Cavaco isso não acontecer. Dizia-se que no tempo de Salazar, ele tinha de fazer o que a pide mandava. Com Cavaco são: o grande capital, a grande industria e os seus assessores. Está metido num colete de forças ou numa grande teia de aranha.

  3. Para o trafulha de boliqueime demitir, teria que ter uma honra, sentido do decoro e vergonha. Nunca deu o mais pequeno relampejo de nenhum dos 3…

  4. O Cavaquismo está todo enlemeado…e cheira mal…

    Afinal, Cavaco sempre soube escolher os amigos….

    Cavaco indigna-se com insinuações sobre si….
    Cavaco não se dá ao respeito…
    Cavaco não é um chefe de Estado..é só o chefe…
    Não é o Comandante em Chefe das Forças Armadas…É o Chefe das Forças….
    Cavaco faz cara de quem está a cagar quando fala…fala e diz merda…
    Os cobardolas escondem-se atrás de biombos….

    Não tem como escapar…está nas gaiolas das toupeiras…
    Investigue-se…..

  5. Valupi,
    Cavaco se tivesse vergonha na cara, ainda hoje se viu que não tem, devia demitir-se. Não tem que ser destruído, como Cipião dizia de Cartago. Já agora, em latim correcto seria: Cavacus delendus est, Cavaco deve ser destruído, delenda é feminino tem a ver com uma cidade, Cartago. Aliás a frase não é bem essa. A que ficou famosa foi a maneira como Cipião ao longo de anos acabava todos os seus discursos no Senado: Hoc censeo et Cartaginem delendam esse – “Penso isto e que Cartago deve ser destruída”.
    Dito isto, estou de acordo: OU Cavaco explica muito bem não “os problemas de segurança”, como ele hoje disse, a desviar mais uma vez as intenções, mas sim que toda a inventona do Publico é feita “a pedido do Presidente da República”, com os detalhes que o mail de Luciano Alvarez revela. OU deve desencadear-se desde já o processo de “impeachment”, que nos termos da Constituição Portuguesa tem de passar pelo Supremo Tribunal de Justiça e pela Assembleia da República. É chato, claro. Mas num País que se respeita não há terceira via.

  6. se isto fosse um país a sério, já haveria uma investigação (de quem de direito) a mais esta conspiração. como não é um país a sério a táctica da conspiração perdura como arma política (e perdurará). a conspiração tornou-se banal. basta olhar para trás, desde a casa pia, passando pelo freeport 1 e por aí fora. agora chegou a belém (nada que não soubéssemos antes, pelo xico louçã e pelo provedor do público). já sei o que vai acontecer a seguir (cavaco não fará nada como habitualmente). os conspiradores e seus apoiantes (pacheco, raposo, jm tavares…) vão, enchendo o espaço mediático através da retórica mentirosa, armar-se em vítimas do polvo socretino. mas os portugueses começam a percerber que esta gente quer chegar ao poder através de um golpe de estado politico-mediático.

  7. Para Cavaco, o melhor seria o seu assessor assumir a autoria de toda a “paranoia”, fazendo mea culpa, e demitir-se do cargo. Caso isso não venha a acontecer nas próximas 24 horas, Cavaco deixa de ter condições para exercer o mais alto cargo da nação. E, obviamente, é urgente demiti-lo.

  8. Entalamento total: o mais interessante é que neste caso em que o PR interfere directamente na campanha usando o Público como porta-voz, já não se fala em asfixia democrática, nem em interferência do poder na esfera da comunicação social.

    O que é que Cavaco quer dizer com isto da segurança? Que a gravidade da situação não consiste na falcatrua mas no facto de ela ter sido descoberta?

  9. “Que a gravidade da situação não consiste na falcatrua mas no facto de ela ter sido descoberta?”

    ora nem mais, a culpa é do constâncio e o fernandes vai para bruxelas à semelhança do melro. o guião é sempre o mesmo.

  10. José Teles, muito obrigado pelo latim, que não gastaste em vão. A expressão “Delenda Cavaco” apenas pretende ser glosa, não frase gramatical. É uma brincadeira com a memória romana de Cartago, tal como bem expuseste.

  11. Cavaco atingiu o ponto de não retorno.Por culpa própria.Não votel nele mas sempre o respeitei.A partir de agora,é necessário pensar com muito cuidado na pessoa que o deverá substituir.

  12. Cavaco sempre fedeu. Desde os tempos de antanho, quando foi fazer a rodagem do carro lá para os lados da Figueira, se viu que o dito queimava mal. A tão propalada isenção do sr. é um mito. Mas há uma questão, também muito importante, que se prende com o acto de questionar os adiantados mentais/patetas que disseram que tudo isto era uma patetice de Verão e não interessava nada. É a vida…

  13. Val, desculpa voltar a comentar mas estive a ler o e-mail e há coisas do caneco. então o alvarez diz no início do e-mail que não pode telefonar (devido às escutas) ao nóbrega para expôr o assunto e depois no final do e-mail volta a dizer-lhe que posteriormente falará com ele pelo telefone (pois em casa não tem computador)…..e aquela de dizer que é bom que o assunto comece a ser explorado na madeira, para pensarem que foi o alberto joão que o iniciou. que grande filha-da-putice. espero que o alberto lhe dê a resposta merecida.

  14. Então a história tem ano e meio? E Cavaco diz que vai agora colher informações e dirá o que pensa depois da eleições? Não sabia nada? Demita já o assessor! Se sabia e aguardou por esta data, só tem um caminho: demitir-se. Ao que isto chegou!

  15. Pois eu não estou perplexo com esta sórdida movimentação de ratazanas de esgoto. Se à coisa que a algum tempo sei é que existem campanhas negras, montadas, com o intuíto de destruir a credibilidade e honorabilidade de José Sócrates. Sei também, desde então, que o nosso PM, pela forma como sempre reagiu e reage a tudo isto, foi ficando mais forte e isso sente-se. É fácil. Jóse Sócrates não tem a fragilidade de um culpado, ao invés, ostenta sempre a determinação e o estofo de alguém inocente do que o acusam. Jóse Sócrates não anda atrás dos jornalistas nem lhes vai lamber as botas (como vemos por aí) querendo a todo o custo limpar-se de alguma hipotética “coisa”, ao invés, dá-lhes desprezo. Quem já viu, sabe do que estou a falar.

  16. Quem toma atenção à realidade sabe que a estratégia da chamada “asfixia” tinha contornos de pura anedota. Na realidade, numa época em que todos, de forma livre, se vão exprimindo acusando sem provas, dizendo o “raio” sem ponta de medo, vir falar em “asfixia” era giro, agora, todos sabem que tinha também contornos de pura máfia. No auge da chamada “asfixia” para enganar tolos, toca a sair o PM que faz escutas, reparem: até ao PR! Deu para o torto. Ainda bem. Repara algum dano? Isso ainda não se sabe, afinal, ainda temos as nuvens freeport, tvi e o diabo a quatro. Mas já vimos a estratégia e o modus operandi, há que desmontá-los.

  17. Parece-me que agora, pela via do desespero de quem dá um monumental tiro no pé, é que as coisas ainda se vão assanhar mais.

    Os silêncios e declarações de MFL e do cavaco são escolhidos metódicamente: silêncio quando sai notícia do Público sobre assessores; declarações quando o esquema é descoberto, para insinuar que vai pôr a questão da segurança na ordem. A boca guedes sai da TVI, temos asfixia democrática. O Público inventa notícias por encomenda para assassinar o carácter da única solução que este país tem à vista (Sócrates) e não se comenta…

    O PSD desceu nas sondagens…o desespero vai pôr os gatos mais assanhados, mas também mais sujeitos a deixar os rabos de fora

  18. misugis ou lá o que é, tento dizer-lhe qual a fonte do DN se me disser qual é a fonte do “ex-jornal nacional” e do “sol”, tá? E, já agora, todos temos conhecimento que a fonte mais querida do José Manuel Fernandes é um tal Balbino Caldeira e um tal José Maria Martins (dois ilustres asfixiados da nossa república), o que não se sabia, é que o PR também andava metido nessas cavalgadas… Preocupe-se menos com o assessório e bem mais com o estado partido do seu partido.

  19. Não há nenhuma asfixia democrática.
    O facto de uma comunicação privada (email) entre dois jornalistas ter surgido na primeira página de um jornal não tem qualquer importância, é assessório.
    Como é que a partir de hoje os jornalistas vão trabalhar em conjunto numa investigação (que ainda as há)? Os próximos serão os polícias?
    Que falta fez a tecnologia ao Nixon para parar o Watergate!

  20. Sr. Gorjão agradeço o seu comentário.
    Umas coisas…não tenho partido. Nunca fui filiado e com estes políticos nunca serei ! Não lhes reconheço inteligência para me governarem. Governa-me quem eu quero, não quem quer. Mas diga-me:
    Qual a fonte do DN, sabe ? Mails internos perdidos…Ah ! O dirctor do Publico demite-se o o Srº Marcelino é louvado aos quatro ventos pelo engenheiro…por acaso, o tal Marcelino é director do DN, essa pérola do jornalismo rosa (ups, perdão…jornalismo independente)!
    Mas sossego…não me sinto asfixiado e espero nunca sentir!
    Não dou é para estes peditórios nem emprenho pelos ouvidos.

  21. Sabe misugis, o que é mesmo detestável são as técnicas sabujas que têm vindo a operar em Portugal para liquidar o PM. Vejo e lamento que concorda com elas. Concorda que um assessor do PR, prepare um dossier de alguém, arremate com uma história dilerante e a entregue a um jornal para que este, repare bem, se vá a “eles”. Concorda com “isto” e a única coisa que a preocupa, não é “isto”, mas, ainda, imagine-se, a forma como “isto” veio a lume. De facto, por alguma razão as campanhas negras existem, há sempre alguém capaz de cair nelas. Livra!

  22. O Cavaco já prometeu que vai tratar da Segurança, mas de forma “Discreta”….
    Certamente tão discreta como tratou deste assunto….mandando um assessor…
    E-mails é que não…pombos – correio….

    A coisa não tem paranço…o Conselho Deontológico dos jornalistas vai investigar…
    O José Manuel tem a corda ao pescoço, e formulou o último desejo: que ela parta.

    Em Belém, não se aguenta o cheiro a pastéis…

  23. Srº Gorjão…
    Sabe uma coisa…no meio desta trapalhada toda, não sei quem é o maior sabujo!
    Mas continuo sem entender como é que um mail interno do Publico vai parar ao DN. É que as fontes do Publico eu sei quais são ( pelo menos existem nomes)…as do DN nem por isso !Mas passo bem com isto…

    Campanhas negras ? Não vejo nenhuma…Vejo muita paródia e muito acessório ! O importante fica esquecido com estas histórias de alecrim e manjerona !
    Em vésperas de eleições o importante é a Manuela Boca Guedes, as escutas e a asfixia !

    A forma miserável como vivemos não conta, as reformas de miséria que temos não interessa, a despesa publica não interessa, os impostos não interessam, a merda de ensino a que os nossos miúdos estão sujeitos não interessa, as universidades que nascem como cogumelos para licenciarem desempregados também não interessa, o nosso maravilhoso sistema de saúde não interssa….
    O que interessa são estas alucinações…haja paciência !
    Afinal não sou eu que caio nelas!

  24. Jose Teles, desculpa, acho que o dito e de Catão o velho, e não de Escipião o africano, ambo-los dous estiveram nas guerras púnicas. E rematava os seus discursos no senado com a frase longa ou a curta de Carthago delenda est.

  25. Gostava de lembrar aos comentadores chocados por se ter revelado esta impostura que a asfixia democrática acontece, por exemplo, quando um presidente e seus assessores/jornalistas monta um golpe de estado político-mediático para derrotar fora das urnas um primeiro ministro eleito por uma maioria de portugueses.

    Estes senhores jornalistas, incluino o Alvarez deveriam responder por violação do código deontológico. Porque a manipulação suja da opinião pública também é asfixia democrática.

  26. Ui tanto amor e carinho vai por aqui.

    Então e compreensão ninguém tem? E compaixão cristã?

    Pois eu também acho que Cavaco procede mal pelo seu silêncio, pelo menos, por duas de razões:

    1 – Ou não tem nada a ver com o caso e tem que falar;
    2 – Se tem tem que dar satisfações.

    Agora é também engraço ver dois pesos e duas medidas destes “comentadores” que tudo toleram a uns mas vociferam contra outros de forma que chega a ser mesmo pungente!

    A vida é mesmo assim, cada um com a sua coerência!

  27. Há uma diferença entre suspeições e factos…

    Ora temos um facto…chama-se e-mail..tem lá os nomes…e ninguém desmentiu nada…

    Ora, o e-mail fala em paranóias…e do resto…

    É o português..é uma língua difícil…

  28. é completamente à cavaco, a atitude: não confirma nem desmente, deixa a fermentar para depois das eleições, a insinuação e a insídia ficam a trabalhar na sombra, ao seu jeito. Contra ele espero. Assim como a ferrugenta terá de enfrentar a sua hora da verdade, que convocou, esta aberração de PR também.

  29. Senhor misugis:

    Sabe como saiu o email do Público?
    Da mesma forma que sai o que está em segredo de justiça: SAI DE DENTRO!

    Mas diga-me lá, se o senhor Presidente suspeita há tantos meses que está a ser escutado porque não tomou medidas?

    Sabe como nasceram as Universidades como cogumelos?
    Nos governos de Cavaco.

    Quem começou a novela não foi o Público a pedido do assessor?

    Olhe sempre para os dois lados…

  30. Duarte, calculei que não te respondessem. Os argumentos dos docostume andam fracos. Repararam que ao Cavaco tremia-lhe a voz ao dizer que vai ver a segurança e tal e tal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.