A velha estratégia ou a sério que a casa do Medina é mesmo notícia?

Fernando Medina, presidente da CM de Lisboa, era proprietário de um apartamento, onde habitava. Vendeu-o por um preço superior ao que tinha pago há uns anos – nada que surpreenda nos tempos que correm e mesmo nos que já correram, dependendo de melhoramentos que tenhamos feito – e comprou outro, com intermediação de uma imobiliária. Conseguiu um preço não barato mas razoável (foi em 2016) atendendo ao local e também aos tempos que correm (não tanto aos que corriam), em que, apesar da tendência de subida, os preços ainda variam consideravelmente em função de numerosos factores (o proprietário pode querer seleccionar o futuro comprador, por exemplo, não necessariamente com más intenções). E estávamos em 2016. É-nos também dito que havia outro interessado e que Medina até ofereceu mais um X para assegurar a casa. Também nos é dito que Medina comunicou ao Tribunal Constitucional o que devia ter comunicado. Portanto, foi isto. Ao que se lê, nada de mais nem digno de nota se passou. A não ser a grande sorte de uma família poder deixar os filhos aos avós na porta ao lado.

A falta de escândalo é, ademais, visível para quem leia a notícia desenvolvida no pasquim “Observador, mas não o título, obviamente. Pasmamos com a lata de quem resolveu construir um pseudo-escândalo com isto, ainda por cima antes que o “acusado” tivesse tempo sequer de esclarecer as dúvidas – pois a notícia acusatória saiu ontem. O facto de haver pressa em publicar ao ponto de não esperarem para ouvir o interessado já é um bom indicador do que se pretende.

O facto é que se lê aquilo tudo, hoje já incorporando alguns dos esclarecimentos entretanto prestados por Medina, e nada de chocante nem de ilegal se descortina naquela notícia.

O duplex comprado era de uma prima dos Teixeira Duarte, que, com os seus esmagadores 2% de quota, não tinha sequer voto na matéria na dita sociedade? Terá o pobre Medina encontrado a prima errada no local errado? E então? Não comprava o apartamento que lhe dá tanto jeito (segundo a notícia, Medina andava à procura há uns tempos) só porque “a prima” de uma empresa é a proprietária? É esse o escândalo? Será porque a Câmara fez um ajuste directo de não sei o quê com a Teixeira Duarte passados dez meses? E com quantas outras mais? Gostaríamos de saber.

Não sou advogada do Medina, mas claramente alguém está a recorrer aos métodos já conhecidos do espalhamento de lama para combater adversários.

12 thoughts on “A velha estratégia ou a sério que a casa do Medina é mesmo notícia?”

  1. Eu li a(s) notícia(s) no Expresso, que até tem como supervisor-mor o irmão do líder do PS e PM de Portugal. E fiquei preocupado com os factos (i)de Medina não ter declarado, como devia, a compra do apartamento por 645 mil euros ao Tribunal Constitucional (parece que só se ficou pelo sinal de um contrato promessa de compra e venda), (ii)por a Câmara de Lisboa (presidida por Medina) ter adjudicado obras de 5,5 milhões de euros à Teixeira Duarte, sem concurso público, já depois da compra do tal apartamento, (iii)por a compra ter sido feita a uma neta do fundador da empresa que é também irmã de um dos seus diretores e prima do seu presidente e, finalmente, (iv)por o Ministério Público, através do DIAP de Lisboa, estar a investigar os factos, presumivelmente, por indícios de participação em negócio e/ou corrupção.
    Mais do que nunca, em Política não basta sê-lo é preciso também (sobretudo) parecê-lo.
    Estou preocupado, muito preocupado não com o furor persecutório de uma direita sem norte mas sim pelo encadeamento indiciador dos factos. Só dos factos na sua singeleza cortante. É que, perante tal encadeamento factual, invocar o princípio jurídico da presunção de inocência penal, equivale, quase a uma confissão de culpa política, se não na sua forma mais grave que é o dolo, pelo menos, na sua expressão menos intensa que é a negligência grosseira consistente na mistura dos interesses pessoais do presidente da autarquia com os interesses públicos desta.
    Não basta sê-lo, é preciso parecê-lo!

  2. Quando vi Teresa Leal Coelho “abster-se” de participar no debate televisivo para as autárquicas, juro que desconfiei do que aí vinha….

  3. É no que dá um certo partido político deixar um seu Ex-secretário geral, e Ex- Secretário de Estado, Ex-Ministro, e Ex-Primeiro-Ministro fique entregue à matilha para ser dilacerado em praça pública, sem quaisquer direitos de defesa (ainda que possa estar completamente inocente), certamente á espera que a matilha com ele, e apenas com ele se satisfaça, e deixe o resto do grupo a salvo … e ainda por cima, a título individual, e de forma parola ,aceitar escrever crónicas no esgoto a céu aberto !
    Lamento, mas assim não tenho pena.
    E vai chegar a vez do Costa. Menos pena terei.
    Pena terei do país, de todos nós, que por causa de tamanha cobardia, vamos ter de gramar OUTRA VEZ com a sede sanguinária, da direita mais bronca e mais gananciosa de que há memória. Espero que a seguir se desinibam e ferrem bem nas canelas dos comunas, os da velha guarda e os caviares (não sei quais são os mais cínicos) porque esses também estão a precisar de levar nos focinhos. Já estão outra vez naquele modo de “prefiro a direita ao PS”. E por isso estão a precisar todos de levar uma cura de Caxias para baixo.

  4. Concordo com Jasmim. Faz bem a Medina saber o que custa ser vítima das maningancias fedorentas típicas do “jornal” onde aceita escrever. Quem participa no lixo é lixo. E, sim. Também Costa se desengane se pensa que comprou imunidade ao colaborar com os trafulhas.

  5. aqui têm a resposta fundamentada do medina, escusam de inventar omissões declarativas ao tc e interpretações manhosas dos factos. não se percebe como a procuradoria pode investigar isto que não tem ponta por onde se pegue e fazer vista grossa às aventuras imobiliárias do cavaco ou às aldrabices do portas? quando acabar o período eleitoral suspendem a investigação e voltam à carga nas próximas.
    https://medina2017.pt/transparencia/

  6. Mais uma vez, temos o truque da carta anónima mas, se for bem investigada deixará
    de ser anónima pois, nalgum sítio terá um ADN ou impressão digital! É de admirar a
    disponibilidade da PGR para mais uma investigação/inquérito, quando correm mui-
    tas denúncias na comunicação social sobre permutas esquisitas, acções premiadas,
    enriquecimentos súbitos … e todos assobiam para o lado!!!

  7. :-) ofereçam-me uma casa, por favor, que não vou importar-me que falem dela. :-) vão mas é trabalhar em casos sérios de polícia, catano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *