33 thoughts on “ALLGARVE… ALGARVE… ALARVE”

  1. Sim, com uma nuance – é Loosa não Llusa.

    E porque não Algarvelândia ou Algarbito para o espanholito!? Ou mesmo – The Kingdom of Algarves, your golf paradise.
    Para o turista vale tudo. Até invadir reservas ecológicas para construir as ditas 2as habitações.
    Felizmente os construtores ainda não sobrevoam o Algarve de helicóptero porque, se o fizerem, estamos feitos: será até ao último nico!
    (não, não me vou queixar dos ataques de palmeirite e de piscinite dos construtores. Nem de casas típicas algarvias com rés-do-chão e! primeiro andar – é um bolo de dois pisos com uma cereja em cima: a chaminé)

    E será que eles não pensaram que o bife vai ler Olgarve!?
    (e o slogan em português? deve ser para reincidentes. ah, pois… 2ª habitação!)

  2. O turismo em massa, maça!
    Precisamos de pensar o turismo no Algarve numa cadência anual e não sazonal, de qualidade e não de quantidade, cultural e naturalista para além de lúdico ou comercial.
    O problema da 2ª habitação, por ser sazonal, é ligeiramente maior do que se possa imaginar. Cria cidades fantasma com custos de manutenção absurdos. E ocupa espaço havendo tanto por recuperar…

  3. All?Pode ter sido a pensar no sucesso do Allarab de Dubai! Estes tipos passam a vida sonhando em viver como os Sauditas do petróleo.

  4. Mas quando é que nos livramos destes ignorantes? Sempre a dar o cú aos estrangeiros! Será que estes senhores imaginam que os estrangeiros gozam connosco por causa desta subserviência estúpida?

    Vai tomar Melhorall, Vai-te embora ó Manuell.

  5. Que coisa tão pirosa. Parece um trocadilho pimba. Deve ter sido um “Director Artístico” e os seus designers a sair-se com esta. Que gente tão estúpida.

  6. Só de imaginar que há uns gajos que devem estar a levar uns milhares de euros para fazer um logotipo e umas cores de fundo e um slogan idiota como se fosse uma coisa extraordinária arrepiam-se-me os pelos dos tomates.

  7. All inclui a mão-de-obra barata, presume-se. Só o facto de termos um ministro que se sai com estas palermices destrói qualquer possibilidade de mais-valias.

  8. O que o Ministro não percebe é o resentimento das populações locais relativamente a alguns turistas portugueses e estrangeiros (que não são tão poucos quanto isso) que durante a época alta todas as noites enchem as ruas do Algarve de mijo e vomitado.

  9. Eu bem me parecia que tinha razão em zangar-me com o cabr*o do PEC, que o deficit passou logo para 3,9% do PIB. Agora ainda não percebi é se devo continuar zangado.

  10. Py
    Adorei o postal. Foi o melhor da ‘saison’!
    Mas, em harmonia com o tema, não seria mais um abutre? (se bem que… era tão previsível)

  11. Por “decreto” do ministro da Economia, Manuel Pinho, o Algarve deixou de ser Algarve para passar a ser… ALLGARVE. Não se sabe quanto é que este “decreto” custou ao erário público, mas deve ter custado muito dinheiro, muitos milhares de euros, porquanto só um criador publicitário muito imaginativo se lembraria de tal achado para esta campanha de marketing público de uma das regiões mais genuínas e mais turísticas do país, cuja marca se confunde com os primórdios da nacionalidade. Ao que parece, o Algarve passa a ser “Allgarve” por causa dos ingleses ou dos estrangeiros que só falam inglês. É uma falta de respeito por Portugal e pela lusofonia. Luís de Camões deve estar às voltas no túmulo. Aparentemente, há uma explicação para este grande equívoco: Manuel Pinho não regula bem da cabeça. E o primeiro-ministro, José Sócrates, também não. Caso contrário já teria acabado com o regabofe.

  12. Sininho acho que vou continuar zangado. Olha do DD de hoje:

    A receita fiscal portuguesa em percentagem do PIB mantém-se abaixo da média dos parceiros europeus, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat.

    Na União Europeia alargada (UE-27) o peso global da receita fiscal (impostos + contribuições sociais) representa 40,8% do Produto Interno Bruto (41,2% na zona euro), enquanto em Portugal essa relação equivalia a 36,3%.

    Tendencialmente, registou-se um aumento do peso da receita face a 2004, embora a curva dos últimos seis anos (2000-2005) se situe abaixo dos valores registados entre 1995 e 2000.

    Tendo em conta as principais áreas da tributação, Portugal tinha a nona receita fiscal mais elevada no conjunto da UE-27 quando analisado o peso dos impostos sobre a produção e as importações (15,1%), face a uma média inferior a 14% na zona euro e no conjunto da UE, em 2005.

    Quanto às restantes grandes categorias (impostos sobre rendimento e o património; contribuições sociais) o peso da receita fiscal no PIB português fica aquém da média obtida para as duas zonas de integração europeia.

    20-03-2007 14:15:21

    Foi-se embora, ou vai, aquele gordo a ganhar 4000 contos por mês, muito louvado a fazer missas, depois de ter caçado todos os pequeninos e médios, a deixar mais de 10% do PIB em dívidas fiscais, que vão prescrevendo paulatinamente, dos grandes claro,…

    torresmos!

  13. Py, afinal estás a precisar do postal que me mandaste. Vá, ofereço-to. Mas foi a pensar em todas as leituras drásticas que poderias fazer que te mandei, antecipadamente, um postal no “Vai uma anedOTA?”. Não viste? : (

  14. Melhor ainda e eu prometo não me chatear:

    prevejam 3,1% e venham a concluir que foi zero, que eu adoro o cardinal do conjunto vazio, tá?

    Vão buscar as receitas fiscais dos grandões que aquele gordo deixou mais de 10% do PIB por cobrar!

  15. Custa-me horrores dizer que o tolo, numa coisa tem razão: o Norte está paradinho!
    Está tipo gelatina: se tocas treme, se pões a mão esborracha!

  16. Não sou a favor da mudança de nome de uma zona como è o meu lindo Algarve, agora se a Allgarve é uma empresa a favor do desenvolvimento do turismo de qualidade não sazoanl nesta zona do pais, ai sim acho e apoio o desenvolvimento dessa empresa, AGORA MUDAR O NOME DO ALGARVE POR ALLGARVE PARA OS BIFES GOSTAREM MAIS ACHO ESTUPIDO!!!

  17. Se me permitem sugeria uma “saltada” aos sites da Agência de Turismo da Cidade de Nova Yorque “I Love NY” e da cidade de Amsterdão “I AMesterdam”

  18. “Obrigado pelo seu voto.” ?!?

    Oh sininho, meter um link de uma sondagem, já preparado/minado com o voto… Má onda, não?

    Acho que o ALL-Grab fica ao mesmo (baixo) nível dos aZores… Será que também se fez ALL-arve disso então?

    É a simples submissão Tuga a quem nos/lhes dá dinheiro, os Bifes! Eles não sabem o que é um Ç, mete-se Z. Eles nao querem aprender Portugûeis, mete-se “mnemonicas”!…

    DN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *