Adoro a credibilidade das instituições europeias…

…logo pela manhã:

Num relatório que analisa o desemprego em Portugal, a chefe de missão pelo BCE defende que as subidas do salário mínimo (em relação ao salário médio) estão a fazer aumentar o desemprego no país.

Ah, ah, ah…! “Aumentar o desemprego”. Que mundo paralelo é este? É o Observador que descobre esta pérola de objectividade e oportunidade e publica. Quem mais?

29 comentários a “Adoro a credibilidade das instituições europeias…”

  1. à hora de almoço : ” A economista defende que sem estes aumentos do salário mínimo, a taxa de desemprego de 2016 poderia ter-se aproximado dos 7%. Estamos no início de 2017 e a taxa ainda está nos 10%.”

    e a crediblidade do ine e do iefp …. sei lá , continuo a ver carradas de gente a emigrar e a ver montes de gente à procura de emprego. e se querem que Portugal se resuma ao Algarve , Porto e Lisboa vão pelo caminho indicado.

  2. coitado do salário mínimo a ver-se linchado na lógica quântica. deviam era estudar o quanto o salário mínimo faz crescer a desigualdade de oportunidades. por exemplo: como pode um beneficiário do salário mínimo ganhar um empréstimo? nojentos.

  3. Pois é, Yo: Então não se está mesmo a ver que foi o aumento do salário mínimo de uns míseros euros que impediu a queda abrupta e mesmo vertiginosa e nunca vista (de 7 pontos percentuais) do desemprego?

  4. um empréstimo ??? só visto , esta gente não aprende mesmo. quem sabe o freud consegue explicar a necessidade doentia do pessoal se algemar à banca ? masoquismo , lavagem cerebral dos agiotas , pensamento a curto prazo , idiotia ?

  5. Bem…o mais idiótico é UM CIDADÃO pedir aumento do salário mínimo quando o país luta com um défice tremendo…Os chupilistas com adoram fazer contas com o dinheiro dos outros, acham que não é isso que vai fazer mossa…

  6. Yo: “Portugal se resuma ao Algarve , Porto e Lisboa”

    aí está, um idiota que não sabe que Algarve, Porto e Lisboa englobam 3/4 da população na nacional.

    étrampa: “pedir aumento do salário mínimo quando o país luta com um défice tremendo”

    aí está, um idiota que finge não saber que acabámos de atingir o défice mais baixo da história da democracia aumentando o salário mínimo.

  7. Joca
    3 DE ABRIL DE 2017 ÀS 15:47

    étrampa: “pedir aumento do salário mínimo quando o país luta com um défice tremendo”

    aí está, um idiota que finge não saber que acabámos de atingir o défice mais baixo da história da democracia aumentando o salário mínimo.”
    Comuna…não sabia que havia democracia em portugal! O que há é um conjunto de papalvos esquerdalhistas, chupistas, que pensam saber ler e compreender e votam. Até aceitam que um papalvo que adora poder seja primeiro ministro quando não ganhou as eleições.

  8. No tempo dos pafiosos, sem salário mínimo, o desemprego fartou-se de descer…

  9. por acaso sei : bicefalia litoralizada , digamos. não há ninguém que não saiba iosso . mas pensava que se andava a lutar contra a desertificação do país….. tenho ouvido discursos inflamados acerca do assunto. olha , afinal era tudo a fingir.

  10. …. “objectividade” e “oportunidade” (!) Não se trata disso mas se há ou não aderência à realidade, eles que provem com números forjados seja lá por quem/que for. Navegar á vista uma Geringa pode trazer surpresas e narizes partidos se não houver um bom colinho ou porto de abrigo por perto.
    Que é feito do rapaz de Massamá que nunca mais o vi cantarolar nem cuspir-se da boca, será que já foi a banhos para praia da tomatina pelada? Bolas! Tou farto deste cheiro a caril, a gengibre e a perfume de gaja gorda quando se anda aí pelo município.

  11. E os juízes dos Tribunais Plenários?
    3 DE ABRIL DE 2017 ÀS 18:49
    No tempo dos pafiosos, sem salário mínimo, o desemprego fartou-se de descer…

    Cala-te comuna.não fazes parte da democracia…

  12. Yo

    Mas não dê trela ao comuna…o tipo gosta de dizer que a terra é de quem a trabalha, enquanto não for ele a trabalhá-la mas comer o que a dita produz….

  13. Metodologia Dieselboom: A curva de Beveridge=Beer vs Boobs, uma relação entre a taxa de alcoolemia e os classificados relax do Correio da Manhã.

    Doravante as economias mais desenvolvidas irão ter um desemprego estrutural significativo. Novas soluções precisam-se não velhas grelhas baseadas em indicadores mais ou menos empíricos. O q e considerado “emprego”? Mini jobs, blowjobs, um gig, um biscate? Num futuro proximo o q se irá taxar para segurança social, os raros trabalhadores ou a capacidade tecnologica instalada? O discurso politico-mediático, mentiroso e estupido como sempre, está ainda a falar para a sociedade de produçao em massa industrial quando devia estar a arranjar soluções para a pos- industrial e cibernetica. À auto-edição somar-se-a a auto- produção, a possibilidade de produzir bens e produtos com uma impressora 3D, casas automóveis etc… Para comprar um automóvel só precisarei de uma licença de impressão não de ir a um stand e tudo o resto. O tempo não volta para trás, isso são só historias para carneiros.
    Curva de quê? Fonics.

  14. e vai voltar tudo ao normal com os robots : só as pessoas com talento irão pintar , escrever , compor , desenhar e tal . o talento vai ser fundamental para não ser substituído por um robot. nem tudo são más notícias , a pós massificação vai ser assim um abrir de janela :)

  15. porquê, yo, um empréstimo é alguma coisa de que alguém se possa envergonhar? a verdade é que os que ganham menos não têm oportunidade de se mexer para nada. vergonha devemos sentir do ordenado mínimo que não dá para assegurar a subsistência de alguém. das duas uma, ora confessa: ou tens um tacho muito bom ou andas no gamanço. :-)

  16. “Vai voltar tudo ao normal.”Receio que essa visao circular da historia que preve gloriosos passados não se concretize. O tempo não volta para trás. Ainda estas envolta nas celticas brumas de avalon, Yo.
    A questão é que cada vez menos pessoas trabalharão no futuro, e não nada ficara normal, e um salto com uma aceleração muito grande. E isto não é mau nem é bom, é a realidade, o meu ponto é o desfasamento do discurso politico-mediático com a necessidade de soluções.

    http://blog.wishbox.net.br/2016/09/20/conheca-8-modelos-de-carros-impressos-em-3d/

    https://espalhafactos.com/2017/03/04/impressora-3d-constroi-casa-24-horas/

  17. nem uma coisa nem outra , Olinda . eu é mais small is beautiful e zen e poucas coisas para limpar e o melhor da vida é grátis ( o investimento é de outro tipo) e tenho um pó a agiotas scrooge que lavam o cérebro aos palermitas demasiado socializados que nem te passa , é eles na Terra e a serpente no paraíso , duas modalidades de demónio.
    e vai voltar tudo ao normal , Joe , no sentido em que só os dotados ( como era antes ) vão poder se dedicar ao ofício , ou seja , deixaremos de entrar em livrarias , galerias e tal cheias de lixo.

  18. És uma optimista, eu penso mais o contrario, já viste milhares de milhões de novos desempregados sem nada que fazer a deambular por aí? The walking dead.para onde vão milhares de milhões de kalorias e testorena? E a sanidade, que é assegurada pelo senso de utilidade social, vulgo emprego escravo, onde parará? É que o pipol desde tempos eternos está habituado a este tipo de funcionamento social, com mais ou menos injustiças, trabalhas e tens dinheiro, sentido moral, sanidade e protecção, tiras isto e é a guerra. Nem por acaso andam por aí demasiados filmes e séries apocalipticas, ie, já está no subconsciente ou inconsciente, já foi programado socialmente, só falta acontecer. Medo, muito medo.

  19. milhares de milhões de desempregados jovens sem nada a perder ? oh my god , vão ser primaveras árabes por todo o lado… bem podem os ricaços da robótica começar a construir os bunker :) ou , em alternativa, talvez começar programas de esterilização massivas , como queria já em tempos o kissinger .

  20. Vá lá, um pouco de imaginaçãozita, os gajos da robótica são o problema tem exercitos de robots que ameaçam Gotham City. Nunca os perseguidos. Isto é senso comum em ficção, reatualizar o ludismo.

    Eugenia? Já estava a ficar admirado! Não há discussão por aqui em que pelo menos à segunda replica não se utilizem argumentos de superioridade étnica. Estação de saída.

  21. entre assassinatos em massa praticados pelo robots e ( não sei onde foste buscar a eugena , não falei em etnias ) e esterilização ,( e falava de decisões preventivas de motins a tomar pelos ricaços , não minhas) não sei bem qual será mais violento . no meu caso preferia não ter o filho sabendo que o freddy robot o estava esperando , mas cada um sabe de si , claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *