Bolo de chocolate e bombas

Depois de dois meses a falar da urgência de dar prioridade à América (pressupunha-se que em relação ao resto do mundo, o que significaria um fechamento) e das boas intenções dos russos, que não queria antagonizar, mas com os quais queria cooperar (ou seja, eles que tratassem dos das cabeças cobertas lá dos desertos), Donald Trump dá uma volta de 180º, bombardeia uma base aérea na Síria (dando a ordem enquanto saboreava bolo de chocolate em Mare-a-Lago), envia navios de guerra para a Coreia do Sul, ameaçando a Coreia do Norte, lança uma bomba de grande potência no Afeganistão contra esconderijos do Daesh, reconhece a importância da Nato, depois de dizer que estava obsoleta e de envergonhar os seus membros, e diz-se pronto a admitir o Montenegro nesta organização, contrariando os russos. O que se passa?

Perguntas e mais perguntas:

  1. Descobriu um passatempo alternativo ao golfe que o pode manter mais tempo na Casa Branca?
  2. Descobriu os prazeres do poderio militar do seu país?
  3. Agora que tomou o gosto pelos “jogos de guerra”, não vai parar?
  4. Terá neste divertimento a participação (e o incentivo) da filha Ivanka?
  5. Nada disto e está apenas a ser levado pelos falcões militares que o rodeiam?
  6. Saberá onde fica o Afeganistão, uma vez que ontem confundiu a Síria com o Iraque?
  7. Estará a ficar cheché? Nunca deixou de estar?
  8. Faz tudo isto para fingir que se está a distanciar da Rússia?

7 comentários a “Bolo de chocolate e bombas”

  1. Os Reality Shows criam heróis cuja visibilidade é tão importante para a maioria do povo, que chegam a presidentes da república… O povo é sereno… e voyeur…

  2. 9. Não gostou do bolo de chocolate.
    10. A culpa foi da Killary, do Obama, CNN e dos media mainstream. O Trump só deu a ordem.

    MACA! Make the Cake Again!

  3. De facto, esta “autora” e o disparate andam de mão dada…

    O comuna do coreano é melhor…e o pobrezinho do sírio, mais uma vitima dos Estados Unidos.

    Quando cérebros menores e enxertados na ignorância se dão a comentar, é perigoso, como o é quando votam e ganham, pois a estupidez será sempre em maior quantidade…e aí, a filosofia grega da antiguidade, era mais do que sábia, pois só votava quem para tal tinha capacidade.

  4. Só cá faltava o monte de esterco
    14 DE ABRIL DE 2017 ÀS 15:41
    com o seu pró-americanismo primário.”

    Lê e aprende, comuna! Esquerdalhista básico.Se queres venerar o coreano e os que se lhe associam, força, mas sempre que o fizeres em espaço onde eu participe, apanhas. De resto, o que vejo é que esta maltinha da esquerda asna quando não tem resposta à altura, recorre à qualificação…que te assenta que nem perfeição.

    Pró – americanismo, SIM. Sem hipocrisia, mas com atenção a COMUNAS como tu, que querem combate à custa de subsídios que exigem aos outros e te permitem ter tempo para dedilhares asnice e até ter um computador para debitares TRAMPA. Não bebas coca-cola, nem uses jeans e já agora nada de música americana….a não ser que conheças outro significado para hipocrisia – o da esquerda. Queres partilhá-lo comigo, comuna? E já agora, já compraste o bilhete para a Síria para ajudares na reconstrução? E quantos refugiados recolheste…diz-nos, que a tua visão de socialismo nem precisa de muita interpretação, para além da literal….

  5. Jasmin
    14 DE ABRIL DE 2017 ÀS 8:18
    Parabéns aos camelos que votaram nele porque ele era “contra o sistema”.

    Diz, certamente, a camela mais bossuda da gerigonça….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *