Shame

Estou a assistir à conferência de imprensa de Donald Trump, na CNN. Alguém me diz que diferença existe, com base na apresentação inicial que fez, entre este homem e um vendedor de cobertores numa das nossas feiras? Custa a crer que, dentro de nove dias, esteja a presidir à maior nação do mundo. Depois de enumerar as (três) empresas do sector automóvel que vão construir instalações em território americano desistindo de o fazer no estrangeiro, retive a seguinte frase: “Vou ser a pessoa que mais empregos criou na história da humanidade”.  Não percam, se puderem, este documento vivo do desastre humano. Como se os Estados Unidos dispusessem de todas as matérias-primas necessárias para todas as suas indústrias. Vai ser lindo de ver.

Assistindo ao painel que comentava antes do início da conferência, ocorre-me dizer que Putin está a ter um sucesso tremendo (ou “tremendous”, como Trump adora dizer e diz vezes em conta, a par de mil “fantastic” e mais mil “amazing”, para caracterizar as pessoas da sua escolha e as maravilhas que vão operar para tornar a América “great again”). O ambiente político parece ser de total incredulidade e mal-estar. Como é possível o próximo presidente, ainda antes de tomar posse, estar em guerra aberta com os serviços secretos?  Fará uma purga sem fim ao jeito de Erdogan?

~~~~~~~~~~~~

Para complementar, e já que Trump pôs uma advogada a falar sobre as soluções para os seus conflitos de interesses, vejamos onde trabalha esta advogada:

97 comentários a “Shame”

  1. o gajo não chega a ser ensopado, a cia não deixa e o partido republicano não quer correr o risco de ser co-responsabilizado pela merda em curso.

  2. Taxes: who cares Mexico will pay for it: who cares Kids running my biz: who cares Russian involvement: who cares, Hillary did bad shit

    “Russia hacked” later same press conference”You know what, it could have been others”

    Trump has a dog. It’s actually a cat. But he has a dog.
    Um marxista, tendência Groucho.

  3. Que pobreza de argumentos. Não encontra nada mais substancial no discurso para atacar, se não a linguagem e a postura? Se ele estivesse a assinar listas de pessoas a serem extra-judicialmente executadas já estaria bem, desde que o fizesse com a compostura e a linguagem certas. Poupe-me.
    Quanto à substância, parece-me que a decisão das empresas de investirem nos EUA em vez de o fazerem em outro país é um saudável reflexo da supremacia do poder político sobre o poder económico. E Trump está a conseguir isso sem sequer ter alterado a legislação me vigor, apenas com a mera ameaça de que pode vir a penalizar o comércio com taxas aduaneiras. Para pateta, não está nada mal parece-me. Está a enfrentar os serviços de informação que como se sabe são um estado dentro do estado e fogem do controlo dos órgãos democráticos como o diabo foge da cruz. O último presidente que os afrontou ostensivamente ficou com o crânio desfeito na praça pública. De modo que me parece uma atitude corajosa colocar as agências de informação no seu devido lugar, sob direcção e supervisão do poder político.
    E ainda tem tomates para chamar à CNN fake news.
    Trump pode ser um oligarca até ver está a dar uma coça em muitas vacas sagradas do status quo e isso é bom.

  4. “Como se os Estados Unidos dispusessem de todas as matérias-primas necessárias para todas as suas indústrias. Vai ser lindo de ver”

    Há sempre o recurso à Sétima Esquadra……

  5. Boa DS, concordo, plenamente! O Trump, dificilmente será pior que os que o antecederam, seja a Killary, o Clinton, o Obama, o Bush, etc.
    Parece que não houve a destruição do Iraque, da Líbia e etc., com milhares e milhares de mortos das populações inocentes e indefesas destes países, do Afeganistão, etc. com drones assassinos , tudo isto, com o total apoio e intervenção da tropa estado-unidense, imperialista, sob o governo dos atrás referidos criminosos políticos, presidentes que antecederam o Trump!!!
    MCTorres

  6. Os américas (e não só) andaram a espalhar a produção nacional por tudo o que era sítio do mundo, para beneficiarem de mão-de-obra barata e da proximidade das matérias-primas e dos mercados. Esqueceram-se que isso os torna muito vulneráveis em tempo de guerra…
    Se houver guerra os primeiros ataques serão para as fábricas overseas dos EUA. Até a industria de guerra sofrerá grande revés pois muitos sobresselentes são feitos fora do território americano.
    Os russos e os chineses devem ter estas instalações bem mapeadas. Do lado dos EUA, o esforço de defesa dessas instalações será tão grande que diminuirá muito o poder de fogo da USArmy.
    Daí o toque a recolher que Trump está a fazer, em nome do benefício povo, como sempre…

  7. Os americanos e seus aliados tem um poder militar muito superior a Rússia e China. O problema do protecionismo é que a China é o maior mercado do mundo, se impoem tarifas aos produtos chineses, estes retalliam e depois as empresas americanas vão vender a quem? Viver do mercado domestico?e sem competição o que favorece os monopolios e consequente baixa de competitividade da economia americana? O mundo já não funciona assim.

  8. DS e MCTorres: Um ignorante do calibre do Trump já me chega. Poupem-me. Vejam, pelo menos, a conferência de imprensa. Se ali descobrirem um futuro chefe de Estado, deem-me da vossa poderosa dietilamida.

  9. hum.. quem anda a investigar os russos é o agente 86 , Maxwell “Max” Smart , não é ? e não pediu ajuda à agente 99 , ainda por cima :)

  10. Mas o que é isso de “descobrir ali um chefe de estado”? Um apelo ao sexto sentido? Vi a conferência de imprensa, certamente que prefiro a forma perfeitamente articulada de um académico como Obama. Mas um dos mais belos pressupostos da democracia é que qualquer um pode exercer cargos políticos desde que legitimado para o efeito segundo as normas vigentes. Não tenho que descobrir nele o que quer que seja, ele é que tem de demonstrar o que quer através do exercício do cargo, comunicando e decidindo. E nisso ainda estamos só no princípio. A seu tempo se fará a análise da sua presidência e admito que possa vir a correr muito mal para todos nós. Mas esse apelo aparente a um certo formalismo puritano, dos modos e trejeitos que um chefe de estado deve ou não ter, parece-me exactamente o tipo de preconceito contra o qual as pessoas têm reagido e que o fez eleger. Mais um vez, parece que ficaria descansada se todas as aparências continuassem salvaguardadas e na sombra continuasse a corrupção, a guerra de classes, as guerras clandestinas, os negócios obscuros, o apoio ao terrorismo como arma de destruição dos estados nação do medio oriente. E se há aspecto que Hillary dominava era a aparência e a guerra. Como era? Um político tem de ter uma cara para o público e outra em privado? Rezavam os e-mails. Com Trump é assim, está tudo ao léu. Se não gostam, admitam que a democracia americana morreu para dar à luz um império. E que esse império deve ser combatido. Só não se continuem a esconder atrás do politicamente correcto enquanto olham para o lado. Trump limita-se a fazer e a ser em público aquilo que os outros só se atreviam a fazer em privado.

  11. Não sei qual é a tua cor de cabelo original, Penélope, mas uma coisa é cada vez mais evidente, confrangedoramente, penosamente, dolorosamente evidente:

    ESTÁS CADA VEZ MAIS LOURA!

    E no ressabiamento capado pareces acabadinha de sair, com doutoramento odoris causa, da escolinha de rancorosos impotentes supervisionada pelo bacoco de Boliqueime.

    It’s the fuckin’ democracy, stupid!

  12. uma vergonha mesmo – em português parece que a palavra ganha mais profundidade. estava a pensar que esse homem possui quase todos os traços típicos do complexo de napoleão. todos menos um: não baixo. estranho. merece um estudo já que a disfunção é agora verificável em altos.

  13. Joaquim Camacho: O que te aconteceu, homem? Estás “possuído” pelo Trump? Será pelo Putin e o seu magnífico regime? É que nem conseguires ver quem é que aqui é loiro é muito preocupante.

  14. o chefe de estado exemplar hussein obama faz pomposos discursos, caminha jingando sobre os palcos como se fosse uma estrela de cinema, cheio de si próprio e envaidecido é o campeão da falsa e hipócrita modésta.
    este exemplar chefe de estado trouxe zero progresso economico e centenas de milhares de mortos. portanto, veremos agora se alguém que realmente trabalhou a vida toda e criou milhares de empregos pode fazer melhor.

  15. hahahahahaha “alguém que trabalhou a vida toda e criou milhares de empregos” referindo-se ao trump hahahahahahahahah
    só por isto vale a pena vir ao aspirina

  16. “este exemplar chefe de estado trouxe zero progresso economico e centenas de milhares de mortos.”

    resolveu o problema financeiro que herdou do bush e relançou a economia americana, deixando o país com uma taxa desemprego 5%. repatriou os mititares, reatou relações com cuba, fez acordo com o irão, montou o sistema de saúde, entre muitas outras coisas que o trumpetas pretende destruir.

  17. contexto, seu palhaço de merda:
    “At least 34,000 – Donald Trump has created about 34,000 jobs (…) According to Privo, the Trump Organization has 22,450 employees and brought in $9.5 billion in annual revenue last year. ” – CNN Money

    A criação de emprego do obama devia resumir-se à empregada doméstica ilegal contratada antes de ser presidente dos eua.

    olha enganarôncio: não resolveu problema nenhum, fez o mesmo que cá o passos fez: pagou o povéu, o emprego criado é maioritariamente a tempo parcial e salários baixíssimos, os food stamps e pessoas a vivierem em tendas atingiram valores recorde, os militares repatriados foram substituídos por hediondos e genocidas ataques com drones, em jeito de experimentalismo dessa nova tecnologia de morte à distância, nunca os americanos bombardearam tanto como entre 2008 a 2016, só em 2016 o escumalheco prémio nobel da paz lançou 26 171 bombas no médio oriente, valor recorde, cuba é um nojo e o acordo com o irão é uma capitulação, montou um sistema de saúde pago pelos e utentes com valores insustentáveis para milhares de famílias, o que torna esse “sistema de saúde” inútil e/ou falido.
    tu, enganarôncio, és um merdas.

  18. yeah meu! semprábrir, a américa vai ser grande de novo, põe os pretos a escavar carvão, os chicanos a assentar tijolo no muro, amigos a vender pitróil e os filhos a gerir o negócio sem falar com o pai.

  19. O maluco do Joaquim Camacho «“possuído” pelo Trump», a memória futura e passada e a cada vez mais loura Penélope com défice crónico de ‘Memofante’, tadinha dela:

    Joaquim Camacho dixit, 5-11-2016 – 22.00:
    “Amiga Jasmin, o Trampas é um pato-bravo desbocado, um multimilionário explorador, um habilidoso que aproveita todos os truques legais ao seu alcance para ganhar o máximo pagando o mínimo, um infantilóide tentando permanentemente provar que é the smartest kid on the block, um vaidosão convencido de que conseguirá, como presidente do conselho de administração da “empresa” Estados Unidos da América, Inc. (é assim que ele vê os EUA), ter o mesmo sucesso que, ainda que com altos e baixos, conseguiu na actividade empresarial privada. Mas, pelo menos por enquanto, não é, como a Killary Klingon, responsável directo pelo sofrimento e morte violenta de dezenas de milhares de pessoas (na maioria civis) num país por sua culpa completamente destruído, como a Líbia. Nem co-responsável pela morte de outras centenas de milhares no Iraque, Afeganistão, Síria, sem esquecer Ucrânia, Palestina e sei lá que mais, tudo “proezas” em que a chanfrada dos cornos participou e participa alegremente sem a mínima hesitação ou problema de consciência, e muito menos remorso. Participou por vaidade e por ganância, por amor ao dinheiro e ao poder, com uma total ausência de empatia pelo Outro, pelo sofrimento do Outro, numa vertigem de corrupção e total ausência de bússola moral absolutamente assustadora.”

    Joaquim Camacho dixit, 6-11-2016 – 17.55:
    “Ora vamos ao Trampas. Bastaria o primeiro parágrafo do meu comentário anterior para entenderes o que penso do energúmeno. Quanto aos poderes que estão por detrás dele, está à vista que, neste momento, os mais perigosos, que atrás listei, estão em bloco a apoiar a Klingon. Não há neocon da era Bush que não esteja com ela, e isso diz tudo. Quanto ao Trampas, tem alguns folclóricos inofensivos do Tea Party, mas nem esses ele consegue arregimentar todos. Claro que, se o homem for eleito, os que hoje estão com a Klingon vão a correr perfilar-se à porta da Casa Preta e não duvido que o tipo entrará em milhentas jogadas para os contentar, ainda que eu suspeite que a tal “facção mais radical” possa ter algumas surpresas e ser obrigada a cortar um pouco na gorda dieta. Mas esse é o lado para onde durmo melhor. A única coisa que espero dele, se for eleito, é que não mergulhe o planeta numa guerra nuclear e se alie à Rússia para reduzir ao mínimo o poder dos terroristas islamitas, neles incluídos os gatos gordos do Golfo.”

    Joaquim Camacho dixit, 7-11-2014 – 10.14:
    “Para memória futura: se fosse americano, o meu candidato, sem qualquer espécie de hesitação, era o Bernie Sanders, que encarei, desde o início, como o único, no campo democrata, que podia bater de olhos fechados o Pato Donald Trampas. E não acredito que a Killary não tivesse exactamente a mesma convicção. Mas a ambição desmedida, cega, o egoísmo que lhe afoga qualquer assomo de lucidez ou de decência, levou-a, bem coadjuvada pela fiel matilha de assessores que a rodeia, a lançar mão de todos os truques sujos do cardápio para lhe roubar o lugar, como bem se viu nos e-mails disponibilizados pelo Wikileaks. Après moi le déluge! Ou seja, tínhamos o puro-sangue Sanders para bater a pileca Trampas sem esforço, por cinco comprimentos, e agora temos, em seu lugar, uma mula teimosa, ranhosa e piolhosa, permanentemente rodeada por uma nuvem de moscas atraídas pelo fedor de pústulas e cloaca apodrecida, escoiceando desesperadamente tudo quanto é ponto cardeal. Repito: poderá eventualmente a pileca Trampas levar alguns males à América, mas com isso posso eu bem, que não sou americano. O fedor e podridão da mula teimosa e raivosa, porém, poderão infectar o resto do mundo, e isso diz-me respeito, já que não posso mudar de planeta.”

    Joaquim Camacho dixit, 8-11-2016 – 10.04:
    “Escolher entre a Killary Klingon e o Donald Trampas é como optar entre o Al Capone e o Mike Tyson. Só que a este, se lhe der vontade de comer a orelha a alguém, sempre lhe podemos pôr um açaime. Quanto ao Al Capone, foi apanhado, como reza a história, por via indirecta, através do fisco, o que será difícil com a sua descendente espiritual, que tem o aparelho judicial no bolso.”

    Posso dar por ti um salto à farmácia, se não quiseres arrostar com o frio polar que nos assola, caríssima oxigenada.

  20. Em verdade te digo, bela e loura Penélope, que um cardume de 20 Obamas, 20 Clintons e 20 Trumps não vale o dedo mindinho do pé esquerdo de um Vladimir Putin. O camarada Vladimir está ali para defender o seu país e o(s) seu(s) povo(s) e tudo fará para o conseguir. Os Obaclintons, como bons sipaios, mais não ambicionam do que defender os lucros dos donos: os fabricantes de armamento, as petrolíferas, as máfias da finança, dos mercados e da puta que os pariu.

    Quanto à trumpalhada recém-chegada, a ver vamos, dou-lhe o mesmo benefício da dúvida que dei ao entertainer e palhaço que até dia 20 ainda vai esfregando a peida na Sala Oval. Mas em verdade te digo também que se ao louríssimo Trump lhe der para acreditar que quando as galinhas têm dentes nascem os pintos carecas, e se ao planeta tentar impor tão descabelada crença, conto com o Vladimir Putin para lhe provar por A mais B que, pelo menos nesta galáxia, tal convicção carece de rigor científico.

    Claro que, na tua loura cartilha, o Putin tem um “regime” (brrrrrrrr!!!) e os Obaclintrumps não, o que é todo um programão, ora agarra aqui com a mão! Mas, enfim, a tua loura cartilha de Bíblia não serve não.

  21. Ó Joaquim Camacho, estás mesmo mal, rapaz. Um ex-KGB que não admite opositores, liquidando-os na primeira esquina, com métodos mais ínvios do que um czar; que nem uma pequena banda musical de raparigas provocadoras tolera; que troca de lugar sem qualquer prurido com o compincha do Medvedev só para regressar ao cargo de primeiro-ministro na próxima volta do prazo, de forma a perpetuar-se no poder. É este homem que admiras? Consegues sequer distinguir o que foi uma boa oportunidade por ele aproveitada na Síria, e a ver vamos no restante Médio Oriente, do tipo de ditador que sem dúvida é e do seu regime sórdido? Comprazes-te com o facto de Trump o elogiar e de ser amigo dele? A sério? O problema é que nem sequer dá para perguntarmos o que quer o Trump (bom, além de construir uma Trump Tower em Moscovo). Só dá mesmo para nos interrogarmos sobre o que quer Putin. E a resposta devia atemorizar qualquer um.

    Quanto à cabeleira loira, já que tanto insistes, sou o fruto, a meu ver feliz, da mestiçagem e do cruzamento de raças. E a componente nórdica não está patente no meu cabelo.

  22. o texto que antecede é basicamente lixo e meros conclusivos juízos de valor, mas há una parte interessante, quando penélope fala de uma resposta que devia atemorizar qualquer um. penélope não responde, mas covinha que o fizesse, para percebermos essa que é a chave de toda a sua argumentação.
    Vá, penélope, mãos à obra e explique-nos lá, concretamente porque somos muito estúpidos, o que é que nos deve atemorizar a todos.
    Será o plano de putin para com os ET da constelação de orion roubar comidinha aos meninos mestiços do planeta terra?

  23. “… o que é que nos deve atemorizar a todos.”

    elementar, caro idiota. o facto de um paranóico ter acesso aos códigos nucleares e poder carregar no botão quando embirrar contigo.

  24. enafilhodumagrandessissimaputapa,

    um gajo que já abriu falência 6 vezes e criou 34 mil postos de trabalho quantos postos de trabalho destruiu?

    reparo com agrado que não tentaste defender a tua afirmação peregrina de que o Adolf Trump trabalhou a vida toda. deve querer dizer que ainda tens algum pingo de vergonha na cara.
    agora não te limpes

  25. enapa,

    o que nos devia atemorizar a todos é o retorno do obscurantismo.
    a ti não te preocupa, mas isso é porque és um ignorante orgulhoso e talvez aches que o obscurantismo até é um ambiente onde te podes ter sucesso mais facilmente.
    o que só nos atemoriza ainda mais.

  26. eu interrogo-me é sobre o que querem 1 bilião e tal de chineses… o que a marionete de Israel , vulgo USA , queria até agora também é um problema interessante : o que lucram com tanto conflito semeado ?
    o Putin quer ser tanto como esses dois , normal . só os europeus é que contentam com ficar debaixo do saiote da senhora mercocoisa a ver navios.

  27. contexto, não destruiu, idiota, criou. e atualmente tem cerca de 25 000 pessoas a quem paga pontualmente o ordenados. pagas o ordenado pontualmente a alguém, seu ignorante badameco?
    quem destruiu realmente foi o palhacito do teu obama que, incentivando as empresas a deslocalizarem-se, não só destruiu postos nos eua como foi cúmplice na exploração de outros povos miseráveis que aceitam trabalhar por metade do valor.
    o teu obamerdas é perito em ler discursos feitos por outros cheio de vaidosa pose de pavão engalanado, mas, na prática, o seu legado deveria ser uma vergonha indefensável para qualquer democrata.
    tresandas a lixo, contexto.

  28. Sempre a considerá-los:
    enapa
    Joaquim Camacho

    Gente informada de cabeça pensantes há cada vez menos.
    Muito curiosa com a futura presidência nonstream dos eua.
    RT continua a ser um bom canal de informação.
    Recomendável a adeptos vendados dos mãnhas nacionais e internacionais.
    Cursos rápidos de inglês são exigidos.

  29. ò enaldrabão, os números oficiais do obama são estes:

    desemprego: 2009 = 10,3% e em 2016 = 5,1%
    empregos: 2009 = – 800 mil/ mês, em 2014 recuperou os 8,7 milhões perdidos e sai em 2016 a gerar 200 mil/mês

  30. Em boa companhia:

    Paul Krugman
    So much to worry about right now; so let me add to the pile. I suspect that we’ll soon see massive rage on the part of Trump supporters 1/

    Why? I don’t see many saying this, but anti-intellectualism was a big part of the movement: you smug liberals think we’re stupid? Hah 2/

    Now imagine the reaction when it becomes clear that they were snookered. Not only did they vote to strip themselves of health care 3/

    because they believed the assurances of an obvious fraudster, but Mr. Make America Great Again is a witting or unwitting foreign agent 4/

    I guess some will say “Gosh, I made a big mistake”. But many will lash out even harder at those know-it-alls who, um, were actually right 5/

    20:43 – 13 de jan de 2017

  31. “Um ex-KGB que não admite opositores, liquidando-os na primeira esquina”, dizes tu, loura Penélope, e eu devia estar a alucinar quando vi, no diabólico veículo de propaganda televisiva putinista que dá pelo nome de Russia Today, bem como na Euronews, BBC e outros ocidentalosos mainstream merdia, manifestações de dezenas de milhares de opositores em Moscovo e outras cidades do império do mafarrico, opositando contra a “intervenção russa” no Leste da Ucrânia e o regresso da Crimeia à Rússia (de onde nunca devia ter saído). Até me arrepia imaginar os oceanos de gasóleo gastos pelas retroescavadoras que esburacaram a imensidão de valas comuns onde foram despejadas essas dezenas de milhares de “opositores liquidados na primeira esquina”. Que horror! E o efeito de estufa, carago? Um ex-KGB, ainda por cima, onde é que já se viu? O Bush pai era ex-CIA, mas que relevância tem isso? Está o bom povo farto de saber que todos os ex-espiões são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros!

    “Que nem uma pequena banda musical de raparigas provocadoras tolera.” Pois, pois, também consigo imaginar, cá no luso burgo, um grupelho de chanfradas auto-intitulado “Motim da Cona” enfiar uma bateria e restante aparelhagem roqueira no altar da Basílica de Fátima, ou mesmo da Igreja de Arroios, e desatar a martelar respeitosos decibéis nas fuças dos fiéis genuflexados em transe de comunicação com o Altíssimo. Imagino como os brandos costumes da Lusitânia lidariam com tão comovente manifestação de respeito pelo seu credo e aposto que, quando a bófia chegasse, no mínimo algumas carinhosas nódoas negras enfeitariam já o trombil das doces provocadoras, ainda que o mais certo fosse saírem de lá com os cornos e metade dos ossos partidos.

    “Que troca de lugar sem qualquer prurido com o compincha do Medvedev.” Pois pois again. Quando uma Killary Klingon quer voltar ao jardim onde foi feliz e, poucos anos depois, trocar de lugar com seu compincha Bill, ginasta oral da Sala Oval, não duvido que seja muito mais legítimo, já que legal tanto é na Amérdica como na Moscóvia. Lá dizia o outro chanfrado: “Todas as trocas de lugar são iguais, mas algumas são mais iguais do que outras.”

    “É este homem que admiras? [este] tipo de ditador que sem dúvida é e do seu regime sórdido.” Ospilica lá como é que funciona a ditadura do cujo. Um exemplo basta. Ospirilica também, já agora, por que motivo é sórdido o seu “regime” (brrrrrrr, ai que medo!). E porque é que “o que quer Putin (…) devia atemorizar qualquer um”. O que quer o Putin, diz-me lá, que pelos vistos eu não sei e apetece-me ficar atemorizado enquanto debico umas pipocas?

    Quanto à “admiração” que decretas sentir eu pelo homem, é um pouco exagerado, “respeito” será mais adequado, ressalvando a possibilidade de o próprio me fazer um dia inverter a opinião, feito garantidamente fora do alcance da tua oca, ignorante e cada vez mais loura adjectivação.

  32. És o fruto, a teu ver feliz, da mestiçagem e do cruzamento de raças. E a componente nórdica não está patente no teu cabelo. Espero, ao menos, que não o trates como a Michelle Obama trata o seu. E qual é, perguntarás tu, o meu problema com o cabelo da Michelle Obama? Bueno, o meu problema com o cabelo da Michelle Obama, à partida, é nenhum. O problema do cabelo da Michelle Obama é a falta de respeito que a sua dona tem por ele, é a violenta repressão a que o submete. O problema da carapinha da Michelle Obama é a Michelle Obama e não a carapinha, é a vergonha que a Michelle Obama tem dela, quando ela, carapinha, é que devia ter vergonha da vergonha da Michelle Obama.

    Que nojo das Michelles Obamas, das Oprahs Winfreys e das loiras e impecavelmente escorridas cabeleiras postiças que enxameiam as patéticas plateias que excitadamente as aplaudem e veneram, tapando, escondendo, desprezando, reprimindo envergonhada e vergonhosamente a sua natureza, a sua diferença, a sua legitimidade!

    Que saudades de uma Angela Davis e sua gloriosa trunfa! Que saudades do orgulho que podíamos ter naquela maravilhosa gadelha e na sua orgulhosa dona!

  33. O melhor site informativo da actualidade. O melhor canal de informação da actualidade. A maior e melhor concentração de bons jornalistas (americanos, britânicos, franceses, russos, etc., até um brasileiro!) e de bom jornalismo do panorama televisivo internacional. Uma tremenda variedade de bons programas (Going Underground, The Big Picture, etc.) e de interessantíssimos documentários, noticiários de uma actualidade vertiginosa, com uma apresentação estética e um dinamismo gráfico estonteantemente inovadores. Programas sobre economia que até eu consigo entender, que até eu tenho dificuldade em não seguir até ao fim (Boom Bust, Keiser Report). Programas de debate com convidados de todos os pontos cardeais. Entrevistas em que os entrevistadores ouvem (e ouvimos) as respostas dos entrevistados às suas perguntas sem os interromperem malcriadamente, mesmo (e principalmente) quando o entrevistado se atira com ferocidade ao próprio canal, ao entrevistador e aos seus patronos (SophieCo, Worlds Apart, Larry King Now). Um programa de debate, e por vezes de discussão feroz (Cross Talk), em que os participantes são encorajados a entrar a qualquer momento, ainda que o moderador faça uma gestão dos tempos que acaba por ser bastante equilibrada. Moderador esse (britânico radicado em Moscovo) que é geralmente também feroz participante, sem hipocrisias nem rodriguinhos. De comer e chorar por mais!

    https://www.youtube.com/watch?v=u8fOT4-iYbY&feature=em-uploademail

    https://www.rt.com/op-edge/373609-russia-hysteria-interrupted-broadcasting-hacking/

    https://www.youtube.com/watch?v=Dvj0v0W6yjk&t=62s

    https://www.rt.com/

    https://www.youtube.com/watch?v=rgBiunQzjHI&feature=youtu.be

    https://www.rt.com/news/373588-france-fanny-ardant-lackey-america/

    https://www.youtube.com/watch?v=NTwLPVp-hjk

    https://www.youtube.com/watch?v=s_7-gzwzPCQ&feature=em-uploademail

    https://rtd.rt.com/films/knockout-girls/

    https://www.youtube.com/watch?v=QVd5XcIJXFI&feature=youtu.be

  34. Penélope, apesar das divergências, tinha alguma consideração por ti e estava convencido de que o problema residia apenas num desvio cromático capilar benigno para os lados do amarelo. Nada que algumas colheradas de xarope, sob a forma de boa e diversificada informação e algum entretenimento, não pudessem ainda remediar. Por isso aqui despejei, há umas três horas, uma dose generosa de links para algumas peças informativas em letra de forma e outras em formato vídeo, umas de notícias e outras de programas de economia, debate ou documentário. A origem de todo esse material era o site e canal televisivo RT (Russia Today), como bem viste. Na minha parvidez, acreditei que, como mulher de boa vontade, tal material pudesse eventualmente contribuir para te abrir a outras perspectivas e ângulos de análise, o que é sempre enriquecedor. Afinal enganei-me. Pela primeira vez em muitos anos de experiência no Aspirina, esse comentário, que inicialmente entrou sem problemas e ficou publicado nesta caixa de comentários, como sempre aconteceu com as centenas ou milhares que ao longo dos anos aqui fui despejando, foi por ti eliminado, censurado.

    A conclusão só pode ser uma: o teu problema não está na cor do cabelo, mas sim no facto de não passares, afinal de contas, de uma criatura fraca, patética e cobarde, com medo de que a simples publicação de uma dúzia de links te custe a acusação de simpatias putinistas e de divulgação de propaganda russa. És mesmo triste.

  35. um gajo confessa que despejou aqui, de assentada, uma dúzia de links da rt e fica admirado que tenham sido retidos, insulta a torto e direito a inteligência dos outros, fica ofendido por lhe dizerem “Não estás muito bem.” e retribui com “criatura fraca, patética e cobarde”. resumindo: um deolindo de merda convencido que é tudo dele, só tem direitos e deveres são para os outros. este blogue virou asilo de enaparvos e éricas.

  36. Excelente, Camacho, excelente. Não é sério quem não reconhece a existencia de mais contraditório e pluralismo na RT do que na CNN.

  37. Quem vê a RTV fica a conhecer melhor a Rússia, os seus actores políticos, os seus problemas, ha questionamento dos poderes publicos russos? Nepia, aquilo e de manhã a noite passar a mundivisão putinista e pouco mais…a diferença com os canais religiosos cai em favor destes já que não prometem nenhum paraiso terreno e arrebanham umas massas para o pastor. A RTV e para os ressabiados comunistas e neo-fascistas q combatem as sociedades pluralistas mas q gozam do bem estar trazido pela paz americana na Europa pos 2 guerra. E um pouco como a Angela Davis, vítima do sistema americano mas quando lhe perguntaram pelos prisioneiros politicos a Leste , fez-lhes um manguito.

  38. Quem vê a RTV fica a conhecer o ponto de vista dos russófobos e dos russófilos. Quem vê a CNN, o Washington Post, a BBC ou o Euronews conhece apenas os primeiros. Em campanha. Chamar a estes pluralistas é uma atitude fascista.

  39. Repito:
    Quem vê a RTV fica a conhecer melhor a Rússia, os seus actores políticos, os seus problemas, ha questionamento dos poderes publicos russos?

    A resposta é a mesma: Népia.

  40. (20.ª edição copypastada)
    ——————————–

    Decreto Real

    Espíritos pouco preocupados com o rigor da ciência não hesitarão em classificar o intriguista parvalhatz como um filho da puta, na linha da exaustiva investigação e sistematização feita por Alberto Pimenta sobre essa odienta e odiosa figura. De um ponto de vista puramente científico, porém, tal classificação terá de ser considerada um erro, pois o parvalhatz, coliforme invejoso, hiperactivo e bilioso, não nasceu de ventre de mulher. O seu surgimento foi o funesto resultado da partenogénese acidental (e até então inédita) de um cagalhão vagabundo saído do cu de um cão raivoso em estertor de peido final por afogamento, depois de o dono o ter atirado de uma ponte. Tendo dado à costa não muito longe de uma saída de esgoto, o dito cagalhão foi acidentalmente pisado por um pescador desportivo que se abeirou da margem para mijar, acabando a azarada (e involuntariamente pestífera) sola do sapato do pobre homem, no regresso a casa, por espalhar pela urbe a infecção.

    Não se contesta que ser um filho da puta é o propósito primeiro e último do parvalhatz, o sonho molhado da sua abjecta existência. Mas a realidade objectiva é que, reunindo embora praticamente todos os requisitos necessários à sua classificação como tal, falta-lhe um, que o rigor científico considera crucial: apenas tendo na sua génese um ventre de mulher se poderia afirmar, com propriedade, ter o parvalhatz como matriz uma meretriz. Um verdadeiro filho da puta, legítimo, da Bayer.

    Uma coisa é gotejar para a existência à boleia do peido final de um “Canis lupus familiaris”, ou, como dizem os brasileiros, de carona. Outra, bem diferente, é a bênção de provir de uma cona. Do aqui exposto se infere, aliás, outra impossibilidade ditada pelo rigor científico, que é a de mandar o parvalhatz para a cona da mãe, pois nunca a teve. É uma desagradável intimação (possibilitada pelo privilégio da origem) a que todos nós, humanos, já fomos ocasionalmente sujeitos, mas também disso está livre (por manifesta impropriedade) o coliforme parvalhatz, que apenas pode ser mandado para o cu do cão.

    Pelos motivos acima aduzidos, e por mais que macaqueie e papagueie o “Homo sapiens sapiens”, não ultrapassará nunca, o besuntas parvalhatz, a incómoda mas descartável condição de coisa pegajosa e malcheirosa na sola do sapato de quem percorre as ruas do mundo dos homens.

    Estabelece-se, assim, por decreto régio, que o nome científico do coiso, de acordo com as regras da Nomenclatura de Lineu ampliada, será averbado nos Anais do Reino e Arredores como “Parvalhatz coliformis biliosus hiperactivus”, embora a generosidade de uma bula papal autorize, excepcionalmente, o uso da designação popular “filho da puta” para facilitar a vida ao povo martirizado pela crise, sem tempo nem paciência para a exactidão da ciência.

    Devem, porém, ainda que de forma voluntária, abster-se de tal atitude facilitista os espíritos amantes do rigor, que utilizarão apenas a designação científica.

    Aos quatorze dias do mês primeiro do ano da graça de dois mil e dezassete

    Promulgue-se

  41. Strummer, a RT, em inglês, é um orgão de informação global, onde se apresentam diferentes perspectivas da actualidade global, inclusive a coincidente com os interesses do actual governo russo. A política interna russa terá, ou não, outros foruns de informação e discussão.

  42. Pois ou nao mesmo. Todas as outras com q comparaste também são em Inglês, podias juntar a France Tv q em inglês e francês e igual ou a DW alemã q é so em inglês, todas tem noticiario domestico desenvolvido e dao voz a diversidade representativa dos seus países, como e natural. A RTv não o faz porque é essencialmente um órgão de propaganda e a informação na Rússia e controlada.

  43. Strummer, todas são orgãos de propaganda. E quanto mais propaganda de diferentes pontos de vista melhor. Defender que uns são isentos e procurar censurar os outros não beneficia a democracia. A CNN e a BBC, por exemplo, fazem campanha anti-Trump, anti-Putin e anti-Assad, e estão no seu direito. Acho salutar que outros procurem fazer o contrário. Agora, juntando informação e argumentos propalados por umas e outras, neste momento, fica muito difícil não concluir que, após a queda do muro de Berlim, a russofobia militante que persistiu na América e na Europa prejudicou os interesses e valores destas e beneficiou os dos seus inimigos, além de ter provocado vários milhões de mortos e refugiados. A RT contribuiu para sistematizar esta perspectiva sem que outras tenham ainda tido capacidade de a desconstruir.

  44. Lucas, o que o tipo finge não perceber é os motivos por que talvez mais de metade dos jornalistas que trabalham nas notícias da RT ou apresentam programas específicos na RT sejam não russos, principalmente ingleses e americanos. Abordam fundamentalmente questões internas dos seus próprios países, que é a realidade que conhecem melhor, e convidam para os programas compatriotas que estão dentro dos mesmos problemas. E o certo é que abordam questões pertinentes, analisam-nas em profundidade, não têm tabus e não deixam pedra por virar. Fazem-no na RT por um motivo muito simples: porque as CNNs, BBCs, Fox News, Sky News, etc., sendo-lhes sugeridos pelos mesmíssimos jornalistas os mesmíssimos programas, e apercebendo-se da qualidade, competência e eficácia dos proponentes e suas ideias (que se metem pelos olhos dentro de quem vê o canal), não os quiseram lá, porque iam perturbar digestões, chatear instalados, alertar o pagode para problemas permanentemente adormecidos. A RT deu-lhes guarida quando reconheceu potencial nas ideias apresentadas e qualidade no modo como seriam analisadas. E é isso que incomoda os donos da opinião consentida e respectiva criadagem: que haja um fórum que lhes escapa ao controlo, onde toda a gente pode ouvir o que eles querem calar. Que desaforo! Daí este triste espectáculo de urticária impotente, castrada, que enche de comichões os estrumes das ocidentais praias, tentando fazer-nos esquecer que a BBC, por exemplo, também emite em russo para a Rússia, e não sei se a CNN não o fará igualmente. Olha, habituem-se, ou comem todos ou há moralidade!

    Se te deres ao trabalho de ler o famigerado relatório das secretas americanas sobre a alegada interferência russa nas eleições, verás que, em 25 páginas, sete são dedicadas à RT, e chegam a ser patéticos os motivos de agravo enumerados contra o canal. Vê lá tu que, entre outras coisas, as CIA/FBI/NSA queixam-se de que a RT fala muito nos problemas do fracking nos EUA, e também no Reino Unido, e nos fortíssimos movimentos sociais que a ele se opõem no terreno, com manifestações que só vemos na RT. Ora o problema não é a RT falar no fracking, é por que carga de água os outros não falam! Elementar, meu caro Lucas, porque os donos não deixam e qualquer bom sipaio, aio ou outro lacaio está farto de saber que perturbar a digestão do dono implica fatalmente o mui expedito recado de que a porta da rua é serventia da casa. E queixam-se igualmente as anedotas das secretas americanas de que a RT se farta de apontar as fragilidades e contradições da América e outros países ocidentais, imagine-se! Eu pensava que era para isso que servia o jornalismo, para apontar defeitos e contribuir para a sua correcção, mas se calhar enganei-me de planeta.

    Voltando à RT, apostava o meu colhão esquerdo em como, enquanto aqui divagamos, equipas de mafiosos em frenética actividade elucubratória estarão neste preciso momento a inventar e sugerir cenários que permitam aos donos alegar um ou mais pecados putinistas que lhes permitam, de uma vez por todas, cancelar a presença do canal nas grelhas televisivas dos seus países.

  45. Camacho,
    Não tenho dúvidas que, tanto na América como na Europa, o actual establishment tudo fará para calar a RT e outras vozes incómodas. Acho provável o desfecho. Mas já não vão a tempo de esconder o ódio à liberdade dos que lhe batem palmas.

    http://www.pacificfreepress.com/2016/11/28/opinion/eu-parliamentary-gatekeeper-group-promises-to-muzzle-fake-news.html

    https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-10-17/kremlin-s-rt-tv-channel-says-natwest-closed-u-k-bank-accounts

    Li esse relatório, Camacho. Acho que era difícil fazer mais para descredibilizar os seus autores. Essas páginas sobre a RT foram escritas em 2012. Gastaram outras tantas numa espécie de glossário para justificar que no relatório não se encontram evidências, apenas suposições e processos de intenção, conforme até o próprio título indica. Tem 5 páginas a dizer que a candidata que dava sinais de querer iniciar uma guerra directa contra a Rússia, logo que fosse eleita, não era a favorita de Putin.

  46. atolado Ignatz, esse é o género de notícia que denuncia os que andam à cata de lixo para alimentar uma campanha.

  47. Lucas, a ver se tu percebes, a questão não é terem diferentes perspectivas a questão é a credibilidade de um país que tem uma TV que se resume praticamente a veicular notícias do Kremlin, q não tem liberdade informativa interna ,pratica censura e assassina jornalistas.Estas sempre a evitar analisar a Rússia e a liberdade de informação que e de onde isto tudo emana.E e principalmente uma questão de valores, valorizas o quê? Liberdade de informação ou controle de informação? Autoritarismo ou democracia? A lei ou o abuso? O que o Putin fez foi comprar uns gajos q fazem uma TV onde fazem de conta q os russos internamente gozam da mesma prerrogativa deles. Propaganda e mistificação.

  48. . num país onde 36 mil mulheres são agredidas por dia
    . 26 mil crianças são espancadas pelos pais por ano, segundo dados do governo, de 2013
    . 40% dos crimes violentos na rússia acontecem no seio da família.

    . na cultura familiar tradicional da rússia a relação entre pais e filhos é baseada na autoridade e no poder dos pais e as leis devem apoiar a tradição familiar
    . quando são razoáveis e feitos com amor, os castigos corporais constituem um direito dado por Deus aos pais

    . aprovada esta quarta-feira no parlamento, com 368 votos a favor, um voto contra e uma abstenção

  49. Pois…dai nunca terem umas noticiazinhas sobre a Rússia, aquilo e um monumento à regressão e à repressão. E o q nos espera se formos na cantiga destes idiotas e das noticias franchisadas.

  50. E então? O facto do parlamento de um país aprovar leis com as quais discordamos transforma em pária o respectivo Estado e seus governantes? Que diremos então, por exemplo, dos que aplicam a pena de morte?

  51. Link para uma notícia do muito russo ‘Moscow Times’ sobre a tentativa de descriminalização da violência doméstica abordada no artigo do DN linkado acima pelo vigarista das 18.08. “Por acaso” até foi precisamente ao ‘Moscow Times’ que o DN foi buscar a notícia. E também “por acaso” o DN até teve a honestidade de pôr o link para o ‘Moscow Times’ no corpo da sua peça. O vigarista das 18.08 é que se “esqueceu” disso, e não foi “por acaso”, foi porque é vigarista:

    https://themoscowtimes.com/articles/bill-decriminalizing-domestic-violence-passes-first-reading-in-russian-parliament-56783

    E, na mesma página do ‘Moscow Times’, também desta “se esqueceu” o vigarista. Nela se escreve que o Governo russo rejeita a lei que descriminaliza a violência doméstica. Daí que dar-lhe o mesmo destaque que deu à outra não interesse ao vigarista, já que contraria a narrativa que canhestramente engenhariou:

    https://themoscowtimes.com/news/russian-government-rejects-bill-decriminalizing-domestic-violence-55816

    Sobre violência sexual na Rússia, no mesmo ‘Moscow Times’:

    https://themoscowtimes.com/articles/i-am-not-afraid-to-speak-russian-online-flash-mob-condemns-sexual-violence-54519

    Bueno, mas o melhor é não falar nisso, para não foder a narrativa. Até porque toda a gente sabe que não há imprensa livre na Rússia, só se escreve o que o Putin autoriza, e isso depende de quantas criancinhas comeu nesse dia ao pequeno-almoço e da maneira como lhe caíram no estômago.

  52. Camacho, para além de uma pequena alteração, este comentário é para ti:
    Até ao primeiro despistanço com mortos e feridos do Trump-presidente, desopila muiiiittooo porque o teu estado nevrótico é do pior que há por aqui.

    aeiou
    12 DE JANEIRO DE 2017 ÀS 15:19
    Ai ai Galuxo, quando começar o Reality Choque do Survivor começar, vulgo Operação Marquês, poderás matar as saudades das manchetes do CM e horas de directos no cabo sobre o José Sócrates e restante pandilha. Até lá, desopila que o teu estado nevrótico não é o melhor.

  53. Lucas, eles até poderão cortar o sinal da RT aqui no democrático Ocidente, mas não lhes servirá de nada. Programas no YouTube como os que linquei acima, para o Jimmy Dore Show, por exemplo, tendem a crescer e será muito difícil calá-los a todos. E não são russos, os melhores que tenho visto até são americanos, o que torna a tarefa de os calar bastante mais complexa.

    Ainda a propósito da RT, há lá programas feitos por americanos em que os autores são ferozmente anti-Trump e descaradamente pró-Clinton. E foram-no, sem restrições, durante toda a campanha, como por exemplo “The Big Picture”, de um tal Thom Hartmann. Nenhum deles foi cancelado ou suspenso, mas o que interessa isso? Importante é não foder a narrativa!

    Ainda ontem vi uma notícia na RT televisão em que um energúmeno num automóvel parado na via pública se aproveita de uma qualquer regra estúpida do código da estrada lá do sítio para invocar prioridade e impedir a passagem de uma ambulância. Resultado: morreu a pessoa que a ambulância ia buscar. Mas é claro que eu não posso ter visto isto num canal russo, notícias sobre a Rússia, na RT, toda a gente sabe que não há. Ora toma lá algumas não-havidas:

    https://www.rt.com/politics/373562-duma-votes-to-restrict-foreign/

    https://www.rt.com/politics/373458-no-pace-participation-without-voting/

    https://www.rt.com/politics/373430-duma-orders-all-staff-report/

    https://www.rt.com/politics/373335-russian-foreign-ministry-rules-out/

    Por acaso não li nenhuma, não me interessam, só as ponho aqui por causa da puta da narrativa, e se calhar é por isso que não abundam notícias sobre a Rússia no canal: a maior parte da audiência é estrangeira e tem pouco interesse nelas.

  54. Pois, mas o sentido e inverso a marcha dos direitos, (a pena de morte nao e de agora nos EUA )digo eu q sou progressista. E define um estado obscurantista onde a separação com a Igreja e muito ténue. Se acrescermos q e proibido gozar ou pintar (fazer memes p.ex.)satiricamente o presidente e outras autoridades entre muitas outras coisas vemos q estamos perante um estado autoritário e contra a liberdade de expressão. A RTV visa tapar isto como uma peneira.

    Basta ler isto para perceber

    http://visao.sapo.pt/actualidade/mundo/2015-12-03-A-Russia-de-Putin

  55. ò capachito, pedi-te um link da rt sobre a violência doméstica e tu botas 3 linques da fonte do dn, o moscow times, com isto, mais meia dúzia de insultos gratuitos e outra tanta asneirada avulsa, ficas eufórico com tanta estupidez que nunca pensaste ter e dizes para a escova de dentes: vamos embora bóbi que já enganámos outro.

    1 – o moscow times é um semanário com 35.000 exemplares, com distribuição gratuita, lido por estrangeiros que vivem em moscovo e apreciado como fonte credível da imprensa internacional que usa informação à borliú.

    2 – a rt (russian today) é um canal de televisão russo, fundado pelo governo russo para divulgação internacional das suas políticas e propaganda, transmite 24 horas em inglês, árabe, espanhol e russo, 22 satélites e mais de 230 operadores, que fazem chegar a 700 milhões de lares em mais de 100 países, só nos estados unidos chega a 85 de casas.

    utilizar um jornaleco vão de escada lido por burguesia liberaleca média/alta para validar uma máquina de propaganda da oligarquia russa que custa ao estado 300 milhões de dólares/ano, não é vigarice, é parvoeira resultante das lavagens de cérebro que a rt faz a quem se expõe muito àquela onda. deve ter sido essa a frequência que atacou a laca do trampalho.

  56. Ignatz e Strummer, pouco me importa se os materiais provêm do porta-voz oficial de um governo ou de um autor ou comentador de um blog anónimo como o Aspirina B. Interessa-me o seu racional e saber se aguenta a confrontação contraditória com informações e argumentações provenientes de outros quadrantes. Por exemplo, nalguns ambitos, neste blog, nesta caixa de comentários ou na RT tenho encontrado lavras alternativas muito bem sucedidas. Por isso os acho muito necessários. Muitas vezes, mais até do que os canais do establishment.

  57. Joaquim Camacho: Ponto de ordem à mesa. Eu censurei os teus links? Eu?!

    Oferta dominical gratuita: O Putin o que pretende, no imediato, é que lhe acabem com as sanções (europeias e americanas) e que as energias fósseis continuem a ser exploradas. Para isso, busca aliados, compra aliados ou cria aliados. A qualquer preço. O homem não faz um único investimento no país tendo em vista a substituição das fontes de abastecimento energético insustentáveis por outras sustentáveis. Não se passa nada na Rússia de verdadeiramente inovador a nível económico. Em suma, o que quer é vender o que ainda possui de recurso natural que lhe possa trazer receita e formar parcerias com as petrolíferas internacionais, nomeadamente as norte-americanas e a máfia do petróleo. Reformas internas (económicas e políticas), liberdade interna, democracia interna, zero. Quer também outras coisas, como poder e influência internacional. Na Europa, a estratégia é igualmente apoiar todos os putativos candidatos a líderes que lhe garantam boas relações e o fim das sanções. Criar condições para a vinda de mais e mais refugiados, que possam acentuar sentimentos xenófobos e levar ao desmembramento da União e/ou à subida ao poder de pessoas amigas e autoritárias como ele. Do ponto de vista dos seus interesses, e tendo em conta o estado de falência da Rússia, a sua estratégia pode até estar bem desenhada. E, pelos vistos, está a ser bem sucedida. Os métodos são sujos e inaceitáveis, mas isso não preocuparia nunca um ex-KGB, pois não? A questão, porém, é a seguinte: gostamos do Putin e do seu regime? É correcta a aposta nas energias fósseis? É correcta a negação de que o aquecimento global tem causas humanas neste momento elimináveis? Devemos aceitar que o visível declínio da Rússia e a sua falta de dinamismo económico leve o seu líder a desestabilizar as democracias ocidentais transformando-as em circos?

  58. Lucas Galucho, não és o único, isso está implícito em cada um de nós, é que acabaste de definir liberdade de informação e expressão, direitos q custaram muito a muita gente, aqui do q se trata e torna-lo extensível aos russos de modo a que possam fruir e usufruir do mesmo que tu e fazerem com eles o que lhes der na real gana. Justo.

    O único discurso alternativo que as cable networks possam trazer em 2017 é, com sorte, a nova temporada de Twin Peaks. De resto é entertainment e infotainment, as usual.

    Tu estás no simulacro/irreal, mind da gap.

  59. A Penélope deveria dedicar-se a escrever relatórios para a CIA. É muito boa a elaborar processos de intenção. Talvez tenha que melhorar um pouco a articulação lógica. Por exemplo, lamentar a falta de dinamismo económico da Rússia, muito provocada pela sanções dos EUA e da UE que assim a tentam desestabilizar, e queixar-se dos esforços que aquela possa fazer para as levantar, sai um pouco chocho. A russofobite toldou-lhe a razão.

  60. Strummer, sim, trata-se de tornar a liberdade de expressão um direito extensível aos russos. A todos. Por exemplo, antes da RT e da Sputnik news, apenas conhecias o ponto de vista dos dissidentes.

  61. Ehehe Mas o que interessa não sou eu e o povo russo. Sempre a fugir a questao mas eu explico devagarinho: O povo russo não tem o mesmo acesso à liberdade de informação e expressão que nos, que lhe permita fazer escolhas alternativas, ou contrastar perspectivas, aquilo é um ditadura disfarçada. Como aquilo não tem nada de admirável para além da propaganda, tentas fazer disto uma idiotica e circular guerra sobre o infotainment e a propaganda e evitas falar sobre a falta de liberdade que ca tu gozas que nem um perdido e ate mandas postas de pescada. Se alguem tiver duvidas:

    https://m.youtube.com/watch?v=Hl26sT0nEHo

    http://www.jornalissimo.com/atualidade/102-russia-o-assassinato-da-liberdade-de-expressao

    https://www.publico.pt/2014/02/06/mundo/noticia/nao-publicar-1622593

    http://www.tsf.pt/internacional/interior/snowden-critica-limitacoes-a-liberdade-de-expressao-na-russia-4763721.html

    https://anistia.org.br/noticias/russia-aprovacao-de-projeto-de-lei-sobre-organizacoes-indesejaveis/

  62. Strummer, a minha impressão é que a liberdade de expressão na Rússia, se ainda é pouca, nunca foi tanta, e evolui num sentido crescente. Noutros lugares, Angola, China, e aliados do Ocidente como a Turquia e Arábia Saudita, por exemplo, evolui em sentido regressivo. Mesmo na UE e nos EUA não goza de boa saúde. A maneira como são tratados orgãos de informação russos é um sinal disso. O desfasamento entre resultados eleitorais e a espiral de silêncio que tenta abafar vários actores e propostas políticas é outro.

  63. Penélope: “Ponto de ordem à mesa. Eu censurei os teus links? Eu?!”

    Quem foi não sei, mas lá que aconteceu, ai isso aconteceu mesmo. Quando despejei o comentário, ficou visível imediatamente, sem qualquer restrição, como sempre acontece. Algumas horas depois, continuava visível no ecrã do PC mas com uma nota que nunca antes vira: “Este comentário está sujeito a moderação.” Aliás, não me lembro bem se era “está sujeito”, “está a ser sujeito”, “vai ser sujeito”, “será sujeito” ou outra qualquer fórmula parecida. Mas isto era no PC, como te disse. No estralifonesperto estava completamente desaparecido. Só normalizou a visibilidade em todas as plataformas, sem notas nem restrições, talvez umas oito a dez horas depois.

  64. Penélope: “O Putin o que pretende, no imediato, é que lhe acabem com as sanções (europeias e americanas) e que as energias fósseis continuem a ser exploradas.”

    Agora é que me deixaste baralhado. Mas isso não é normal, lógico, até mesmo obrigatório, para um líder político minimamente responsável e pelo menos com dois neurónios dentro dos cornos?! Não é isso que qualquer país normal espera dele? Ou será que por ser russo não tem o direito de ser igual, é obrigado a proceder ao contrário? Claro que bem sabemos que se assim o fizesse imediatamente teria o dedinho da Penélope apontado: “Estão a ver? Estão a ver? Vocês estão a ver como os cabrões dos russos são diferentes de toda a gente e não devem ter lugar no concerto das nações?” Certamente que tal “decreto” seria imediatamente revogado se os sacanas dos mafarricos eslavos substituíssem integralmente o vodka pelo whisky e em vez de criancinhas ao pequeno-almoço passassem a encher os McDonalds para o mata-bicho, mas não é menos certo que exigiriam que a matéria-prima dos hamburgers tivesse pelo menos 80% de criancinhas moídas. Enfim, sempre seria um progresso, o óptimo é inimigo do bom.

    Quanto às “energias fósseis”, o que é que querias que o homem fizesse? Que obrigasse toda a Moscóvia e arredores a deslocar-se apenas de bicicleta ou em Teslas amaricanos? Que abdicasse de rentabilizar um activo que tem em abundância e dissesse a alemães, polacos, ucranianos e não sei quantos mais países europeus viciados em fósseis energizantes que são todos uns drogados em risco de overdose e, em nome da saúde pública e do combate ao efeito de estufa, a partir de agora só lhes vendia matryoshkas? Vai-te catar, rapariga!

    E acaso por um segundo te incomodou o facto incontroverso de o grande aldrabão… perdão, o grande campeão do combate às alterações climáticas que dá pelo nome de Barrá Kobama ser simultaneamente o campeão do crescimento explosivo da exploração de petróleo e gás de xisto nos EUA pelo famigerado método do fracking, responsável por gravíssimas consequências ambientais? Acaso o facto incontroverso de ter sido no consulado do entertainer aldrabão da Sala Oval que o fracking recebeu luz verde para ser usado sem restrições te provocou algum microssegundo de indignação ou engasganço?

  65. Penélope: “Não se passa nada na Rússia de verdadeiramente inovador a nível económico.”

    Só a título de exemplo, acaso sabes que os foguetões americanos que põem satélites no espaço usam quase exclusivamente motores russos, fabricados pela Rússia, exportados pela Rússia? Claro que só se lembram disso pontualmente, como quando, há alguns meses, um deles explodiu na descolagem, o que foi imediatamente aproveitado pelos merdia ocidentais (incluindo da Tugalândia) para apontar defeitos ao material parido na Moscóvia (só podia, não é?)? O pior foi quando se descobriu que afinal o defeito que levou à explosão se ficara a dever a uma alteração espertalhaça feita por engenheiros americanos, no que pretendiam fosse um melhoramento. Follow-ups? Correcções? Era o que mais faltava, todos os mercenários dos merdia da Ocidentalândia (com raríssimas excepções) se calaram!

    Sai meia dose de links, incluindo da NASA, para a mesa do canto (e uma Alka Seltzer), caso tenhas dúvidas:

    https://www.nasa.gov/pdf/427652main_PMC_2010_Pech_Russian.pdf

    http://spacenews.com/nelson-shepherds-senate-compromise-on-rd-180-issue/

    http://www.npoenergomash.ru/eng/dejatelnost/engines/rd180/

    http://aviationweek.com/awin/us-rd-180-coproduction-would-cost-1-billion

    http://www.ulalaunch.com/uploads/docs/Published_Papers/Evolution/RD180EstablishedRecord201108_0201.pdf

    Distraída como és, acaso terás reparado que o próprio Putin reconheceu publicamente que a Rússia se encostara demasiado à exportação de petróleo e gás e tinha de alterar o seu modelo económico, apostando na produção interna, tanto na indústria como na agricultura? E saberás tu também que, graças às contra-sanções russas, que atingiram as exportações de produtos europeus da indústria agro-alimentar e da pecuária, o corte nas importações dos produtos europeus estimulou e rentabilizou o investimento e a produção interna dos mesmos produtos, provocando um enorme salto na agro-pecuária e na indústria agro-alimentar russas? Não tomaste nota das preocupações, por exemplo, da suinicultura portuguesa, que, conhecedora da situação actual da agro-pecuária na Rússia, se lamenta pelo mercado perdido e afirma ser praticamente impossível, mesmo com o fim de sanções e contra-sanções, recuperar a situação anterior, já que agora, feitos os investimentos na Moscóvia, a preferência irá para os produtos russos?

  66. Penélope: “Quer também outras coisas, como poder e influência internacional. Na Europa, a estratégia é igualmente apoiar todos os putativos candidatos a líderes que lhe garantam boas relações e o fim das sanções.”

    Porra! Mas não é isso que querem e fazem todos? Não é isso que faz e fez a Amérdica do Obama, dos Bush, do Clintons e tutti quanti? Não foi isso que fez também a América do Roosevelt e do Eisenhower? Não é isso que faz a França, o Reino Unido, a Alemanha? E no que respeita apenas à “influência internacional” não é isso que faz a Tugalândia?

  67. Penélope: “[Putin quer]Criar condições para a vinda de mais e mais refugiados, que possam acentuar sentimentos xenófobos e levar ao desmembramento da União e/ou à subida ao poder de pessoas amigas e autoritárias como ele.”

    Foska-se! Como consegues tu apagar dos registos históricos que a enorme maioria dos milhões de refugiados sírios começou a fugir do país em 2011 (início da guerra civil) e que é completamente impossível que a intervenção russa, que começou apenas em Setembro de 2015 (há pouco mais de um ano) tenha alguma coisa a ver com isso? Que responsabilidade podes tu assacar ao Putin pelos 2,7 milhões de refugiados sírios na Turquia, 1,5 milhões no Líbano, 1,2 milhões na Jordânia, e pela “gota de água” de centenas de milhares chegados à Europa (a grande “campeã” Alemanha está nos 600 mil)? Será que também foi o Putin que mandou matar o Kennedy? E o Martin Luther King? E já agora o Jesus Cristo? Será que foi o Putin que mandou assassinar a tua honestidade intelectual?

  68. Penélope: “Devemos aceitar que o visível declínio da Rússia e a sua falta de dinamismo económico leve o seu líder a desestabilizar as democracias ocidentais transformando-as em circos?”

    É de espantar a fraquíssima conta em que tens as democracias ocidentais e a solidez das suas instituições democráticas, se acreditas ser possível ao presidente de um país que decretas em “visível declínio”, em “estado de falência”, com “falta de dinamismo económico” e onde “não se passa nada (…) de verdadeiramente inovador a nível económico” realizar as atléticas proezas que lhe atribuis, transformando todos os cantões da magnífica e poderosa Ocidentalândia em patéticos circos.

  69. Isso é tudo falso Galuxo, basta veres os links para confirmares q as leis contra a liberdade de expressao e informação na Russia são recentes e existe uma absoluta regressão. Dai a necessidade de propaganda para o exterior, para esconder o Horror. Mas adiante, é triste confirmar que o te falta em espírito critico tens de sobra em cegueira, incoerência e desonestidade intelectual.

  70. Lucas Galuxo: Realmente, deverias ir viver para a Rússia. Só aí serias um homem livre.

    A ideia de que são as sanções as principais responsáveis pela estagnação da economia russa tem piada. Equivale a dizer que foi o embargo a Cuba o grande responsável pela situação de pobreza e de falta de liberdade e de democracia na ilha, uma situação que leva a que todos os seus habitantes vivam sonhando com a Florida ou com a Europa. E atenção que eu não posso estar mais de acordo com o levantamento do embargo. Já tardava. No entanto, irás ver parcas melhorias mantendo-se o atual grau de centralismo e de controlo estatal da economa. Já quanto às sanções à Rússia devido à ocupação da Crimeia e às ameaças militares contra a parte da Ucrânia que vê maiores atractivos no Ocidente e que com ele pretendia celebrar um acordo de associação, é evidente que nem antes delas a Rússia estava numa trajetória de progresso e crescimento nem o Putin se dá bem com elas, razão pela qual jurou vingar-se de todas as formas possíveis. Faz pela vida. Quer manter-se no poder e alimentar o sentimento do império. Mas isso não devia toldar-te o raciocínio sobre o regime sob o qual gostarias de viver.

  71. Pois é, Lucas, essa do “deverias ir viver para a Rússia” não a ouvia há algumas dezenas de anos. Era a frase preferida de trogloditas alzheimerizados e reencontrá-la aqui é a redescoberta surpreendente (ou não) de um mundo fossilizado que julgava há muito enterrado. Uma autêntica pérola. Ou melhor, uma trilobite.

    Desejo-te uma boa viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *