Como defender Passos

Um dos modos é o do José Manuel Fernandes, infeliz. Juro que o ouvi dizer, ontem, na RTP3, nos cinco minutos que lá parei, que o discurso do homem no Pontal tinha sido cheio de substância e, ao mesmo tempo, que a única frase que verdadeiramente fica é a da comparação do SIRESP com a cara de António Costa. Isto enquanto sorria, desculpabilizador, por Passos se recusar a escrever os discursos (o que tem implícito serem uma desgraça). Ou seja, Passos disse coisas importantíssimas, embora mal enjorcadas, que não deu para reter, possivelmente nem para compreender – caso contrário seriam abundantemente citadas pelo JMF, para que não ficassem esquecidas. Mas houve imensa substância naquela intervenção comicieira. O pico dessa substância terá sido atingido com o SIRESP, que é “a cara de Costa”, uma comparação que, essa sim, todos compreendem. Esteve a um passo de dizer que o SIRESP é um sistema chamuscado. Mas ainda não chegou o tempo do André Ventura. Foi isto. A defesa.

2 comentários a “Como defender Passos”

  1. o siresp foi vendido pelo bpn ao daniel sanches que assinou o contrato em nome do governo e o dias loureiro intermediou o negócio tendo arrecadado as comissões. consultar a impressa da época enquanto o observador não põe uma equipa a denúnciar conteúdos para eliminar o passado da roubalheira presidida pelo cavaco.

  2. Infelizmente isso está tudo prescrito ( legalmente falando, que não do ponto de vista histórico) .
    Tenho bem presente que Soares, como PR, questionou Cunha Rodrigues, que era então PRG, ” mas vocês querem uma república de juizes ? ” .
    Era o tempo das mãos limpas em Itália , juizes mortos em atentados, tutti-quanti, até a velha raposa Andreotti .apanhado na rede. Craxi já estava condenado e estacionado na Tunísia ( em entrevista, admitiu a culpa, justificando com a prática geral ) .
    Uma lástima!
    Como uma desgraça nunca vem só, culpas por igual para pêpêdês, socialistas ( in name only ) centristas ( idem idem ) . E alguns mais .
    Todos interessados na miséria de sistema de podridão que temos, um regime, dito democrático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *