Já entrado Agosto

Vejo que já recomeçou o futebol. Quero dizer, o campeonato nacional. Tem graça que a pausa futebolística estival quase não é perceptível. Há sempre futebol e assuntos futebolísticos candentes a discutir em qualquer ecrã para onde se olhe. Horas e horas dedicadas ao tema, role a bola nos estádios portugueses ou não. Horas que poderiam ser empregues na divulgação das últimas descobertas científicas ou na transmissão de programas que expliquem a falta que o iluminismo fez, e faz, nas sociedades árabes e muçulmanas, habitantes de uma boa parte do planeta.

Há uma overdose de futebol nas televisões portuguesas. É demais, é um abuso e é também, no campo do desporto, que pratico e cuja importância reconheço, um desrespeito por todas as outras modalidades desportivas que também são praticadas por milhares de pessoas. Mas vejo que há pessoas, comentadores, alguns de quem gosto, que ficam nervosos e ansiosos com a abertura da época. Não compreendo, são apenas uns rapazes saudáveis a jogar à bola. Salvo alteração das leis da física e da constante universal, ganham os clubes que tenham comprado os melhores jogadores e contratado os melhores treinadores. Aqui em Portugal não há grandes dúvidas. Que hipóteses tem o Tondela? E o Sporting? (calma, é provocação) Desejo boas sensações a quem assim sofre, mas é demais.

E por falar em abusos, também no ecrã volto a ver o José Rodrigues dos Santos. Aquele das grandes ênfases na abertura do Telejornal. Pois a alarvidade continua. Noticiou ele (às 20h02), com toda a artilharia sonora, que a ministra da Administração Interna “acusou a GNR de não ter enviado ninguém para a 236 [no incêndio de Pedrógão], onde morreram dezenas de pessoas“. Ouvi bem: “acusou”. Presume-se de “não ter mandado ninguém para fechar a estrada”, claro, pois se não tivesse mandado ninguém para a estrada – civis – como que para morrer, seria toda uma outra problemática e o verbo “acusar” não faria qualquer sentido. Acusou?

Logo de seguida entra a peça que resume e transmite o que a ministra disse na conferência de imprensa. E o que disse foi que, a partir das 20h00, aquela via foi transitada por viaturas dos bombeiros e da GNR, do INEM e até de civis. Que ninguém considerou haver um risco potencial para quem ali passasse. “Por essa razão não foi ordenado o encerramento da via“, disse a ministra. Onde é que nestas palavras o jornalista foi descobrir a tal acusação à GNR? Ouviu sequer a peça antes de escrever a notícia?

Indignei-me, feita intelectual. Quando as imagens voltaram ao estúdio, cheguei a pensar ir assistir a uma reformulação, uma correcção, um pigarro, até um piscar de olho do José acompanhado de um “estava a brincar; não acusou nada“. Não aconteceu. Seguiu alegremente para a notícia seguinte, depois de confundir as velhinhas, e levou a figura de parvo por aquela hora fora.

Vai uma musiquinha?

 

 

18 comentários a “Já entrado Agosto”

  1. Certo ! Estava a ver que mais ninguém tinha notado!
    E não ficou por aí o grande JRS. Mais adiante acusa o governo de atraso nos apoios. E para ilustrar seguiu-se a entrevista a um senhor duma serração que se queixava da morosidade dos seguros na avaliação dos prejuízos. A RTP soma e segue como a justiça: é uma orgão de soberania que não deve explicações ( nem desculpas…) ao soberano.

    Sobre o futebol : a RTP podia ter “entremeado” a bola com qualquer coisinha do Mundial de Atletismo. Mas qual quê…

  2. Não é só futebol a entrar-nos olhos dentro a toda a hora, travestido de coisas que nada têm que ver com a nobreza do desporto. Ir ao Discovery Channel, ao História ou ao Odisseia à procura de bons documentários e esbarrar com reality shows do mais estapafúrdio, também não ajuda muito ao esclarecimento das massas. Andamos todos entretidos com o vazio.
    Até o JRS é o “escritor” mais vendido! (o adjetivo cai-lhe como uma luva, embora não saiba quem foi que o comprou).

  3. Horas que poderiam ser empregues na divulgação das últimas descobertas científicas ou na transmissão de programas que expliquem a falta que o iluminismo fez, e faz, nas sociedades árabes e muçulmanas, habitantes de uma boa parte do planeta.

    Tem toda a razão. Mas quem é que liga à cultura neste país?
    Se anda na rua, verá gente a ler o Correio da Manha ou a Bola….(os lagardos, o Record).
    E mais não digo…

  4. mas lá onde faltam programas a falar da sua falta de iluminismo também falam de bola ? não sabia.
    é que por cá , com bola ou sem bola , com ou sem programa , já toda a gente , menos os gajo do berloque , sabe que são uns grunhos fanáticos que vestem burkinis e metem bombas e assim.
    a não ser que sejam programas de recrutamento de voluntários em missões de apostolado iluminista , mas é um exagero ,non?

  5. Mal entrei em Agosto sou surpreendido com a notícia dos meus 4 Aérios em todos os noticiários…!
    E nunca mais param com isso, pelos vistos só se calam quando eu faça um agradecimento em público.

  6. Septuagenário: estou melhor com mais quatro aéreos do que com menos quatro aéreos!!! Vou fazer-te um desenho.

  7. Ó Abrão, vai gozar pró-costa que te carregue…faz as contas e olha pró lucro nas vésperas das autárquicas.
    Seus demagogos da porra!

  8. Ó Cantas bem mas não malégras, são mais cínicos os 4 euros costistas do que é o oportunismo dos incêndios a tempo e horas para os passistas.
    A ciência política da vaselina com areia já os velhos a topámos, mas como diz o outro, quem não leva em novo leva em velho…paciência!

  9. Geronte pouco sábio, os cínicos quatro euros não começaram a cair agora à beira das autárquicas, começaram na tomada de posse e hão-de cair durante os quatro anos que odeias. Perdoa-se-te. Deve ser a memória a falhar.

  10. oh geroncio! os quatro euros do costa dão para comprares pilhas para o simulador de devolução do irs que o passólas matiza marilú inventaram em véspera de eleições.

  11. O jrs perdeu muita audiência desde que se declarou da direita pesporrenta!
    A RTP baixa drásticamente as audiências nos dias em que o jrs e agora, mais
    calma a cristina esteves lêem as notícias com a sua entoação própria, qual-
    quer das empresas especialistas o podem confirmar … não basta a piscadela
    de olho para se limpar da sujeira que o deixam fazer!!!

  12. a cristina esteves é outra parva como o orelhas, julgam-se o umbigo das notícias que debitam e na maior parte dos casos nem entendem o que leem.

  13. senhor pensionista ,os 4 aério são para pagar a comissão de manutenção de conta na cgd ….dão com uma mão , tiram com a outra . isso é o que se chama de política :)

  14. Madeira e olha,

    Vcs comentam como se fossem o JRS ou a CE quem escreve o que eles lêm. Fosse assim e seria um probleminha. O caso é que bem podem eles dar a entoação que quiserem ao que leêm, mas não decidem sózinhos nem o alinhamento nem e os conteudos do TJ. Isso é uma co-autoria, um trabalho de equipa. E isso sim, é um problema, pois revela a existência de uma agenda muito mais vasta.
    Na mesma peça referida no post, tb se critica o governo pelo “atraso nas ajudas” a Pedrogão. Reparem que na reportagem de suporte, o cavalheiro da serração diz claramente que há uma atraso no trabalho de avaliação das seguradoras. Mas que importa o que dizem os entrevistados , se o que conta é o que a DI pretende comunicar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *