Alívio

A máfia russa, recorrendo às suas loiras fatais, capturou as cabeças dos 22 membros do Comité Executivo da FIFA e lá ficaram com o Mundial de 2018.

Trata-se de uma excelente notícia, pois não teremos de levar com o berreiro dos desmiolados a acusarem Sócrates de voltar a dar cabo da economia e do futuro com essa ideia louca de gerar receitas – muitas, gordas – com os estádios construídos para o Euro 2004.

15 thoughts on “Alívio”

  1. Devem estar muito decepcionados, os do berreiro. Os jornalistas e os comentadores, da grande barbearia que é a nossa comunicação social, lá ficaram sem este assunto.

  2. Todos os passadistas, derrotistas, “jornalistas” e outros “istas” (como masoquistas, p.ex.) devem de, facto, sentir-se frustrados, mais até que o Madaíl.

  3. pois li ainda hoje algures que a única mais valia que essas brincadeiras de garotos ( mas porque raio o estado se mete em cenas de desporto ? ainda gostava de saber que é que isso interessa sem ser aos desportistas e quem corre por gosto não cansa) trazem é a nível da imagem do país , que a nível de pilim népia. como se viu com o euro 2004 , pilim ? népia ; dívidas ? bués.
    ainda bem que foi a russia , essa é que precisa de se integrar de vez no ocidente. a tal de mais valia imaginistica vale mesmo para ela.

  4. Bolas dizem isso porque não tiveram que levar com eles em 2004 quando da final da Taça UEFA em Alvalade. Até perguntaram a razão de o jornal do clube ser perto da administração. Loucos…

  5. Receitas “muito gordas” tipo Euro2004? E depois do fracasso do Mundial, iríamos ter palhaçada idêntica para uns JO? Quem ganha e muito são meia dúzia de tubarões e a FIFA/UEFA que embolsam centenas de milhões. O país anfitrião tem 2 meses de festa e uma conta pesadota para pagar durante anos.
    Há gente que pensa que a casa se constrói pelo telhado. Talvez por isso esta esterqueira esteja a ruir…

  6. Como se alguém acredite que as receitas seriam “muitas, gordas” em 2018. Obviamente que estes “eventos” só interessam a carreiristas como Madaíl, Machados e quejandos, que já estavam a preparar-se para prorrogarem os seus mandatos por mais 8 anos. O alívio é vermo-nos livres destes palermas e, já agora, do secretário com o “cabelo à fosga-se”. Que alívio, de facto!

  7. Mas quanto mais será preciso para as pessoas deixarem de acreditar na esquizofrenia destes senhores? Desde a expo 98, até hoje quantos projectos megalomanos foram riqueza e emprego virtuais??
    Gostava que não ficassem por aqui, e dessem cabo de outras ideias megalomanas, que so geram emprego e riqueza na cabecinha do socrates, tais como o TGV, 2º aeroporto e 2a ponte.
    Afinal vivemos em Portugal ou continuamos a sonhar eternamente com negócios da china que não existem?

  8. Alex, tens ido ao Parque das Nações ultimamente? Está bonito, não está? E agradável. Foi caro? Foi. Está pago? Está. Renovámos uma parte medonha da cidade, fizemos uma exposição mundial, ficámos com uma data de equipamentos fantásticos, e se não me engano ainda tivemos lucro. Muito lucro. Oito vezes o que a Expo custou. Aí tens o teu “projecto megalómano”. Ainda bem que temos a “cabecinha” do Sócrates, e de outros como ele. Porque se fosse só pela tua, e outros como tu, ainda vivíamos na aldeia da roupa branca.

  9. Esqueceste-te de um pequeno promenor… Faço parte da maior parte dos Portugueses, que não vivem em Lisboa, mas pagam como todos os outros, estas aventuras sem qualquer valor acrescentado (para as pessoas que não vivem em Lisboa).

    PS: Ha, e a expo propriamente dita não teve lucro, fruto do sobredimensionamento das estruturas e má gestão associada. Na altura (1999) a comunicação social fartou-se de falar nisso, e foi o principio da decadencia do governo de Guterres.

    PS #2: Mais recentemente o campus de justiça, foi pago com verbas destinadas ao Pais *inteiro*, desviadas das regiões mais pobres, como a que eu habito.

    Com tudo isto, e inumeras situações semelhantes pelo meio, ainda bem que ha alguem como tu que ficou satisfeito, porque a mais valia para a região em que eu vivo, e outras, é zero.

  10. alex, vou-te explicar devagarinho e com palavras simples: a expo rendeu oito vezes aquilo que custou. Sabes quem pagou? Quem lá tem casa ou empresa. Sabes quanto é que pagaste, tu que não vives em Lisboa? Nada. Zero. Pelo contrário, como contribuinte, ganhaste imenso dinheiro. E ainda tens bons equipamentos que podes usufruir quando cá vieres. Sem que quem lá vive, e pagou, te cobre nada. Bom negócio, não?

    E é curioso que te agarres que a fase da Exposição Mundial (fase, percebeste?) não tenha pago logo tudo. É que não sei se te apercebeste, se calhar não, aí tão longe desterrado numa região “pobre”, mas a Expo foi planeada de raiz para ser urbanizada. Fazia parte do plano para pagar tudo o que foi feito nessa área, e foi tão bem feito que é considerado um case-study de nível mundial. Planeamento a médio e longo prazo, diz-te alguma coisa?

    Ah, já me esquecia, leste no jornal que aquilo deu prejuízo. E os jornais não mentem, não é?

    É o que eu digo, esta malta gostava de viver na aldeia da roupa branca. A contar os trocos. Investir? Isso é para os estrangeiros, que têm dinheiro que lhes caiu do céu…

  11. Não se percebe a escolha da Rússia, a não ser que se considere alguma troca pelas cedências na Cimeira da NATO ( o futebol já há muito passou a ser assunto secundário nestas coisas dos Mundiais), mas ainda menos a do Qatar – aquilo é caríssimo! Quem vai poder pagar uma cerveja, um bife, o hotel, aos preços milionários que lá se praticam? Enfim, vai ser um Mundial muito selecto, por certo. Resta saber se as mulheres visitantes vão ter de andar de véu e braços tapados aos 45ºC. Ai,a porca da política, o porco do dinheiro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.