fim de semana musical entre dois pólos

Consegue obter-se uma índice máximo de anuências gestuais num concerto de metal. Em nenhum outro género musical faz mais sentido a expressão «abanar a carola». O metaleiro deve ter boas vértebras cervicais para dançar como um verdadeiro strobe humano. A luz vem dos reflexos no cabelo. Há uma percentagem maior de cabelos compridos num concerto de dark metal do que no Maria Lisboa. Cheirando o ar, entre o fumo tabágico e a cerveja, detecta-se um perfume adocicado. Não, não é erva. Já sei: champô. Amaciadores. Mousse e gel wetlook. Alguns com aroma de frutas. Os metaleiros são fofinhos.
E a música? Muito boa. Não é a minha onda, mas gosto sempre de ouvir bons músicos. E o tom épico das melodias condiz muito bem com os rugidos à rei leão. O som estava fraquito, e agora quero poder assistir, em boas condições acústicas, a outro concerto dos Desire. Cheguei à conclusão de que o dark metal, e até o doom, são muito mais bonitos que o vulgar metal.

5 thoughts on “fim de semana musical entre dois pólos”

  1. abanei o corpo, um bocado. e virei a carola para os lados, para ver tudo muito bem. abanar a carola a preceito colocar-me-ia em grosseira desvantagem, pois o meu cabelo não tem o movimento de seda do da metalo-malta. e era capaz de voltar com torcicolo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *