Avalanche de santos

Leio na France 24 que o padre que foi assassinado por dois jihadistas numa igreja na Normandia, Jacques Hamel, enquanto dizia a missa para meia dúzia de fiéis, poderá ser em breve beatificado, o que constitui o primeiro passo para se tornar santo. Os dois miúdos que acompanharam Lúcia nas suas alucinações também estão na calha para a canonização.

Ou o estatuto de “santo” está a perder valor, ou a igreja católica está a precisar desesperadamente de mártires (o padre seria um deles, pois, estando a trabalhar, automaticamente “morreu pela sua fé”) ou, terceira hipótese, a igreja anda algo desorientada com a concorrência e a pressão dos muçulmanos em matéria de mártires.

Mas, nesse caso, por que não beatificar todas as vítimas de camiões e automóveis (e aviões) utilizados pelos terroristas islâmicos nos últimos tempos? É certo que andavam simplesmente a passear e distantes do objectivo de “defender a fé cristã”, mas caramba. Foram assassinados em nome de uma seita religiosa antagónica.

Não me posso impedir de imaginar e de me intrigar com a consequência lógica de um atropelamento de um qualquer grupo de padres católicos a caminho do Vaticano por um camião conduzido por um tresloucado jihadista. Passariam todos a santos?

31 comentários a “Avalanche de santos”

  1. Você minha cara é, de facto, digna de pena, pela ignorância e, também, maldade que revela.
    Nada sabe sobre Cristianismo ou catolicismo, este entendido como “igreja universal”, nem sobre a “santificação”, que deve ser a meta de todos no mundo material.
    Alucinada é você, com o seu maldizer em matéria como esta sobre a qual se atreve a escrever de forma tão abjeta. Desrespeita, viola, a crença espiritual de pessoas que inabalavelmente aceitam as aparições de MARIA; com que direito você as rotula de alucinadas, quando, afinal, nada tem que prove que as mesmas nada viram?! É evidente que para almas abjetas como a sua, só pode saír o que acaba de publicar!

  2. e que nos interessa isso da santidade se nem traz benefícios à vida de quem o é? eu quero ser santa se deixar de pagar impostos. :-)

    (estás a quer objectividade. ora como pode a religião sê-lo se vive de prosa, não poética, analítica?)

  3. Cegueta
    Não achas que se a maria em vez de andar a aparecer às escondidas aparece – se a toda a gente resolvia tudo?!

  4. Velhote? Lol.
    Olinda, refere-se a mim? Consegue provar a alucinação que a autora de tão abjeto post imputa aos videntes?

  5. Penélope, já tenho lido mais posts seus com “ataques” à igreja, à religião e aos santos e acho que devia preocupar-se com assuntos mais importantes. É que isto já é do domínio subjectivo e a sua opinião ou crença ou fé é algo que não afecta nada a não ser que a venha defender com outros argumentos. É assunto que vai muito além da explicação que aqui deu. Bom fim-de -semana ou bons ovos de chocolate já que o resto não lhe diz nada.

  6. Sendo o meu verdadeiro nome, António Averiguações, não posso deixar de manifestar aqui, publicamente, a minha indignação, e o mais viúvo (pum) repúdio pelo facto do Adelino Fortí faive, nem sequer saber escrever .
    Nem que a Virgem Maria lhe aparecesse, ele seria um crente …
    Deve residir em Bicesse, daí ter escrito, aparece-se .

  7. Se o nazareno ressuscitasse onde iria ele celebrar a sua própria morte, na vila do turismo religioso e da crendice ou no suave milagre de ver uma jovem dizer palavras que podiam ter sido dito por Madalena numa erma povoação? Como não cristão mas criado numa cultura judaico-cristã de que bebi (ai não!) obrigatoriamente alguns conceitos só posso dizer que a povoação alentejana é de longe a cena que cristo mais curtiria, o vinho é melhor não levava com os vendilhões de mau produto e até podia fazer uns truques aquáticos no Alqueva. Nã, Cristo não era burro.
    Por isso se alguém quiser realmente presenciar o feeling cristão vá à missa a Reguengos de boleia coma uns pézinhos de coentrada com um tinto e no fim remate com um licor de poejo, um doce e um café. No cimo de Monsaraz pode-se espraiar a vista sobre o Alqueva, e se por acaso avistar um individuo a caminhar sobre as suas águas, não tenha dúvidas, o vinho é mesmo bom, porque Cristo e o seu exemplo ficaram na missa.

  8. Eu pessoalmente, sou a favor de um mecanismo de presunção legal, como em matéria de acidentes de trabalho : uma lesão ocorrida no tempo e no lugar do exercicio de funções sacerdotais (ou durante o trajecto entre o domicilio e o local de trabalho) deve ser presumida como causa legitima de beatificação. Apenas nos casos em que se prove que não houve relação alguma com o desempenho das funções é que é legitimo recusar. Assim é que é justo.

    Boas

  9. Maria de sempre: Mas para mim o assunto é importante. Quem é você para dizer que não é?
    E não, infelizmente a religião nem sempre é, nem sempre foi, uma questão subjectiva. Basta olhar para a história e, já agora, para o que se passa ainda nos tempos actuais com os seguidores de uma conhecida religião. Portanto, o fenómeno religioso interessa-me e penso que lhe devia também interessar do ponto de vista do estudioso.
    Além disso, convém não esquecer que foram necessárias pessoas de quem você não iria gostar, e que acusaria certamente de hereges, para pôr a religião no lugar de subjectividade que você agora lhe atribui.

  10. joaõ viegas: Partilho do teu ponto de vista. Há que definir. Tem que haver uma cartilha. Afinal para algumas questões bicudas já há regras bem precisas: um mártir não está obrigado a fazer milagres para se tornar santo, ao contrário dos pobres miúdos Francisco e Jacinta, que, mesmo depois de mortos, vão ter de estar atentos a isso.

  11. Penélope
    13 DE ABRIL DE 2017 ÀS 21:00
    Manolo Heredia: Deixo. Possivelmente já era um santo homem. Mas ultimamente é só santos.”

    Você continua a inspirar PENA. MUITA. Cultive-se. Oiça o canto gregoriano…pode ser que passe para o estudo do significado de “santo”…e depois APRENDA a RESPEITAR o CRIADOR!

  12. Joe Strummer

    Podes crer, mas guarda um pouco do teu vinho delicioso para te amortecer a queda….pelos vistos, “bubadeiras” são o teu forte e fonte tanta asnada. O que te diferencia, de facto, de Jesus Critso.

  13. Penélope
    14 DE ABRIL DE 2017 ÀS 11:36
    Maria de sempre: Mas para mim o assunto é importante. Quem é você para dizer que não é?!!”

    E quem é você para atacar a experiência de outros e no caso em matéria que devia estar FORA de qualquer articulado, designadamente como o seu?

  14. E o que tem a RELIGIÃO a ver com as APARIÇÕES de MARIA?

    E quem é você para questionar e até apoucar os videntes?
    Quede-se nas trevas, se destas não quer saír; não chame outros para a sua pequenez.

  15. Naturalmente que um PORCO desorientado só podia recorrer-se de chocolate em formato fálico, quem sabe para tapar a fome do que interiormente sente que deve fazer….

    O PORCALHÃO mor ri-se, como faria um diabito vencido e invejoso de não conseguir fazer parte do que é correto e bem.

  16. Pimpampum, quanto ao verbo tens toda a razão. A minha residência fica antes de lá chegar mais para cá um bocadinho.
    Quem escreve o que está em baixo entre parênteses sabe escrever português e até estrangeiro, mas já tem QI em queda acentuada

    adelinoferreira45
    13 DE ABRIL DE 2017 ÀS 16:22
    “Caso aparecessem bancos de carros eléctricos danificados por actos notórios de vandalismo:
    o chefe da esquadra de polícia local, ou um qualquer polícia em sua substituição, dirigia-se à escola ou escolas servidas por aquela determinada linha, e comunicava a ocorrência ao reitor . Este reúnia com os professores e perguntava quem eram os alunos problemáticos, e dentre destes, os mais audazes, capazes de tais actos . Era feita uma investigação e uma filtragem . Invariavelmente, o delinquente juvenil era apanhado ”

    Isso era no tempo do eléctrico a “vapor” que só transportava estudantes e os problemáticos eram sempre os mesmos… eheheh

  17. Repito, o meu QI ( quadriciclo interessante ) não era o meio de transporte utilizado naquela época . Arlindo45 continua equivocado, não era eléctrico a vapor, mas sim carro eléctrico puxado por semoventes, vulgo burros e mulas, por isso ele devia saber isto muito bem .
    E em caso de falha de tracção animal, o carro eléctrico podia ser ligado à tomada .
    Quanto ao destinado exclusivamente a transporte de estudantes, esse, em caso de avaria, era empurrado pelos cábulas/burros . Aposto que o 45 empurrou alguns .

  18. Chegado hoje de umas mini-férias verifico que trazes para a discussão dos “eléctricos” o Arlindo45. Esse deve ter sido o gajo que te fez as orelhas. Conclusão: o teu problema não é o QI mas sim o alzheimer.

  19. O Adelino também se dá por Arlindo .
    Deve ser um burro de Lisboa, posto que no Alentejo, todos os burros são Telmo .

  20. adelinoferreira45
    17 DE ABRIL DE 2017 ÀS 21:58
    Chegado hoje de umas mini-férias verifico que trazes para a discussão dos “eléctricos” o Arlindo45. Esse deve ter sido o gajo que te fez as orelhas. Conclusão: o teu problema não é o QI mas sim o alzheimer.”

    Alzheimer? E tu?

  21. Para o tandem cegueta e pimpampum:

    Obsessões:

    Contaminação 45%
    Dúvida patológica 42%
    Asco de funções fisiológicas 36%
    Necessidade de ordem 31%
    Agressividade 28%
    Obsessões sexuais 26%
    Várias obsessões 60%
    Fazer comentários na net após as 02h 28%

    Compulsões:

    Verificar 63%
    Limpar 50%
    Calcular 36%
    Fazer perguntas ou “confessar-se numa igreja perto de água salgada” 31%
    Simetria, precisão 28%
    Acumular 18%
    Várias compulsões 48%

    Para o alzheimer não há solução ; no que ao TOC diz respeito pode-se dar um jeito ;)

    E agora tenho que ir. Os pescadores já estão todos no barco. A maquineta fica ligada!

  22. adelinoferreira45

    Chamas cegueta ao Pimpumpum, mas ele dá-te cabo da cabeçorra. Ele não precisa das medidas da tua “saúde”….nem precisas de confirmar. Estás com problemas de português…será que é do estrangeiro que falas?

  23. Na rotunda da AIP segues em direcção ao mar, viras na terceira à esquerda (tem semáforo) e vais em frente. 50 metros à direita chegas ao teu destino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *