Checkando os factsios

Vítor Matos, um bloguista do blogue Observador, lançou hoje um artigo meritório: Fact Check/ Cavaco não deixou dúvidas sobre quem montou a intriga do verão de 2009?

No entanto, consegue terminar a prosa sem dizer que Cavaco mentiu e mente a respeito do caso – algo que deverá ser comunicado o mais rapidamente possível à Academia Sueca para eventual Nobel da Literatura, pois é feito só ao alcance de um supino artista. O mais longe a que chega na indelicadeza do artigo é à afirmação de que Cavaco está a ser “equívoco” (pode acontecer a qualquer um por causa da puta da linguagem ou da puta da memória, já para não falar da puta da idade, é sabido) ou “enganador” (talvez sem querer, coitado, porque é o Cavaco, e até já se sente o odor a santidade de cada vez que abre a boca). Mentiras não. Mentiras grossas, peludas, debochadas, não. Nada. Equívocos, normal. Enganos, com toda a certeza involuntários. Ah, ganda Vítor!

Outra curiosidade no seu “Fact Check” está em ter deixado de fora aquilo que prova inquestionavelmente que Cavaco mente quando fala deste episódio onde violou o seu juramento constitucional e onde foi instigador de uma conspiração presidencial-mediática para perverter as eleições legislativas de 2009. Consiste numa declaração sua feita em 18 de Setembro, depois do tal encontro com Sócrates a que tem aludido mentirosamente nas declarações relativas ao lançamento do livro, e estando-se a pouco mais de uma semana da votação.

Mas prontos. Tratando-se de um blogue famoso pelo seu fanatismo direitola e liberalismo de pacotilha (nada contra, apenas se registando o facto), ousarem beliscar o padroeiro é digno de aplauso com uma só mão.

.

8 comentários a “Checkando os factsios”

  1. Ó Valupi

    Mete mas é aqui uma posta para que se possa debater a fuga dos 10 000 milhões de euros pela porta das traseiras das Finanças …

    O AbreNúncio acaba de “assumir as responsabilidades políticas” e pediu a demissão das suas funções no CDS à Cristas.
    Logo agora que o Passarolas tinha dito que não havia “responsabilidades políticas” do seu Governo nesta marmelada …
    Já ninguém lhe obedeceu, f…. !

  2. Adenda para a inquieta Jasmim, antes sobre o Marcelo por exemplo.

    «E que a Presidência da República, como o parlamento e os partidos, caia no desprezo geral. Eanes, Soares, Sampaio e Cavaco cometeram erros, consentiram abusos, mas nunca se arriscaram ao ridículo e as querelas
    pueris, a que o vivaz Marcelo diariamente se presta.», até ferve!

    Aqui: http://observador.pt/opiniao/o-mestre-da-encrenca/
    (os comentários dos leitores serão de gente de Direita irritada com Marcelo,
    mas também há os velhos fãs do VPV)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *