Sócrates muito bem

Nas grandes questões da acusação, quero dizer. PT, BES, Vale do Lobo, Lena. Trouxe documentos, provas, argumentação credível. Será importante ver o que o MP tem de facto para apresentar como prova das acusações.

Mas a principal conclusão da entrevista é a seguinte: quantas mentiras, interpretações abusivas, meias verdades e truncagens anda o Correio da Manhã a publicar há anos com a conivência ou em conluio com o Ministério Público? E porquê?

Afinal a conta que tinha como beneficiário o primo de Sócrates, a derradeira prova, a que faltava!, fora encerrada em 2008? Eh pá. Francamente. Não fomos informados. Não estava preparada para isto. Ó Correio da Manhã, atão?

O Dâmaso nem sabia o que dizer no espaço de comentário que se seguiu à entrevista. Amanhã, porém, contra-atacará com mais uma manchete. É isto.

34 comentários a “Sócrates muito bem”

  1. …… aquilo do Teixeira dos Santos ter testemunhado que foi ele (Teixeira dos santos) quem nomeou o Armando Vara para a CGD é capaz de ter afundado logo uma das 3 acusações de corrupção. Vale de Lobo ao fundo ! Afinal não nos podemos esquecer que essa testemunha é Comendador da República condecorado pelo ex-PR Cavaco !

  2. … e aquilo do tribunal arbitral já ter apurado que um tal contrato do TGV não teve interferência do Governo … é pá … também não tínhamos sido informados, ó Dâmaso !

    … sinceramente, aquela parte de querer criminalizar a diplomacia económica na Venezuela, na Argélia, e em Angola, quando devíamos estar todos agradecidos, só pode ter sido escrita por alguém sob o efeito do ÁLCOOL.

  3. … mas a OPA da PT toca as raias do ridículo, e ai se ele matasse. E pode ser aqui que se tenham estampado mesmo á grande. É certo que a exaustão leva ao erro. Quatro mil páginas é muito papel.

  4. Convenhamos que o jornalista Vítor Gonçalves, de sua graça, esteve à altura daquilo que têm sido a maioria dos jornalistas que escrevem sobre o caso ! Oh pá, a última pergunta que faz, e isto depois de toda a desmontagem da acusação feita por José Sócrates , é : “Então de que rendimentos vive actualmente?.”…..!!!

    Depois desta entrevista, só podemos ter uma certeza – A JUSTIÇA EM PORTUGAL PRECISA DE UMA AVALIAÇÃO URGENTE, SOB PENA DE ACABAR COM O ESTADO DE DIREITO…. E COM O REGIME DEMOCRÁTICO!

  5. eu vou esperar pelas sessoes no tribunal . não gosto de julgamentos na praça pública , só com o arguido a palrar e a mostrar facto s (?) tipo crreio da manhã. que mau gosto. que papeis seriam esses ? não vi a entrevista , já vi a minha cota de horrores no vietnam , só de pensar nisso a cara de asco é automática. mas fiquei curiosa com a cena dos documentos .

  6. fui ali num instante ler o resumo e a defesa do ulgamento na praça pública passa por repetir o mantra , umas 50vezes , “isso não é verdade , isso não é verdade , não fiz isso ” . ai ai , o amor é cego.

  7. o colega isaltino fez igual defesa…. :Quanto aos depósitos em numerário nas contas bancárias da Suíça, foi considerado que Isaltino Morais tentou «negar o inegável» ao «pretender ocultar ser o verdadeiro titular das mesmas».

  8. queremos todos ver o julgamento em direto na cmtv e com microfones no cu do procurador e do sócrates. quem se cagar mais vezes não está a dizer a verdade. o juiz afere da pestilência e tem voto de qualidade em caso de empate.

  9. Pergunto eu, na minha qualidade de grande inquisidor, por direito divino investido: “Então de que rendimentos vive actualmente?” E o senhor não me responde? Senhor engenheiro, o senhor não está a perceber a gravidade da situação, da sua situação. O senhor tinha um bom emprego, com um bom salário, e nós conseguimos acabar com isso. Tudo fizemos, também, para que qualquer possível empregador percebesse que teria a vida transformada num inferno se se atrevesse sequer a sonhar em dar-lhe trabalho. Fizemos tudo e mais um par de botas, e botins, e sandálias, e pantufas, e alpercatas, para garantir que lhe era completamente impossível angariar um mínimo de meios de subsistência que lhe permitissem assegurar pelo menos duas refeições por dia. Assim, senhor engenheiro, e espero bem que, de uma vez por todas, se aperceba da gravidade da situação, como se atreve o senhor a subsistir ainda, a sobreviver, a respirar, a não morrer simplesmente de fome, como seria lógico, e normal, e desejável? Como é possível que o senhor não se aperceba da gravidade do seu atrevimento, do seu descaramento, da afronta que nos faz quando teima em continuar vivo? Senhor engenheiro, porque é que o senhor simplesmente não morre e deixa, com a sua pertença ao número dos vivos, de perturbar as nossas bem-aventuradas digestões? Foda-se, senhor engenheiro!

  10. O mais extraordinário de toda esta farsa é o aparente esquecimento colectivo em que incorre toda a orla lunática socratofóbica em relação ao que ela própria dizia, no início do processo, aquando da detenção no aeroporto e subsequente prisão preventiva, num momento de enorme «conveniência» política, se as suspeitas dessa data não se revelassem assentes em indícios sólidos. Lembram-se? Ao que parece, seria um escândalo de primeira ordem, um verdadeiro terramoto político e judicial, e seria ela a primeira a proclamar a corrupção política da justiça portuguesa pelas manobras do Ministério Público…

    Convém não esquecermos que, muito antes disso, até já tivemos uma operação de vigilância (clandestina, uma vez que promovida por um «sindicato justiceiro»?) aos cartões de crédito socialistas para se saber onde andavam os seus donos a jantar, seguida de exposição pública dos criminosos que frequentavam o Gambrinos, e chegámos a ter o procurador Palma a trepar às barricadas grevistas de Dezembro de 2010 ao lado do Arménio da UGT, a pedir, não a melhoria da justiça, mas mais dinheirinho para os seus colegas, para não se tornarem «corruptíveis»…
    http://www.smmp.pt/?p=11097

    O dinherinho veio? Parece que não . Parece até que o malandro do Sócrates, como louco que era, interessadíssimo em hostilizar contra si os potenciais castigadores das suas maldades, tudo fez para lhes cortar alguns dos seus privilégios. Deveremos então, dado o que parece ser a ausência de surpresas e pobreza da acusação, admitir que a justiça portuguesa esteve e vai continuar a estar ainda mais corruptível do que no tempo das condenações por «ressonâncias da verdade» e «expectativa popular»?

  11. não sei porue se preocupam com os meios de subsistencia do senhor , os gastos e o modo de vida nunca coincidiram com os rendimentos obtidos com trabalho legal , com certeza que pode obte-los da mesma forma que fez até agora. , a viver em casas emprestadas , a pedir dinheiro emprestado e assim… a viver de fiado , afinal as dividas não são para pagar , são para gerir :) .ou o santos silva ficou pobre ? que pandêga que esta malta é :)
    e pode voltar para o seu trabalho na camara da covilhã , não ?

  12. Joaquim Camacho: «O senhor tinha um bom emprego, com um bom salário, e nós conseguimos acabar com isso.»

    Minudência interessante: pelo que ouvi dizer a um dos comentadores televisivos, a convicção do MP-CM de que o salário do Sócrates na farmacêutica do Lalanda era uma canalização dos dinheiros clandestinos que, segundo o MP-CM, eram dele, caiu desde logo na acusação. Nem foi preciso instrucção, evaporou-se sózinha.

  13. Joaquim Camacho, um complemento ao inquérito do inquisidor seria qualquer coisa como: “Então e não me explica porque é que não gostava de publicitar que pedia dinheiro ao seu amigo e à sua mãe, e procurava até ocultar esses pedidos, sabendo que eles seriam tratados com correcção e recato por parte dos seu numerosos amigos políticos nos meios de comunicação e entre as comentadeiras televisivas?”

    E por aí fora.

  14. Há comentários de criaturas que pululam por aí que nos dão a exacta medida da dificuldade prática que existe em construir uma sociedade decente. Elas são como bactérias especializadas em processos de putrefacção de qualquer resquício de civilidade. Têm porém um mérito inegável: o de alertar os demais para o mito de que a inquisição morreu. Morreu nada. Está viva e desbarata saúde. Há quem veja isso e siga caminho com um encolher de ombros. « Não é comigo»- dizem. Até ao dia em que um ventura qualquer consiga surfar essa “pororoca” e seja tarde de mais.

  15. O Dâmaso do esgoto a céu aberto? Ao que Portugal chegou… Já agora o outro saloio que também gosta de anunciar pomposamente que já escreveu dois livros sobre Sócrates. A pergunta que se impõe é como é que foi possível o MP abdicar do contributo do melhor órgão de investigação criminal para ir buscar conforto junto de duas abéculas como estas? Não obstante as muitas dificuldades porque passa a PJ – mais uma vítima dos cortes cegos que ainda não foi possível rectificar.

    Mas alguém com dois palmos de testa acredita mesmo que se o MP tivesse alguma coisa de concreto – para lá de muitos saltos a que chamam lógicos e daí a grande apologia às provas indirectas ou julgamentos por convicção – algum dia precisava do contributo do CM para ir tentando intoxicar a opinião pública ao longo de 4 anos? Foi a isto que chegou a Justiça em Portugal? A tribunais plenários num esgoto a céu aberto? Ao ponto de tentarem escolher agora para juiz de Instrução o mesmo juiz que já tinha sido escolhido a dedo na fase de Inquérito. Um juiz de Instrução que até historicamente é reconhecido como o juiz das liberdades, exactamente para servir de contraponto à tirania habitual do MP na fase de Inquérito. Um juiz que se deu ao luxo de dar uma entrevista onde claramente já apontava para a culpa formada ainda na fase de Inquérito?! É isto um verdadeiro juiz? Num Estado de Direito não! E é precisamente contra o Estado de Direito que este tipo de gentalha atenta todos os dias. Porque este não é o tempo deles. Muito claramente.

  16. Meirelles,

    Pois. Mas repare: um dos enguiços deste caso é o facto de se ter instalado a ideia de que JS “deve” explicações. Até o próprio parece ter incorporado essa ideia. Ora JS não deve nada. Quem tem o dever de provar é quem o acusa. Era bom que tivéssemos isso bem presente, pois caso contrário estaremos a alimentar o sonho húmido daqueles que desejam ardentemente a inversão do ónus da prova e o fim do Estado de Direito.

  17. Escrevi eu próprio: «ao lado do Arménio da UGT»

    Leia-se «CGTP», é claro. Arménio só há um, o da CGTP e mais nenhum.

  18. “fui ali num instante ler o resumo e a defesa do ulgamento na praça pública passa por repetir o mantra , umas 50vezes , “isso não é verdade , isso não é verdade , não fiz isso ” . ai ai , o amor é cego.”
    Yo, agora a sério , era para te mandar à merda mas fico-me por um conselho: abre os olhos mula, vê primeiro e comenta depois,tá?

  19. Foi uma entrevista excelente.
    Avolumam-se as provas de que o processo não passa de uma grandesíssima fantochada.
    Já fez perceber que não é grande o número de mulheres e homens justos, em Portugal.
    A bravura do que enfrenta as bestas, a fidelidade à nossa consciencia e um cantinho ou outro de lucidez mantêm a esperança.

  20. Trago uma proposta aos “aspirinas” em geral e à administração deste blogue em particular: porque não promover um “crowdfunding” para a defesa de Sócrates ?

    E antes que apareçam as abetardas do costume com os seus conhecidos cacarejos, esclareço a motivação: o Estado de Direito tem de prevalecer sobre a pesporrência inquisitorial dos interesses instalados na justiça. E se o Estado não assume essa tarefa, que não sejam a cidadania a demitir-se dela. É que de conversa estamos servidos. Portanto….

  21. Excelente ideia, essa do crowdfunding! O nosso “menino de ouro” vive actualmente com uma pensão de 2250 euros liquidos. Tendo em conta que a renda do apartamento de luxo onde agora vive (no Parque da Nações) chega aos 2000 euros, isso quer dizer que por mês só tem 250 euros para pagar a água, a luz, as refeições, o tabaco, os advogados, etc, etc.
    O homem está na miséria (financeira e moral) e precisa da nossa ajuda para combater os inimigos do Estado de Direito. Agora é que vamos ver quem realmente confia e tem fé no melhor Primeiro-ministro de sempre, ou simplesmente não quer reconhecer que foi encornado durante 12 anos.
    Eu estou disposto a contribuir com o dinheiro de um amigo meu. Quem dá mais?

  22. Idiota inútil

    E o homem vive só ou acompanhado ?
    E quem o acompanha não tem rendimentos, não contribui com nada ?

    Porque é que não sugeres ao MP que mande abaixo o prédio para escavar e procurar lá o dinheiro, vivo ou morto, ?

  23. Idiota útil,

    A mesquinhez tem sempre boas razões. Mas não tentes é convencer os demais que uma proposta de crowdfunding neste caso é mera questão de contribuir para a defesa de alguém em particular. O que está em causa é bem mais vasto. Trata-se de combater a inversão do ónus da prova, a propensão para confundir factos com interpretações, os ressaltos lógicos, as “provas indirectas”, os processos ao kilo, a condenação na praça pública antes de julgamento, as sentenças apoiadas na “ressonância da verdade”, e por aí adiante. Ou seja, trata-se de contribuir para evitar que amanhã te aconteça o mesmo a ti, que de um dia para o outro possas ver a tua vidinha toda fodida sem saber como e sem teres a mínima hipótese de defesa, pois basta que teu IRS do ano passado não revele o estado de indigência em que vives hoje para nem sequer a oficioso teres direito. . E se não percebes o que isso significa, então não percebes nada. O que é triste.

  24. Começo por assinalar finalmente a presença neste alegre cantinho de mais dois “corajosos” de nome Joaquim Camacho e imagine-se do Meirelles que se dava por desaparecido em combate, mas, lá está!, aparecerem assim sem avisar e quando o sol nasceu e voltou a nascer não abona muito nem pouco sobre suas excelências: “corajosos” são como muitas vezes acontece, mas da categoria dos cobardes.

    ______

    Penélope, deixa-me dizer que ler-te depois desse post tão alegre depois de um silêncio sepulcral não é suficientemente para mim. São precisos dois exercícios, coisas simples. A saber, pois: e o José Sócrates ontem na RTP mentiu, que é neste ponto que estamos? E a Penélope, quando escreve sobre José Sócrates, por acaso mente? Da resposta que se obtiver na segunda pergunta depende a resposta à primeira delas, e é assim para mal dos pecados do ex-PM.

  25. Tudo aqui dito pelos costumeiros seres de bom pensamento melhor escrita e clarividência imbatível.

    Relembro a frase resposta da afronta miserável ao Ex. Primeiro Ministro José Sócrates acompanhada daquele olhar de incredulidade e nojo :
    …e você que tem com isso…indignidade de pretenso jornalista…
    Conheço frase melhor : seu m.v.p.o.c.

    Tudo à lá mãnhas/mp como disse José Sócrates.

    Também o pasquim falado expresso da meia noite vomitou requentado à lá mãnhas.
    Como é possível convidar energúmenos siameses num conspurcar colectivo do Homem em óbvia prestação de serviço aos delirantes acusadores.
    Havia um que não podia falar de casos concretos, ensina numa escolinha de produzir alexandrinhos e de riso alvar e baba raivosa se rebolou sobre o caso concreto que o maninho costa julga dar mais uns milésimos de audiência ou, um convite seguro para o mãnhas.

  26. indignidade do pretenso jornalista… quer dizer , o jornalista quer investigar donde lhe vêm os cabritos já que não tem cabras , é um mistério grande , uma pergunta que interessa a milhares de portugueses .o homem a prestar o serviço para que foi contratado e é indigno ? indigno é viver de fiado ou roubado ou corruptado só porque se tem a mania das grandezas e dos luxos.

  27. José Sócrates poderia ter ido mais longe na resposta à pergunta infame de Victor Gonçalves. Muito provavelmente, o valor do dinheiro que deixou de receber pela revogação das subvenções vitalícias dos políticos que aprovou, mais aquele que recebem os comentaristas de televisão, como ele foi, muito provavelmente, é superior ao valor que lhe emprestaram.

  28. quando o zézito quiser dar uma entrevista com um jornalista ao serviço dele , faz um video no youtube e paga ao gajo ; agora , se não quer ser importunado por pertinentes perguntas para as quais não tem resposta sem se afundar , resiste à vontade louca que tem de aparecer , e não vai a tvs que se estão lixando para ele ….. simples. queriam um jornalista a lamber as botas ao rapaz , a fazer-lhe o frete. ? e o rabinho lavado com água de colónia , não ? o V anda a servir demasiado vinho por aqui , só pode.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *