Há demasiados jornalistas a precisarem de ir de férias

Hoje o Público lança-se numa campanha de ataque à Câmara Municipal de Lisboa, insinuando que praticamente toda a obra feita, aprovada ou a concurso está sob investigação judicial. O PSD está, como é óbvio, por trás desta campanha. Está a tornar-se um padrão de actuação: sem argumentos, candidatos ou propostas melhores que os dos seus adversários, lançam uma nuvem de suspeição, que pode dar no que der, tipicamente em nada, mas o que interessa mesmo é deixar pairar a dúvida. O jornalista (na realidade, dois, pois assina também uma jornalista) do referido jornal faz então o trabalho de divulgação em forma de notícia. Notícia mal apresentada, diga-se, porque nem sequer ouve as partes acusadas, nomeadamente a Associação de Turismo de Lisboa. Não querendo ir de férias, estes jornalistas escrevem sem tino. Irão ser acusados de fretes e de mau jornalismo. Eu já comecei.

No DN, vários jornalistas-comentadores continuam decididamente a ver uma realidade totalmente diferente da esmagadora maioria da população. Lendo alguns deles, parece que o Governo anda a atear os incêndios. Sobre o SIRESP, jamais uma palavra sobre o que o governo anterior devia ter feito e não fez para corrigir as falhas identificadas durante o seu mandato e o que já foi feito entretanto . É dito alto e bom som, nas televisões, por quem anda hoje no terreno a acompanhar ou a combater os incêndios, que as recentes interrupções do SIRESP foram de imediato compensadas por sistemas de comunicações alternativos, não tendo havido qualquer problema de falhas, muito menos de falhas que agravassem a situação em Alijó ou Mangualde, mas estas criaturas continuam a falar na vergonha das falhas e mais não sei o quê que o Abreu Amorim, o tanque de combate e insídia do PSD, anda por aí a dizer. Também no mesmo jornal, João Pedro Henriques, para não perder a onda, e a propósito dos ciganos caluniosamente acusados por um troglodita qualquer que concorre a Loures pela coligação PSD/CDS, disserta sobre racismo  e acha que é racismo os trabalhadores de origem africana terem ido viver para uma zona recuada de Cascais onde tem, ao longo dos anos, havido necessidade de mão de obra para a construção civil.

Isto sem evidentemente cuidarem de saber que aquela gente toda tinha ido viver para Cascais não por causa dos gelados Santini mas porque a construção civil dava emprego a toda a mão-de-obra barata (negra, portanto) que pudesse agarrar. O racismo era isto: os brancos, upstairs, no litoral; os negros, downstairs, no interior.

Racismo, isto, porquê? Anda por aí um conceito de racismo muito bizarro. O facto de as pessoas com interesses, locais de trabalho e possivelmente hábitos comuns se agregarem em determinados sítios não configura racismo por parte de quem lhes dá emprego. O racismo infelizmente existe, mas é melhor não dizer patacoadas e procurar noutro lado, noutras atitudes, noutros contextos, para não dar a ideia de que se fala nele só porque virou agenda.

4 thoughts on “Há demasiados jornalistas a precisarem de ir de férias”

  1. Ora esta, hem? A Penélope a fazer-se de ingénua, ao insinuar que estes jornaleiros estão cansados e a precisar de férias, em função daquilo que estes dizem nos seus artigos. Está enganada cara senhora: estes tipos estão bem frescos a fazer o seu trabalho que consiste, não em informar que é o que cabe a todo o jornalista, mas sim a fazer o trabalho de sapa de desgastar este governo e as politicas que está a levar a cabo. É para isso que os seus patrões lhes pagam. A sua função é a de, sob a capa de pseudo- jornalistas, irem provocando o maior desgaste a esta solução governativa. Não passam de sapadores, a mando dos seus patrões, das suas ideologias e dos seus interesses, e cuja função é minar toda a política, nem que para isso tenham que inventar, distorcer ou falsificar tudo aquilo sobre que escrevem, apresentando-o como se de uma noticia se tratasse. Isto vem em todos os manuais da contra-informação. Não se faça de ingénua.

  2. Há já tempo que noto que o cerco está a compor-se e muita, muita gente a participar . Na comunicação social é o pleno ! Mas há muito mais ! Esta noticia sobre a camara de Lisboa até parece o tijolo final – Costa, Salgado, Medina e quem os apoiou – . O próximo passo será serem arguidos ou lá o que for.
    E depois digam que não há conspirações nesta teoria. A agenda escondida está a destapar-se ! Até parece um golpe como o do PREC em que até apareceram jornais novos ( agora não são necessários em papel . a tecnologia é outra ). E o espanto , provavelmente só para mim , é que o órgão que se deveria destacar em isenção – RTP – é dos menos confiáveis !

  3. Se o Costa for constituído arguido ou for preso não faz mal nenhum. Então, à política o que é da política e à justiça o que é da justiça. Certo?

  4. o dn não sei , mas o públicuzinhoo é o jornal do berloque , portanto só obrigados dizem mal do governo. das camaras devem achar que podem dizer mal , para disfarçar o alinhamento total ao costa . nunca vi jiornal tão parcial , faz impressão. é que o cm é para vender , este é mesmo propaganda. de aí ninguém comprar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *