entre dois folhetos publicitários presos pelo limpa-pára-brisas

ternura

O que mais a incomodava não era nem a saliva viscosa, nem as unhas dos pés amarelecidas. Era apenas um velho, que pouco mais trabalho lhe dava que uma ejaculação octogenária por semana.
O que já não suportava, isso não, era a ternura do olhar dele no momento de se vir. Nessa tarde, foi com alívio que, imediatamente antes do clímax, lhe poisou a almofada sobre o rosto, expiando para sempre o afecto. Nada lhe coube em herança, bem entendido.

eu sei que tu sabes quem sou

15 comentários a “entre dois folhetos publicitários presos pelo limpa-pára-brisas”

  1. Com que então, técnica de viúva negra: depois do acasalamento “limpa-se” o macho. Eu sei que tu sabes que a menina já estava rica.

  2. eu também gostei. ao mesmo tempo fiquei um pouco assustada, é estranho aparecerem-me estes bilhetes. o de ontem pensei casual, alguém que se sentara antes de mim. mas este foi ali colocado de propósito…

  3. Susana: deve ser alguém cujos textos não foram escolhidos para a antologia do micro-conto português. Tem a sua lógica. As pessoas querem comunicar e escolhem esses métodos pouco ortodoxos. Será assim?

  4. Eu cá acho que anda aíi um poetastro falido, quiçá com ligações ao futibol, a assediar-te, e com muito más intenções. Que pensará o Zé do Carmo sobre isto? Não te esqueças, Susana, que “As pessoas querem comunicar e escolhem esses métodos pouco ortodoxos”, Zé do Carmo dixit.

    O sem-se-ver já te ofereceu os seus serviços. Aceita, Susana! Se bem que nos romances da Agatha Christie o criminosos costuma ser o gajo que se oferece para guarda-costas. É de considerar todas as hipõteses.

    A propósito: esta Ana Marta é de confiança?

    O mais engraçado era que fosses tu a autora dos bilhetes.

  5. sem-se-ver, agradeço, mas já tomei providências.

    z, também não me parece. (e esses símios são espertos.)

    josé do carmo francisco, logo vi que havia de ser um enjeitadinho do sistema.

    anamarta, sim, não manter a coisa calada parece-me a melhor estratégia. foi o conselho que me deram: divulgar o mais possível.

    nik, tens aí umas boas pistas, será?

  6. Ora bem…”esta ana marta é de confiança?” Desafia-me indirectamente :) ??

    Susana acho que fazes mt bem…embora estes comentários estejam a ficar muito estranhos…vou postar em outros textos, pode ser que o nick fique mais confiante…

    beijinhos a todos

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *